QUEM DIZ QUE “NÃO TEM TEMPO PARA MEDITAR?”

“Orai e vigiai sem cessar”, enfatiza a Bíblia. Mesmo assim, muitos argumentam que a sua vida é corrida, que o tempo voa ou lhe anda escasso, e que “nem tempo para meditar lhe tem sobrado”!

É evidente que o mundo  tem-lhe parecido prioritário, já que nem tempo tem achado disponível para reconhecer que “DEUS É TUDO, TUDO É DEUS”!

“O que se vê procede do que não se vê”, disse Paulo. Se estivermos reconhecendo  a Onipresença e a Totalidade de Deus, estas Verdades, assim VISTAS, nos parecerão expressas como o que SE VÊ, ou seja, como projeções finitas da Verdade INFINITA!

Jamais se permita atropelar pela suposta “correria das aparências”, que são “sombras” simulando ser “reais movimentações”.

Medite com serenidade e tranquilidade, ciente de “ser a Oniação divina SUA VERDADEIRA ATIVIDADE, CONSTANTE E ONIATIVA! Desse modo, o suposto “tempo” se mostrará presente em suas mãos, por ser “procedente da Divina Ordem aparentemente NÃO VISTA, porém, que foi RECONHECIDA!

*

SOMOS TODOS ILUMINADOS COM A LUZ DE DEUS!

Deus vivencia Sua TOTALIDADE em Si mesmo, sendo que Suas obras são todas iluminadas e perfeitas. Quando Jesus declara “não ser DESTE MUNDO”, e que igualmente  “DESTE MUNDO NÃO SOMOS”, EXPLICA SER O MUNDO UMA “APARÊNCIA HIPNÓTICA” EXPRESSANDO CRENÇAS FALSAS, que se destroem com o reconhecimento da Verdade.

Com “olhos bons” enxergamos a Deus face a face, mesmo com muitos entendendo não poder vê-Lo. Mas Jesus disse ter vindo para juízo, que é não ver “aparências” a fim de VERMOS A DEUS FACE A FACE.

ACREDITANDO EM “APARÊNCIAS”, O HOMEM ACREDITA NELA “TER NASCIDO” EM “CORPO CARNAL” , VENDO JESUS TAMBÉM PASSANDO pelas mesmas APARENTES crenças falsas, porém, sem se identificar com elas!

“Minha mãe e meus irmãos são os que fazem a Vontade de Meu Pai”, disse ele. Explicava que “somos frutos do Ventre que jamais gestou”, ou seja, que SOMOS DE ORIGEM DIVINA, SEM COMEÇO E SEM FIM!

OS NOVOS CONCEITOS TRAZIDOS POR JESUS ANULAM A CRENÇA DE NASCIMENTOS, MORTES E ENCARNAÇÕES!

“A NINGUÉM CHAMEIS DE PAI NA TERRA, POIS TEMOS UNICAMENTE A DEUS COMO NOSSO PAI, QUE ESTÁ NOS CÉUS”.

COLOCAÇÕES RADICAIS DA VERDADE DESSE TIPO, NÃO SÃO PARA SEREM AVALIADAS, E SIM “ACEITAS COM CORAÇÃO DE MENINO”, caso desejemos VER A DEUS FACE A FACE!

O “MUNDO DE APARÊNCIAS” NÃO PASSA DE UM “SONHO DA MENTE MORTAL”, E DESAPARECE EM SUA NULIDADE QUANDO ACATAMOS AS REVELAÇÕES ABSOLUTAS COMO VÁLIDAS PARA NÓS, AQUI E AGORA!

NÃO EXISTE FILHO DE DEUS FORA DE DEUS OU NÃO VENDO A DEUS! O PAI E OS FILHOS SÃO UM! E QUEM NEGAR O FATO AFIRMARÁ A ILUSÃO  DE SEPARATIVIDADE DO PAI, E SE ACHARÁ HABITANTE DO “MUNDO DO PAI DA MENTIRA”!

Creia que “Em Deus vivemos, nos movemos e temos o nosso ser”!  Isso significa endossar a Vida sendo DEUS VIVENDO COMO O SER QUE SOMOS! QUANDO A VERDADE FOR ASSIM RECONHECIDA, A LEI NOS REVELARÁ DEUS, VENDO  UNICAMENTE A SI MESMO EM SUA LUZ TODO ABRANGENTE, SENDO TUDO E TODOS NUMA UNIDADE PERFEITA! 

*

 

ENXERGUE ATRAVÉS DAS IMPOSIÇÕES DO ERRO!

“Precisamos enxergar através das imposições do erro e provar que são irreais”.

Freda Benson

“TIAGO JÁ NOS PREVENIA: “SEDE CUMPRIDORES DA PALAVRA, E NÃO APENAS OUVINTES, ENGANANDO-VOS A VÓS MESMOS”.

Quando a Verdade nos é revelada, é evidente que se mostra discordante da maioria das coisas que são percebidas com os supostos “sentidos humanos”. Em vista disso, as Verdades requerem ser aceitas com total radicalismo, a ponto de não retermos dúvidas nenhumas quanto ao fato de serem verdadeiras!

Quando Paulo nos dá  sua orientação para que “nos despojemos do velho homem natural  e de seus feitos”,  para sermos cumpridores da Palavra teremos de dar crédito TOTAL a essa Palavra, sem “dividirmos a casa” com supostas CRENÇAS CONTRÁRIAS que neguem o FATO DE QUE O CRISTO SEJA A TOTALIDADE DE NOSSO SER.

Emmet Fox diz o seguinte: “Mude a mente e conserve-a mudada”!

A suposta “mente humana”,  por não ser realidade permanente,  não e nossa mente; é mutável e podemos alterá-la à vontade! Não é “mente verdadeira”, enquanto DISPOMOS DA MENTE DE CRISTO, esta sim,  imutável  e sempre testemunhando TUDO como sendo de natureza espiritual, divina e perfeita!

