A Verdade

.
A
VERDADE

Sathya Sai Baba

“O homem que perdeu sua verdadeira natureza perdeu sua hominitude.”
Jesus disse: “A Verdade vos libertará.”
Sathya significa Verdade.

A Verdade é a Luz, o Conhecimento Superior, a Sabedoria que remove a ignorância e torna o Homem consciente de quem ele realmente é.
Muitos proclamam a onipresença de Deus, mas ignoram a presença de Deus em si mesmos.

Nas palavras de Sai Baba:

“Eu sou Deus. Você é Deus também.”

“Não há necessidade de se extenuarem buscando Deus. Ele está aí, como manteiga no leite, como a criança no óvulo; está em cada átomo da criação. Ele não provém de um lugar nem vai a outro. Ele é encontrado aqui, lá, em todas as partes. Desde o átomo ao cosmo, do microcosmo ao macrocosmo. Ele é tudo.”
“Nada há a não ser Deus.”

“Deus é a estrela mais longínqua e também a folha de grama sob seus pés.”
Em suma: tudo é Deus. Inclusive todos nós. Inclusive eu e você. O Homem é um ser Divino – é um templo móvel, no qual habita a Divindade. Se o indivíduo não manifesta sua divindade inerente ou não percebe a divindade onipresente, isto se deve a uma falha em sua educação, ou conhecimento de si mesmo.

Há muitos ensinamentos de Sai Baba indicando o que se deve fazer a fim de obter a purificação da própria mente e assim adquirir esse conhecimento e essa experiência suprema, de que tudo é Deus.
“Deus não está em religiões, mas em sua mente e em seu coração.”
Deus é ilimitado. É possível colocar limites em Deus? Portanto, Deus não está confinado a nenhum grupo ou instituição específicos.
“Os ateístas são como botões de flores e os teístas, as flores que desabrocharam. A flor desabrochada oferece fragrância a muitos. Os botões retém dentro de si sua fragrância. Mais dia menos dia os botões podem desabrochar ou igualmente podem cair antes de desabrochar. Aqueles que espalham a felicidade do Divino no mundo foram descritos como teístas o os que não o fazem são tidos por ateístas.”

A verdadeira marca de uma pessoa sábia e amorosa não é a roupa que veste ou os títulos que recebeu, mas sim a sua pureza interior, independente de credo, classe, sexo ou cor.
“Os que dizem ‘Deus não existe’ devem ter diante deles uma ideia preconcebida de Deus para que lhe possam negar a existência. Na penumbra da noite, uma corda pode ser tomada, por engano, como uma cobra, mas no momento em que a luz se faz, a corda é reconhecida como sendo o que ela é. Da mesma forma, o homem sábio reconhece Deus, pois se acha livre da Ilusão.”
*

Deixe um comentário

Back to Top