A RELAÇÃO MENTE E ESPÍRITO – 7

Ouvir
Voiced by Amazon Polly

( VII )

Aplicação na Prática

  1. a) Nas contemplações:

Realizá-las a partir do seguinte enfoque: A MENTE DIVINA É A ÚNICA MENTE, E SE MANIFESTA SENDO A MINHA MENTE E TAMBÉM A MENTE DE TODOS OS SERES.

  1. b) No cotidiano:

Em todas as nossas atividades e relacionamentos, devemos recordar sempre que: “A MINHA MENTE É A MESMA DE TODOS COM QUEM ENTRO EM CONTATO DIÁRIO, DIRETA OU INDIRETAMENTE.” Esta conscientização, feita logo pela manhã, é a mais elevada “prece de proteção” que há. Através de sua prática diária, feita conscientemente, constataremos os frutos da Verdade se manifestando em nosso cotidiano.

O “quadro” que a “mente carnal” nos mostra como sendo o Universo, não deve ser considerado como se existissem mesmo as pessoas ou condições isoladas nele presentes . Localizar uma pessoa “má”, ou algum ponto ruim isolado, apenas nos dificultaria na aplicação dos princípios espirituais. Exemplificando, se no “quadro” houver um ladrão praticando um assalto, a CENA INTEIRA deverá ser imediatamente reconhecida como ilusória, ao mesmo tempo em que nos soltamos interiormente na Onipresença ou totalidade de Deus. Isto comprovará a existência da Mente ÚNICA divina , que Se manifesta em UNIDADE como a Mente de todo ser integrante da Realidade. Caso contrário, iríamos considerar pessoas isoladamente, com “mentes” independentes, boas ou más, e dotadas de vontades próprias; em outras palavras,  iríamos endossar a ILUSÃO.

Não existe “mente do ladrão” e “mente da vítima”: HÁ UMA CENA ILUSÓRIA, apresentada pela “mente carnal”. Cabe, a cada um de nós, reconhecê-la  pelo que ela é: ILUSÃO! Puríssimo NADA!

De fato, existe UMA ÚNICA MENTE EM TODO O UNIVERSO, QUE DISCERNE A SI MESMA COMO O PRÓPRIO UNIVERSO. Deus é Espírito, e o Universo divino sempre é, portanto, espiritual, harmonioso e perfeito.

Após reconhecermos que TODO O QUADRO VISÍVEL é ILUSÃO, simples SONHO, poderemos encará-lo sem a ânsia de querer melhorá-lo. Teria sentido querer melhorar as imagens de um sonho? Assim, cientes de que tudo não passava de uma sugestão hipnótica, sem substância, realidade, poder ou existência, concluiremos que realmente DEUS É TUDO COMO TUDO.

A prática constante de aplicação destes princípios nos dá condições de viver continuamente voltados para o nosso interior, numa “vida contemplativa”, sem mais nos preocuparmos ou envolvermos com as imagens mesméricas que a “mente carnal” faz desfilar diante de cada um de nós. Isto, na linguagem de Jesus Cristo, significa “vencer o mundo”.

F  I  M

Deixe uma resposta

Back to Top