Freda Benson disse o seguinte:“Precisamos enxergar através das imposições do erro e provar que são irreais”. Explica a necessidade de lidarmos com o erro destemidamente, plenamente cientes de que DEUS É TUDO e que DEUS CONSIDERA TODA A EXISTÊNCIA REAL COMO “MUITO BOA”!

“A casa dividida    não subsiste”, disse Jesus. E quando nos firmamos na Verdade,  resolutamente, endossamos o TESTEMUNHO DE DEUS, agindo em unidade com a Oniação divina, conscientes de que “O PAI, EM MIM, É QUEM FAZ AS OBRAS”.  

*

A MAIS PROFUNDA ORAÇÃO

 

Conta-se que alguém perguntou à Madre Tereza de Calcutá:
O que a senhora diz para Deus em suas orações?
– “Nada, eu só escuto”, respondeu ela.

E o que Deus diz para a senhora em suas orações?

– “Nada, ele só escuta”.

Essa é a verdadeira e mais profunda dimensão da oração: uma experiência de presença e de comunhão que transcende a tudo”.

Pergunta: Desde que eu era uma garotinha, eu fui criada como católica. Apesar disso, eu tinha uma grande tendência em negar Deus, em não acreditar na existência de Deus. E agora, graças a tudo o que você vem ensinando e compartilhando, sei que existe uma presença: sinto que uma quietude está aqui, a Consciência está aqui. Mas eu tenho o pensamento “por que devo orar?” Pois, se Deus é onisciente, onipotente, todo-amoroso, e assim por diante, não acho que Ele/Ela precisa de mim para dizer: “psiu, ei! Meu amigo está morrendo de câncer, você pode ajudá-lo?”. Não acho que seja necessário, mas eu gosto de rezar. Eu adoraria ouvir seus pensamentos, o que seria adequado para orar? Você acredita na oração?

Eckhart Tolle: Talvez você possa aprimorar as suas orações de súplicas (“por favor me conceda isto ou aquilo”) para transformá-las em “pequenos indicativos mentais”, visando a paz, por exemplo. Esses pequenos indicativos mentais (oração que lhe estou sugerindo) ainda se valem dos conceitos, porque toda oração consiste de palavras e conceitos – para apontar, indicar, e assim ajudá-lo a ir além dos conceitos. Você poderia fazer, por exemplo, uma afirmação – como fez Jesus, quando disse: “eu sou a luz do mundo”. É uma afirmação; é um conceito que aponta para uma realidade muito mais prifunda que a das palavras. Se você ainda quiser pedir algo, então você poderia dizer algo como: “por favor, seja-me revelado que eu sou a luz do mundo”. Usualmente, as orações comuns implicam em dualidade. Elas sugerem um Deus que está lá, ao passo que aqui estou eu, rogando a Deus. Tal dualidade é, em última análise, uma ilusão, porque a verdade é que você é uma expressão de Deus, do próprio Deus. Deus e você se fundem, vocês estão misturados. Assim, as orações de súplicas, que sugerem dualidade, não são as formas mais profundas de orar.

A oração mais verdadeira acontece quando você adota a atitude de ouvir, em quietude, ao invés de proferir palavras. Enquanto você gostar de rezar assim, está ok. Mas, gradualmente, comece a cessar de pedir a alguém para que faça algo para você, porque isso a mantém presa na dualidade.

Afirmações assertivas, se feitas corretamente, podem atuar como belos substitutos para as orações que comportam dualidade. Afirme: “Eu estou curado e completamente em paz”. Após isso, deixe haver espaço, permita que o espaço entre e atue. Apenas o “campo” sem forma do puro espaço. E descanse nesse estado. Realmente, a inteligência e o poder residem nesse espaço. Nesse estado de espaciosidade, a sua experiência é a de que você já é o Todo – inteiro, pleno, completo. A forma externa pode lhe sugerir que você seja algo diferente. “Eu sou um ser santo”, diz Um Curso em Milagres. Isso é o que você É, então é apenas uma questão de afirmar algo que você já é.

Você pode curar uma pessoa – quer a pessoa doente esteja ao seu lado, quer ela esteja distante e lhe venha à mente. A mais poderosa maneira de curar, no meu entender, é manter consigo a imagem da pessoa e mover-se profundamente para dentro de si, onde se encontra a Totalidade da Vida. Onde absolutamente nada é necessário, onde nada pode ser acrescentado. Nesse lugar profundo onde está a Totalidade da Vida, você contata também a totalidade daquela pessoa – ela já está curada/inteira nesse nível mais profundo, além da forma. Então, seguindo esse método, você parte da forma e se move para a dimensão da não-forma.

Essa é a cura que era praticada por Joel Goldsmith. Ele tem um livro fascinante chamado “A Arte de Curar Pelo Espírito”. Realmente, trata-se de não se ater por completo às condições (do mundo da forma) que precisam ser melhoradas, mas concentrar-se na realidade essencial de que o ser humano é um com a própria Realidade Essencial, e entrar na profunda quietude onde nada é necessário. Goldsmith costumava receber telefonemas, às vezes no meio da noite. Eram de pessoas que necessitava desesperadamente de uma cura; elas, então, diziam a ele os seus nomes e do que estavam sofrendo. Imediatamente, em seguida, ele largava do telefone e adentrava num estado absoluto de não-pensamento. Por um momento, ele ouvia o nome da pessoa, ele ouvia o que estava errado com elas, e imediatamente deixava inteiramente de lado tais informações/pensamentos. Ele, então, por dois ou três minutos, entrava em um estado de não-pensamento – um estado de absoluta presença. Existe uma perfeição absoluta no reino da não-forma. E essa perfeição absoluta é a essência da pessoa que, no nível da forma, necessita da cura. Então, você conduz a forma para a dimensão da ausência de formas, um espaço onde as formas não são. Nenhuma condição a ser tratada, onde nada jamais é necessário – apenas vá para dentro desse espaço. Essa era o seu modo de curar as pessoas. Ele foi um curador bastante poderoso. Essa é a última e mais elevada forma de cura, e que é realmente o tipo não-dual de oração. Nela, você vai além da oração, na qual diz: “Por favor, Deus, cure o fulano!”. Você penetra e contata a própria Fonte, que é inseparável de quem você é, e que é inseparável de quem é essa pessoa.

