Magnetismo Animal-5

5

A Agressividade Do Magnetismo

Animal

A longa e difícil luta para elevar-nos acima do magnetismo animal nos induz a entrar em acordo com ele. A espiritualização do pensamento não é uma tarefa fácil. Ficamos sob o controle do magnetismo animal até que uma experiência desesperadora nos force a orar para vencê-lo, como última alternativa. A Sra. Eddy nos alerta: “Vigia e ora diariamente para que as sugestões do mal, seja qual for seu disfarce, não criem raízes em teu pensamento e nem produzam frutos.” (Miscellany p. 128: 30-32.)

Devemos argumentar contra o mal porque o antiCristo não é passivo ou inerte. É ativo. Sem dúvida, é agressivo! Age implacavelmente para mesmerizar com pecado e sofrimento a consciência humana. A crença de que o mal não nos atingirá se o ignorarmos, é autoengano. O mal dominará a consciência sempre que puder. A não ser que saibamos a diferença entre os pensamentos de Deus e as sugestões do mal, não estaremos suficientemente protegidos do mal.

O magnetismo animal é muito incoerente para nos influenciar. Ele não se anuncia nem pede licença para entrar em nossa mente. Ele secretamente nos mesmeriza através de argumentos silenciosos que vêm disfarçados como nossos próprios pensamentos. Esta ação depravada do mal na mente desprevenida esgota as energias mentais dela, paralisa a atividade da Consciência Crística, aprisiona a consciência em ilusões mortais e causa-lhe adoecer, envelhecer e morrer.

Vemos esta influência em toda parte em nossa experiência diária. Quando uma pessoa diz algo desagradável à outra, lá está o mal. Quando confusão, caos, medo e emoções perturbadoras estão controlando e tudo dá errado, lá está o mal. Quando há falta e limitação, o mal está agindo. Onde há mal entendido, onde domina o conflito, a frieza, a desconfiança e a indiferença, lá está a influência do mal. Onde pesar, desespero, frustração ou solidão clamam estar presentes, o mal está agindo. Onde ira, crítica, hipocrisia, ciúme, inveja, ressentimento, amargura ou egoísmo nos amargam a existência, o mal está tentando nos separar de Deus. Toda doença e enfermidade vem através das sugestões do mal. Problemas que parecem ser o resultado de condições fora de nosso controle – causa e efeito materiais, hereditariedade, ambiente, traços de caráter e emoções incontroláveis, ações de outras pessoas – se originam do magnetismo animal.

Encontramos o magnetismo animal em nossos relacionamentos, na educação e diversão que absorvemos, na manipulação psicológica usada para vender, ensinar, persuadir e controlar a mente desprevenida. O mal manifesta o mesmerismo de falta, ignorância, doença, discórdia e limitação na crença generalizada da existência mortal e material que preenche a consciência coletiva.

Os elementos mais perniciosos do mal são manifestados nas mais depravadas formas do comportamento humano: crueldade física e mental; domínio do forte sobre o fraco; vício de argumentação e luta irracionais; indiferença ao sofrimento dos outros; planos maliciosos, frios e calculados; difamação e calúnia que assassinam o caráter e a vida de outra pessoa; vulgaridade; comportamento grosseiro, rude e arrogante; perversão sexual; fúria; violência; crime; tortura; guerra. Embora estejamos inclinados a culpar aqueles que manifestam tais formas de magnetismo animal por suas más ações (e certamente eles são responsáveis por suas ações), ficamos mais científicos em nossa análise quando olhamos além das pessoas e reconhecemos que seus atos são o mal manifestado como comportamento mortal. Como marionetes, eles são controlados pelas manipulações mentais do mal.

Quando distinguimos por trás da discórdia humana, que diariamente desfila diante de nossos sentidos, as energias mentais agressivas do mal, podemos negá-lo com maior autoridade. Seu controle depende de sua habilidade em nos fazer acreditar em suas mentiras. Induz-nos a dar poder, lugar e realidade a estas mentiras, levando-nos a atribuí-las a nós mesmos e a outros.

Com a Ciência Cristã estamos capacitados a separar das pessoas ou circunstâncias as mentiras sutis do mal com o fim de resistir e anular sua atividade através da oração. A mente que não consente em ser hipnotizada, não pode ser hipnotizada. A mente que luta contra as sugestões do mal com a Verdade está livre e protegida de ser mesmerizada sem seu consentimento ou conhecimento.

Através da oração de afirmação e negação, podemos despojar as energias mentais agressivas do mal até termos domínio sobre elas. Elas cessarão de argumentar conosco à medida que, com a Verdade, resistimos vigorosamente.

Com este conhecimento, a cura espiritual não é mais um trabalho obscuro ou cura pela fé cega. O verdadeiro metafísico possui uma forma concreta de inteligência, tão real e distinta, como os princípios da matemática e da engenharia são para o engenheiro. Este conhecimento espiritual pode ser aplicado a qualquer sugestão hipnótica. Quando este trabalho de oração é realizado de forma apropriada e persistente, o indivíduo pode provar que o mal é nada. Não há forma de discórdia tão pronunciada ou sutil que possa escapar da destruição através deste método científico de oração, quando este método é compreendido. Quando a pessoa discerne, por trás de qualquer discórdia, a atividade mental do magnetismo animal, quando ela afirma a presença e o poder de Deus em seu lugar, a discórdia se dissolve e desaparece, a cura se manifesta e a saúde e a harmonia prevalecem.

Continua no próximo domingo ..>

Deixe um comentário

Back to Top