A REVELAÇÃO DA SEICHO-NO-IE -2

A REVELAÇÃO
DA SEICHO-NO-IE
Dárcio
.
Parte II
.

“Isto é a Grande Vida”.

.

Se alguém entender que “contemplar Deus” é algo diferente de “contemplar a SI MESMO”, acreditando ser Deus uma Vida apartada da Vida de todos nós, este dualismo poderá comprometer toda a eficácia da meditação. “Deus é Vida que permeia o Universo”, diz a revelação; assim, ela fala da Vida única, a sua, a minha e a Vida de todos, já presente, todo-abrangente, e manifesta como a Vida individual de todos nós. “Isto é a grande Vida”. Portanto, esta meditação é feita para reconhecermos as qualidades da natureza de Deus como sendo as mesmas qualidades do Eu absoluto que já somos. Em vista disso, a Seicho-no-Ie ensina que mentalizemos: “Sou Filho de Deus perfeito e harmonioso”; ela parte desta posição absoluta, real e transcendente às impressões falsas ou ilusórias captadas pela mente humana.

“Deus é Verdade, Luz, Sabedoria, Amor absoluto”; logo, ao meditarmos, estaremos já na posição transcendental com relação aos “seis sentidos”, quando, então, testemunharemos a Presença de Deus sendo a Verdade que somos, a Luz que somos, a Sabedoria que somos, o Amor absoluto que somos. Será preciso lidar com cada aspecto de Deus separadamente? O ideal é fazermos isso, pois a mente que somos, sendo a Mente divina que engloba em unidade todos os atributos de Deus ao mesmo tempo, poderá ser discernida com ênfase para o aspecto que, aparentemente, mais nos parecer necessário em dado instante. O mais importante é sempre estarmos conscientes de que “o que é válido para Deus, é  igualmente válido para o Eu que individualmente somos”.

“O homem é Filho de Deus, perfeito e harmonioso” – assim ensina a Seicho-No-Ie. A resposta de cada um à Verdade sobre ele, assim revelada, é o que determinará seu maior ou menor aproveitamento desta gloriosa revelação. Se a mente estiver totalmente aberta e receptiva, com o “coração de criança” que, sem reservas ou filtros mentais, acata a Verdade e com Ela se identifica e se “unifica”, com facilidade será discernido, espiritualmente, que já somos o “Eu transcendental”, aqui e agora. Por que é dito que somos “Filhos de Deus” e não o próprio Deus, uma vez que a revelação diz que Deus é a “Vida que permeia o Universo”?



Continua..>
*

A REVELAÇÃO DA SEICHO-NO-IE-1

A REVELAÇÃO
DA SEICHO-NO-IE
Dárcio
.
Parte I
.

“O Deus da Criação transcende os cinco sentidos
e também o sexto sentido; sagrado, supremo, Infinito. Mente que
permeia o Universo. Vida que permeia o Universo;
Verdade, Luz, Sabedoria, Amor absoluto”.

.

Conhecer a natureza de Deus é conhecer quem somos. Se Deus transcende os cinco sentidos, e também o sexto, a condição atual e eterna de nosso ser é a mesma. A mente que discerne o mundo e o ser que somos, segundo as impressões dos seis sentidos, apenas capta o que Deus não é; portanto, o que nós não somos.

Se é revelado que Deus é sagrado, supremo e infinito, o valor da revelação está em ela poder  nos ser útil para que transcendamos de imediato os seis sentidos que captam o que não é real para nos discernirmos já identificados com a Verdade: Deus é sagrado, Eu sou sagrado; Deus é supremo, Eu sou supremo; Deus é infinito, Eu sou infinito! Isto porque “Deus é Espírito que permeia o Universo, Vida que permeia o Universo, Verdade, Luz, Sabedoria, Amor absoluto”.

Você, portanto, somente é aquilo que Deus é; mesmo que os “seis sentidos” captem algo sobre você, eles captam exatamente o que você não é. Eis por que dá-se o nome de “mente ilusória” à suposta mente que capta apenas irrealidades. Quando falamos em “transcender os seis sentidos”, falamos de nos identificar plena e unicamente com o que Deus é. Deus já transcende os seis sentidos, ou seja, nada do que eles supostamente captam é reconhecido por Deus. Quando vamos direto a esta Verdade, fazendo total e direta contemplação do fato de que “Deus e Homem são um”, podemos dizer que “somos transcendentes”, aqui e agora. Para isso a Seicho-No-Ie recomenda a prática da Meditação Shinsokan, que quer dizer “Contemplar Deus”.

Continua..>

"EXPULSAI OS DEMÔNIOS"- 16 (Final))

“EXPULSAI
OS DEMÔNIOS”
Dárcio
16
Final
.
Uma vez aceito nosso verdadeiro estado, estaremos prontos para seguir crescentemente rumo à plena luz e revelação, ou seja, “contemplarão a sua face, e nas suas frontes estará o nome dEle. Então já não haverá mais noite, nem precisarão eles de luz do sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos séculos dos séculos”. Apoc. 22: 4-5.
Lillian De Waters

O importante, neste estudo, é a permanência no princípio revelado, de que DEUS É TUDO COMO TUDO, e que já estamos, TODOS, inclusos  em Sua Totalidade absoluta. Uma vez aceito nosso verdadeiro estado, estaremos prontos para seguir crescentemente rumo à plena luz e revelação, ou seja, “contemplarão a sua face, e nas suas frontes estará o nome dEle”.

“Uma vez aceito nosso verdadeiro estado”, diz a autora: este é o primeiro passo! Aceitar é assumir e contemplar, antes mesmo que a “aparência falsa” suma, que “em nossas frontes já está o nome de Deus”, ou seja, “Eu Sou”. Este é o “nosso verdadeiro estado sendo aceito”. A ilusória mente humana, para se manter em sua falsidade, chamaria de “blasfêmia” esta aceitação! Jesus foi apedrejado por causa disso!

“Respondeu-lhes Jesus: Tenho-vos mostrado muitas obras boas procedentes de meu Pai; por qual destas obras me apedrejais? Os judeus responderam, dizendo-lhe: Não te apedrejamos por alguma obra boa, mas pela blasfêmia; porque, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo. Respondeu-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: Sois deuses? Pois, se a lei chamou deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida (e a Escritura não pode ser anulada), àquele a quem o Pai santificou e enviou ao mundo, vós dizeis: Blasfemas; porque disse: Sou Filho de Deus?” João 10: 32-36

Entendamos que “a palavra de Deus nos é dirigida”! E “estaremos prontos para seguir crescentemente rumo à plena luz e revelação”, pela nossa permanência fiel a este princípio divino revelado! Assim, estarão sendo “expulsos todos os demônios”, mero acumulado de falsas crenças e que nos iludiam, por se fazerem passar por realidades!

“Então já não haverá mais noite, nem precisarão eles de luz do sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos séculos dos séculos”.
Apoc. 22: 4-5.

FIM

*

"EXPULSAI OS DEMÔNIOS"-15

“EXPULSAI
OS DEMÔNIOS”
Dárcio
15
.
“Se Deus é por nós, quem será contra nós?” Rom. 8; 31. Ninguém! Nada! Nada existe para se-Lhe opor! Nada para ser contrário! Nada para estar separado! A divina Consciência reina, e é tudo- em-tudo.

Conhecedor deste sempre-existente Fato da Existência,  Cristo ordenou: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura.” Mc 16; 15. Amados, obedeçamos ao nosso Redentor! Passemos a pregar o Evangelho da Unicidade e  Totalidade a todo aquele que possa ouvi-lo. Passemos a ensinar a Mensagem da Ontologia: Perfeição indivisível, Completeza, o Eu-Sou-estado-de-ser. Previnamos a todos  que deixem de pensar a partir da premissa de um homem em busca de seu bem; em vez disso, assumamos o correto estado do Ser, vivo por toda a Eternidade.
Lillian De Waters

.