A oração pode converter-se gradualmente em uma atitude de escuta. Qual é o significado de “ouvir”? Ouvir significa que há um campo nú, “vazio”, de pura atenção, o qual é percebido quando despido das projeções dos pensamentos. Nesse campo, você percebe a inocência, a pureza, a simplicidade e inculpabilidade de todas as coisas. Permanecer nesse campo é o que significa a atitude de escuta. Não significa que você esteja esperando por alguma resposta, porque então você não estará realmente ouvindo. Na escuta você absolutamente não espera por nada – há apenas um campo de atenção pura. Essa é uma oração muito mais profunda do que com qualquer palavra proferida. Não há sequer o desejo de que a oração seja atendida, ou obter uma resposta. Estar em silêncio é o bastante.

Quando está escutando, você não está esperando por nada – há somente um campo de pura atenção.

Essa é uma forma de oração muito mais profunda e muito mais verdadeira do que qualquer palavra é capaz. A verdadeira oração acontece naquele ponto onde a própria oração também se converte em meditação: ela é ambas. Ela não espera por respostas, estar em profundo silêncio é um estado de graça, e isso é o bastante. Algumas vezes a resposta surge; algumas vezes, também, de repente, as coisas apresentam-se solucionadas. Ouça isto: quando surgir qualquer problema pertencente a este mundo, qualquer distúrbio – e eles acontecem o tempo todo envolvendo: pessoas ao seu redor, perturbações na mente, etc. -, apenas vá para o estado de “escuta”, de pura atenção, de pura consciência, no qual você se torna ciente da presença. O ato de escutar a presença é uma maneira poderosa de falar sobre ela e transmiti-la.

Quando você está presente, é como se você estivesse em um estado de escuta. É importante dizer, contudo, que o termo “escuta” tem sido usualmente associado com o sentido físico da audição. Mas, aqui, o termo “escuta” refere-se a um estado que se encontra além dos sentidos que percebem os fenômenos físicos; é um estado de consciência que sublinha, subjaz e que dá a base à existência do próprio sentido da percepção sensorial auditiva. Todo mundo sabe como é esse estado, porque quando você está realmente ouvindo um som fraco, o que é o estado de consciência que está por trás e que escuta aquele som fraco? É um estado de alerta absoluto e descontraído, relaxado. Assim, quando dizemos escuta, isso é algo útil, pois todo mundo sabe o que significa escutar. Eu estou apenas apontando para o fato de que a percepção sensorial externa não é a essência do escutar, o verdadeiro escutar; a essência da escuta é o estado subjacente da consciência, de receptividade absoluta e presença de alerta, que está por detrás da percepção sensorial auditiva.

É por isso, acredito, que uma das parábolas de Jesus falava sobre um servo que tinha o dever de ficar acordado, em estado de alerta, porque o servo não tem o conhecimento de quando o dono vai voltar para casa. Muitas das coisas de hoje apresentam-se a nós de forma um pouco distorcida, pois foram transmitidas verbalmente, e somente depois disso é que foram registradas; e, nesse processo, certas coisas foram viradas do avesso, e outras desapareceram. Eu acredito que, ao mencionar o servo que esperava pelo mestre, Jesus estava falando sobre uma atitude diferente – um estado de consciência. O servo está esperando em um sentido diferente da coisa normal que chamamos de “espera”, que nada mais é do que a mente dizendo “Quando irá acontecer? Por que ainda não ocorreu?”. O sentido utilizado aqui por Jesus é completamente diferente. Muitas e muitas vezes Jesus fala a respeito da espera, da importância de ficar acordado, alerta. Essa é uma parte muito importante de seu ensino: ficar acordado, não ir dormir, permanecer presente. Assim, todas as palavras que você usar na oração, lembre-se de fazê-lo como ponteiros ou indicadores para isso. Então você poderá dizer verdadeiramente: “Eu estou ouvindo”.

*

“MANTÉNS EM PERFEITA PAZ AQUELE CUJA MENTE REPOUSA EM TI!”

“Ó Deus, manténs em perfeita paz aquele cuja mente repousa em Ti”

Isaías, 26: 3

Todo chamado “trabalho metafísico” se resume numa identificação total com a Mente sem ilusão. Não há mais de uma Mente, uma vez que DEUS É TUDO, e, portanto, é a Mente única evidenciada como o Universo real, espiritual e perfeito.

“Tu, ó Deus, manténs em perfeita paz aquele cuja mente repousa em Ti” (Isaías, 26: 3). Como há SOMENTE A MENTE DE DEUS, basta-nos reconhecê-la como a NOSSA MENTE, separando-a da ILUSÃO COLETIVA que, por ser voltada às ilusórias formas materiais, perde de vista a Verdade de que TUDO E TODOS SÃO INSEPARAVELMENTE “UM”!

O Universo é a MENTE DIVINA SEM ILUSÃO SE EXPRESSANDO COMO “PERFEITA PAZ”, PERENE E ONIPRESENTE.

Quem seria “aquele repousado em Deus” e mantido em “perfeita paz” por Deus? SERIA CADA UM DE NÓS IDENTIFICADO COM A MENTE DIVINA “SEM ILUSÃO”!

