TRILHOS QUE NÃO SE JUNTAM

Dárcio

 

As Revelações espirituais precisam ser encaradas como o que de mais importante encontramos disponível. Mostram os fatos reais, mesmo enquanto a iludível mente humana  nos mostra suas infindáveis falsidades! É uma dificuldade fazer com que alguém se detenha diante de uma Revelação a ponto de substituir a aceitação ilusória pelo fato espiritual eterno! Isto porque a mente humana resiste! Mune-se de sua “lógica  racional”, e faz de tudo para prender a pessoa em seus ilusórios caminhos tortos.

Para a “sábia” visão humana, os trilhos de trem se juntam no horizonte! Assim é visto, mas jamais aquilo é verdadeiro! Para a “sábia” mente humana, nosso corpo veio se formando no ventre materno! Assim é aceito, mas jamais aquilo é verdadeiro!

Que é “estudar a Verdade”? É “ver” humanamente os trilhos se juntando e, ao mesmo tempo, COMPREENDER que eles permanecem paralelos. É “ver” humanamente os seres nascendo, e, ao mesmo tempo, COMPREENDER que todos permanecem perfeitos como deuses, completos e imutáveis “desde o princípio”.

O estudo não objetiva “separar os trilhos”; tampouco  objetiva “curar corpos nascidos”: ele nos oferece a Revelação da Verdade! Os trilhos, apesar da aparência de junção, não se juntam! Os corpos, apesar da aparência de nascimento, não nascem! Quando isso é percebido, ficam entendidas as frases de Jesus Cristo: “Não julgueis segundo as aparências”, “não chameis de Pai a ninguém sobre a face da terra”; “antes que Abraão existisse, eu sou”.

Sejam quais forem os “problemas” mostrados pela mente humana, assuma a Revelação: estes problemas são vistos, mas não são reais! E aceite, com compreensão, que “a situação” que se mostra desarmônica, JÁ É HAMONIA PERENE!

Permaneça neste reconhecimento, ATÉ SUMIR A ILUSÃO! Até que “ela” se mostre como falsa! Até que ela seja entendida como NADA!

A VERDADE IMPESSOAL SENDO VOCÊ

Dárcio

 

Quando se tem uma revelação transcendental, se discerne a Verdade impessoal e onipresente: Deus é Tudo! Entretanto, ao transmiti-la aos demais, estes, por se avaliarem como mortais ou humanos, personalizam o que é impessoal, acreditando serem “menos evoluídos” do que o “mensageiro”. E prosseguem na mesma vidinha de sempre, alimentando as milenares crenças falsas de sempre, deixando de perceber que, se alguma “pessoa” revelar qualquer Verdade, Ela já estará sendo válida igualmente para todos! Toda Verdade é Fato impessoal e permanente! O que muitos não percebem é que, por se considerarem “humildes e verdadeiros” nesta avaliação de si mesmos segundo a ilusória visão humana, apenas estarão conscientizando a ILUSÃO!

A dificuldade aparece quando a revelação é recebida por alguém que se vê segundo os conceitos falsos da mente humana! “Quem sou eu, para dizer que estou no mesmo estágio de Jesus!”. Algo assim é ouvido freqüentemente! Mas esta classificação de “filhos de Deus” por estágios nunca parte da Verdade nem de nossa Mente real Não há “estágios de evolução”. Há a VERDADE da Unidade e a ILUSÃO da separatividade, e esta última deve ser banida de aceitação por completo! Jesus Cristo descobriu sua natureza real como sendo divina. Por assumir esta Verdade, foi apedrejado! Mas, ao responder àqueles que lhe atiravam pedras, não disse que ele, como pessoa, era um deus! Pelo contrário, usou o plural e confirmou as escrituras! SOIS DEUSES!

Ainda hoje, a maioria acredita que Jesus, como Filho de Deus, recebeu do Pai celeste maior atenção e cuidado do que todos nós! E é por isso que a raça não caminha! Não larga os “julgamentos pela carne”; não abandona as crenças de que Deus fez Jesus perfeito e todos os demais como filhos de “segunda linha”. Continua achando que “Jesus é o Caminho”, mas como “pessoa”. Apesar de todo esse emaranhado de crenças absurdas, permanece a VERDADE incólume! Aquele que desafiar este hipnotismo ortodoxo, entendendo que realmente “SOMOS DEUSES”, fato que o próprio Jesus confirmou, poderá ver que o mesmo Pai amoroso e imparcial, presente como Jesus Cristo, está igualzinho presente, AGORA, como O SEU PRÓPRIO SER! Não como ser mortal ou material, evidentemente, mas como o CRISTO, o ser que espiritualmente já É , apesar de “oculto” pelas  falsas máscaras engendradas pela mente humana. Não há cabimento em alguém “estudar a Verdade” para endossar mais as crenças falsas do que a Verdade eterna! O mesmo Deus que “criou Jesus” é também o “nosso Criador”. “Subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus”, disse Jesus, para pôr fim à crença em Verdade pessoal ou em “Filhos prediletos de Deus”. DEUS É TUDO! Cada “Filho” é Deus expresso! E Deus Se expressa por inteiro COMO cada Filho!

