VÁ COMO CRIANCINHA AO CRISTO EM VOCÊ!

“Deixai as criancinhas e não as impeçais de vir a mim, pois delas é o Reino dos Céus” (Mt. 19: 13).

O verdadeiro cristão é aquele que segue a doutrina do Pai, trazida por Jesus ao mundo. Em sua doutrina, somos todos UM,  o CORPO IMACULADO DE CRISTO, e não “corpos carnais”, que apenas são “imagens hipnóticas” engendradas pela suposta mente humana!.

A Bíblia afirma   que “a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo”, razão  pela qual precisamos saber QUEM É JESUS CRISTO, o FILHO DE DEUS! UMA PESSOA? UM DEUS? UMA CONSCIÊNCIA?

As  religiões falam muito sobre Jesus Cristo; porém, o principal não é dito, mas está nas próprias palavras dele e do apóstolo Paulo!  “Estivestes COMIGO desde o princípio”, disse Jesus ! “Jesus Cristo está EM VÓS”,  disse Paulo. Entretanto, a LIBERTAÇÃO           DAS CRENÇAS  MENTIROSAS  não foi pregada tomando-se por base COMO  JESUS FALAVA NEM COMO ELE AGIA!

Jesus afirmou ser “um com o Pai”, sendo que “O PAI ERA MAIOR DO QUE ELE”!  SABIA QUE O MESMO PAI QUE NELE HABITAVA ENCONTRAVA-SE  DE MODO IDÊNTICO EM TODOS NÓS!  “Ou não sabeis que SOIS O TEMPLO DE DEUS, e que o ESPÍRITO DE DEUS HABITA EM VÓS?” – indagava Paulo.

As religiões mais  propagaram um Jesus exterior do que o “Pai em nós”, que é O CRISTO EM NÓS!

E assim, desviaram a atenção e o foco da humanidade para um Jesus pessoal, FILHO UNIGÊNITO DO PAI, e nos separando tanto dele como do Pai, afirmando que todos os demais são meras “criaturas” , salvas     pelo ”sangue de Jesus”!

O sentido real e metafísico de se “provar” da carne e do sangue de Jesus,  ao ser  lembrado pelas religiões, nunca foi tratado como deveria, o que seria “cada um participar da sua crucificação” através de “sua própria cruz”, que foi o que Jesus nos ensinou!

“Se quer vir após mim, NEGUE-SE A SI MESMO, TOME A  SUA CRUZ, VENHA E ME SIGA” – esta NEGAÇÃO DE SI MESMO  é a “crucificação”!                Traduzindo: NEGUE-SE COMO CARNAL MORTAL E CRUCIFIQUE TAL “EGO EMBUSTEIRO”, PARA SER VERDADEIRAMENTE O CRISTO, “UM COM O PAI”, PERFEITO E IMACULADO, AQUI E AGORA!

Dentro da crença mentirosa do mundo, propagou-se um DEUS TODO PODEROSO QUE NECESSITA DE  “MATAR SEU AMADO FILHO”  NUMA CRUZ, PARA PODER  “SALVAR A HUMANIDADE “”PECADORA”!

Isaías já  havia revelado a Verdade: “Sou EU, EU MESMO, que apago todas as tuas transgressões, e dos teus pecados nem me lembro”.

É muita infantilidade espiritual acreditar num DEUS QUE NÃO SEJA TUDO, e que possa VER ALGO OU ALGUÉM  ALÉM DE SI MESMO!  Mas é desta aceitação fraudulenta que surgem as CRENÇAS EM PECADOS E LEIS CÁRMICAS, QUE INFERNIZAM A HUMANIDADE NA FALSIDADE DE “SER EXISTÊNCIA” AO LADO DA ONIPRESENÇA!

Jesus enaltecia a pureza das criancinhas, que ainda não eram contaminadas pelas noções terrenas de “carmas”,   “pecados” e “pecadores”.

Deixai as criancinhas e não as impeçais de vir a mim, pois delas é o Reino dos Céus (Mt. 19: 13).

Jesus via nelas a pureza de Deus, enquanto doutrinas dos homens as veem  sob a óptica da ilusão, algumas como “fadadas a serem pecadoras”, e outras,   vendo-as como “antigos espíritos”, reencarnando para evoluir ou compensar  supostos carmas negativos  do passado!  “HAJA DEUS!”

 

O enfoque absoluto da Verdade faz com que nos vejamos EM DEUS, como “criancinhas puras e vivas”

 dotadas da Mente de Cristo!