A humanidade entende como UNIDADE a Mente e a Ilusão, enquanto somente a Mente é REALIDADE, enquanto a ilusão é IRREALIDADE! Se virmos alguém com a “mente em ilusão”, veremos as  supostas formas separadas como “aparências mutáveis e discordantes da Paz perfeita”. Quando nos fixarmos na Mente ISOLADA das formas, nos acharemos “repousados na Perfeita Paz”

Paulo chamou a “mente em ilusão” de “mente carnal”, a  FALSA crença em formas materiais, que desviam a todos da Mente real que todos temos, sugerindo seu desfile interminável de imagens ilusórias em mutação. Diante delas, basta-nos “repousar na Mente divina SEM ILUSÃO”, e nela PERMANECERMOS! 

A Mente divina é o nosso LAR EM DEUS, é a nossa HABITAÇÃO CONSTANTE NA CASA DO PAI!

 *

CONFIANDO NO PRÓPRIO CRISTO

O único trabalho mental a ser-lhe requerido, para que se mantenha em absoluta harmonia e paz, é o reconhecimento da natureza de sua própria Mente real, que é Deus. Assim procedendo, estará “reconhecendo-O em todos os teus caminhos”, e como em Deus, o Bem, você é naturalmente sustentado e mantido em paz, essa proteção e demonstração se tornam uma natural e constante expressão de sua própria Natureza, que é divina.

Paulo disse: “Sois salvos não pela lei, mas pela Graça”. Graça é a ação de Deus; assim, se pretende ser salvo por Deus, o Bem, você deve saber que compartilha de Sua Natureza. De fato, você é aquela Natureza divina. Todo o conjunto de métodos, fórmulas e sistemas (leis) que foram criados jamais irão salvá-lo das falsas crenças. Sua única cura ou redenção reside na Verdade Absoluta de que em Deus, o Bem, você é eternamente salvo em virtude do que você é.

Jesus falava como “alguém dotado de autoridade”, pois aceitava as convicções de Sua própria Mente como os fatos da Existência. Ele não dependia de palavras de outros nem perguntava sobre como eles “lidariam” com certas condições. Estabeleceu a Verdade Absoluta sobre Deus e Homem tal como este fato se apresenta:em UNIDADE, UNICIDADE. Sua percepção espiritual dava-Lhe a necessária transparência de consciência pela qual Deus e Homem pudessem ser vistos em manifestação: esta é a única cura que pode ocorrer.

Não mais necessitaremos de receitas ou fórmulas, quando verdadeiramente compreendermos que Homem e Deus são um. A repetição de palavras de outros e uma constante confiança em livros ou lições acaba escravizando uma personalidade a outra, em vez de fazer com que cada ser mantenha a confiança em seu próprio Cristo.

*

“NÃO TEMER” QUER DIZER QUE “SOMENTE DEUS É REALIDADE!”!

Todo “não temais”, encontrado nas Escrituras, traz em si mesmo o lembrete de que  algum  cenário mentiroso intenta chamar nossa atenção no sentido de que o consideremos  como “tendo realidade”! Na verdade, UNICAMENTE DEUS É REALIDADE, e o que devemos adotar é não a “intenção da ilusão”, mas sin a determinação convicta de que “EM DEUS VIVEMOS, NOS MOVEMOS E TEMOS O NOSSO SER”, e isso em plena CERTEZA de que DEUS É ÚNICO E É TUDO!

Em outras palavras, “nada iremos temer” porque sabemos que “somos Deus em Oniação”!

Abrace a Verdade  resoluta e diretamente, desfazendo-se da ILUSÃO pelo entendimento de que SOMOS A PRESENÇA, O PODER E A EVIDÊNCIA DE DEUS, e a realidade divina é soberana e não coexiste com argumentos da “mente carnal”.

Na Verdade, DEUS É A MENTE ÚNICA, E SOMENTE RECONHECE A SUA PRÓPRIA PERFEIÇÃO ONIPRESENTE!

Declare essa Verdade e, como agia Jesus, repreenda e desminta o “quadro mentiroso” com autoridade crística, de forma a vê-lo “sem presença, sem poder e sem materialidade!

Praticar a Verdade significa entendemos que A TOTALIDADE DE DEUS É FATO INCÓLUME, “O QUE ERA, É, E HÁ DE VIR”!

Sinta-se seguro no estabelecimento dessa Verdade!

*

 

“NÃO QUEREIS VIR A MIM PARA TERDES VIDA”!

Em João, cap. 5, encontramos Jesus dizendo:
“Todavia, vós não quereis vir a Mim para terdes a Vida. Eu não aceito honra que procede dos homens. Mas Eu vos conheço bem e sei que não tendes em vós o amor de Deus. Como podeis crer, vós que recebeis honra uns dos outros, mas não buscais a glória que vem do Deus único”?

Ao expor a necessidade de cada Filho de Deus de expressar a Verdade, o Cristo que verdadeiramente todos somos, mantidos pelo Amor e Vida de Deus, Jesus deixa claro o motivo que o levava a não aceitar honrarias procedentes dos homens.

“Vós não quereis vir a Mim para terdes a Vida”. Vida é Amor, o Amor é Luz, e é a Luz que somos!

“Mas Eu vos conheço bem e sei que não tendes em vós o amor de Deus. Como podeis crer, vós que recebeis honra uns dos outros, mas não buscais a glória que vem do Deus único”?

João assim disse: “Quem ama o mundo e as coisas do mundo, não há nele o Amor de Deus”!

Pedro assim ouvira de Jesus: “Antes que o galo cante, três vezes me negarás!”. E assim aconteceu!

