Mensagens da Verdade (Dárcio) – 174

174

“COM A MEDIDA QUE MEDIRDES VOS HÃO DE MEDIR”

 
Quem parte de Deus como TUDO, entende com facilidade os princípios mentais e espirituais que regem a vida. Como Deus é a Vida onipresente, mesmo estando evidenciado como cada um de nós, a UNIDADE que n’Ele somos, é inquebrantável. Os ensinamentos de Jesus partem desta Unidade Essencial que, refletida na suposta mente humana, nos mostra um conceito material de mundo em que também se reflete a mesma Verdade: “somos todos um”.
Por que Jesus disse “ser a Luz do mundo” e que, também nós, “somos a Luz do mundo”? Este é somente um exemplo de que toda a sua pregação se fundamentava na UNIDADE DA EXISTÊNCIA, e nunca em “pessoas isoladas”. Como Deus é Luz, e como Deus é TUDO, a UNIDADE PERFEITA, que somos,  que nos foi revelada por Jesus, só poderia ser constituída por “seres individuais” de Sua idêntica Natureza! E assim foi pregado o Evangelho de Cristo: a Natureza de Deus é a “nossa” Natureza, uma vez que formamos a totalidade de Deus. “Dei-lhes a glória para serem um, como nós, ó Pai, somos um: perfeitos em unidade” (João, 17: 22).
Disse Jesus: “Com o juízo que julgardes sereis julgados; com a medida que medirdes vos hão de medir” (Mt. 7: 2). Em que se fundamentam estas palavras? Também na UNIDADE ESSENCIAL! Jesus sabia que a humanidade a todos julgava “pelas aparências”, sem noção nenhuma de que “somos todos um”. Desse modo, explicou que, da mesma forma com que avaliarmos o próximo, seremos avaliados por ele, – por sermos todos um –  e, no caso, estaremos sendo “juízes de nós mesmos”.
Com o estudo e conhecimento da Verdade, revelada por ele, a tendência será a de trocarmos o “juízo pelas aparências” pelo “juízo justo”, que é a adoção da Mente de Cristo, o instrumento real de que dispomos para discernirmos a Verdade sobre a Existência. Quando julgarmos a nós mesmos como um Eu crístico, e não humano, todos os demais estarão sendo vistos como a mesma Luz que somos, e a Verdade estará conhecida: a CRENÇA em “humanidade” será substituída pela VERDADE da “cristicidade”. A isto, dá-se o nome de “renascimento espiritual”.
AFIRMAÇÃO DO DIA

Sei que, quando abandono o “juízo pelas aparências”, o Cristo, que EU SOU, pode ser discernido. E está “visão da Realidade” revela-me a UNIDADE PERFEITA anunciada por Jesus: “Naquele dia conhecereis, eu estou em meu Pai, vós em mim, e eu em vós”(João, 14: 20)

Deixe um comentário