Cada um que parar de se identificar com o falsa personalidade humana, para se assumir como Deus Se expressando como seu próprio Eu Real, entenderá porque Jesus confirmou que “somos deuses”. Esta Verdade, reconhecida, é o “renascimento” que nos faz vivenciar o Reino dos Céus, exatamente aqui e agora.

OLHOS NO AGORA

Dárcio

Neste AGORA, há a Consciência de Existir ativa em VOCÊ. Você sabe que você existe! Simplesmente sabe! Saber é reconhecer! Reconhecer é sintonizar; e, sintonizar é ser o Todo!

Silencie-se e perceba sua Consciência estando ativa em VOCÊ! E ativa como VOCÊ!

Pense:

Eu estou consciente de ser!

Ter “olhos no agora” não é ver os quadros hipnóticos do momento presente! Pelo contrário, é estar completamente desvinculado de todos eles e totalmente consciente de que há, em VOCÊ, a Consciência consciente de que VOCÊ EXISTE! Firme-se nesta percepção, e VOCÊ estará contemplando e sendo a Verdade!

“Ninguém que lança mão do arado e olha para trás é apto para o reino de Deus.”

LUCAS 9: 62

PONTO DE PARTIDA

Ann Beals

Em realidade, já estamos no universo espiritual. Estamos aqui e perfeitos agora, na imagem de Deus. Só que a influência mesmérica do magnetismo animal nos impede de ver isto. Para destruirmos este mesmerismo, devemos começar encarando a crença na matéria e olhando através dela para sua origem mental. Devemos ver a matéria como o efeito hipnótico do magnetismo animal e não como uma causa e efeito próprios.

O nada do mal parece difícil de se compreender, se olhamos unicamente para as suas manifestações visíveis – o universo material e o homem mortal. Nossos cinco sentidos dizem que vivemos num cosmo criado pela matéria e suas leis. A matéria parece ser uma estrutura atômica que é sua própria lei, controlando completamente a existências mortal. Através da aparente realidade da matéria, o homem parece estar aprisionado no corpo físico. Sua vida segue um determinado formato que começa no nascimento e termina na morte.

Em realidade, a matéria é a mais concreta forma de mesmerismo resultante do magnetismo animal. A Ciência Cristã revela que não há matéria. A Sra. Eddy discerniu através da revelação, e a física moderna provou até certo ponto, a natureza imaterial do universo. Sabemos agora que os elementos de um átomo não são mais sólidos do que um pensamento ou um sentimento. Mas isto não tornou a matéria irreal para a consciência humana. Por causa da falta de espiritualidade, o mundo ainda continua acreditando na matéria e sofrendo pelas condições materiais.

UM DEUS DE JUSTIÇA

UNIDADE

A palavra “justiça” traz certo temor a algumas pessoas, porque a associam com a justiça humana, cheia de surpresas. Ponhamos de lado as conotações humanas. Deus é justiça mesmo!

A busca humana de justiça muitas vezes exige o retorno ou substituição de algo que consideramos direito nosso. Mas devemos recordar que em Deus não há perda ou injustiça. O bem que Deus nos dá por direito de herança filial, não nos pode ser tirado nem retido. Na Obra de Deus há só lealdade, paz e justiça.

Se estamos defrontando alguma situação aparentemente injusta, não esqueçamos que Deus é um Deus de justiça. Esta verdade atrai seguramente a solução. E nossa fé a completa, vislumbrando os meios pelos quais os desfechos certos chegarão. Quanto mais confiarmos, deixando de lado as amarguras, ressentimentos e dúvidas, tanto mais o poder de Deus manifestará sua Luz.

Ponhamo-nos do lado de Deus e Sua justiça e não do lado das negatividades, na certeza de que nosso direito inato há de prevalecer ou ser vantajosamente compensado, acima de qualquer interferência, tramas e malícias humanas.

Pois Eu, o Senhor, amo a justiça, e farei que a sua obra seja em verdade.”

ISAÍAS 61:8

VERDADE ou MENTIRA?

Dárcio

Quando falava com alguém sobre a frase: “Conhecereis a Verdade, e a Verdade vos tornará livres”, foi-me perguntado: “Que é a Verdade?” E, quando respondi, “Eu sou a Verdade”, a pessoa retrucou: “Ninguém, senão Jesus Cristo, pode dar esta resposta!” E eu lhe disse: “Este Eu Sou é também o Eu que VOCÊ É!” Novamente, ela retrucou: “Eu não! Eu sei que não sou a Verdade”. E eu perguntei a ela: “ENTÃO VOCÊ É A MENTIRA?” E a rapidez de argumentações cessou! A pessoa pensou, pensou, pensou! E eu aguardei, aguardei, aguardei. E ela voltou a se pronunciar, dizendo: “Eu sou a dúvida”.

Assim age a mente carnal! Nega a Verdade que somos, e, ao ser pressionada, e por não ter coragem de se assumir como mentira, gera todo tipo de subterfúgio. Esta mente é a “inimizade contra Deus”. Dessa vez, “saiu pela tangente” falando “ser a dúvida”. Mas, porque não disse isso quando eu disse que “Eu sou a Verdade”? Pude concluir que “a dúvida” tinha certeza de que minha resposta era errada! E, se estava “certa disso”, como podia ser ” a dúvida”?