Nestas colocações está a Verdade de que UNICAMENTE DEUS E AMOR, enquanto “honrarias vindas de homens” não procedem desse Amor puro e incondicional que só é emanado “DE MIM”, do “EU SOU DIVINO” em cada Filho de Deus, que jamais se confunde com o suposto “amor do mundo” e de seus “habitantes” não “nascidos de novo”!

Jesus veio pregar o “renascimento”, a pura e imaculada Emanação do Divino Amor, sempre percebida “fluindo de Mim!”

*

PARE DE ADIAR O SEU BEM!

Assim disse Joseph Murphy:

        Cada faculdade da mente é um servo. Os seus pensamentos, imagens e emoções são servos. Você tem o controle deles e pode ordenar aos seus pensamentos que cumpram as suas ordens e realizem o seu desejo. Você é João sendo iniciado nas maravilhas do seu Ser Superior. No momento em que você concebe uma ideia ou desejo, essa ideia ou desejo aparecerão visivelmente.

        Pois o tempo está próximo. O tempo está sempre próximo; é agora. Em Deus não existe tempo nem espaço. Quando você ora e medita, deixa o tempo e espaço e entra na Eternidade.

O seu bem é este momento presente. O crescimento espiritual nada tem a ver com o tempo ou o espaço. Você pode exigir o amor agora, a paz agora, a força agora.

Deus é o Agora Eterno. Você não precisa esperar pela paz, sabedoria, alegria ou uma cura. Todas essas qualidades de Deus estão dentro de você e, quando reivindica o seu bem, o Espírito o confirma e lhe dá de acordo com a sua aceitação mental.

Pare de adiar o seu bem!

*

RECONHEÇA A PRESENÇA DE DEUS NO LUGAR DE MALES SEMPRE AUSENTES!

Antes mesmo de aplicar os princípios da Verdade a fim de anular a ILUSÃO DE PROBLEMAS, prepare-se para admitir que DEUS É TUDO e que, por mais que as aparências se mostrem como sendo substanciais, todas elas são NADAS, assim como igualmente são NADAS as “imagens holográficas”.

Enquanto alguém “estudar a Verdade” acreditando em informações da “mente em ilusão”, estará “servindo a dois senhores”, ou seja, não estará descartando a  ”ilusão” que o faz crer “ter nascido” em mundo de males e de problemas . Só “mente em ilusão” poderia acreditar nisso! E como este “acreditar” é coletivo, os ensinamentos metafísicos  lhe dão o nome de “ilusão coletiva”.

Toda a atenção deve estar dirigida à Onipresença de Deus e à nulidade das “aparências”, o que nos fará lidar com UM SÓ SENHOR, que é Luz que resplandece INCLUSIVE onde ilusórias “trevas” simulam ser “presenças”, mas sendo reconhecidas como “ausências”!

Sinta-se CONVICTO da veracidade desses princípios e se torne TESTEMUNHA DO QUE DEUS TESTEMUNHOU, AO AFIRMAR QUE “ACHOU MUITO BOM” TUDO CRIADO POR ELE!

*

 

“OLHOS QUE VEEM!”

“Os olhos não viram Deus, ou Sua imagem e semelhança. Nem Deus nem o homem perfeito podem ser percebidos pelos sentidos materiais”. Sendo Deus a totalidade da Existência, se “olhos não viram Deus nem tampouco o homem perfeito”, conclui-se que estes “olhos” veem unicamente inexistências”. O que Deus é, o que nós somos, o que tudo é, nada disso pode ser visto por estes olhos. Jesus já havia declarado: “Tendes olhos, mas não vedes”; somente esta afirmação já deveria ter movido o povo rumo aos “olhos que veem”, aos “olhos que em Deus temos”, e que unicamente enxergam a Realidade espiritual.

Mary Baker Eddy

 

 “A individualidade do Espírito, ou o infinito, é desconhecido, e assim um conhecimento a esse respeito é entregue ou à conjetura humana, ou à revelação da Ciência divina”. Partir de Deus como Onivisão, isto é, como Visão única e onipresente, faz com que aceitemos o Fato de já estarmos inclusos nesta qualidade ou aspecto divino. Jamais deixamos de “ver o que é real”, porquanto somente existe Deus e Deus permanentemente vê a Si mesmo como sendo toda a Existência. A adoção deste “ponto de partida” é a “fé absoluta” que nos faz descartar tanto a chamada “visão humana” quanto tudo aquilo que ela aparenta enxergar. Isto se assemelha a um sonhador que, por despertar do sono, entende a natureza ilusória tanto do olho que via o sonho como das imagens aparentemente “vistas” por ele.

A Sra Eddy explica que o conhecimento da individualidade do Espírito, ou seja, do ser que genuinamente somos, ou é “entregue à conjetura humana”, ou “à revelação da Ciência divina”. Em outras palavras, ela nos está alertando o seguinte: ou ficamos com meras teorias e conceituações humanas, ou nos dedicamos a permanecer nos princípios divinos, identificando-nos integralmente com Deus ou com a Verdade, para conscientemente  vivenciarmos nossa individualidade segundo a Visão absoluta, por revelação.

Há quem se contente com as conjeturas humanas, que satisfazem o intelecto com nada ou quase nada lhe sendo exigido. Por outro lado, há quem realmente deseja diretamente “conhecer a Verdade”, pelo caminho da revelação, e, este caminho irá lhe requerer dedicação total, como bem ressaltou o profeta Jeremias: “Vós me buscareis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração” (Jer. 29: 13).

*

AQUI E AGORA!

Como parece fácil alguém cair na armadilha de ideias de futuro, de aperfeiçoamentos e melhorias, eu acredito que a “Contemplação do Aqui e Agora” da Verdade deve ser um dever diário. A Perfeição Total e Completa (Deus) já é Tudo que existe. Mais preces e maior “devoção à Verdade” não estabelecem mudanças ou melhorias neste Fato.

