A APARENTE  RETOMADA DA DIVINDADE!

“Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;
E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz.
Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome”.

Filipenses. 2: 7

Toda real Revelação divina parte da Verdade eterna de que UNICAMENTE DEUS É REALIDADE. Quando as Escrituras pregam algo “além” da TOTALIDADE DE DEUS, para não falarmos que elas MENTEM, falamos que empregam subterfúgios e estratégias entendidas como necessárias para “libertar a humanidade” das falsas crenças coletivas que a escravizam  em suas supostas mas ilusórias “gerações humanas”.

Tudo que não seja Verdade Absoluta, e que veio sendo passado à humanidade, mesmo com elevados objetivos, também apresenta o seu lado ruim, como, por exemplo, quando encontramos Paulo dizendo que “Deus exaltou  Jesus soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,
E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai”.

Qual é a Verdade Absoluta que Paulo pretendia disseminar, usando as palavras ditas? Era a mesma Verdade passada sem rodeios por Jesus, que, ciente de que SOMOS TODOS UMA UNIDADE PERFEITA, sabia que todo suposto “nome de carnal” usado por “alguém” era ilusão, tanto quanto o seu suposto dono fenomênico!

PAULO PREGAVA O RENASCIMENTO DO ESPÍRITO, EM QUE NOS VERÍAMOS na aparente retomada de nossa divindade, e sendo O CRISTO, UM COM DEUS E ONIATIVO EM DEUS!

Mas as colocações não absolutas trouxeram o seu lado negativo, atrapalhando a percepção de que “O CRISTO É TUDO EM NÓS TODOS”, com muitos achando que “JESUS CRISTO” ERA NOME SÓ DE JESUS! Acreditando nesse erro, muitos me disseram que “o ensinamento absoluto nega a Bíblia”, quando ela traz passagens como esta de Paulo, enaltecendo o CRISTO SÓ EM JESUS!

“Somente adorarás o Senhor TEU DEUS”, disse Jesus! Explicava, sem idolatrias, o Consolador, o CRISTO que todos somos, reconhecido e vivificado como “o outro Consolador”, AQUELE QUE FICARÁ CONOSCO PARA SEMPRE!  Quando os discípulos chegaram alegres a Jesus, contando a ele que os demônios se lhes sujeitavam ao “ouvirem o nome dele”, foram corrigidos no ato:

“ALEGRAI-VOS POR TEREM OS VOSSOS NOMES ESCRITOS NOS CÉUS!”

*

Deixe uma resposta