NÃO RECEBEMOS DE DEUS A ILUSÓRIA “MENTE DO MUNDO” E SEUS PRECEITOS!”. Recebemos o ESPÍRITO  DE DEUS, para discernirmos espiritualmente o que gratuitamente recebemos de DEUS!

DEUS É TUDO, É ESPÍRITO, E É QUEM TODOS SOMOS! ESTA É A VERDADE LIBERTADORA!

O RESTO, É PALHA!

*

A NATUREZA DO HOMEM

VOCÊ está querendo ser curado? Ser curado muitas vezes é descrito como “tornar-se completo”. Um dos conceitos sanadores mais abrangentes na Ciência Cristã é o da natureza do homem como uma expressão completa, indivisível, de Deus.

Mary Baker Eddy, que apresenta a Ciência divina da cura em sua descoberta da Ciência Cristã, faz uma declaração que é a base de uma compreensão constantemente eficaz sobre a verdadeira natureza do homem. Ela escreve: “Será que o homem não é metafísica e matematicamente o número um, uma unidade,e portanto um algarismo completo, governado e protegido por seu Princípio divino, Deus?”

Considere Deus como o Princípio divino do ser, a própria Vida. Como Deus é o único Criador e é infinito, de um modo individual Seu reflexo necessariamente manifesta, qualitativamente, a totalidade de Seu ser como uma unidade plena ou representativa dEle. Uma unidade implica estar intacto, inteiro, um todo indivisível. Como semelhança de sua origem, cada filho de Deus, de um modo distinto, individual, manifesta a inteireza de Deus, que é Tudo e sabe tudo.

Os problemas corpóreos que queremos curar são os efeitos subjetivos da crença de que o homem é uma máquina pessoal, biológica, composta de diferentes sistemas e órgãos materiais, às vezes saudável, às vezes doente, jovem e depois velho. Estas máquinas podem supostamente ser afligidas em parte; o aparelho digestivo pode estar com defeito, enquanto as funções motoras estão funcionando bem, por exemplo.

Essa noção falsa sobre o homem é o exato oposto do homem verdadeiro, espiritual, à imagem e semelhança de Deus. Cristo Jesus claramente indicou essa verdade, quando disse: “O Filho nada pode fazer de si mesmo, senão somente aquilo que vir fazer o Pai, porque tudo o que este fizer, o Filho também semelhantemente o faz”.  E ele disse: “Porque assim como o Pai tem vida em si mesmo, também concedeu ao Filho ter vida em si mesmo”.

A Sra. Eddy discorre mais amplamente sobre a natureza do homem como reflexo espiritual, quando escreve em Ciência e Saúde: “Deus é o criador do homem, e como o Princípio divino do homem permanece perfeito, a ideia divina ou reflexo, o homem, permanece perfeito. O homem é a expressão do ser de Deus”. E continua mais adiante: “As relações entre Deus e o homem, o Princípio divino e a ideia divina, são indestrutíveis na Ciência e a Ciência não concebe um desgarrar-se da harmonia, nem um retornar à harmonia, mas sustenta que a ordem divina ou lei espiritual, na qual Deus e tudo o que Ele cria são perfeitos e eternos, permaneceu inalterada em sua história eterna”.

Assim como cada número inteiro na matemática, assim também cada um de nós, como expressão individual do Princípio divino, a Vida, tem uma identidade nítida. Temos nosso próprio nicho no plano de todas as coisas – um propósito ordenado pelo Princípio que ninguém mais pode preencher, assim como temos um relacionamento, baseado no Princípio, como todas as outras ideias de Deus. A integridade de cada expressão de Deus é mantida pelo Princípio, Deus.

A verdade espiritual nos reeduca, corrigindo a impressão equivocada quanto ao homem como uma fração, uma germinação material, que se desenvolve para depois se deteriorar. A Verdade revela o estado genuíno do homem como uma imagem completa, que está sempre se desdobrando, de tudo o que constitui o Espírito divino. Uma compreensão da indivisibilidade do homem anula a aceitação impensada da mentira mortal de que a vida é uma troca, que começamos a vida como um bebê incompleto que, apesar de inocente e puro, não tem experiência, sabedoria, discernimento e paciência. Parece que essa criança tem de alterar suas jovens qualidades para poder adquirir aspectos de maior maturidade. No entanto, através da Ciência Cristã, descobrimos que nós e nossos filhos temos o direito divino de expressar inteireza inalterada. O homem reflete a inteireza espiritual como imagem de um Pai-Mãe ilimitado. Essa integridade da verdadeira identidade pode ser demonstrada em nossa experiência à medida que a compreendemos e a vivemos. Uma vez aberto o pensamento a essa possibilidade, através do Cristo, que é a verdadeira ideia de filiação, a demonstração de nossa verdadeira natureza pode começar.