Assim é a “mente carnal”, um engodo que ilude a muitos! Os “muitos” que meditam muito pouco! E que, mesmo sem nunca meditar ou aceitar, já são a Verdade!

DEIXO FLUIR A MINHA PROSPERIDADE

Raymond Charles Barker

Na plenitude de Deus, eternamente habito. A Mente Infinita é minha consciência; assim, idéias corretas estão sempre ativas em mim. Sei que tudo de que necessito me é dado exatamente agora, pelo Espírito que é Deus. Minha prosperidade “está feita”, e eu, agora, permito que ela flua livremente em minha vida!

Todos os padrões inconscientes, referentes a dinheiro, finanças e “pobreza honrada”, são agora apagados. Nunca mais poderão me afetar! Minha prosperidade é Fato real na minha experiência de hoje. O que quer que seja requerido, para que sua presença se revele, já está sendo feito, segundo ações corretas e caminhos retos de Deus, o Espírito-Vivo Todo-poderoso.

A prosperidade me pertence, e eu sei disso. Eu penso em seus termos. Eu ajo de maneiras prósperas. Eu, agora, não tenho medo algum com relação a futuras necessidades financeiras. Sinto-me feliz e grato por saber que é assim! Eu avalio as idéias perfeitas de abundância que agora são operantes em minha consciência.

Minha fé está nas idéias prósperas do Espírito. Elas enriquecem a minha mente e me mantém no pensar certo. Elas removem todas as dúvidas e especulações negativas! Conheço a Verdade de minha Prosperidade; e minha consciência toda, aceitando-a plenamente, atua baseando-se neste fato com profunda alegria.

A BÊNÇÃO DO BEM

Dárcio

Como o “homem natural” não entende as coisas de Deus, vive pela vida contando com seus esforços meramente humanos e pessoais. Ele é incapaz de entender que,ficando quieto, silencioso, pode “receber” infinitamente mais do que mediante os recursos que ele julga ter de si mesmo.

Jesus disse: “De mim mesmo, nada sou, nada faço; o Pai em mim faz as obras”. Revelava a Verdade absoluta de que o “eu humano” não existe! Em seu exato lugar, há DEUS sendo o ser individual! Pela impossibilidade de a mente do “eu inexistente” captar a Verdade de sua própria nulidade. um linguajar dualista veio sendo empregado pelas Escrituras! Em Provérbios 24: 25, consta: “E sobre eles virá a bênção do bem”. Este dualismo é ilusório! Qual seria o sentido real?l O da Verdade Absoluta! Sobre QUEM viria a bênção do bem? Sobre ninguém! Apenas se utilizou um artíficio anulador do “eu inexistente”; um artifício para reconhecimento de que a Bênção do Bem é constante, onipresente, um fato que permeia e cobre a sua real identidade , que é o próprio Deus!

Feche os olhos e reconheça:

“Aqui, onde EU ESTOU, a Bênção do Bem está presente como a Minha Presença Absoluta!. A Substância do meu Ser é esta Bênção permanente! “Eu Sou o Pão da Vida”.

DEUS NÃO TEM RELIGIÃO

Joel S. Goldsmith

 

Deus não tem religião, seita ou credo. Esqueçamos religião e diferenças sectárias. Não nos preocupemos com rótulos quanto ao que é ou não é a religião de uma pessoa. Deus não pertence exclusivamente a qualquer denominação ou igreja.

Pensemos, portanto, em nossa relação com Deus em sua real essência, aquela da unicidade, e depois que for estabelecida nossa unicidade através da meditação, o Verbo se tornará carne.

CERTO OU ERRADO

Mr.LopesLima

 

Na Seara Fenomênica da humanidade, descobrimos que há um grande sofrimento ou perturbação, quando tomamos conhecimento do que é certo ou errado. Toda essa confusão é óbvia, mas ainda assim nos perdemos nesse emaranhado, que é uma verdadeira armadilha.

Quando educamos nossas crianças, costumamos repetir o “ensinamento” passado por nossos educadores e assim, muito provavelmente, estamos perpetuando ensinamentos que entendemos estar corretos, mas que na maioria das vezes parece surtir efeito contrário ao desejado. Isso se dá pelo simples fato de que a mente humana consegue plasmar inconscientemente seus medos em nossos objetivos, de modo que, quando tentamos educar com amor, com medo de que se não dermos amor à criança, esta possa revoltar-se, estamos na verdade plasmando o sentimento de medo e insegurança, que invariavelmente será projetado na criança que poderá se revoltar.

Todos os dias somos bombardeados com notícias cada vez piores, e o medo disso e daquilo, sem que nem saibamos o que temer, mas que  devemos temer, para manter as coisas sob segurança total e irrestrita. Tudo isso fica gravado na mente humana que, por sua vez, começa a acreditar que tudo aquilo que vê e ouve, é real e possível; e então fica sujeita a plasmar aquilo que tememos.  Nosso intelecto tem a mania de querer saber mais do que os outros, e de uma hora para outra, nos tornamos juízes, sábios o suficiente para dar a sentença final para cada situação. A cada vez que fazemos isso, fortalecemos aquela imagem do medo na mente humana.

