ORAR É PERCEBER

Dárcio

Orar é perceber o Universo perfeito, o nosso Eu perfeito, a totalidade de Deus e a nulidade do sonho chamado vida material. Esta percepção não se dá pela mente humana, pois, é esta mente falsa a ILUSÃO EM SI.

Quanto mais rapidamente nos desvencilharmos da crença em mente humana, para simplesmente discernirmos que O INFINITO PERFEITO é o Deus onipresente Se expressando como nosso ser, melhor será a oração silenciosa.

Comece sua oração já aceitando incondicionalmente que Deus é Tudo e que a matéria não existe! E, na maior naturalidade possível, contemple a Luz divina sendo onipresente. “Sois a Luz do mundo”, disse Jesus. Explicava que, onde VOCÊ está, VOCÊ é Deus. Orar é simplesmente perceber este Fato espiritual eterno.

LIÇÃO PARA SAMMY

(Carta de Joel S. Goldsmith para seu filho Sammy)

Ofereço-te aqui, Sammy, uma lição importante, não só para um dia, mas suficiente para toda tua existência; se a praticares fielmente-ainda que não recebesses nenhuma outra de mim ou de qualquer instrutor espiritual, se a gravares no íntimo, ainda que ficasses só num deserto ou num barquinho, no meio do oceano, sem qualquer pessoa ou livro por perto, poderias sobreviver, encontrando salvação e segurança, alimento e vestuário, paz e tudo o mais que te fosse necessário. Quero revelar-te o segredo de minha felicidade, alegria , êxito, prosperidade e capacidade de servir a crianças e adultos ao redor do mundo inteiro, como sabes. Desejo que conheças este segredo, para que possas agir como eu. Em primeiro lugar, quando defrontares algum problema, seja de saúde, estudos, desentendimentos com os colegas ou mestres, retira-te a um lugar tranqüilo, senta-te com os pés no chão e mãos descansando nas coxas, fecha os olhos e lembra-te de que Deus está mais perto do que tua respiração: mais próximo do que teus pés e mãos. Ele está exatamente onde estiveres. Aquieta-te por um momento e Deus resolverá teu problema. Pode parecer estranho que não tenhas, pelo menos mentalmente, de expor teu caso a Deus, de não pedir-Lhe nada e nem fazeres qualquer afirmação. No entanto, basta fechar os olhos, aquietar-te por um momento e saber que Deus está bem perto de ti: no centro de teu ser. Depois, sem ansiedade ou pressa, espera alguns minutos. O Espírito, Ele mesmo, se incumbirá de tudo. Se for um problema ou fórmula que não entendes, Ele te esclarecerá, como sucedeu uma vez aqui em casa, em que pediste ajuda em matemática: sentamo-nos e meditamos e quando voltaste ao livro, encontraste a resposta plena, como se a tivessem escrito ali para ti.

Sempre que tiveres alguma dificuldade, pára o que estavas fazendo e conscientiza Deus exatamente ali onde estás, em teu íntimo. Espera alguns minutos e verás que Ele é a Inteligência de teu ser e sabe porque O estás procurando. Não receies: de bom grado Ele sempre te responderá, se estiveres “ligado”. Se Lhe perderes a sintonia, não poderás receber ajuda. Isto é compreensível. Digamos que estivesses aqui perto de mim, recebendo instrução espiritual. Se te distraísses, pensando em outra coisa ou saísses a passear, como poderia receber a lição que eu tinha a oferecer-te gostosamente?  Como pai humano, bem gostaria de oferecer-te cada segredo espiritual que possuo, como dou dinheiro quando dele necessitas. Mas não lhos poderei dar, se não estiveres receptivo e atento.

A mesma coisa se dá em nossa relação com Deus: temos que dar-Lhe plena atenção, amor, obediência e gratidão. Não é propriamente amar um Deus que não vês, senão amá-Lo nos colegas e professores com quem convives. Ainda que Deus esteja em teu íntimo, só Lhe podes receber a graça se tiveres amor, júbilo e respeito em tua mente, em teu coração e em tua alma. Cada pessoa é responsável por si mesma. Não há um Deus sentado no céu a olhar e julgar os que estão aqui em baixo. A Consciência divina está em nosso íntimo e sabe tudo o que pensamos, sentimos, falamos e fazemos, atraindo imediatamente de fora tudo o que mandamos para lá. Portanto, o amor e respeito que exprimes aos outros, logo os recebes de volta.Mas, tudo isto ainda é pouco. Mesmo que sejas humanamente bom em todos os sentidos, estás simplesmente cumprindo os Dez Mandamentos. Agora te estou instruindo a cumprir o Sermão da Montanha, pois o Caminho espiritual é uma revelação mais alta: diz que não precisas de falar com Deus, senão apenas reservar pequenos períodos, durante o dia e à noite, para ouvi-Lo dentro de ti. Mesmo que não ouças literalmente uma voz, ao abrir os ouvidos a Deus e silenciar por um minuto ou dois, permitir-Lhe-ás encher o vácuo que formaste internamente.

