“ORAÇÃO COM O ESPÍRITO E COM O ENTENDIMENTO!”

“Orarei com o Espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o Espírito, mas cantarei também com o entendimento”.

1 Cor.14: 15

 Esta citação de Paulo é importantíssima, principalmente para  aqueles que afirmam orar e meditar, porém, sem serem atendidos. Já conheci casos em que as pessoas, ávidas por se verem “atendidas”, mas ficando sem  “obter resultados”, acabam desistindo de tudo, se mostrando insatisfeitas,  frustradas, e até mesmo duvidando dos  ensinamentos!

Allen White, respondendo a uma pessoa que lhe dizia: “Pratiquei os ensinamentos, mas os problemas persistiram!”, deu-lhe a seguinte  recomendação:  “Ore para receber orientação de Deus!”.

Certamente, a mente da pessoa devia estar mergulhada em seus supostos problemas; assim, mudando-lhe

o foco para Deus e Sua orientação, o apego à ilusão poderia ser dizimado!

Paulo deve ter encontrado vários casos desse tipo, em que as pessoas garantiam ter orado de forma correta, porém, sem serem atendidas. Em vista disso, declarou o seguinte: “Orarei com o Espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o Espírito, mas cantarei também com o entendimento”.

”Orar ou meditar”,  mas  sem se fundamentar no próprio entendimento da letra da Verdade, não constitui a oração correta!  É preciso colocar a LETRA PERTINENTE A CADA CASO EM ENTENDIMENTO, a fim de “ser testificada pelo Espírito”. Isto impede que a mente fique vagando, aberta a pensamentos intrusos do mundo, ou apegada aos seus ilusórios problemas!

Que significa “orar e cantar com entendimento”? Significa RECONHECERMOS E FOCALIZARMOS o princípio espiritual aplicável a cada situação! Se alguém, por exemplo, tiver recebido um diagnóstico médico “negativo”, poderá RECONHECER que O SEU CORPO É UM ILUMINADO, GLORIOSO E PERFEITO “TEMPLO DE DEUS”; desse modo, no silêncio contemplativo da oração, este “entendimento” o deixará  sintônico com Deus e com a Verdade!

As afirmações e negações, ensinadas pela Ciência Mental, bem como o emprego do Poder da Palavra, atuam como  agentes de“entendimento junto ao Espírito”. 

Em suma, estes são os alertas destacados por Paulo; e as  nossas orações devem, todas elas, conter o “entendimento” de que

“EM DEUS VIVEMOS, NOS MOVEMOS, E TEMOS O NOSSO SER”!  

*

 

 

 

Deixe uma resposta