Tanto para o mal quanto para o bem, a força de plasmar é a mesma, mudando somente a forma, mas a criação vem da mesma fonte: a ignorância.

Somos espíritos eternos, criados pelo Pai Eterno, Onipresente; aceitar essas imagens como verdadeiras é nutrir a ilusão de que elas existam. Nem bem nem mal existem, pois somente Deus existe, e Deus não é certo nem errado: é perfeito. No que a capacidade humana puder captar da perfeição e do infinito nos basta. Estamos em Deus e ,portanto, na perfeição.

Ora, mas como fechar os olhos para o mal, como deixar alguém sofrer e não ajudar? Quando meditamos e estamos sintonizados com Deus, esses “males” não nos atingem, nem a ninguém próximo de nós; de modo que não vemos o mal por estarmos sintonizados com a perfeição. Mas, se ficarmos sendo bombardeados por notícias de mortes, acidentes, roubos, seqüestros, assassinatos e tudo o mais, que todos já estamos cansados de saber, aí, sim, veremos cada vez mais mal nas nossas vidas humanas.

Para ficarmos livres dos males que afligem a humanidade, para podermos ser guiados em nossas escolhas, para criarmos melhor nossas crianças e fazermos deste mundo um mundo melhor, basta fazermos nossa lição de casa: meditar diariamente, toda vez que uma imagem negativa quiser invadir nossa mente. Fazendo esse exercício, sem esforço mas com dedicação, venceremos o mundo e suas ilusões patéticas

ETERNIDADE E FENÔMENOS

Dárcio

A Verdade é Deus, a Eternidade pronta, perfeita e manifestada AGORA. É “o que era desde o príncipio”, e que João testemunhou e nos revelou, quando nos viu a todos igualmente em “comunhão com o Pai e com Jesus Cristo”. A Mente que discerne a Eternidade é Deus! Portanto, em sua “contemplação da Verdade”, unicamente Deus é reconhecido como estando presente e “testemunhando” a Eternidade e a Totalidade da Existência. Identifique-se com a Mente divina, e dê o testemunho divino: “Acho tudo muito bom!” Não existe Verdade com “casa dividida”; não existe Verdade no referencial dos fenômenos! Por outro lado, somente a Verdade é Realidade!

A suposta mente humana vê fenômenos! Vê o bem e o mal, vê pessoas boas e más, vê mudanças, tempo e espaço! É a mente ilusória enxergando ilusão! Assim como ao sonhador é impossível estar “dividido”, vendo seu sonho e ao mesmo tempo vendo o seu quarto de dormir, também você não pode estar contemplando a Eternidade “dividindo” sua percepção com os “quadros fenomênicos”. A Eternidade é Deus sendo todo o Universo inclusive VOCÊ! Os fenômenos são o “vazio”, querendo dar ares de substância. Contemple unicamente a Eternidade já perfeita! Representada por ESTE AGORA! Ao lado dela, não existe mais nada!

"LUZ QUE NÃO SEJAM TREVAS"

Dárcio

Se ficarmos de olhos fechados sob o sol do meio-dia, a sua luz nos parecerá ausente! Precisamos conservar em mente que a Luz divina brilha constantemente como TUDO! O Universo é Luz onipresente! Em vista disso, o ser que somos, e todos os demais com quem entramos em contato, formam a UNIDADE-LUZ, que é Deus.

Durante a “Prática do Silêncio” contemple, com os Olhos do Cristo, o resplandecente Universo de Luz em que você agora está! Em seguida, não pense haver supostas pessoas,”lá fora”, sendo seres humanos! Em VOCÊ MESMO, em sua Consciência Infinita, que é LUZ, contemple a SUA PRESENÇA como Cristo , a Luz do Mundo, e, em UNIDADE com VOCÊ, na mesmíssima Consciência, contemple a presença luminosa de todos com quem VOCÊ convive!

O Universo é a SUA Consciência! E sua Consciência é a LUZ que abrange e que é a Existência verdadeira! Dedique-se a contemplações desse tipo! Elas têm este objetivo: criar em VOCÊ o hábito de, no dia-a-dia, SEJA QUEM FOR que lhe apareça à frente , lhe  fazer recordar  de imediato:

“Este ser não é esta aparência externa que se projeta diante de mim! Ele é a Luz, um ser presente em MIM, em MINHA Consciência, formado da Luz que EU SOU!

“Sendo, pois, o teu olho simples, também todo o teu corpo será luminoso…Vê, pois, que a luz que em ti há não sejam trevas.”