Atenta bem para o que deves fazer, para formar este vazio expectante: logo ao acordar senta-te confortavelmente, pés no chão, braços apoiados relaxadamente nas coxas, olhos fechados, sintonizando o Cristo interno em silêncio, escutando o intimamente por alguns minutos. Em seguida, lembra-te de que o dia que se estende diante de ti será governado e protegido por Deus. Serás então mantido e inspirado por Ele, porque abriste, anelante e conscientemente, tua consciência à Presença e Direção de Deus. Mas se não fizeres a  cada manhã, fielmente, teu contato com Deus, o teu encontro com o mundo será como de um ser humano comum, sujeito a todas as surpresas e desencontros da vida, sem a assistência divina. Em tua idade atual, com o preparo que já recebeste aqui, estás apto a quatro pequenos exercícios diários: de manhã cedo, ao meio-dia, ao anoitecer e antes de dormir. Sentado, relaxado e quieto, podes dedicar dois minutos de cada vez a Deus. Inicialmente, para facilitar, podes mentalmente dizer: “Aqui estou, Pai. Fala que teu filho escuta. Desejo fazer a Tua vontade”. Em seguida, aquieta-te. Se fores fiel nesta prática, garanto que tua vida na universidade e de modo geral, será um sucesso e ainda, mais do que isso, uma bênção. Estarás preparando os fundamentos para uma vida inteiramente governada por Deus. Procure estar em harmonia com teus colegas em tudo que seja bom. Se te convidarem a cerimônias religiosas, sugiro que os acompanhes. Entra em cada templo com a mente aberta, agradecendo à oportunidade de aquietar e ouvir a “pequenina e silenciosa voz”.

Não te esqueças de que a sintonia com Deus é mais importante que o ritual. A união com os colegas no que seja construtivo suscita o bem, embora o verdadeiro bem te venha porque reconheces a graça e a glória de Deus em tudo e em todos. A coisa mais importante que desejo sublinhar-te é que, em qualquer instante do dia ou da noite, Deus é instantaneamente acessível. Basta que O sintonizes e ouças. Enfatizo este ponto para que compreendas que não precisas falar, de fazer afirmações ou lembrar a Deus tuas necessidades. O segredo que recebi é que Deus, como Inteligência infinita, já conhece tuas necessidades, antes mesmo de Lhas pedires. Ele vê nosso íntimo quando Lho abrimos em atitude receptiva e confiante. Não é por nosso falar ou pensar, pois o Mestre ensinou: “não vos preocupeis por vossa vida, pelo que tendes de comer: nem por vosso corpo, pelo que tendes de vestir. Vosso Pai sabe que necessitais destas coisas. É do bom agrado dEle dar-vos todas elas”. Compreendes, Sammy? É do agrado do Pai dar-te o Reino! Deus não te castiga quando te arrependes sinceramente do erro ou pecado que acaso cometas. No instante em que reconheces que não agiste bem, estás perdoado. Não carregarás a penalidade quando em teu coração vibra o reconhecimento do mal que fizeste e te arrependeres. Mas deves compreender que ao reconhecer as falhas, não deves repeti-las. Caso contrário, perderás a sintonia com a graça divina. Tu mesmo é que te cortas dela. Quando isto acontecer, procura reatar com a graça, reconhecendo verdadeiramente: “Sei que errei!” Ou talvez: “Não sei se agi erradamente, mas se o fiz, ajuda-me a compreender e limpa isto de mim, Pai. Não tive má intenção. Não quero fazer o mal. Ao contrário, desejo fazer aos outros o que gostaria que me fizessem”.

Dessa maneira te purificas. Tenho-me curado de diversas enfermidades, pedindo simplesmente a Deus perdão por meus pecados. É claro que meus pecados não são graves. Conheces nosso modo de viver. Mas sempre que cedemos à crítica e condenação, não estamos amando e perdoando suficientemente. Assim, é recomendável que nos voltemos de vez em quando e digamos: “Reconheço, Pai, que não estou agindo perfeitamente. Perdoa meus pecados. Limpa as minhas transgressões, para eu começar tudo de novo”. Grava bem, Sammy, a mais importante lição que me foi dada: “que o lugar em que estás é solo santo”, ou seja, Deus está exatamente onde estás, disponível, no instante em que páras de pensar, de falar e de te identificar com as coisas externas, e te voltas ao íntimo, reconhecendo-Lhe o Poder e a graça. Conscientiza o Espírito de Deus em ti e, em seguida, relaxa-te por um ou dois minutos, deixando que Ele Se manifeste. Isto é tudo. Todo o nosso propósito é de levar as pessoas à realização da onipresença de Deus e sua constante disponibilidade; de nos dirigir a Ele sem pensamento nem palavras: basta a humildade de sentar-nos (ou mesmo em pé ou deitado), fechar os olhos e reconhecer: “Eu, de mim mesmo, nada posso. O Pai, em mim, é Quem faz as obras. Fala, Senhor, que teu filho escuta”. Em seguida, aguardar um ou dois minutos em silêncio expectante, antes de levantar e prosseguir com as tarefas. Se aprenderes a praticar corretamente este exercício quatro vezes ao dia, como lhe estou sugerindo, não demorará muito para que o faças mais vezes ao dia, para teu inteiro benefício.