Quando Jesus disse para colocarmos a “nossa Luz” no alto do alqueire, estava sinalizando o referencial absoluto da Boa-Nova. Ao lado da “LUZ”, que cada um JÁ É, nada há! Na posição “ascensionada”, a Luz que somos é UMA com a Luz Infinita! Nunca estivemos separados da Luz! Assim como não poderíamos estar apartados da Consciência que somos! Luz e Consciência são uma e a mesma coisa! Portanto,  “colocar nossa Luz no alto” significa abrir mão de todos os “nadas”, que compõem a nulidade chamada “existência humana”, para SER A LUZ!. Esta colocação de nossa Luz no alto é a compreensão de que DEUS É TUDO! “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” Rom. 8; 31. A autora emprega esta citação bíblica para reforçar o enfoque absoluto! “QUEM SERÁ CONTRA NÓS?” Nada nem ninguém!

Você deve contemplar o Universo de Luz com a sua Luz no Alto e  UNA com a Luz divina infinita! Contemple a Verdade de que, exatamente onde parecia haver “olhos humanos “vendo” um mundo material”, existe a Luz divina manifestada como a sua Visão iluminada! E vendo agora o Reino da Luz! Por certo, esta “prática contemplativa” foi   que deu a João a revelação que lhe possibilitou declarar: “Deus é Luz, e não há nele trevas nenhumas” (I João 1; 5).

Passemos a pregar o Evangelho da Unicidade e  Totalidade a todo aquele que possa ouvi-lo. Passemos a ensinar a Mensagem da Ontologia: Perfeição indivisível, Completeza, o Eu-Sou-estado-de-ser. “Pregar” o Evangelho da Unicidade e Totalidade significa SER, conscientemente,  a Unicidade e Totalidade que DEUS É! Como diz a autora: A divina Consciência reina, e é tudo- em-tudo.

*

"EXPULSAI OS DEMÔNIOS"- 14

“EXPULSAI
OS DEMÔNIOS”
Dárcio

14
Conheça seu Eu! Ame seu Eu! Quem está em todo o céu e a terra, senão seu Eu? Não diga “Eu Sou”, exceto em nome do Uno: o Eu que era; que é, que sempre será; em quem não há sonho nem oposição de qualquer espécie.
.
Eu sou Amor, Eu sou Entendimento, Eu sou Paz, Eu sou Abundância; igualmente presente em todo ponto. Eu sou a demonstração do bem eterno, sempre. Nada Me pode ser acrescentado; nada Me pode ser tirado. Eu e a minha criação somos Um; e preencho a Infinitude.

Lillian De Waters
.

Como vimos anteriormente, “Nossos nomes estão escritos nos céus”. Agora somos convidados a partir para o Autoconhecimento.

“Conhecer nosso Eu” , como temos visto, significa “discernir o Eu ÚNICO”, a Presença infinita, universal, onipresente! “Eu sou Amor, Eu sou Entendimento, Eu sou Paz, Eu sou Abundância; igualmente presente em todo ponto. Eu sou a demonstração do bem eterno, sempre. Nada Me pode ser acrescentado; nada Me pode ser tirado. Eu e a minha criação somos Um; e preencho a Infinitude”. Não  “afirmamos mentalmente” estas verdades! Com atenção voltada a elas, “percebemos” o endosso espontâneo que cada uma “recebe” de nosso próprio Eu! Isto é “contemplar”. De fato, existe Deus, o Eu Infinito, presente como todos nós! Nós percebemos esta atividade do Infinito sendo!  Percebemos o Universo Real Se expressando como um Todo Perfeito! “Eu sou Amor, Eu sou Entendimento, Eu sou Paz, Eu sou Abundância; igualmente presente em todo ponto”. E percebemos que, pela Expressão do Infinito ser “igualmente presente” em todo ponto, estamos, “eu” e “você” sendo o “ponto de expressão”, estamos sendo o Cristo, a Emanação do único Eu como nossa Identidade individual.

“O Senhor será rei sobre toda a terra;
naquele dia um só será o Senhor, e um só será o seu nome”.
Zacarias 14: 9
*

"EXPULSAI OS DEMÔNIOS"-13


“EXPULSAI
OS DEMÔNIOS”
Dárcio
13
.

O tratamento de Jesus era administrado como Palavra Falada: a Palavra de poder; a Palavra de ordem. O Eu fala ao Eu, com poder e autoridade, dizendo: Saia! Jubilosamente, o Eu ouve e o Eu responde.
Das profundezas do Amor divino, a Palavra sai; e é cumprida. Ela não leva em conta personalidades ou bloqueios mentais; tampouco busca modificar alguma assim chamada consciência. A Palavra emana do Eu; Ela é o Eu; e é a própria autoridade.
O Eu é isento de todo tipo de limitação; sem discrepância ou discriminação. Ele é poder, Todo-poderoso. Ele vê a Si próprio como o Incondicionado — o livre e irresistível, sempre.
Lillian De Waters
.
Imaginemos que um “oceano falante” emanasse de si mesmo uma onda, e dissesse instantaneamente a ela: salte! Ele, sendo o oceano, poderia dar a ordem para qualquer parte de si mesmo! Não seria uma presença querendo mover outra! Neste sentido, escreve a autora : O tratamento de Jesus era administrado como Palavra Falada: a Palavra de poder; a Palavra de ordem. O Eu fala ao Eu, com poder e autoridade, dizendo: Saia! Jubilosamente, o Eu ouve e o Eu responde”. Esta é a Visão absoluta da Existência! Na visão iluminada, não há dois poderes em luta! Há unicamente a Onipotência em Auto-expressão.
Este elevado artigo nos incita a fazer a “ascensão”, ou seja, uma interiorização verdadeiramente profunda e que nos permita discernir o Eu infinito sendo Tudo! Em seguida, neste próprio discernimento da totalidade de Deus, ficamos cônscios de que, assim como somos uma “Onda individual” Auto-emanada, isto é, o Cristo, qualquer outro suposto ser também está sendo unicamente “outra Onda distinta”, neste mesmo Oceano de Luz e Amor Vivos em que somos todos UM.

“Das profundezas do Amor divino, a Palavra sai; e é cumprida. Ela não leva em conta personalidades ou bloqueios mentais; tampouco busca modificar alguma assim chamada consciência. A Palavra emana do Eu; Ela é o Eu; e é a própria autoridade.
O Eu é isento de todo tipo de limitação; sem discrepância ou discriminação. Ele é poder, Todo-poderoso. Ele vê a Si próprio como o Incondicionado — o livre e irresistível, sempre.”
A percepção interna da Totalidade de Deus elimina toda ilusória intenção ou tentativa de querer curar ou melhorar algo ou alguém! Estes estudos requerem poucas e rápidas leituras, mas profundas contemplações meditativas, em “Práticas do Silêncio” totalmente alheias às aparências humanas e totalmente voltadas ao Absoluto! Muitos lêem demais! E percebem muito pouco! Invertamos! Voltemo-nos às profundas interiorizações contemplativas; assim,  chegaremos naturalmente às mesmas conclusões da autora, assim por ela descritas:
O Eu é isento de todo tipo de limitação; sem discrepância ou discriminação. Ele é poder, Todo-poderoso. Ele vê a Si próprio como o Incondicionado — o livre e irresistível, sempre.”