Lucas 11: 34-35

EM RAZÃO DA TOTALIDADE DE DEUS

(Autor Desconhecido)

O Cristo salvador está justamente onde o mal parece estar; a solução está justamente à mão. Deus está no governo da situação. Tudo está sob o controle da Mente única. Não há inação, nem ação mórbida, nem ação excessiva, nem reação. Toda função do homem real é governada pela Mente divina. Nenhuma espécie de erro pode esconder-se da Lei de Deus. Lembre-se de que você não pode estar em nenhuma condição, por mais difícil que seja, onde o Amor não tenha estado antes de você e onde sua terna lição não o esteja aguardando. Problema algum é grande demais, velho demais, temível demais ou difícil demais para ser vencido por Deus. Eu sou uma Idéia composta que expressa Deus e inclui todas as idéias corretas. Por isso sei que em mim não há coisa alguma fora do governo e do controle de Deus.

Se você der poder a algo que não seja Deus, terá perdido Deus por completo. O Poder curador é a Verdade e o Amor, e estes não fracassam nem nas maiores emergências. Cada parte do nosso corpo é formada e mantida em perfeição. A cura vem do Cristo.

É impossível, em razão da totalidade de Deus, que exista desarmonia, dificuldades e empecilhos. Nunca existe uma interrupção do divino Ser Ativo.

"SE ALGUÉM NÃO ESTIVER EM MIM"

DÁRCIO

 O princípio básico da Metafísica Absoluta diz que DEUS É TUDO COMO TUDO, ou seja, o Verbo Se dá Expressão nEle próprio, e TUDO Se conserva numa UNIDADE INDISSOLÚVEL, chamada nas Escrituras de “EU SOU” ou de “MIM”, conforme o caso.

Consciente dessa Unidade, Cristo disse: “Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem. Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito. Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos. Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei no meu amor”.

A premissa DEUS É TUDO COMO TUDO, que adotamos como ponto de partida, se baseia também nestas palavras de Cristo. Se existe uma UNIDADE a ser descoberta ou reconhecida, a dualidade deve ser descartada, isto é, “se alguém não estiver em mim, será lançado fora”. Isto não tem o sentido ortodoxo de uma condenação eterna, mas revela o “renascimento”, o despojar de um ser humano que parece existir e o assumir de um ser divino que parece estar oculto ou ser inexistente. Deus, sendo Tudo, é o infinito “Eu Sou”, ou “Mim”. Quando ENTENDEMOS que a Unidade já existe, entendemos nossa posição real “EM MIM”, posição eterna e mantida pelo Princípio divino. Este conhecimento elimina a distância normalmente colocada entre os chamados “mestres” e “discípulos”: a UNIDADE passa a ser o foco de nossa atenção, e a Verdade passa a ser conhecida e vivenciada. Por saber disso, Cristo completou: “Já não vos chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor, mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de Meu Pai vos tenho feito conhecer”.

Cada um, neste estudo, é “amigo”, ou seja, já sabe o que é para ser feito. DEUS É TUDO como TUDO! Assim como um copo é “vidro aparecendo como copo”, nosso Ser é DEUS aparecendo como nosso EU. E o que é para ser feito? O reconhecimento de que “Eu Sou”, ou “Mim”, é a totalidade de nossa identidade atual. Somente assim “estaremos conscientemente em MIM” e, ao mesmo tempo,  lançando fora o “eu ilusório”, uma suposta identidade humana que se mostra nula diante deste radical reconhecimento.

TRATAMENTO ESPIRITUAL

Joel S. Goldsmith

Embora as declarações da verdade não sejam de tão grande valia, é muito importante, porém, haver um correto conhecimento da letra da verdade. Tudo que é preciso que conheça, em termos de teoria da verdade, e  também  requerido, para  você poder usar no “tratamento”, pode ser resumido assim:

1. DEUS: Nós sempre iniciamos com Deus. Qual é a natureza e a característica de Deus? Deus é infinita inteligência. Deus é vida, e a vida é imortal e eterna. Deus é Espírito, incorpóreo, e portanto o universo todo é incorpóreo e espiritual, formado da divina substância do ser. Deus é princípio ou lei; portanto, tudo que existe no mundo está sujeito à lei divina e sob o governo da lei divina. Deus é a vida do indivíduo, a mente e a Alma do indivíduo, o princípio ou lei do indivíduo, e Deus é a substância do indivíduo. Deus é inclusive a substância do corpo do indivíduo, uma vez que “o corpo é o templo do Deus Vivo” (I Cor. 3;16).

2. A NATUREZA DO SER INDIVIDUAL: Tudo que Deus é, o ser individual é, seja eu, você, ou qualquer outro indivíduo. Tudo que Deus possui, eu possuo. “Filho, todas as minhas coisas são tuas” (Lucas 15; 31). Você não é apenas um pedacinho de Deus: toda a inteligência de Deus é a sua inteligência individual; toda a vida eterna e imortal de Deus é seu ser e vida eterna e imortal. Todo o Espírito e substância de Deus é a substância espiritual de seu corpo, seu negócio e seu lar. Tudo que Deus é, você é. Tudo que Deus tem, você tem. Como “eu e o Pai somos um”, e não dois, este “um” inclui Deus e eu — Deus e você. Tudo se acha incluso neste “um”. E, nessa “unidade”, tudo que Deus é — tudo que Deus tem — está manifestado neste “um”, que eu sou e que você é.