REVELAÇÃO OU DOUTRINAS?

Dárcio

A Revelação de Jesus Cristo é transcendental, ou seja, fala do Reino de Deus e da real natureza de todos nós como filhos de Deus, idênticos a ele. Eis por que sua oração (João 17; 11) é no sentido de que “sejamos todos um”. Ciente de nossa real identidade, disse:: “Sede perfeitos, como vosso Pai celestial é perfeito”. (Mateus 5; 48).

Que fizeram muitas religiões e doutrinas? Criaram um Jesus Cristo separado, em vez de uno conosco! Se, de um lado, pregam a “comunhão”, de outro, enfatizam a separatividade, considerando-o diferente e superior a todos nós, julgando-nos “pela carne”, materialmente! Uma contradição absurda! E que atua hipnoticamente como crença coletiva há séculos!

Uma gota de água pode entrar “em comunhão com outra”, pois ambas são idênticas em qualidade ou natureza! Óleo e água já são coisas distintas! Você somente “entra em comunhão” com o Pai e com Jesus Cristo ao se contemplar como já sendo de IDÊNTICA NATUREZA, EM UNIDADE!

Observe o que diz a Revelação encontrada em I João 1; 1.

“O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que temos contemplado, e as nossas mãos tocaram da Palavra da Vida. (Porque a vida foi manifestada, e nós a vimos, e testificamos dela, e vos anunciamos a vida eterna, que estava com o Pai e nos foi manifestada.). O que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco, e a nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo. Estas coisas vos escrevemos, para que o vosso gozo se cumpra.”

A Verdade ensinada por Cristo é a de que temos um Pai comum: DEUS!. Se você se dispuser a deixar de lado as religiões e doutrinas apagadas, trocando-as pela Revelação, fechará os olhos para o “mundo da matéria” e se verá espiritualmente em Deus, igualzinho a Jesus! Perceberá internamente sua “comunhão real com o Pai”, numa proporção sem limites! Comunhão é comunhão! UNIDADE! Não há meios-termos! Ou VOCÊ é, JÁ, da mesma natureza que Jesus Cristo, e, de Deus, e, portanto, JÁ ESTÁ em “comunhão”, ou está se avaliando “pelas aparências”, negando toda a Revelação iluminada, e se vendo como mortal, mero “filho pródigo” nesta ilusão de mundo!

A Revelação o coloca em “comunhão eterna”, dando-lhe o discernimento da Onipresença! Pai e Filho são a “unidade harmoniosa”. Doutrinas mil complicaram tudo! Que, em nome da Verdade, sejam abandonadas! Cristo não o saturou de “doutrinas”, mas da Revelação de sua Unidade, da Essência Una, da prática do perdão incondicional e do Amor a Deus e ao próximo! E, principalmente, incentivou-o a “buscar o Reino de Deus” em você mesmo, e em “primeiro lugar”. Detenha-se nestes pontos!

“MAS EM VÃO ME ADORAM, ENSINANDO DOUTRINAS QUE SÃO PRECEITOS DOS HOMENS.”
Mateus 15; 9

PREOCUPAÇÃO

Dárcio

Toda preocupação tem sua origem na seguinte crença falsa: alguém vivendo uma vida que seja outra vida, apartada ou separada da Vida que é DEUS! Realmente, a Vida ÚNICA, em atividade, é a Vida que é Deus. Portanto, antes de se angustiar com supostos problemas, medite e reconheça a Verdade:

Minha Vida é Deus vivendo!

Assim que discernir internamente este fato real, VOCÊ saberá que Deus, sendo SUA VIDA. sabe cuidar de Si mesmo! E é quando a ILUSÃO de problema começa a se dissipar!

VOCÊ E DEUS SÃO UM! Por isso, disse Cristo: “Não temais, pequenino rebanho, é do agrado do Pai dar-vos o Reino”.

O AMOR NÃO BUSCA O PRÓPRIO INTERESSE

Joel S. Goldsmith

O amor não anseia por retorno ou recompensa; assim, se algo que porventura v. faça contiver qualquer desejo de recompensa, reconhecimento, gratidão, aquilo se torna um trato, nunca amor.
 
Quando duas pessoas  dizem se amar e assumem  atitude do tipo: “Você fará isto, enquanto eu farei aquilo”, saibamos que isso não é amor. É um acordo. Amor é o que uma pessoa sente e executa sem o mínimo sinal de expectativa ou desejo de recompensa.
 
A melhor forma de  ilustrar isso está em pensar no que fazemos por nossos filhos. Certamente não teríamos a intenção de fazer algo por eles na esperança de receber gratidão. Não. Faríamos por aquilo ser nossa função como pais.
 
Se você conseguir expandir a mesma atitude com relação a todos, poderá eliminar de seus relacionamentos humanos todo tipo de discórdia. Os conflitos não surgem exatamente por você aguardar algum retorno decorrente do que tenha feito? Ficando nessa expectativa, estará violando a lei espiritual.
 
Tudo  que deve lhe chegar na vida, deve provir de Deus e não de homens— tudo. Deve ser, para você, privilégio e alegria fazer todo o trabalho que lhe for dado com o máximo de sua capacidade, não por recompensa, reconhecimento, gratidão, mas porque ele deve ser feito, e a única forma de você se realizar será fazendo-o dando o máximo de si.
 