Toda a Saúde que eu pudesse ter esperança de experienciar, sou Eu – e é minha Exatamente Agora.

Todo o Suprimento Abundante que eu podesse ter esperança de experienciar, sou Eu – e é meu Exatamente Agora.

Todo o Amor, Alegria, Paz e Poder que eu pudesse esperar ter, sou Eu – e é Meu Exatamente Agora.

Um assim chamado Ano Novo não trará a Perfeição Absoluta que já existe como Tudo. Este Ano de 2021 não possui maior potencial do que qualquer outro. Tudo é AGORA, e AGORA é Tudo. Contemple-o – diariamente.

*

O REAL PROPÓSITO DAS MEDITAÇÕES!

“Quem cede à vaidade e se apega ansiosamente ao prazer, invejará mais tarde aquele que adquiriu virtude por meio da meditação”.

BUDA

Não há desvio da Verdade que satisfaça verdadeiramente o suposto ser humano. E isto,  porque todo “ser humano”, de fato, esconde em si mesmo a sua real e eterna identidade, imortal, divina e completa. Como sua “completeza” lhe aparenta ser inexistente, ou estar ausente, deixa ele de percebê-la, “cedendo à vaidade e se apegando ansiosamente aos prazeres mundanos”, conforme assinalou Buda, e “invejando, mais tarde, aquele que adquiriu virtude por meio da meditação”.

Por desconhecer o que a meditação é capaz de nos propiciar, a maioria pensa que ela apenas serve para relaxar um suposto corpo físico, aliviando as  aparentes tensões do dia a dia. Entretanto, seu propósito real é o de dar ao praticante o “conhecimento da Verdade”!

Foi meditando que Buda, desiludido com a visão material da vida, cheia de dores, sofrimentos e mortes, VIU-SE JÁ SENDO UM SER DESPERTO, PERFEITO, IMORTAL E PLENO,  existindo justamente no lugar da APARÊNCIA que o iludia com a crença coletiva de “humanidade”, “mortalidade” e “imperfeição”.

Quando Jesus passou ao mundo a Parábola do Tesouro escondido no campo”, confirmava que HÁ, EM CADA UM DE NÓS, O ESPÍRITO SANTO DA VERDADE SENDO A REAL IDENTIDADE DE TODO FILHO DE DEUS. Sabendo que UNICAMENTE A VERDADE satisfaz, liberta e realiza o homem, disse ele o seguinte”:

“AQUELE QUE PERMANECER ‘EM MIM’ CONHECERÁ A VERDADE, E A VERDADE O TORNARÁ LIVRE!”.

Mas, iludida pela “mente carnal”, seus desvios, suas vaidades e desejos, ESTE TESOURO INTERIOR não foi buscado como foi ensinado, em primeiro lugar! Mesmo assim, continua ele intacto e disponível a todos, “AQUI E AGORA!”

AS MEDITAÇÕES, SE FEITAS COM ESTE OBJETIVO, DE SER MEIO DE REVELAÇÃO DA

VERDADE QUE SOMOS, CERTAMENTE FARÃO COM QUE, DE FATO, NOS PERCEBAMOS LIVRES!

 *

TEMPLO SEM ÍDOLOS

Nenhum mestre espiritual mostrou intenção em ser adorado ou idolatrado! Sabia que, como disse Cristo Jesus, “bom só há um, que é Deus”; sabia que sua fala era de “mensageiro”, e não de autor! “Minha doutrina não é minha, mas d’Aquele que me enviou”, explicou também ele.

Por mais que tenha valor um mensageiro, não deve jamais ser cultuado! Tampouco a mensagem tem qualquer valor se não for entendida e praticada AGORA!

Na Seicho-No-Ie encontramos o seguinte:

“Homens, não adoreis a mim. Não louveis a Deus manifestado na forma. Todas as minhas virtudes provêm de Deus onipresente. Venerai a Deus que eu aponto, e não a mim, pois sou apenas mensageiro. Tendo eu próprio compreendido que minha essência é Deus, faço-vos compreender que também vossa essência é Deus. A Verdade para a qual deveis despertar em primeiro lugar é a de que a essência de todas as pessoas é Deus. Sabei que a infinidade de almas humanas são todas reflexos do mesmo Espírito divino, à semelhança de milhões de imagens de um mesmo objeto refletidas em milhões de espelhos dispostos em torno dele. Embora vossas almas pareçam diferir umas das outras e manifestam-se de diferentes formas, são todas reflexos do mesmo Espírito Divino e são uma única Vida; portanto, sois irmãos entre si.”

Estudar a Verdade é, portanto discernir a Verdade na prática deste “agora”, contemplando Deus como a Vida única, a nossa Vida e a de todos com quem entramos em contato. Enquanto estivermos com a atenção voltada a mensageiros, estaremos desfocando-a da própria mensagem trazida por eles. Tão logo a entendermos, teremos descoberto o “Templo sem ídolos”, a UNIDADE DA EXISTÊNCIA, e se cumprirão as palavras de Cristo Jesus:

“Naquele dia conhecereis que eu estou no Pai, vós em mim, e eu em vós.” 

*

 

 

ASPECTOS DA REALIDADE

Já se disse que o maior erro do homem é tentar tornar-se Deus, em vez de apenas ser. O homem andou à procura de alguma coisa que está bem dentro dele. Nós não tentamos; precisamos simplesmente ser; somos isso e o proclamamos definitivamente. Se vocês, na realidade, não acreditam nisso, tentem-no durante algum tempo, umas duas semanas, por exemplo. Eu sugeriria que o proferissem uma vez, e o soubessem; e depois continuassem até sê-lo. Isso lhes pertence. Cabe a vocês a ordem.