3. A NATUREZA DA ILUSÃO: A ilusão não passa de uma sugestão universal vinda ao seu pensamento. É a crença do mundo numa egoidade apartada de Deus. É uma sugestão mesmérica, uma sugestão tão freqüentemente repetida, que age hipnoticamente em sua consciência, fazendo com que creia existir alguém ou alguma condição apartada de Deus. Isso é tudo sobre a ilusão, mesmo que apareça na forma de pecado, doença, morte, ou de pessoa. Tudo que constitui a ilusão é uma crença mesmérica, poderosa, universal, impelindo a si mesma — impondo a si mesma — sobre a sua consciência. Se ela conseguir que sua consciência diga: “Estou passando mal”, ela ganha o dia e você se mostrará doente. Se, em vez disso, você instantaneamente reconhecer: “Nenhuma destas sugestões pode atingir-me. Não aceito nenhuma delas em minha consciência como poder; portanto, eu não tenho de expulsá-las”, você terá dado um “tratamento”.

Se você incluir estes três fatores em seu tratamento — a) a natureza de Deus, b) a natureza do ser individual como Deus manifestado , e c) a natureza da ilusão como sugestão — isto será tudo a fazer diante de qualquer discórdia que lhe possa aparecer. Estes três pontos constituem o todo da mensagem da Verdade, embora ela possa ser estabelecida de várias maneiras diferentes. E, é tudo que você precisa incluir em seu “tratamento”.

Se apenas a mensagem correta da Verdade fosse tudo o necessário para curar o mundo, poderíamos dispensar todos os livros e escritos de natureza metafísica, pois, nos poucos parágrafos anteriores, estabelecemos breve e completamente toda a Verdade do ser, não sendo necessário mais nada a esse respeito. Porém, uma coisa mais é necessária! E esta coisa a mais é a sua convicção da verdade — não a sua declaração, mas a sua convicção dela, sua resposta interior a ela, sua consciência real dela.

A ERA ETERNA (Um Basta Ao Dualismo)

Dárcio

A humanidade vem encarando as revelações espirituais sempre como algo “a ser” conscientizado aos poucos, pelo intelecto. Mestres mensageiros têm sido vistos como “escolhidos de Deus”, pessoas de alguma forma especiais ou diferentes da maioria . Esse modo ILUSÓRIO de encarar os fatos tem uma causa única: o dualismo. A Revelação espiritual mostra que a Luz que somos sempre esteve presente como a nossa NATUREZA REAL. Esta Luz dissipa o conceito dualista de que somos “Espírito” e “matéria”. O Cristo jamais se identificou com algo ou alguém “deste mundo”; e, o mais importante, também nos desvinculou integralmente desta “ilusão” chamada mundo humano: “Não chameis de Pai a ninguém sobre a face da terra…” (Mateus 23-9), Resta, portanto, entendermos o sentido pleno da palavra “aparência”. Se o Cristo é a “Luz do mundo”, e se nos é dada a mesma Revelação, esta UNIDADE ILUMINADA já existe e está presente. Que é uma “aparência”? Mera imagem que, apesar de vista, não corresponde ao Fato real e espiritual ali presente. Alguma coisa aparenta ser de certa maneira, entretanto, é de outra.

Não existe Realidade e “aparência”: existe a Realidade que, discernida corretamente, revela a VERDADE; e, que vista distorcidamente, revela uma ILUSÃO. Jamais a “aparência” está existindo! Jamais se torna real. “Aparência” é a REALIDADE, mas vista equivocadamente, de modo limitado e distorcido. Como acabar com a distorção? Separando a Realidade da “aparência”, sem pretender que a última seja alterada ou melhorada. A Realidade é sempre Realidade; a “aparência” é sempre falsidade.

A ilustração do andarilho, que no deserto vê a “aparência de lago” em lugar da realidade — areia –, é bem elucidativa. A areia é sempre areia, e o suposto “lago” jamais está presente! Aceitar a existência da areia e do lago é o dualismo. Em nosso caso, se estivermos aceitando Deus e matéria, com seres humanos nascendo, crescendo, “evoluindo” e morrendo, estaremos apenas confirmando a ILUSÃO, a MIRAGEM! Seríamos como o andarilho, frente unicamente à areia, e afirmando haver um “lago” ali! Assim como a areia jamais deixa de ser areia, apesar da ILUSÃO, VOCÊ jamais deixa de ser o CRISTO, apesar da ILUSÃO.

Sua dedicação, neste estudo, se concentra neste ponto: PERMANECER CONSCIENTE UNICAMENTE DA REALIDADE ESPIRITUAL E PERFEITA. Tudo parece se desenrolar em sua Consciência. Mas, Consciência, com “C” maiúsculo, é DEUS! Deus é a sua real Consciência. Ela é Consciência infinita, que exclui a POSSIBILIDADE de haver “outra” consciência. A “aparência”, boa ou má, dá “testemunho da mentira”: nela, você aparenta agir com sua “mente pessoal”. DENTRO DE VOCÊ é que ae desfará dessa MIRAGEM, através de uma plena identificação com a Mente única Se manifestando harmoniosamente como o Cristo de seu ser.