Sua recompensa, sua compensação e a harmonia de sua vida devem vir de Deus, não de homens. Assim, se alguém retiver gratidão, reconhecimento ou recompensa, estará prejudicando a si mesmo, e não a você. A gratidão é um dos maiores atributos do amor, e uma pessoa que não estiver repleta de gratidão estará vazia de amor, que, na verdade, significa estar vazia de Deus. Uma pessoa que não é grata, que não colabora, que não compartilha nada, nunca está prejudicando a outra pessoa. Estará prejudicando somente a si própria.
 
No meu entender, tudo que fazemos deve ser feito pela realização de Deus como nosso próprio ser. Um funcionário que se dirigir ao local de trabalho, esquecido de patrão, esquecido do valor do salário, executando tudo com o máximo de sua habilidade, logo estará sendo considerado indispensável, e terá sua recompensa. Se ela não lhe chegar naquele emprego, virá em algum outro, porque caso o empregador atual não esteja apto para a notar este seu talento e bom desempenho,  outro surgirá para fazê-lo, e acabará por contratá-lo. O ponto principal é que ninguém deve, jamais, trabalhar meramente com a expectativa de ser recompensado, pois sua recompensa poderá vir de outra direção.
 
O mesmo é válido nos lares: ninguém deve fazer as coisas somente por reconhecimento ou gratidão, mas por aquilo ser o que lhe cabe fazer, e  deverá ser feito ao máximo de sua capacidade, na certeza de que a recompensa e reconhecimento vêm de Deus e não de homens.

Relacionamentos harmoniosos podem ser mantidos somente nessa base. Se você investir em cada relacionamento o que lhe é devido,  a harmonia é obrigada a vir acrescentada.

SEU CORPO REAL É DEUS!

Dárcio

Quando a Bíblia revela que “somos o Templo de Deus e o Espírito de Deus habita em nós”, não está, é óbvio, se referindo à ILUSÃO chamada “corpo carnal”, que é puro NADA, uma imagem hipnótica! De que adianta sabermos disso? Apenas intelectualmente, de nada adianta! Porém, se VOCÊ fechar os olhos para contemplar a Luz do Verbo divino Se expressando como a Forma de seu Corpo, completamente alheio a quaisquer supostas imperfeições das aparências, discernirá a Verdade: O VERBO SE FAZ CORPO, UM CORPO DE LUZ E PERFEIÇÃO INFINITAS, E ESTE CORPO JÁ É O SEU CORPO!  O SEU ÚNICO CORPO! Ele já era o seu Corpo antes da ILUSÃO gerar a aparência de nascimento! E já é o seu Corpo que será eternamente o seu Corpo. Nunca muda! Perfeito sempre! “Glorifique a Deus em SEU CORPO”, escreve Paulo! Seu Corpo real é DEUS!

TORNANDO PERFEITAS AS PESSOAS PRÓXIMAS

Masaharu Taniguchi
Se advertirmos as pessoas da família ou do nosso redor para que corrijam os seus hábitos ou vícios indesejáveis, muitas vezes fazemos com que se revoltem e podemos até dificultar-lhes a correção. Nesses casos é melhor confiar tudo a Deus. Deus é onipotente e quando se entrega totalmente ao domínio de Deus, apagam-se todos os maus hábitos, produtos de inclinação egoística do homem. Qualquer que seja a sua aparência externa, devemos negar o aspecto mau como a falsidade ideada pela nossa ilusão, deixar de ver o próximo com espírito de crítica ou censura e reverenciá-lo do fundo da alma dizendo:
“Ele já é filho de Deus e, estando sob
a orientação de Deus, é perfeito
assim como Deus é”.

INDAGAÇÕES

DÁRCIO

Nas meditações contemplativas, o mais importante é a mente ficar serena e receptiva às revelações. Para que pensamentos intrusos deixem de atrapalhar, use indagações! Pergunte à sua Consciência: Que é Deus? Que é o Corpo? Que devo saber agora? Se alguma outra questão lhe vier à mente, use-a! Mas faça uma indagação por vez e não queira respondê-la com a mente! Faça-a e fique atento à atividade espontânea de SUA Consciência iluminada!

CURA PELO CRISTO

DÁRCIO

Estudar a Verdade significa SER a Verdade, através da contemplação da Ação divina SENDO a Vida que VOCÊ já é. Enquanto v. se julgar um ser do mundo material, estará simplesmente se oferecendo às crenças falsas sobre o Universo e sobre VOCÊ. Comumente, as aparências agradáveis, por simularem prazer ao ego, são ansiosamente buscadas, enquanto as consideradas desagradáveis são repelidas com anseio multiplicado! Você deve transcender tudo isso, buscando unicamente o discernimento do Reino absoluto da Verdade, já presente em VOCÊ desde o princípio. O Reino de Deus já está em VOCÊ! Pode-se chamá-Lo de Consciência iluminada, Cristo, Eu Absoluto, etc. O importante é saber que Ele já existe e já está acessível exatamente AGORA. O acesso ao Reino não depende de mérito ou esforços humanos: é um Reino que nos está dado pela Graça.