"EXPULSAI OS DEMÔNIOS" -12

“EXPULSAI
OS DEMÔNIOS”
Dárcio

12

Estabelecidos como o Um, assumimos nossa prerrogativa de ser uma lei para o nosso Eu; que nada pode estar conosco sem que seja saudável, perfeito e puro.

“Não vos alegreis porque se vos sujeitam os espíritos; alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus”.Lc: 10;20. Assim falou Jesus àqueles que por ele foram enviados para pregar e curar. A alegria não deve estar ligada à demonstração; devemos nos alegrar por termos descoberto que nós próprios, e todos os demais, somos a Verdade e a Vida. Como devemos ficar alegres e felizes!
Lillian De Waters

.

Este é o ponto máximo da Revelação: “Nossos nomes estão escritos nos céus”. Escritos como? Como “Eu Sou”.

“Estabelecidos como o Um, nós assumimos nossa prerrogativa de ser uma lei para o nosso Eu; que nada pode estar conosco sem que seja saudável, perfeito e puro.” Esta Verdade estava sendo discernida pelos discípulos? Não! Estavam contentes apenas pela suposta demonstração  de poder mental que haviam obtido! Haviam se livrado do dualismo? Da crença em dois poderes? Não! Mostravam, portanto,  alegria infundada, diante da grandiosa Revelação absoluta de que “somente existe o Um”.


“Não vos alegreis porque se vos sujeitam os espíritos; alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus.”
Lc: 10;20. Não poderia haver instrução mais elevada! O ÚNICO “Eu Sou”, sendo revelado como a Vida harmoniosa comum a todos os seres! Esta é a Verdade a ser discernida! Sem oposições! Sem dualismo! Sem supostas batalhas do bem contra o mal! Apenas e tão-somente uma clara e radical percepção da infinita “perfeição em UNIDADE!”

·
Identificados radicalmente com o Uno, descobrimos, como diz a autora, “que nós próprios, e todos os demais, somos a Verdade e a Vida. Como devemos ficar alegres e felizes”! Esta “descoberta” é o objetivo único deste  estudo! Portanto, em cada “contemplação silenciosa”, reconheçamos estas Verdades até sentirmos serem elas já  integrantes da Realidade eterna que todos somos !  Não somos seres desta “aparência” de mundo! “Nossos nomes estão escritos nos céus”, ou seja, na Consciência iluminada infinita que temos e que somos. O papel de cada um está em perceber com clareza plena este glorioso e permanente Fato espiritual!
*

"EXPULSAI OS DEMÔNIOS"-11

“EXPULSAI
OS DEMÔNIOS”
Dárcio
.
11
.
A Bíblia nos incita a volver nossos corações para a luz, pois o “coração” denota as aspirações e afeições puras e espirituais. Jesus procurou os puros e simples de coração para semear seu ensinamento. Sabia da dificuldade que os intelectualmente ricos teriam para entrar no Reino do Espírito.
Lillian De Waters
.

Quando o apóstolo Paulo disse “serem as coisas de Deus loucuras para os homens”, deve ter suposto que a maioria daqueles que se diziam espiritualistas ficariam mais interessados nestas “loucuras” do que na “lógica humana”. Mas, infelizmente, não foi o que aconteceu! Há séculos que a raça vem vivendo  nas mesmas crenças, nas mesmas aceitações falsas de nascimento e morte, de poder do mal contra poder do bem e vice-versa, sem o menor interesse em se firmar com profundidade nas “loucuras” reveladas.

A Bíblia nos incita a volver nossos corações para a luz, pois o “coração” denota as aspirações e afeições puras e espirituais. Que significa isso? Está revelado que “Deus é Luz e nEle não há trevas nenhumas”. Somente quando desprezamos por completo o testemunho dos sentidos humanos, é a “lógica do mundo”  relegada a segundo plano! Nosso “coração” se volve para a Luz, para Deus, ou para a Sua Totalidade onipresente!

Jesus procurou os puros e simples de coração para semear seu ensinamento. Sabia da dificuldade que os intelectualmente ricos teriam para entrar no Reino do Espírito. Nosso papel, nesse estudo, é o de ficarmos na posição de “puros e simples de coração”, isto é, totalmente abertos e receptivos às “revelações-loucuras”, sem quaisquer restrições ou bloqueios intelectuais.

Todas as revelações divinas já são  válidas para nós exatamente agora! Uma delas, inclusive,   registra que “somente existe o agora!”  É AGORA que a Onipresença Se revela como o ser que EU SOU e que VOCÊ É! Falando claramente, é AGORA que Deus vive como o EU SOU IMPESSOAL que todos somos!

Em quietude e silêncio, contemple estas Verdades!Assuma que de Deus somos emanados, à Sua imagem e semelhança”! Saiba que esta “obra divina” é permanente! Deixando de lado a “lógica” que a tudo julga segundo as aparências, podemos captar diretamente o grandioso fato espiritual de que “é chegado o Reino dos Céus”. O Reino sempre esteve em nós! A contemplação nos leva à percepção consciente de que nós, também, sempre estivemos e estamos NELE! Certamente foi esta experiência que levou Paulo a afirmar que “nEle vivemos, nos movemos e existimos”.

*

"EXPULSAI OS DEMÔNIOS"-10

“EXPULSAI
OS DEMÔNIOS”
Dárcio
.
10
.
Alguém preso a uma mente pessoal ou intelectual humana se desgasta com suor e lágrimas; ele caminha em trevas, dorme em trevas e produz em trevas. Esta é a “terra distante” em que, em crença, ele atua afastado de sua Mente real e de seu verdadeiro estado de Ser, até que, finalmente, lhe chegue a compreensão que uma mente pessoal, ou mentalidade individual, não é para ser transformada ou treinada de nenhuma maneira: ela é para ser abandonada por meio de uma renúncia completa.
Lillian De Waters
.

O entendimento do que nos expõe a autora neste parágrafo nos conduz ao “renascimento” citado por Cristo, quando disse que, para entrarmos no reino dos céus, deveremos “nascer de novo”. O ponto a merecer total atenção é único: a Mente é universal, única e impessoal! “Alguém preso a uma mente pessoal ou intelectual humana se desgasta em suor e lágrimas”. Sim, se nos decidirmos por renunciar à crença falsa de que temos mente pessoal ou humana, de imediato nos veremos livres para discernir o Fato verdadeiro de que o Universo infinito Se mantém ativo pela atividade da Mente divina, IMPESSOAL e todo-abrangente! Estudamos uma Ciência Divina! Ela tem suas regras ou princípios! Se a Mente única é impessoal, mas infinita, não existe nada que  possa ser chamado de “pessoal” e que possa estar sendo experienciado como “experiência pessoal” de alguém, seja ela taxada de experiência boa ou má! As duas “aparências” são ilusórias!

Outro ponto importantíssimo, e que é aqui salientado pela autora, é o de que a suposta “mente humana”, ou “mente pessoal”, não é uma realidade a ser  melhorada ou transformada! Aqui, a crença em “evolução”é detonada! Esta suposta “mente pessoal” é ilusória! Apenas aparenta ser a “nossa” mente enquanto deixamos de assumir, com conhecimento e autoridade crísticos, a Verdade de que a Mente real é IMPESSOAL e ÚNICA!

A Verdade está revelada! Mary Baker Eddy, fundadora da Ciência Cristã, já nos havia dito esta Verdade com a seguinte frase: “Tudo é Mente infinita e Suas infinitas manifestações”. Que nos resta? Perceber este Fato! Vivê-Lo exatamente aqui e agora! Não existem mentes pessoais! Não existem problemas pessoais! Tudo é Mente infinita (IMPESSOAL) em infinitas manifestações!