Apenas repetir maquinalmente: “Eu e o Pai somos um”, não será o suficiente. Porém, ao separar a REALIDADE ESPIRITUAL da “aparência de mundo”, mediante um reconhecimento radical de que SOMENTE a Realidade espiritual é a VERDADE, ou seja, que exatamente AGORA é VOCÊ a LUZ DO MUNDO, o “dualismo” sumirá em sua nulidade originária.

Desfeito o dualismo, o que resta é a ERA ETERNA, o Reino de Deus, o Universo como Luz infinita. Sempre este Reino de Luz esteve sendo a presença ÚNICA; mas, deixava de ser assim reconhecido, uma vez que a maioria, usando a ilusória “mente hunana”, com seus quadros ficava entretida, sem sequer imaginar que todos eles são puramente ILUSÃO.

Não existe Consciência iluminada pessoal. Por esse motivo, a UNIDADE é pregada em todo enfoque iluminado. Pelas “aparências”, fazemos os falsos julgamentos, rotulando as pessoas em supostos graus de conscientização. Este erro dualista atua como anti-Cristo. Tenta tornar este estudo racional, em que o intelecto entra em ação para opinar, avaliar e tirar conclusões supostamente espirituais. Não há relação alguma entre intelecto, ou razão humana, e Consciência espiritual. A Consciência espiritual é UNA, ONIPRESENTE, MANIFESTA igualmente como todos nós. A Bíblia a define como “a Luz verdadeira que ilumina todo homem que vem ao mundo”. Somente pela erradicação plena do dualismo a TOTALIDADE DE DEUS será reconhecida para valer. Esta Verdade é sempre verdadeira, e não pode co-existir com reservas ou com aparências ilusórias. O referencial verdadeiro é o do Absoluto! Caso contrário, estaremos “julgando pelas aparências”, alimentando o dualismo gerador da ILUSÃO, e negando a Verdade eterna que somos.

CONTEMPLE A LUZ ONIPRESENTE

Dárcio

“A palavra mata, o Espírito vivifica”. Após conhecer a mensagem da Verdade, de que Deus é Luz Onipresente, e, portanto, é Tudo, é preciso que VOCÊ se identifique com esta Luz. Um exercício lhe está sendo proposto, com esse objetivo:

 

SENTE-SE CALMAMENTE, CERRE OS OLHOS, DEIXE A LUZ ACESA; E ENTÃO, PERCEBA O ESCURO EM SUAS PÁLPEBRAS. A SEGUIR, PERCEBA QUE, APESAR DA ESCURIDÃO “VISTA”, TODO O AMBIENTE “LÁ FORA” ESTÁ CLARO. ATENHA-SE A DISCERNIR ESTA LUZ!

Com o exercício, os princípios espirituais são usados. Enquanto as pálpebras são vistas como a “trave nos olhos”, a claridade exteriorizada é reconhecida como já presente. Em seguida, perceba que “o que reconhece a Luz presente” é a Mente ILUMINADA do Cristo, ativa em VOCÊ. Reconheça que a Luz desta Mente, que reconhece a claridade, é UNA com a luz contemplada externa e infinitamente! Esqueça a “mente que vê a escuridão nas pálpebras”; ela é FALSA!. Ocupe-se exclusivamente com a Mente iluminada que discerne a LUZ com que já é UNA. Não force nada! DEUS É LUZ! DEUS É TUDO! Permaneça solto nesta contemplação que o exercício propõe.

Todos os supostos problemas deste mundo são como “pontos escuros” formando a “escuridão” nas pálpebras cerradas! Tire deles a sua atenção! Pratique este exercício até sentir ter ele cumprido o seu propósito: revelar que unicamente a LUZ é Realidade! Somente a LUZ é a VERDADE! Esta LUZ É VOCÊ!

NADA

Mr.lopeslima

Quando, na Metafísica Absoluta, definimos Deus como Tudo o que existe, pela Onipresença, Onisciência, Onipotência e Oniação, surgem dúvidas humanas diversas, tais como: “Não seria isso Panteísmo?”, ou ainda, “Como posso ser Deus? Não está errado?”, ou, “Quer dizer que o mal que vemos no mundo é Ilusão?”.

A pergunta que devemos fazer é: “Estou pronto para aceitar que o meu eu, meu ego, minha vida, são NADA?”. Mas no que toca a humanidade e sua busca infinita pela verdade, essa pergunta é balela, perda de tempo.

A humanidade não concebe o NADA, não entende a Ilusão que a metafísica demonstra claramente. Apesar de estar bem claro, a humanidade prefere seguir acreditando que o seu eu humano é o único que existe, e que este é o seu eu verdadeiro. Olhando por cima, bem superficialmente até parece crível tudo isso. E exatamente é isso: “Parece, mas não é”.

A nossa verdadeira identidade não é aquela que quando “nascemos” é registrada. Não somos seres que nascem, vivem e morrem. Somos espíritos; nosso verdadeiro EU é espiritual e pelos atributos divinos citados no primeiro parágrafo, sim, fazemos parte de Deus e é impossível estamos separados dele como muitos insistem em acreditar. Mas o despertar para essa realidade é o que nos revela essa verdadeira identidade e nos liberta dos grilhões da humanidade.