Algo que existe não pode ser criado: pode somente ser percebido ou contemplado. Você terá de fazer é o seguinte: PERCEBER ou CONTEMPLAR este REINO já presente em VOCÊ. Como fazer isso? Através da “Prática do Silêncio”. Os requisitos são: constância, dedicação, ausência de esforços da mente humana, e uma certeza absoluta de que o REINO está sendo revelado. Para tanto, você deve assumir “ter a mente de Cristo” e ficar bem alerta!

Dissemos que o Reino de Deus já existe em nós; entretanto, que vem a ser este suposto mundo visível? Já estamos no Reino de Deus e este Reino já está em nós. A mente humana pode ser entendida como uma espécie de “filtro”, formado pela condensação de crenças falsas coletivas, a se interpor aparentando distorcer a Realidade sempre perfeita do Reino divino. São estas imagens distorcidas, todas falsas, que são vistas como sendo este suposto “mundo material”.

Todos os acontecimentos e pessoas são a Perfeição absoluta já manifesta; mas, ao serem vistos através do “filtro mental”, se mostram como imagens tridimensionais distorcidas, causando-nos a impressão de que as “imperfeições”, que são uma ILUSÃO, são reais e passíveis de serem “consertadas” pela Verdade. Ocorre, porém, que o Universo é todo perfeito! “Ver” através desse “filtro”, e discernir esta Perfeição onipresente: eis o objetivo das contemplações.

Na suposta vida humana, confundem-se conceitos mentais (imagens distorcidas pela mente humana) com a Realidade. As meditações contemplativas são feitas para que você possa reconhecer que unicamente o REINO PERFEITO existe e está manifesto. Assim, são transcendidas as aparências e suas ilusórias leis. A chamada “lei de causa e efeito, por exemplo, é uma delas. Nada que leve em consideração alguma mudança faz parte da Obra permanente e perfeita de Deus. Estas supostas leis nunca poderiam coexistir com a Lei de Deus, que é a Lei do Amor e da Harmonia infinitos. Desfeita a ilusória crença em castigo divino, lei de causa e efeito, etc., você dá testemunho de estar vivendo a Vida pela Graça. É esta a mensagem de Cristo. Portanto, a correta meditação é fundamental nesse trabalho. Fazendo uma analogia, podemos entender a meditação como constituída de três fatores: 1. A Luz do Cristo, 2. o “filtro” chamado mente humana, e 3. a contemplação da ação da Luz incidindo na mente. Comparemos este processo com a colocação de uma vasilha com água sobre a chama acesa, para que ela entre em ebulição (fervura). A ação é causada pela chama; a água é o componente sem ação própria, e, a visão do observador é a que simplesmente contempla a “ação global”. Algo parecido se dá durante a meditação: a “chama” é a Luz do Cristo , já acesa dentro de você; a água corresponde à mente humana, que receptiva e passiva, aguarda a entrada em ebulição sob a ação do Cristo. A contemplação da Verdade é a condição natural de sua Consciência iluminada, que percebe a Si mesma em total atividade, enquanto, aos olhos do mundo, as crenças falsas se dissipam e vão revelando o que sempre foram: puro nada! Miragem!

A compreensão dessa analogia elucida o mecanismo correto a ser praticado durante as meditações, bem como os seus aspectos principais, já citados, e que repetimos abaixo:

a) constância

b) dedicação

c) estado de escuta interna, em condição alerta

d) ausência de esforços mentais humanos

e) convicção absoluta de que o Reino já existe, pronto e acessível imediatamente pela Graça de Deus

Este processo contemplativo explica a “Cura-pelo-Cristo”, ou seja, você passa a entender que todos os seres já são perfeitos, à imagem e semelhança de Deus, e que na verdade, jamais ocorrem milagres ou curas, mas tão somente um DISCERNIMENTO da Realidade, uma REVELAÇÃO de sua real e eterna identidade, que é DIVINA!

"EXPRESSÃO DE RUA"

Dárcio

Se alguém tem interesse em saber qual foi a qualidade de sua meditação matinal, basta verificar com que expressão sai às ruas rumo ao novo dia. Se está de cara amarrada, tenso, pensando nos problemas que vai ter que resolver a partir daquele instante até voltar, pode ter certeza de que esta meditação foi só tempo perdido. Por outro lado, se nota que sai de casa com uma alegria interior bem sem explicação lógica, vendo o que o dia lhe está oferecendo, enquanto ele próprio oferece uma expressão de amor. alegria e descontração às pessoas que encontra, pode ter certeza de que a meditação foi um sucesso! A meta não é a meditação! A meditação é só um meio para discernirmos a Verdade. Que verdade seria? A de que DEUS É TUDO! E que cada um de nós é o próprio Deus Se expressando como o nosso ser, nosso dia e nossos contatos! Nossa “expressão de rua” é excelente “controle de qualidade” destas nossas meditações! “Pelos frutos os conhecereis” , disse Cristo.