Deixe de lado a suposta mente humana, seus problemas, e suas errôneas teorias de evolução! Renuncie à sabedoria dos homens, que sustentam tais teorias e também os ensinamentos que as apóiam! Com “coração de criança”, fique em silêncio contemplativo, consciente de que a Mente real, ÚNICA E IMPESSOAL, que é Deus, está Se revelando plenamente,  aqui e agora, como a SUA Mente individual! Desse modo, estará sendo “perfeito em unidade”. E vivendo pela Graça!

*

"EXPULSAI OS DEMÔNIOS"-9

“EXPULSAI
OS DEMÔNIOS”
Dárcio
.
9
.
Disse Jeremias: “Todo ourives é envergonhado pela imagem que ele esculpiu; pois as suas imagens são mentira, e nelas não há fôlego.” (Jer. 10:14). Ezequiel teve uma visão similar, quando escreveu: “Lançai de vós todas as vossas transgressões com que transgredistes, e criai em vós coração novo e espírito novo; pois, por que morreríeis, ó casa de Israel? … Eles criaram as imagens de suas abominações, e de suas coisas detestáveis.”
Uma praga ou pestilência retrata avareza, destruição, guerra, luta, mesquinharia: tudo baseado no erro primário de que a Mente pode ser múltipla; de que a Vida possa estar separada e, seres humanos sejam capazes de entrar em guerra, uns com os outros.
Lillian De Waters
.

A compreensão destas revelações é capaz de nos colocar conscientemente no Reino divino exatamente agora! Os textos objetivam atrair alguém a esta compreensão libertadora! Este assim chamado “mundo material” vem sendo contestado há milênios pelas revelações espirituais. Buda chamou-o de “Maya”, isto é, ILUSÃO! Cristo rotulou-o como fruto do “pai-da-mentira”.

Que continua ocorrendo? A maioria ainda “vive” esta farsa! Acredita piamente em quadros fantasiosos desconhecidos de Deus! Antes de Cristo, também já nos alertava  o profeta Isaías: “O que anda em justiça, e fala o que é reto; o que com um gesto de mãos recusa aceitar suborno; o que tapa os ouvidos para não ouvir falar de homicídios, e fecha os olhos para não ver o mal, este habitará nas alturas; as fortalezas das rochas serão o seu alto refúgio, o seu pão lhe será dado, as suas águas serão certas” (Isaías 33; 15,16).

A autora cita, com o mesmo sentido, os testemunhos de Jeremias e de Ezequiel. Quando será que todos acordarão? Precisamos parar de crer nestas imagens falsas e hipnóticas! Precisamos começar a endossar a Perfeição Onipresente de Deus! Assim, deixaremos de “gerar” mais ILUSÃO e, consequentemente, deixaremos de nos sentir como parte integrante dela!

“Uma praga ou pestilência retrata avareza. destruição, guerra, luta, mesquinharia: tudo baseado no erro primário de que a Mente pode ser múltipla; de que a Vida possa estar separada e, seres humanos sejam capazes de entrar em guerra, uns com os outros”. Nossa libertação definitiva está em seguirmos à risca as revelações! Através delas, deixamos de aceitar as “aparências” de dualidade, de “mentes pessoais múltiplas”, para nos dedicar à percepção do Fato que é real e permanente:

DEUS, A MENTE PERFEITA, É A ÚNICA MENTE ATIVA OU OPERANTE, AQUI E AGORA, COMO A MENTE DE TODOS NÓS.
.

Ou nos abrimos radicalmente à aceitação desta Verdade Divina, ou continuamos  a “ver o mal”, a endossar qualquer tipo de aparência hipnótica,  deixando de lado todas as revelações que, se compreendidas, nos fariam “nascer de novo”.

*

"EXPULSAI OS DEMÔNIOS"

“EXPULSAI
OS DEMÔNIOS”
Dárcio
.
8
Alegar que a vida-Divina inclui, de alguma maneira, uma forma de vida que seja uma peste, significa interpretar erroneamente a Existência. Além disso, em vez de atribuirmos a tais insetos a mesma vida que somos, iremos expulsar a forma de vida que eles aparentam possuir; e negar qualquer realidade nela. Sendo
descartado o seu semblante de vida, pelo entendimento de que eles simbolizam ignorância, desobediência, treva e engano, que não existe vida ou realidade neles, irão desaparecer em sua própria nulidade. Pondo em prática este princípio, recentemente a autora pôde presenciar esse tipo de demonstração. Os pulgões, que vinham atacando as plantas no jardim, foram encontrados sem vida em consequência disso. Um leve toque, dado nos ramos, e despencaram das folhas ao chão, pó a pó.

Lillian De Waters
.
A Existência, corretamente interpretada, nos mostra o Bem absoluto em Autoexpressão. A autora explica que, o que é visível à mente humana, não corresponde à Realidade divina: são imagens mentais em que luz (Verdade) e treva (ignorância) aparecem em conjunto, forjando um suposto mundo onde o bem e o mal somente aparentam existir. Como devemos agir? Se a Existência é BEM ABSOLUTO, precisamos, primeiro, endossar como reais unicamente as manifestações de harmonia, e, em segundo, negar a realidade de todas as supostas “formas desarmônicas” , que parecem ter vida, e, ainda, uma vida capaz de conflitar consigo mesma!

Os males, pestilências, etc, parecem ter vida!  Entretanto, estas aparências são falsas! “Sendo descartado o seu semblante de vida, pelo entendimento de que eles simbolizam ignorância, desobediência, treva e engano, que não existe vida ou realidade neles, irão desaparecer em sua própria nulidade”. O estudo da Verdade requer de todos nós esta  atitude consciente de descartar a ILUSÃO, para podermos “interpretar corretamente a Existência”.

*

MAGNETISMO ANIMAL-17 (final)

MAGNETISMO ANIMAL
Ann Beals

17

POR QUE ORAR?

As curas espirituais acontecem desde que a história do homem começou,  e sem qualquer conhecimento do magnetismo animal ou da necessidade de lidar com ele. Entretanto, estes esforços de cura são incertos em seus resultados. É necessário algo mais confiável e mais específico, de como enfrentá-lo e destruí-lo na consciência, através da espiritualização do pensamento. Qualquer estrutura de metafísica que não der atenção a este aspecto da Ciência Cristã não curará com eficácia.

O magnetismo animal não dissolverá ou desaparecerá por sua livre vontade. Não desaparecerá com o passar do tempo. Não pode ser ignorado nem se deve condescender com ele. A afirmação da Verdade, somente, não é suficiente para afrouxar o seu domínio na consciência.

A destruição do mal não pode acontecer sem o esforço consciente por parte da pessoa. Este fato é um dos pontos importantes absolutos da descoberta da Sra. Eddy, e é a razão porque a cura na Ciência Cristã é totalmente confiável. Ela deixa claro  que o mal é irreal, mas que deve ser negado até ser destruído. O trabalho de cura confiável não pode acontecer sem este aspecto absolutamente importante da oração científica.

Podemos com acerto chamar o mal de “nada”, porque quando é confrontado com a Verdade compreendida, o mesmerismo do mal é sempre destruído. Quando curamos a nós mesmos do mesmerismo do mal, curamos o mundo. Se cada um de nós trabalha diariamente para curar qualquer pequena sugestão do magnetismo animal em nós mesmos, esta espiritualização do pensamento permeia a consciência do mundo, neutraliza o erro e traz o reino dos mil anos.