O céu é a harmonia sempre presente dentro do indivíduo, no lugar exato em que vocês estão.

Conheçam Deus dentro de vocês, sempre. Essa é a maior bênção para a humanidade. Vejam o próximo do mesmo modo que vocês veem a vocês — o Cristo em cada semelhante. Este é o nosso maior privilégio. Além disso, o maior treinamento que podemos fazer é ver o Cristo em cada pessoa que vemos ou conhecemos. Basta um momento para compreen­dermos que, em qualquer companhia que estivermos, estaremos integrados, e acharemos que isto é uma coisa maravilhosa. Não tardará o momento de compreender e aceitar o Cristo dentro de cada um. Somos todos iguais na semelhança d’Ele, sempre.

Vocês têm o controle das tempestades; têm o controle das condições atmosféricas, cada um de vocês. Vocês têm o controle de cada elemento natural. Não importa qual seja ele, vocês são os seus donos, e compete-lhes tornarem-se donos dele. Em vez disso, deixa­mos que ele nos ponha para baixo, como se costuma dizer, e nos tornamos subordinados da condição, ou da situação, ou da circunstância. Não há ninguém nesta sala que, se desse um passo à frente, não pudesse controlar qualquer situação que surgisse, simplesmente pelo fato de saber que ele é o senhor.

A partir do momento em que usamos uma palavra negativa, tiramos do nosso corpo a energia necessária para mantê-lo funcionando; nós nos hipnotizamos a ponto de acreditar que estamos diante de um fato e que a influência hipnótica dele nos leva a repeti-lo reiteradamente. Entretanto, se nunca mais nos deixarmos hipnotizar por esses pensamentos negativos e nos recusarmos a repeti-los ou até a pensá-los, eles desaparecerão completa­mente dos nossos mundos.

Se não nos agarrássemos à velhice, à falta da vista e às imperfeições do corpo, essas condições negativas não se registrariam na forma física. Nosso corpo está sendo renovado a todo momento, e isso é realmente a ressurreição, que ocorre de nove em nove meses de um extremo a outro da humanidade. Nós mesmos marcamos as células do corpo com os nossos pensamentos, os nossos sentimentos, o nosso discurso. Somos os traidores de nós mesmos. Traímos o Cristo toda vez que usamos as palavras “não posso”. Toda vez que usamos uma palavra negativa traímos o Cristo dentro de nós.

Exaltemos, portanto, o Cristo, abençoemos o corpo pelo seu serviço, louvemos e agradeçamos nossas inúmeras bênçãos, e sejamos a manifestação viva da Lei a todo momento!

*

VOCÊ JAMAIS “VIVE EM APARÊNCIAS”!

Se explicarmos a alguém que “o Sol nascer no horizonte” é ILUSÃO, pois o FATO REAL E ÚNICO é o que contradiz a “aparência” e nos revela a Verdade: “A Terra é que gira em torno Sol”, tornamos mentirosa a “aparência” e deixamos de ser iludidos por ela!

O Fato REAL – e sempre evidenciado – é DEUS SENDO TUDO, E ILUSÃO SERIA ALGUÉM ACREDITAR NA “APARÊNCIA”, ACHANDO QUE SEJA ELA REALIDADE COEXISTINDO COM DEUS!

Muitos dizem “estarem bem EM DEUS”, porém, estarem mal nas “aparências”! ENDOSSAR ESSE ERRO COMPROMETE TODA A PRÁTICA DA VERDADE!

Suponha que alguém “acredite levar um tombo” e “ter-se machucado”: ele estará perfeito em DEUS,  e não existe o “testemunho dos homens” endossando o suposto “tombo”! AS APARÊNCIAS NÃO SÃO FATOS, MUITO EMBORA A MAIORIA ACREDITE “TEREM REALMENTE ACONTECIDO”! Mas assim como o Sol jamais nasce no horizonte,  o homem jamais nasce na carne para levar tombo e se machucar”!

Quem entender corretamente a analogia, JAMAIS CONFUNDIRÁ O FATO COM A APARÊNCIA, MAS SIM COM A ONIAÇÃO DE DEUS! Por isso, assim disse Jesus:

“SEDE PERFEITOS COMO PERFEITO É O VOSSO PAI CELESTIAL”. 

*

“QUEM SE ENCONTRA A SI MESMO”

Disse Krishna: “O homem ignorante e cético não encontra sossego, nem no mundo do aquém nem no mundo do além – nem atingirá repouso na eternidade. Mas, quem se encontra a si mesmo é senhor de si; transcende pela sabedoria os efeitos de suas ações (karma); nada mais o prende, e as dúvidas se dissipam à luz do conhecimento da divindade. Pelo que, ó príncipe, mata com o gládio da sabedoria essas dúvidas que nascem da insipiência e te angustiam o coração. Acorda e firma-te na experiência divina!”

Enquanto há DEUS SENDO TUDO, uma ilusão engendra a falsa existência em que mortais acertam ou erram, se tornando responsáveis por suas supostas ações. Mas, e QUEM SE ENCONTRA A SI MESMO? Vê o amontoado de mentiras e falsidades se desmoronar, ciente de que jamais chegou a fazer parte de nada daquilo!

O ensinamento absolutista parte de JÁ TERMOS ENCONTRADO A NÓS MESMOS! Contemplamos o Fato de que DEUS É ETERNAMENTE DESPERTO, E QUE, SENDO TUDO, JÁ É QUEM SOMOS!

Krishna estava meramente testemunhando a Verdade de que SOMOS EXPERIÊNCIA DIVINA, e que, “À LUZ DO CONHECIMENTO DA DIVINDADE”, as supostas trevas se dissipam! Não eram “trevas verdadeiras”, mas Luz não reconhecida!