METAFÍSICA

Dárcio

Quando Cristo disse: “Sois a Luz do mundo”, e “deste mundo não sois”, explicava a Verdade Absoluta sobre VOCÊ! Explicava que ser metafísico não signfica  um humano estar estudando ensinamento espiritual! Revelava o que VOCÊ JÁ É! Como Deus é a “Luz do mundo” e como Deus “não é deste mundo”, ele estava revelando que DEUS É VOCÊ!

Que significa ser”metafísico”? A palavra “metafísica”  quer dizer “além da matéria”, ou seja, em termos absolutos, significa ser DEUS, LUZ, ESPÍRITO, VIDA ETERNA!

Feche os olhos e se veja como metafísico! SEM matéria, já “além da física”, em Deus, e sendo DEUS! Esta percepção é a Verdade revelada”

"ONDE ESTÃO TEUS ACUSADORES?"

Dárcio

A mente humana crê na alucinação imaginada por ela. Assim, uma inexistência chamada “vida terrena” ilude a maioria, através de quadros repletos de imperfeições, problemas e mudanças, enquanto ao mesmo tempo, e de modo contraditório, é reconhecido que “Deus é Onipresente”. A revelação absoluta de que Deus é a única Realidade, única Presença, para esta mente falsa, é pura “loucura”, conforme disse o apóstolo Paulo. E dentro desse dualismo de  acreditar em Deus e nos “sonhos” da visibilidade, segue a raça humana deixando de desfrutar a própria herança divina com as bem-aventuranças plenas. Sempre a expectativa de melhoria é vista como possibilidade futura, e nunca como ALGO AGORA PRESENTE!

Enquanto a “alucinação coletiva” não ceder lugar à Realidade já manifesta, seus ilusórios frutos, exatamente como simples pesadelos, irão nos atormentar . Qual é a “alucinação”? O suposto “mundo visível” ou o Reino de Deus? Para a mente humana, um Reino já perfeito e único, já disponível aqui e agora igualmente para todos, é visto como “alucinação” de místicos visionários! Já para os mestres de todos os tempos, a “alucinação” é exatamente tudo aquilo que é visto pela mente humana!

A Bíblia nos mostra  Jesus Cristo sempre sendo contestado pelo mundo. Mas a Verdade por ele revelada, desafiando todos os obstáculos, AQUI permanece, à espera de alguém disposto a deixar de lado puras MIRAGENS para realmente conhecer a Realidade já presente. Os fariseus disseram a Jesus: “Tu testificas de ti mesmo; o teu testemunho não é verdadeiro“. Como resposta, ouviram as palavras iluminadas: “Ainda que eu testifico de mim mesmo, o meu testemunho é verdadeiro, porque sei donde vim, e para onde vou; mas vós não sabeis donde venho, nem para onde vou. Vós julgais segundo a carne, eu a ninguém julgo. E, se na verdade julgo, o meu juizo é verdadeiro, porque não sou eu só, mas eu e o Pai que me enviou…se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai”.

O “julgamento divino” transcende os quadros deste mundo, desconsiderando completamente as “alucinações” aceitas como reais pela mente humana. Este “julgamento que a ninguém condena” é o do próprio Deus vendo a Si mesmo como  a TOTALIDADE da Existência. Nesta Visão absoluta da Realidade, quem seria acusado? Onde existiriam acusadores? Em lugar algum! Portanto, no lugar das culpas, condenações e recriminações que parecem existir, o que há de fato é a Verdade divina, amorosa e libertadora. Este é o “testemunho verdadeiro” que, segundo Jesus, não julga “segundo a carne”. No relato bíblico encontrado em João 8:11, podemos observar que no exato instante em que a mulher acusada  reconheceu que “ninguém a acusava”, ficou LIBERTA! Reconhecer que “ninguém nos condena” é despertar para o fato de que Deus é Onipresença; é reconhecer que a Mente ÚNICA, exatamente por ser única, a NINGUÉM julga! Reconhecer que a Mente ÚNICA é a “nossa” Mente!

Sejam quais forem os chamados “erros”, do passado ou do presente, eles nunca realmente existiram nem existem, a não como ser como “alucinações” da mente humana. Este despertar, tido pelo ladrão ao lado de Jesus, permitiu-lhe ouvir as libertadoras palavras: “Hoje estarás comigo no paraíso”.  Palavras válidas para VOCÊ!

Assim como uma “alucinação de incêndio” não pode ser combatida por bombeiros, a “alucinação” de problemas ou de imperfeições não pode ser desfeita mediante “ações deste mundo”. A “alucinação” é combatida pelo restabelecimento da “mente normal” da pessoa que, iludida, ali reconhecia um incêndio ilusório. De modo idêntico, quando as culpas e acusações deste mundo forem dissipadas pelo “restabelecimento” de nossa mente NORMAL, ou seja, a “Mente de Cristo”, teremos “conhecido a Verdade que nos torna livres”.  Que isto se dê AGORA!