Através da Ciência Cristã podemos aprofundar nossa compreensão espiritual, ampliar nossa visão e provar a irrealidade do magnetismo animal com trabalhos de cura. “Muito pode, por sua eficácia, a oração do justo”. (Tiago 5: 16)

F I M

MAGNETISMO ANIMAL-16

MAGNETISMO ANIMAL
Ann Beals

16

UMA
EXPERIÊNCIA CONTURBADA

.
Esta mudança mental de um ponto de vista material para um ponto de vista espiritual é normalmente gradativa e suave. Porém, quando esta espiritualização do pensamento produz uma pronunciada e repentina mudança na consciência, é às vezes chamada de experiência conturbada. Nesta transformação do pensamento, as formas mais tenazes do magnetismo animal, agarrando-se ao âmago da consciência, são expostas e destruídas. Elas são substituídas pelos fatos espirituais do ser. Esta súbita mudança é uma reviravolta mental na qual o eu mortal é forçado a se render ao imortal.

Temos que passar por esta experiência porque o magnetismo animal constrói em nossa consciência um falso sentido de vida — o sentido de que a vida está na matéria e sob leis materiais, conhecimento e história mortais, traços de caráter negativos, falso sentido do bem, metas, ambições, ideais e esperanças irreais. Para o pensamento não iluminado estas visões parecem corretas. Em realidade, consistem de uma estrutura  invertida de pensamento que principalmente excluem Deus. Estas ilusões constituem nossa vida mortal.

Quando estudamos esta Ciência em oração, as ideias espirituais desdobram-se e começam a expor a irrealidade do ponto de vista material mortal. A Verdade traz à superfície da consciência as mais frustradoras ilusões do mal. O erro em nosso pensamento se torna claro para nós. À medida que este falso sentido de vida se conflita com as ideias espirituais que se desdobram, fica cada vez mais difícil e sem sentido com nosso pensamento mortal. Quando isto ocorre, alcançamos um ponto onde devemos abrir mão de alguns conceitos mortais aos quais estivemos amarrados. Isto é muito difícil, porque nosso eu mortal resiste à destruição e por isso parece que estamos sofrendo com um conflito interior. Estamos relutantes em abrir mão do velho porque tememos não ter com que substituí-lo. Quando estes falsos conceitos começam a ruir, vivenciamos um período de trevas e solidão. Vem a sugestão de que a Verdade não está acontecendo em nossa experiência, que não merecemos este sofrimento quando outros, sem muita devoção a Deus, não têm que passar por isto. Mas a mudança interior está acontecendo. Chegamos a um ponto onde não podemos voltar aos antigos conceitos e a nova visão ainda não se desdobrou.

Nesta hora, encontramos muitas declarações de conforto nos escritos da Sra. Eddy para nos assegurar que tudo está bem. Em Retrospecção e Introspecção, ela nos diz: “Embora a repreensão divina seja eficaz para destruir as fortalezas do pecado, este pode incitar o coração humano a resistir à Verdade, antes que este coração se torne obedientemente receptivo à disciplina celestial. Se o Cientista Cristão reconhecer a combinação de severidade e ternura que permeiam a justiça e o Amor, não desprezará a repreensão oportuna, mas absorverá de maneira tal que essa advertência será nele uma fonte a jorrar em incessante elevação e progresso espirituais.” (p.80: 14-22) Em Miscellany, ela escreve: “Lembre-se que você não pode estar em nenhuma condição, por mais difícil que seja, onde o Amor não tenha estado antes de você e onde sua terna lição não o esteja aguardando.” (p.149: 31-2)

É necessário morrer o velho conceito para abrir espaço para o novo. Dois estados mentais não podem ocupar a mesma consciência ao mesmo tempo. E assim, quando o desencanto com as ilusões mortais acontece, devemos nos levantar e confiar plenamente em Deus para restabelecer a harmonia, pois Ele não nos abandonará. Nestas ocasiões devemos orar, pois somente a oração nos livrará das profundezas das trevas mentais.

À medida que lemos, oramos e esperamos em Deus, começamos a encontrar, em nós mesmos, uma capacidade espiritual que nem sabíamos que tínhamos. Uma torrente de ideias espirituais nos leva a novos vislumbres de luz a respeito de Deus e do homem. As ideias de Deus renovam a consciência quando o velho homem é expulso e o Eu real se revela. Mudamos da fé para a compreensão.

Através destas provações, o magnetismo animal é extraído da consciência. Sua influência nos atinge cada vez menos. Se tentar entrar no pensamento espiritualizado, sua presença ofensiva é tão contrastante com a atmosfera mental purificada, que pode ser imediatamente detectado e rejeitado. Quando o erro é rejeitado muitas vezes, cessará de argumentar e nos deixará. E assim provamos nosso domínio sobre ele.

*

"EXPULSAI OS DEMÔNIOS"-7

“EXPULSAI
OS DEMÔNIOS”
DÁRCIO
.
7
.
Consideremos a reinante praga dos pulgões japoneses. Analisemos, neste exemplo específico, o que deve ser expulso. Tais pulgões expressam ou representam vida? São unos com a Vida que é Deus, o Todo? Não. Por certo eles voam, têm bonitas cores, e, aparentemente, têm a mesma vida que nós temos. Porém, que estariam representando? Eles retratam os pensamentos, ações e sentimentos dos povos e nações em guerra, uns com os outros. Aqui se cumpre a profecia de Jesus, quando disse: “Porque se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá terremotos em diversos lugares, além de fomes e pestilências”.
Lillian De Waters

A Vida é Deus! A Vida é Una! “Eu sou a videira, vós sois os ramos”, disse Cristo, para explicar a Verdade de que a Vida, Deus, é UNA e perenemente HARMÔNICA! A Vida não se encontra na chamada “matéria”, assim como nenhum objeto se aloja na sombra por ele projetada. A autora explica que, analisada a partir do referencial das “aparências”, a “vida” dos pulgões estaria em conflito com a “vida” das plantas atacadas por eles. Que retratam estas “aparências”? Eis sua resposta: “… retratam os pensamentos, ações e sentimentos dos povos e nações em guerra, uns com os outros”.

Assim como os pesadelos retratam experiências conflitantes do dia-a-dia de alguém, a autora, aqui, explica que as imagens visíveis pela mente humana somente retratam o comportamento humano! Não têm realidade! Exatamente como pesadelo algum tem realidade! O entendimento deste ponto é fundamental no estudo da Verdade, pois, com ele a expressão “este mundo é ilusório” passa a ser compreendida.

Quando uma pessoa se dedica a este estudo, buscando sua comunhão com Deus de modo consciente, é natural que a ação da Verdade, na vida dela, comece a surgir. Surgir como? Na forma de “aparências melhoradas!” Seriam reais estas “aparências boas?” Não! Da mesma forma, elas apenas retratam os “sentimentos, ações e sentimentos” melhorados da pessoa! Em outras palavras, as “aparências” são meramente símbolos do que se passa na crença coletiva e na suposta atividade desta crença especificamente sobre cada um. Este “mundo” de “sentimentos, ações e sentimentos” é, portanto, uma ILUSÃO da mente humana! Mera sequência de imagens simbólicas e ilusórias, aceitas temporariamente por alguém que ainda não tenha se identificado por completo com sua real, eterna e perfeita IDENTIDADE DIVINA.



*

"EXPULSAI OS DEMÔNIOS"-6

“EXPULSAI
OS DEMÔNIOS”
Dárcio
.
6
Em virtude do fato de que Deus é Tudo, e de que inexistem outros pensadores pessoais, conclui-se que todos os resultados atribuídos àqueles pensamentos são míticos e espectrais: vazios de existência.
Lillian De Waters
.