A confusão se dá invariavelmente por misturarmos estas noções de realidade. Se acharmos que por sermos divinos, esse poder seria utilizado em benefício próprio para nos enriquecer, nos curar, etc., ou, se aceitarmos todos os defeitos humanos, como doença, pobreza, enfim todos os males, estaremos renegando o nosso verdadeiro EU divino e perfeito e nos sintonizando com esse reflexo fraco de nosso EU verdadeiro. E aí, nada funcionará, ou, se funcionar, será temporário.

Temos que separar mesmo as idéias, para podermos entender que humanamente somos NADA, que temos NADA, mas que, verdadeiramente, somos TUDO e temos TUDO, pois, somos filhos verdadeiros de Deus e herdamos seus atributos; mas, este EU não tem identidade humana; pode até ter um reflexo vitorioso, mas, ainda assim, é NADA.

Deus é perfeito e somos sua imagem manifestada ESPIRITUALMENTE, perfeita já, e não daqui a milhares de anos, evoluções e outras coisas sem fim, que a mente humana cria para enredar mais o EU verdadeiro.

"A MÃO MIRRADA"

Dárcio

“E, olhando para todos em redor, disse ao homem (que tinha a mão mirrada): Estende a tua mão. E ele assim o fez, e a mão lhe foi restituída sã como a outra”.

LUCAS 10; 6

Diante da Revelação de que “sem o Verbo, nada do que foi feito se fez”, ficará fácil perceber que o Eu, aqui e agora presente como VOCÊ, é uma Manifestação infinita de Deus! A Seicho-No-Ie, por exemplo, revela este fato da seguinte maneira: “o homem é a suprema automanifestação de Deus”. Este SER É VOCÊ!

Ao homem que se limitava com a crença de ser um humano e com a mão mirrada, Jesus disse: “ESTENDE A TUA MÃO”. Tendo-lhe obedecido, viu sua mão se mostrar perfeita como estava a outra. ONDE estava o homem completo, integralmente perfeito, contemplado por Jesus? Não estava na matéria! Estava na própria Consciência de Jesus! Não há dois corpos! Um perfeito, Templo de Deus, de que temos consciência de assim existir, e um segundo, “nascido” nesta parafernália de crenças mutáveis e insubstanciais.

No exato instante em que o suposto homem material se esqueceu da limitação para “obedecer ao Cristo”, a Realidade Se mostrou presente! Não houve cura, mas dissipação da névoa ilusória!

Assim entenda você: todos os seres que supostamente existiram, existem, ou existirão, no “mundo das aparências, vivem, aqui e agora, como o VERBO em nossa Consciência infinita! Contemple esta Verdade! Faça-o sem levar em conta qualquer outra presença, sem que seja o Verbo assumindo Formas e, todas elas, sendo a SUA CONSCIÊNCIA! É este o sentido das palavras de Jesus:

O REINO NÃO VIRÁ VISIVELMENTE;

eis que ESTÁ DENTRO DE VÓS”.

TRABALHAI PELO AMOR QUE NÃO PERECE

Dárcio

Pegando carona na fala de Jesus, “Trabalhai pela comida que não perece”, pode-se dizer: “Trabalhai pelo AMOR que não perece”. A falta de objetivo espiritual profundo conduz as pessoas ao egocentrismo e a seus frutos, chamados de solidão, carência afetiva, ansiedade, baixa auto-estima, etc. E são pessoas nesse estado mental que vão ao mundo buscar solução em outras pessoas. Que encontram?  A implacável “lei da mente” operando: “Os semelhantes se atraem”. De início, o entusiasmo pelo encontro pode encobrir tudo, dando-lhes a impressão de  a felicidade ter chegado! Mas, logo a prática se mostra ao contrário! Como há pessoas abrindo mão de uma vida plena, unicamente por se enredarem em teias de supostas paixões e amores humanos!

Deus é Tudo! E DEUS É AMOR! As Escrituras estabelecem: “O amor é o cumprimento da lei”. Aquele que “busca o Amor de Deus em primeiro lugar”, ou seja, o Amor de Deus EM DEUS,  desvinculado da crença mesmérica de ter de “se completar com alma-gêmea”, encontra em SI MESMO o Amor Onipresente! Encontra O Amor que é Deus! O Amor em que somos todos UM, todos completos. Nesta percepção, fora dos moldes separatistas da ILUSÃO, por não ser “deste mundo”, Deus é discernido como o Ser que somos, e o Amor é discernido como CONSTÂNCIA QUE FLUI DE NOSSO PRÓPRIO EU. Quem “trabalha pelo Amor que não perece”, se dedicando a CONTEMPLAR seu próprio EU sendo o Amor infinito, vive na completeza deste Amor!

Como o mundo visível é mera “sombra” do estado mental de cada pessoa, esta  realização interior se projeta em sua suposta vida humana, na forma do chamado “amor humano”;  mesmo  assim, se a pessoa  realmente “trabalhou pelo AMOR QUE NÃO PERECE, não ficará presa às suas manifestações da “aparência”: já terá obtido o iluminado discernimento: APARÊNCIAS, boas ou más, não passam de APARÊNCIAS! E é assim que a Verdade a torna LIVRE!