EU versus EGO

Dárcio

É intuitivo que o Universo inteiro seja regido por uma só Mente, ou seja, Deus. Se VOCÊ meditar, contemplando a Onisciência dessa Mente única, sem forçar nada, apenas permanecendo na suave ação de testemunhar esta Mente sendo a SUA, a ilusão da existência de “ego a ser transcendido” é desfeita pela própria Verdade. É por isso que as contemplações silenciosas valem  mais do que mil leituras! Elas propiciam o discernimento iluminado! Jamais há “outro” (ego) ao lado de MIM (Cristo). No ensinamento absoluto, não há auto-recriminações, auto-análises nem lutas com o suposto ego. Há uma total entrega à Verdade absoluta de que Deus, a Mente única, é a sua Mente atual. Sim, a Verdade já é esta!

A DEDICAÇÃO CERTA

Dárcio

Enquanto uma pessoa comum, diante de um problema, se empenha por resolvê-lo apenas humanamente, quem conhece os princípios espirituais trabalhará com eles antes de qualquer atitude “neste mundo”. Todos os problemas são imagens ilusórias que tentam nos induzir a acreditar que a HARMONIA ONIPRESENTE está ausente em algum setor de nossa vida. Claro, esta sugestão é FALSA! Assim, a DEDICAÇÃO CERTA está em VOCÊ fechar os olhos, reconhecer e contemplar esta HARMONIA UNIVERSAL PERENE, em seguida contemplar que NELA JÁ ESTÁ INCLUSO, até não mais perceber o “peso da crença ilusória” sobre você. Daí, sim, poderá dar os passos inspirados para agir. Em tudo vale a máxima de Cristo: “Buscai, em primeiro lugar, o Reino de Deus e a sua justiça, e todas as demais coisas nos virão por acréscimo”. Dentre elas, a solução espontânea dos aparentes problemas da vida.

MUDANÇA

Unidade

Mudança: a própria palavra pode se tornar um desafio para algumas pessoas. A mudança pode criar em nós um estado de expectativa e entusiasmo, ou uma sobrecarga de insegurança. Porém, quem está alicerçado em Deus, após o primeiro impacto, logo se refaz. Posso me perguntar: Será que estou sendo estimulado a uma mudança? E se eu não mudar? E se mudar muito?

Aqui entra o valor da prece e da confiança em Deus, que nos assegurará serenidade, coragem e inspiração. Ele nos dá flexibilidade, desapego e novos objetivos, e nos ensina que tudo é um meio para que possamos extrair do evento a experiência necessária para nosso crescimento espiritual.

Ao observarmos as mudanças das estações percebemos que, em determinada época, as folhas das árvores caem, elas se despem, sem nenhuma reclamação ou apego. Sabem que entrarão num novo ciclo e que a “grande vida” continua em ação ocultamente, e que no momento certo serão revestidas de novas folhas viçosas e brilhantes. Assim acontece com cada ser que aceite as mudanças e expresse mais o seu potencial divino. Seja através de um planejado processo na vida ou por um evento inesperado, elevo louvor e graças ao Altíssimo, pela certeza da expansão de minhas aptidões e pelos desfechos positivos e brilhantes que a mudança me trará.

ONIPRESENÇA

DÁRCIO

Deus é Onipresença. Esta mensagem é curta para que você pare de ler logo, feche os olhos e reconheça o fato eterno:

 DEUS É TUDO E TODOS JÁ!

 Contemple esta Verdade! Contemple a Unidade iluminada sendo a totalidade do Universo e de seu ser. Pense. de início, o seguinte:

“Pai, torma-me consciente da Tua Onipresença! Torna-me consciente de que Tua Onipresença inclui a totalidade do meu ser.”

Em seguida, “deixe” a Consciência Iluminada ser a SUA!

"AMAI, POIS, A VOSSOS INIMIGOS"

Dárcio
Um dicionário assim define “inimigo”:  adverso, contrário, hostil!  O princípio das artes marciais é o da Unidade, ou seja, se “o inimigo” for compreendido como “extensão” do nosso próprio ser, ele não nos conseguirá atingir! Seria como se a mão direita se defendesse de um soco dado pela mão esquerda!
O mundo moderno vive escravizado pelo medo! Vê “inimigos” por toda parte! Porém, se for entendido espiritualmente o sentido de “amai, pois, a vossos inimigos”, a crença em “inimigos” será desfeita: e, sem “inimigos”, não teremos a quem temer!
“Mas a vós, que ouvis, digo: Amai a vossos inimigos, fazei bem aos que vos aborrecem, bendizei os que vos maldizem e orai pelos que vos caluniam. Ao que te ferir numa face, oferece-lhe também a outra; e, ao que te houver tirado a capa, nem a túnica recuses. E dá a qualquer que te pedir, e, ao tomar o que é teu, não lho tornes a pedir. E como vós quereis que os homens vos façam, da mesma maneira fazei-lhes vós também. E, se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? Também os pecadores amam aos que os amam. E, se fizerdes bem aos que vos fazem bem, que recompensa tereis? Também os pecadores fazem o mesmo. E, se emprestardes àqueles de quem esperais tornar a receber, que recompensa tereis? Também os pecadores emprestam aos pecadores, para tornarem a receber outro tanto. Amais, pois, a vossos inimigos, fazei bem e emprestai, sem nada esperardes, e será grande o vosso galardão, e, sereis filhos do Altíssimo; porque ele é benigno até para com os ingratos e maus.”
LUCAS  6; 27,35.
Jesus está, aqui, abolindo o “julgamento pelas aparências”. Não  nos incita a ser “bondosos  seres humanos”, praticando “caridade”. Fala de algo bem maior: da abertura de nossa visão espiritual, a visão capaz de discernir a presença de Deus em todas as pessoas! Somente assim, todas elas serão verdadeiramente discernidas como “extensão” de nossa própria vida!
Precisamos nos acostumar com esta condição de “Filhos do Altíssimo”, pois somos co-herdeiros de todas as riquezas celestiais. Jesus, neste trecho, ensina-nos, também, a contar somente com a Fonte interna de suprimento. “Porque ele (Deus) é benigno até para com os ingratos e maus”. Por sermos Filhos do Altíssimo, “tudo que é do Pai nos pertence”, e isto deve ser reconhecido em oração.
As demais pessoas não “pertencem também ao Pai”?Então,  todos nos pertencemos uns aos outros, em Unidade eterna. Esta compreensão gera o entendimento  que é Amor! Com este Amor, o que Jesus recomenda que façamos,  será naturalmente feito! E, será feito também com sabedoria! Amaremos a todos como “partes” de nosso próprio ser e como “partes” de Deus!
Isto deveremos praticar: sem nos apegarmos ao “dar, emprestar ou receber” do mundo visível, mas em constante comunhão com o Pai, reconheceremos estar desfrutando da plenitude da Graça espiritual  onipresente;  o mundo visível, como reflexo, se nos ajustará também em harmonia.