As Escrituras revelam os fatos reais que, mantidos por Deus, são sempre harmoniosos e perfeitos. Vimos anteriormente que, sem a falsa crença de que haja “outra mente”, ao lado da Mente divina absoluta e onipresente, o palco da “ilusão” é desmontado. Devemos nos posicionar unicamente em Fatos espirituais verdadeiros, e nunca nas “sugestões mentais humanas”, que nos mostram catástrofes, tragédias ou problemas. A verdadeira “tragédia”, se assim a pudermos considerar, é sempre única: a falta de conhecimento da Verdade.

Crendo na sucessão infindável de quadros trágicos mostrados pela mente humana, deixam os Filhos de Deus de endossar o Reino perfeito, sempre à mão, e que lhes pertence! E isto após milênios de coincidentes revelações divinas trazidas pelos profetas, místicos e mestres!

“Vós, deste mundo, não sois”, “O Meu reino não é deste mundo”, “Quem crê em mim não provará a morte”, “o princípe deste mundo é mentiroso desde o princípio”, ensinava Jesus Cristo. “Este mundo é Maya” – (Ilusão), ensinava Buda. “As coisas que o olho não vê, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem(mente humana), são as que Deus preparou para os que o amam”, ensinava o apóstolo Paulo. ”

“Em virtude do fato de que DEUS É TUDO, e de que inexistem outros pensadores pessoais, conclui-se que todos os resultados atribuídos àqueles pensamentos são míticos e espectrais: vazios”, ensina Lillian DeWaters neste texto, por saber que os “demônios” a serem expulsos são as crenças falsas de que fatos não perfeitos, ou trágicos, mostrados pela mente humana, tenham qualquer realidade!

Enquanto estes “demônios” não forem definitivamente expulsos de nossa aceitação, estaremos buscando “fora de nós mesmos” as causas para os ilusórios e infindáveis problemas. Por outro lado, tão logo passemos a “conhecer a Verdade”, isto é, que “o Reino está dentro de nós”, puramente espiritual, e em incólume perfeição absoluta, o “filminho ilusório” começará a ser visto pelo que sempre foi: um “sonho” de imagens fantasiosas, criadas pelos “míticos e espectrais pensamentos: vazios”.

*

"EXPULSAI OS DEMÔNIOS"

“EXPULSAI
OS DEMÔNIOS”
Dárcio
5
O grande realismo permanece intacto. A Mente ou Consciência única que temos, é aquela que é Deus. Logo, não pode haver, e não há mesmo, nenhuma forma real discordante; nenhum pensar errôneo; nenhuma outra mente, vida ou existência.
Lillian De Waters

Quando nos atemos às revelações absolutas das Escrituras, deixamos de lado os ensinamentos menores e dualistas, paramos de endossar falsidades e passamos a ser conscientemente o que somos: Consciência iluminada! “A Mente ou Consciência única que temos, é aquela que é Deus”. O Universo é Consciência Infinita. Por esse motivo “o grande Realismo permanece intacto”. A Consciência universal Se mantém! “Logo, não pode haver, e não há mesmo, nenhuma forma real discordante; nenhum pensar errôneo; nenhuma outra mente, vida ou existência”.

Contemplemos
estas Revelações:

Vivo, aqui e agora, na Realidade perfeita mantida incólume por Deus. Sei que “o grande Realismo está intacto”. Minha consciência desta Verdade é a Consciência que é Deus, pois inexiste qualquer outra. Minha Consciência única é Deus! Iluminada! Em Autopercepção, somente reconheço a Perfeição absoluta, onipresente, infinita e eterna que Eu Sou.

(permanecer durante alguns minutos, sem esforço algum, nesta contemplação)
*

MAGNETISMO ANIMAL-15

MAGNETISMO
ANIMAL
Ann Beals

15

OS EFEITOS
DE CURA DA ORAÇÃO

Através do nosso trabalho diário, constatando a totalidade de Deus e a perfeição do homem, rejeitando constantemente as sugestões hipnóticas generalizadas do magnetismo animal, lançamos o fundamento espiritual na consciência, o qual cura as muitas crenças universais que pretendem afetar a vida de cada um de nós: falta, discórdia, relacionamentos desarmoniosos, perda do sentido de direção e de identidade corretas, materialismo, inteligência e oportunidade limitadas, idade, doença, sensualismo, medo do futuro, falsos traços de caráter, talentos e habilidades frustradas.

Quando doença, dor, acidente, desemprego, discórdia, solidão, pesar, confusão — qualquer reivindicação específica do mal — tenta se manifestar em nossa experiência, estamos preparados para superá-la. Rejeitando-a mentalmente com vigor, e afirmando a Verdade em seu lugar, podemos lutar contra o erro até que realmente cesse de nos mesmerizar e dissolva-se no nada. A mudança mental pode ser sentida distintamente. A crença mortal não está mais lá. Nossa mente está livre dela. A cura acontece. Assim, provamos que o mal é nada. Algumas vezes sabemos que estamos curando antes que haja alguma evidência visível.

Em “Mensagens para 1901”, lemos: “O Amor divino atravessa o escuro caminho do pecado, da doença e da morte com a justiça de Cristo — a expiação de Cristo, pela qual o bem destrói o mal — e a vitória sobre o eu mortal, a doença, o pecado e a morte, se consegue segundo o modelo mostrado no monte. Isto é elaborar nossa própria salvação, porque Deus trabalha conosco até que nada reste que mereça perecer ou ser punido, e emergimos suavemente para a Vida eterna. Isto é o que exigem as escrituras — fé que corresponde com as obras.” (p.10: 20-29)

Estes trabalhos espirituais não se desdobram sempre do mesmo modo. Algumas curas acontecem rapidamente, sem esforço, até instantaneamente. Outras acontecem devagar, à medida que emergimos para fora das crenças mortais persistentes. Alguns problemas parecem quase inatingíveis pelo nosso trabalho. Nestes casos, devemos desviar a nossa atenção da evidência material e tentar compreender Deus mais profundamente. Se não cedermos ao desânimo, alcançaremos um ponto culminante e o problema ou desaparecerá subitamente ou gradualmente perderá o domínio e se dissolverá.

Em certos casos, o mal fica enraivecido com nossa luta para nos libertar e lutará para intensificar a discórdia em nossa experiência. Se isso acontece, o mal está definitivamente sentindo os efeitos de nosso trabalho. Se continuamos a trabalhar, sem receio das tentativas do mal em nos desanimar, ele desistirá e desaparecerá. Então se segue uma grande espiritualização do pensamento e a cura acontece.

Precisamos compreender a perturbação que este trabalho de oração traz ao nosso pensamento. Antes de detectar o magnetismo animal em nossa consciência, precisamos compreender que nossa mente contém uma certa estrutura de pensamento que consiste em nossa identidade humana e forma de vida. Este estado mental contém uma grande porcentagem de crenças mortais através das quais o magnetismo animal controla nossa consciência e nossa vida. Estamos acostumados a esta atmosferta mental e nela vivemos sem esforço.

Quando começamos a orar cientificamente, desafiamos o magnetismo animal e isto é uma ameaça ao seu domínio em nossa consciência. Quando a influência mesmérica do mal é descoberta, fica muito agitada e resiste à sua própria destruição. Nossos problemas podem se tornar maiores; novas tentações nos cercarão; velhas tentações ressurgirão. Este próprio período de dificuldades indica que nosso trabalho metafísico está fazendo efeito. Nossas orações estão causando uma quimicalização na consciência. O mesmerismo está sendo destruído. Se continuarmos sem medo destes desafios, romperemos as barreiras do sentido mortal e adentraremos numa compreensão maior de Deus. Esta espiritualização do pensamento renovará nossa vida, trazendo cura e regeneração.
Este trabalho de cura anula primeiro as formas mais óbvias de discórdia em nossa vida. Depois alcança mais profundamente o âmago da consciência e dissolve as formas mais crônicas de erro. Tem um efeito regenerador em toda a estrutura do pensamento.

