“EU VOS ESCOLHI A VÓS!”

Ouvir
Voiced by Amazon Polly

Não tivemos escolha. “Não fostes vós que me escolhestes a Mim; pelo contrário, Eu vos escolhi a vós”. Este Você, que Você é, insiste em ser Você, sua única Identidade. “Todos eles conhecerão a Mim, do menor ao maior deles”. Mas quem seria este “Mim”, contido na citação precedente? É exatamente VOCÊ; DEUS IDENTIFICADO COMO SUA VIDA, MENTE, SER E CORPO. As citações bíblicas assumem um renovado e glorioso significado, quando discernidas espiritualmente.

Caro leitor, toda nossa busca, ou procura pela Verdade, nada mais é que a IDENTIDADE QUE SOMOS, INSISTINDO POR SE MANIFESTAR. Poderíamos ter achado que nós mesmos estávamos empenhados nessa busca, poderíamos inclusive nos estar atribuindo algum mérito, tendo em vista nossa dedicação a ela. Entretanto, não fomos nós, de fato, que escolhemos esta Verdade., não estaria você desejoso de saber se existe alguma coisa que possa fazer, para capacitá-lo a conscientizar mais claramente este “Eu” que Você é? Existe sim. E é exatamente o que Você está fazendo agora. A sua concordância interna, ao que está aqui sendo dito, é a Sua RESPOSTA A VOCÊ MESMO. É o próprio Eu, consciente de Sua Identidade; é a Consciência divina, identificando-Se como a Sua Consciência.

Obviamente, isso não quer dizer que você esteja mudando de identidade ou trocando-a por outra. Como poderia fazer isto? Jamais ocorreu de Você ser alguém diferente do “Eu eterno” que está sendo neste instante. Jamais você se despirá ou se livrará de uma falsa identidade. De fato, uma visão além do equivocado conceito de Identidade é que possibilitará a Você, este Você que você é, surgir manifesto. Isto é Autoidentificação, ou Autoexpressão.

Muito se tem ouvido falar, atualmente, sobre autoexpressão. Porém, a maior parte do que se ouve em nada se relaciona com o expressar do “Eu” que Você é. Não é você quem expressa este “Eu”; Ele é que Se expressa como Você. Há uma vasta diferença entre esta Autoexpressão e aquilo que costumeiramente é aceito como autoexpressão. Na verdade, na maior parte das vezes, a autoexpressão não passa de egoexpressão. Ela surge na forma de um pequenino eu que tenta realizar algo, ou ser alguma coisa de si mesmo. Ela aparece como um falso conceito de ambição, um desejo de autoglorificação, de autopromoção, como se fosse algo de si mesma. Tudo isso aparentemente ocorre com a falsa identificação. Contudo, você não se deixará emaranhar nesta rede; você possui um conhecimento maior. Você sabe exatamente o que Jesus quis dizer, quando declarou “de mim mesmo nada posso fazer”. Sabe também o que Ele quis dizer, ao afirmar: “O PAI, QUE EM MIM ESTÁ, ESTE REALIZA AS OBRAS”.

Sim, Deus, identificado como Jesus, realizou as obras. E Deus, identificado como Você ou Eu, realiza hoje as Suas obras. Mas que obras são estas? São a perfeita Onipresença, Oniação e Onipotência divinas, manifestas como a realidade de Tudo quanto existe. A perfeita Substância divina está sendo manifesta como a substância de toda a forma. A Beleza que é Deus, está sendo manifesta como a Beleza de toda forma e substância. Deus, como Perfeita Oniação, está sendo revelado como a atividade de cada Identidade. Deus, Onipotência, está sendo percebido como o único Poder presente ou em operação. A Perfeição Onipresente está sendo manifesta, identificada como a única Presença naquele que aparentemente esteja necessitado de ajuda ou de cura. São estas as obras que se realizam hoje, e que foram também realizadas quando Jesus caminhava e trabalhava às margens do Mar da Galileia.

Em que consiste a nossa participação em tudo isso? Consiste em aceitarmos, reconhecermos a Deus como sendo Tudo que possa estar identificado como todos NÓS. Consiste em proclamarmos nossa Identidade como sendo Deus, revelando, manifestando, individualizando e identificando a Si mesmo como a inteireza de nossa Vida, Mente, Corpo, Ser e de toda nossa atividade.

Pela recusa em reconhecermos, aceitarmos ou proclamarmos uma falsa identidade, descobrimos que ela não possui nenhuma presença ou poder para nos afirmar coisa alguma. Recusando a nos identificar com algo que não Deus, constatamos, jubilosamente, que não existe nada além de Deus, identificado como cada um de NÓS. Recusando a honrar ou dar crédito a algo além de Deus, percebemos que nada, além de Deus, tem existência como o nosso Ser, ou como algo relacionado conosco.

Não importa qual venha a ser o nome que você possa ter aplicado à identificação equivocada do seu Ser. Seja Maria, João, ou outro qualquer, o fato é que Você possui um único nome, que é “EU SOU”. É a este Nome que Se atribuem as Obras realizadas. Este é o nome que Você sempre teve, e que terá para todo o sempre. Verdadeiramente, “A dádiva de Deus” Se constitui d’Ele próprio; Sua Vida identificada como Sua Vida, Sua Mente identificada como Sua Mente, Sua Onipotente Onipresença, identificada como Seu Poder e como Sua única Presença. Esta é Você. Esta é a Sua Identidade, assim como está revelado na definição de “Absoluto”. Aceite-A, assuma-A, pois, Ela é o Seu EU.

*

 

Deixe uma resposta

Back to Top