NÃO ESMOREÇA!

ALLEN WHITE

Seja qual for o problema, sua única necessidade reside em perceber que “ele  não está ali realmente”, que ele não é presença nem poder. Volte-se interiormente e pergunte à sua própria Consciência, que é Deus:

Que é isto?
Deus está passando por isto?
Estou eu passando por isto?

Estas perguntas servirão de catalizador para que ocorra a Revelação Espiritual. Não lhe trarão bem algum, a menos que você fique ouvindo a resposta a cada questão. Em sua escuta, não se esforce para gerar respostas. Se elas não vierem na hora, persista até que venham. A Revelação “trará” sua própria recompensa: a Evidência (solução).

Enquanto isso, NÃO ESMOREÇA!

A Verdade atua sempre!

PRECE QUE FAZ A DIFERENÇA

Dárcio

O mundo visível não é existência sólida, mas apenas uma imagem mental que se forma através de sua freqüência mental, pela atração ou sintonia com tudo e todos de freqüência similar. Eis por que uma prece sincera e profunda, mesmo de curtíssima duração, pode alterar todo o conteúdo de seu dia! Com ela, a ação de Deus é reconhecida, o reconhecimento, por sua vez, elevará a freqüência de sua mente, e esta elevação, atraindo o semelhante também mais elevado , lhe criará um dia bem melhor do que você teria, caso a prece não tivesse sido feita. De fato, se entender isso, saberá o porquê de  toda prece fazer a diferença.

Medite:”Pai, abro-me à Tua ação em mim! Eleva-me à percepção da Tua Presença como sendo a minha”.

E então, aguarde, por alguns segundos, que esta ação espiritual se dê em VOCÊ! Perceba-a! Dê testemunho dela!

O OBJETIVO DA VISÃO

MARIE S. WATTS

 A Visão perfeita cumpre seu objetivo vendo com perfeição, aqui e agora. Este é seu objetivo. Os olhos tem sido considerados “veículos” ou “instrumentos” da Visão, mas isso é errado: os olhos são a Visão em si! A Substância dos Olhos é Consciência. O objetivo da Consciência é estar consciente, é perceber. Assim, a Substância dos Olhos é a Consciência que percebe ou vê. Tenha esta certeza: ver é o objetivo dos Olhos, distinguir as variadas Essências e Formas sob as quais a Consciência Se evidencia. Somente desse modo a Substância chamada Olhos cumpre seu objetivo. Toda a Substância dos Olhos consiste de Visão, Consciência que vê ou percebe variados aspectos da Substância na Forma; e esta Visão na Forma, chamada Olhos, é que distingue cada uma das variedades presentes. Há distinção entre as Formas vistas, mas não há separatividade. Para o limitado conceito humano de visão, a substância aparenta estar separada em partículas e porções de si mesma.
 
     Notamos que a Presença da Consciência, a Substância que vê, não exclui a Presença da Mente, Vida ou Amor. O que vê ou percebe é a Consciência; o que discrimina ou faz a distinção dos objetos vistos é a Mente, ou a Inteligência. É a Vida a Atividade de ver; e é o Amor a Perfeição, a harmonia perfeita, tanto da Visão que vê como do objeto sendo visto. Ver como a Visão que é Amor, é ver sempre a Perfeição.
 
     Consciência, Mente, Vida, Amor, são inseparavelmente UM. A Substância do Olho que vê, é a Consciência viva, inteligente e amorosa. A Vida é a atividade; a Mente é a Inteligência; o Amor é a Unidade harmoniosa indivisível; a Consciência é a Essência da Visão perfeita e eterna.

Back to Top
×

Curtir no Facebook