*

"EXPULSAI OS DEMÔNIOS"-4

“EXPULSAI
OS DEMÔNIOS”
Dárcio
.
4
.
Porém,   que daria origem àquelas aparências? Podemos atribuí-las diretamente aos pensamentos e sentimentos errôneos; eis o porquê delas  assumirem forma. Entretanto, tais pensamentos são inteiramente falsos, por terem sido construídos sobre a errônea premissa de que existe outra mente, ou consciência, além daquela que é Deus; e de que estes pensamentos malignos possuam poder.
Lillian DeWaters

Pensamentos e sentimentos errôneos: estes são os “agentes formadores das “aparências” que têm confundido a todos! Porque são todos ilusórios estes “pensamentos”? A autora explica: “Tais pensamentos são inteiramente falsos, por terem sido construídos sobre a errônea premissa de que existe outra mente, ou consciência, além daquela que é Deus; e de que estes pensamentos malignos possuam poder”.

Destruída a “errônea premissa”, ou seja, desmantelada a crença falsa de que “outra mente”, senão a divina, existe, é destruída a “tela das aparências falsas”. A Mente única nos diz: “Homens e mulheres os criei, à Minha Imagem e Semelhança”. Entretanto, uma hipotética “segunda mente” nos dá informações contrárias, nos sugere pensamentos e sentimentos contrários, que falam em imperfeições, nascimentos, mudanças e mortes! A Bíblia  diz que as palavras de Deus nos foram confiadas, e que, apesar da incredulidade de alguns, a fidelidade de Deus é permanente, e que “sempre seja Deus verdadeiro e todo homem mentiroso”. (vide Romanos 3: 1-4)

O estudo da Verdade não está em nos saturarmos de leituras infindáveis! Está em nos posicionarmos na “prática das revelações”, quando  endossamos radicalmente que, por ser Deus a Mente ÚNICA, “temos a Mente de Cristo”, e  nos dedicamos a abandonar os “pensamentos e sentimentos” gerados pelo “homem mentiroso”, fruto da ilusória “mente carnal”, para percebermos nossa Unidade com Deus e Sua Verdade. É desse modo que repetiremos com Jesus: “Eu Sou a Verdade”.

Contemplemos
estas Revelações:

Deus é Tudo, Tudo é Deus. A Mente do Uno é a minha Mente! Todas as “aparências visíveis”, contendo o bem ou o mal, são criações falsas da inexistente “outra mente”. Não existe “outra mente”. Percebo a Mente Única Se revelando como a Minha Mente! Percebo o Universo de Luz Se expressando! Percebo a Verdade que Eu Sou; percebo que

Eu Sou a Verdade!

(permanecer durante alguns minutos, sem esforço algum, nesta contemplação)
*

"EXPULSAI OS DEMÔNIOS"-3

“EXPULSAI
OS DEMÔNIOS”
Dárcio
.
3

Por outro lado, isto é, do ponto de vista de que nada mais existe, se torna fácil entender que as formas discordantes chamadas doença, pobreza ou desarmonia de toda espécie, não possuem nelas Deus algum; portanto,   não têm nenhuma vida, nenhuma ação, e nenhum poder.
Lillian De Waters
.

Na segunda parte, vimos que há unicamente  o Eu Perfeito e Sua perfeita expressão, e que inexiste qualquer “outro” ao lado do Eu Universal. Foi dada uma sugestão para início das contemplações desta Verdade, com cada um plenamente aberto às próprias revelações.

O parágrafo que ora estamos analisando focaliza o outro lado da questão, e que é tão importante quanto o primeiro: se unicamente existe o Eu Perfeito, se torna fácil entender que “as formas discordantes chamadas doença, pobreza ou desarmonia de toda espécie, não possuem nelas Deus algum; portanto,   não têm nenhuma vida, nenhuma ação, e nenhum poder”. Em suma, todas as aparências que se mostram contrárias à Harmonia do Uno são única e necessariamente  NADA! Não poderiam ter vida, ação ou poder! A autora diz que, se primeiramente fizermos o reconhecimento contemplativo da Totalidade e Unicidade da Perfeição, teremos facilidade para intuir a nulidade das aparências contrárias. São dois lados de uma só moeda: A Harmonia é Tudo! As supostas desarmonias são “nada”, meras “aparências”: sem vida, ação e poder.  Estes dois pontos já são a Verdade deste AGORA, razão pela qual  nossa “contemplação” destes fatos não intentará criá-los e muito menos  nos exigirá qualquer esforço.

Passemos à “contemplação silenciosa” destes dois pontos fundamentais de nosso estudo. Damos, abaixo, uma sugestão apenas para o início desta “Prática do Silêncio”; a partir de então, que a Autorrevelação se dê livremente como a própria Consciência de cada um.

Aqui onde estou, unicamente o Eu Infinito Se faz Onipresente como Vida, Ação e Poder! Aqui onde Eu estou, este Eu Perfeito Infinito Se exprime como o Eu que Eu Sou. O Infinito abrange o Infinito! Não há Vida, Ação e Poder em nada além de Mim! Além de Mim, nada existe! Não há Deus em “formas discordantes”; logo, todas elas são destituídas de Vida, Ação e Poder!

Continua..>

MAGNETISMO ANIMAL-14

MAGNETISMO ANIMAL
Ann Beals
14
AFIRMANDO A VERDADE
.