“Acorda e firma-te na experiência divina!” Paulo repetiu a mesma coisa, dizendo: “Desperta, tu que dormes, e a Luz de Cristo te iluminará”. Algo inaceitável seria alguém estar diante de revelações absolutas como estas, e ainda assim, levando em consideração “existência humana”, “mortalidade”, “dualidade” etc., como se possível fosse haver coexistência de Luz e sombra no mesmo lugar! Aquele que entender esta coexistência como impossibilidade, terá encontrado a SI MESMO, e terá compreendido o sentido das palavras de Cristo: “Sois a Luz do mundo”.

*

ENTENDA O SUPOSTO “CORPO CARNAL” COMO “IMAGEM HIPNÓTICA”!

Paulo ousou afirmar que “as coisas de Deus são loucuras para os homens”, para poder dizer para que “nos fizéssemos loucos para sermos sábios”.

Um “poodle branco”, jamais existente, muito ajudou Joel S. Goldsmith em sua carreira de “praticista” de cura metafísica. Numa exibição de “hipnotismo”, um hipnotizador passou a alguém de um palco a IMAGEM HIPNÓTICA DE UM POODLE BRANCO, DANDO-LHE A INSTRUÇÃO PARA “CERCAR O CÃO” PARA EVITAR QUE SAÍSSE DO PALCO. Iludido pela falsa “imagem hipnótica”, o hipnotizado divertiu a plateia toda com seus “cuidados para cercar o cão” só “visto” por ele! Mas somente ele estava presente no palco, e vendo um “nada” lhe parecendo ser o cão!

Lembrando disso, Goldsmith aplicou aos pacientes a tática de “se livrar das doenças do corpo carnal”, que eram puras IMAGENS HIPNÓTICAS DE ALGO AUSENTE, ENQUANTO UNICAMENTE  O CRISTO ERA RECONHECIDO EM FORMA DE “DOENTE”!

Assim a chamada “cura metafísica” difere do que o mundo conhece como cura! Unicamente a perfeição do FILHO DE DEUS era entendida como a VERDADE sobre os “pacientes”, enquanto os “males de todos eles” eram descartados como “hipnotismo coletivo”!

Muitos leem os seus livros sem aplicar os “princípios de cura”! E ele próprio se lembrava do “poodle branco hipnótico”, para recordar que UNICAMENTE DEUS LHE APARECIA PARA “SER CURADO”, NA VISÃO DOS SEUS IRREAIS “DOENTES”!

*

DO MENTAL AO ENTENDIMENTO ABSOLUTO!

Há quem assim indague: “Entendo, intelectualmente, que eu sou já agora um ser espiritual no paraíso (um estado perfeito da Mente); porém, eu não aparento torná-lo prático. Como posso tornar esta Verdade mais prática em meu dia a dia?

A dificuldade em avançar da crença intelectual em sua natureza espiritual para a realização da Verdade de sua existência é comum entre quem estuda a Verdade. Como você, provavelmente, passou a vida toda aceitando que a matéria é realidade, terá, a partir de agora, de fazer uma mudança em seu modo de pensar.

Em vez de encarar o Universo como uma manifestação externa a você, e a sua vida humana como um tipo de passagem através do tempo rumo à eternidade, você terá de paralisar todo esse modo de pensar e achar a eternidade já no aqui e no agora. E você terá de saber que o Universo espiritual em si, é o homem espiritual, ou a Consciência real de Deus. Se você identificar-se com a Cristo-consciência, seu real Ser espiritual, logo passará a conhecer que o Amor divino (entendimento) é o único Ego, Vida e Mente que você possui. Nada pode separá-lo desta consciência harmoniosa ilimitada, a não ser sua adesão à crença de que é um ser humano e material.

Se Deus é o infinito “EU SOU”, a única individualidade, conclui-se que o “eu humano” não existe. Você precisará resistir e dominar toda crença em homem material e em mundo material. Com paciência, persistência e fé, esta crença humana irá diminuir, com o seu lugar se mostrando estar preenchido pela Consciência do Pai-Mãe-Deus, que seu ser real reflete e exprime.

*

O EGO E SUA ILUSÓRIA PRESENÇA HIPNÓTICA

Não é com alegria que cada um, ao começar a estudar a Verdade, ouve que deverá “negar-se a si mesmo”; o ego se sente menosprezado, agredido, insultado ou ofendido, quando não se sente reconhecido, ovacionado, enaltecido, e, ainda por cima, escuta que deve “ter seus braços pregados na cruz”. Porém, “ego” de “braços soltos” significa “mente ILUSÓRIA” se julgando ativa! Mesmo assim, o que é NADA, nada pode fazer! Nem de bem nem de mal! E a renúncia verdadeira é quanto ao suposto “homem natural e seus feitos” (Col. 3:11).

Por que há tanta “busca pela Verdade”, com trocas e mais trocas de ensinamentos, sem que este “eu ilusório” suma de vez? Porque com a “busca”, ele, que é pura “imagem hipnótica” DISFARÇADA de “filho de mortais”, ilude as pessoas e se mantém, fazendo-as crer que “estão estudando a Verdade”. E então, vemos tais pessoas nestes “estudos” a vida toda, enquanto nunca as vemos sendo ou assumindo o que verdadeiramente são: “o Cristo”!

Todo  suposto “eu humano”, sendo claramente denunciado como o “Judas de cada Filho de Deus”, é posto a correr pelas “contemplações” radicais, absolutas, constantes e decididas do VERDADEIRO EU do homem: O PRÓPRIO DEUS EVIDENCIADO COMO CADA SER INDIVIDUAL!

 ESTE É O SENTIDO ABSOLUTO DAS PALAVRAS DE PAULO:

“ESTOU CRUCIFICADO! NÃO SOU MAIS EU; O CRISTO VIVE EM MIM!”

*