Mensagens da Verdade (Dárcio) – 48

48

“EU VIM A ESTE MUNDO PARA JUÍZO”  

Até hoje, vemos igrejas e mais igrejas falando “em nome de Jesus”, sem que sequer entendam o “beabá” de seu Evangelho! Por quê? Por não terem “buscado o Reino de Deus em primeiro lugar”, por não pararem de “julgar pelas aparências”, por não reconhecerem que “temos a Mente de Cristo”, tremenda revelação do apóstolo Paulo (I Cor 2: 16). Em vista disso, por não terem entendido patavina de sua doutrina iluminada, que é, basicamente, cada um “despertar”, deixando de se ver como “carnal”, para se redescobrir na Verdade, sendo o “CRISTO”, um Ser uno com Deus, e formando a “unidade perfeita” (João, 17: 22).

Várias vezes eu fiz a seguinte pergunta aos cristãos ortodoxos: “Você pode me explicar o que Jesus quis dizer, com estas suas palavras?:

 “Eu vim a este mundo para juízo, a fim de que os que não veem vejam, e os que veem sejam cegos” (João, 9: 39).

Nada dizem! Nada sabem! Porque o mundo, ensinado a eles, é o “mundo material”, chamado por Jesus de “o mundo do pai da mentira”! E, depois de nada saberem responder, era inevitável que me perguntassem a  resposta! E, quando a ouviam, diziam: “Bem, esta é a sua interpretação!”  Não admitiam “não ter nenhuma!”

Esta fala de Jesus revela o motivo de sua vinda: cada um “renascer”, deixar de ter por foco o mundo visível, ficar “cego” para ele,  para “ter olhos” para o Reino de Deus, a realidade espiritual! E é por não entenderem esta Verdade básica, que não entendiam, também,  a INEXISTÊNCIA de pecados e de pecadores! Os fariseus que ouviram estas palavras de Jesus lhe perguntaram: “Também nós somos cegos?” Disse-lhes Jesus:
“SE FÔSSEIS CEGOS, NÃO TERÍEIS PECADO; MAS COMO AGORA DIZEIS: VEMOS, POR ISSO O VOSSO PECADO PERMANECE” (João; 9: 41).
Você entenderá que “não existe pecado” quando se tornar cristão a ponto de entender as falas de Cristo! Quando “ficar cego” para o “mundo do pai da mentira” para vislumbrar o Reino CHEGADO de Deus! Quando não mais “julgar pelas aparências”, por ter entendido o que é o “juízo justo”,  o “juízo” feito por VOCÊ, quando glorificar  a Deus no FILHO que VOCÊ É, sem mais se identificar com “carnais”, supostamente nascidos numa “farsa da mente carnal”, chamada “existência humana”!

Deixe um comentário

Back to Top