Tendo argumentado contra o magnetismo animal, você deve também argumentar a favor da verdade do ser. Esta confirmação da Verdade é a parte mais importante da oração. Enquanto que a negação do mal é necessária, é a constatação da Verdade que realmente cura. Quando a fé e a compreensão espiritual são suficientemente fortes, muitas vezes somente a afirmação da Verdade pode destruir o magnetismo animal. Esta constatação da Verdade é o mais poderosos meio de cura, pois destrói as mentiras do mal com os fatos espirituais do ser.
.
Uma maneira de destruir o mal é afirmar a Verdade através dos sinônimos de Deus, mencionados em Ciência e Saúde. A Sra. Eddy define Deus como Princípio, Mente, Alma, Espírito, Vida, Verdade, Amor. Conforme cada sinônimo é empregado, suas qualidades especiais desdobram uma compreensão mais profunda da natureza de Deus e do homem como Sua imagem. Esta compreensão espiritual se contrapõe às crenças do magnetismo animal.
.
Como um exemplo deste trabalho: o magnetismo animal clama que a causa e efeito materiais são uma lei para o homem e o universo, que todas as coisas estão incluídas na matéria e sujeitas às forças que atuam sem levar em conta o sofrimento e a discórdia que impõem. Assegura que não existe plano divino, lei ou ordem para a criação. Mas a Ciência Cristã recusa este ponto de vista pela declaração que Deus é o princípio divino do universo e do homem. O princípio manifesta lei e ordem em sua criação. A causa espiritual não é fria e destrutiva, mas amorosa, inteligente, sábia e boa. A criação não pode existir separada da harmonia e perfeição expressas pelo Princípio. Argumente vigorosamente a favor da presença do Poder de Deus como o único Princípio, como origem da lei e da ordem, do plano e significado do universo e do homem. Constate que a causa divina delineia a vida perfeita do homem, que o homem não pode existir separado da harmonia e perfeição expressas pelas leis de Deus. Gradativamente, à medida que os atributos dos princípios são compreendidos, a visão do homem e da criação substitui a ilusão material.
.
O magnetismo animal parece criar uma forma invertida de inteligência, produzindo uma estrutura de falso conhecimento que a mente mortal adota como verdade ou realidade. Suas mentiras hipnóticas são mais falsas ainda quando parecem incorporar razão e intelecto. A verdadeira inteligência pertence à Mente. Em Ciência e Saúde lemos: “Só pode haver uma Mente, porque há um só Deus; e se os mortais não pretendessem ter outra Mente, e não aceitassem nenhuma outra, o pecado seria desconhecido. Só podemos ter uma Mente, se esta é infinita.” (p.469: 19-22)
.
Esta Mente única mantém um reservatório infinito de inteligência divina, como a fonte dos pensamentos do homem. Este reino da verdadeira inteligência provê um suprimento inesgotável de ideias para sustentar cada necessidade do homem. Afirmando vigorosamente que a Mente é Tudo-em-tudo,  e que o homem é, aqui e agora, o reflexo desta Mente, começamos a enfrentar a estrutura mental do falso conhecimento com a Verdade. Expressamos mais livremente a inteligência necessária para superar a crença numa mentalidade limitada e numa existência mortal e finita. As mentiras do magnetismo animal parecem reais até que são destruídas pela inteligência divina. A matéria é a ignorância mental de não saber o que Deus sabe. Desaparece com a compreensão da inteligência e sabedoria divinas.
.
As sugestões hipnóticas parecem criar o homem mortal com uma personalidade finita ou um ego cheio de pecado, discórdia, mediocridade e limitação. Superamos esta imagem invertida de nós mesmos quando nos volvemos à Alma como a fonte de toda individualidade, identidade e ego. Como o reflexo de Deus, o homem espiritual tem todas as qualidades da Alma — graça, beleza, criatividade, refinamento, sabedoria, inteligência, amor, paz, perfeição. À medida que argumentamos contra os elementos do ego mortal e a favor de nossa identidade real como filhos de Deus, as qualidades da Alma substituem os traços e crenças errôneas dentro de nós.
.
O erro argumenta que o homem é totalmente dependente da matéria para sobreviver. Então sugere falta, recursos limitados, “a luta pela sobrevivência”. Mas a metafísica divina nos ensina que o Espírito é substância. A causa espiritual dá origem e sustenta todas as coisas. Todo suprimento vem de Deus. Na totalidade do universo de Deus, a carência é desconhecida. A lei divina do perfeito suprimento de toda necessidade opera perpetuamente para suprir cada necessidade. O homem é responsabilidade de Deus, o objeto do Seu amor. O Espírito supre incansavelmente cada uma de suas necessidades através dos recursos inesgotáveis do bem. Quando declaramos firmemente que o Espírito é substância, anulamos o argumento do mal de escassez ou limitação. Estas crenças são curadas através da espiritualização do pensamento. Conforme discernimos Deus, o Espírito, como o grande Doador, toda crença de limitação é vista como uma sugestão falsa e não como a realidade do ser.
.
O magnetismo animal também nos faz acreditar em existência mortal. Argumenta com nascimento e morte, doença, moléstia, idade, deformidade, limitações fisicas e mentais que nos privam do bem que a vida pode e deveria manifestar. Porém, aprendemos na Ciência Cristã que Deus é Vida. Ciência e Saúde diz: “A Vida não está na matéria, nem é da matéria. Aquilo que se chama matéria é desconhecido para o Espírito, que inclui em si mesmo toda substância e é Vida eterna. A matéria é um conceito humano. A Vida é a Mente divina.” (p.469: 1-5)
Deus é Vida. Tudo o que há para ser, Ele é; tudo o que há para ter, Ele tem; tudo o que há para saber, Ele sabe. A Vida é indestrutível, eterna. A saúde é inesgotável, perfeita. Como ideia de Deus, o homem reflete o ser harmonioso — alegria, atividade, liberdade, saúde, imortalidade. A vida mortal não é a vida que Deus nos dá. Deus é Vida e todo verdadeiro ser está oculto com Cristo em Deus, intacto e imperturbável no reino da realidade. A declaração destes fatos anula as sugestões do mal de pecado, doença e morte, e traz saúde, longevidade em nossa atual experiência.
.
O erro gostaria que aceitássemos sua imagem invertida das coisas como o verdadeiro conceito da criação. Mesmeriza-nos para crermos que o ponto de vista da matéria é o real. Mas a metafísica da Ciência Cristã revela a Verdade. Esta Ciência nos dá o conceito real ou verdadeiro do ser e nos habilita a discernir entre as sugestões do mal e as ideias de Deus. À medida que compreendemos o que é espiritualmente verdadeiro, podemos separar o real do irreal. Podemos distinguir intelectual, moral e espiritualmente, o certo do errado. Conforme argumentamos a favor da Verdade e contra o erro na consciência, a Verdade substitui o erro, dando-nos completa proteção contra o mal e suas mentiras.
.
Novamente encontramos nos escritos da Sra. Eddy instruções a respeito. Em seu livro “Retrospecção e Introspecção” lemos: “O Espírito da Verdade extingue o modo errôneo de pensar, de sentir e de agir; e assim a falsidade tem de desaparecer antes que o sentido espiritual, a consciência afetiva e a bondade genuína se tornem tão patentes a ponto de serem bem compreendidos.” (P. 81: 11-16)
.
O magnetismo animal nos tenta mesmerizar com falsas emoções de ódio, medo e egoísmo em todas as suas variadas formas. Contrapomo-nos a estas emoções destrutivas com o Amor divino. Em Ciência e Saúde encontramos esta declaração: “O Amor divino é infinito. Por isso, tudo quanto realmente existe, está em Deus, e é de Deus, e manifesta o Seu amor.” (p.340: 12-14)
.
Deus é Amor – o Pai e Mãe perfeito de todos. O Amor tem poder absoluto para destruir tudo o que lhe é dessemelhante. Devemos reivindicar com absoluta confiança nossa unidade com o Amor divino e constatar que temos inato aquelas qualidades que nos libertam e protegem das emoções mortais; argumentar tão firmemente a favor do Amor quanto argumentamos contra o ódio e o medo, até que nos sintamos amados, desejados e cuidados por Deus — até que expressemos qualidades espirituais de paciência, gentileza, perdão, ternura, compaixão e compreensão. As emoções mentais destrutivas e a compreensão do Amor são opostos, e não podem ocupar a mesma mente ao mesmo tempo. Portanto, quando somente o Amor divino preenche nossos mais íntimos pensamentos, estamos protegidos de emoções impuras que causam doença e discórdia.
.
Quando discernimos a totalidade de Deus e a natureza impessoal do mal, somos mais capazes de amar imparcialmente. Em nosso trabalho de oração, podemos separar o mal da pessoa e rejeitar o mal sem estar antagônico com a pessoa, porque sabemos que a discórdia se origina do magnetismo animal e não da pessoa. Assim, podemos nos disciplinar para amar e, assim fazendo, encontramos nosso domínio sobre as emoções do magnetismo animal.
.
Falamos aqui de uma maneira das ideias espirituais que podem ser exploradas neste trabalho de oração. Se somos consistentes em nosso estudo diário, sempre que for necessário, Deus desdobra as ideias adequadas para lidar com a crença generalizada em mortalidade e com os problemas específicos que parecemos ter. A afirmação só da Verdade pode destruir as sugestões do magnetismo animal quando a Verdade é suficientemente compreendida. Se, no entanto, a agressividade do erro for tão forte que os argumentos da Verdade parecem insuficientes para destruir as falsas sugestões, então a negação do erro é essencial.

Continua..>
Back to Top