Não pode haver incoerência entre uma unidade individual e o todo que ela representa. Esta dedução tem a autoridade do Cristo, a Verdade, a apoiá-la, e nos investe do poder de adquirir domínio sobre o processo mortal de envelhecimento. À medida que compreendemos o fato espiritual a respeito da integridade do homem, podemos ajudar as crianças a expressarem mais independência e a merecerem confiança, e aqueles “idosos” perceberão que suas capacidades se mantêm constantes e normais, livres de enfraquecimento e decrepitude. Não é necessário abrir mão do entusiasmo para preservar a força, nem da flexibilidade para desfrutar da estabilidade.

O estado intacto, imperturbável, do Espírito divino assegura que o homem como ideia do Espírito também é intacto. Como a fonte é eternamente perfeita, sua manifestação não pode ser nada menos que isso. Tiago disse bem: “Toda boa dádiva e todo dom perfeito é lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança” (Tiago 1:17).

Continua..>

Devido à praticidade que caracteriza a Ciência Cristã, as majestosas verdades espirituais são aplicáveis aos pequenos detalhes da vida diária, até mesmo à cura do que é chamado de simples resfriado. Tive uma cura assim um dia desses, aplicando as verdades contidas neste artigo. Sentia-me muito mal, e estava longe de parecer um todo harmonioso! A ignorância mortal sugeria que eu estava presa num corpo material que podia ter uma parte doente, enquanto o restante estava normal; que eu podia estar bem num dia e doente no outro.

Peguei a Bíblia e ela se abriu em Hebreus, onde li: “Pela fé entendemos que foi o Universo formado pela palavra de Deus, de maneira que o visível veio a existir das coisas que não aparecem”. Ótimo, pensei. Pela autoridade da bíblia sei que sou, na verdade, uma ideia, refletindo a substância espiritual, não a material, como parecia. Sou tão pouco sujeita a uma condição material, a um resfriado, quanto o algarismo um na matemática ou a nota dó na escala musical. Percebi que toda ideia é destituída da noção de tempo; ela não existe de acordo com parâmetros temporais, sob diferentes condições em diferentes épocas.

Então refleti em oração sobre a natureza da fonte que determina minha condição imutável. Na Bíblia, no livro de Isaías, o autor pergunta: “Quem na concha de sua mão mediu as águas, e tomou a medida dos céus a palmos? ” (Isaías, 40: 12). Através da oração senti ordem tangível, economia perfeita, onde não pode haver excesso, nem deficiência; senti algo do equilíbrio e da pureza do Princípio divino. Sabia que esse era o Princípio de todo o meu ser, ali mesmo, independente da falsa evidência material em contrário. Deus não podia ser causa de uma parte de mim, fazendo essa parte funcionar normalmente (minha habilidade de me mover estava bem! Minha moralidade estava intacta!), enquanto outra causa governava minha habilidade de respirar. O homem não consiste de muitas partes, mas é um todo íntegro.

Instantaneamente, minha cabeça e peito ficaram desimpedidos. Não foi como se alguma substância houvesse vazado ou tivesse sido expelida. Só sei explicar que foi como se de repente eu tivesse ficado livre de uma ilusão. Num momento o resfriado era uma convicção concreta com o respectivo mal-estar; no momento seguinte não era mais aceito no pensamento nem no corpo. Percebi que o homem, como ideia completa, íntegra, a expressão do Princípio perfeito, é influenciado e governado apenas pelas leis sustentadoras do Princípio, o Amor, não pelas variações da matéria. Perceber a unidade de Deus e o fato de que Sua ideia espiritual está intacta, havia me curado!

Será que uma ideia pura poderia ser parcialmente impura? Será que o Princípio pode ser tanto ordenado quanto caótico? Como Jesus trouxe à percepção humana a noção de que o homem é completo, provando que o homem não é feito de partes materiais, capaz de ver, mas não de ouvir, capaz de amar, mas não de andar. Com visão espiritual Jesus viu que toda a pretensão de fragmentação física é ilusória. As qualidades e atributos de Deus refletidos, os quais constituem o homem espiritual, não devem ser considerados “partes”, mas aspectos de um todo íntegro que nunca dá defeito, nem quebra. Cortes, ossos quebrados, personalidades divididas ou qualquer outra forma de divisibilidade não precisam ser aceitas como o verdadeiro status do homem.

A realidade é, em verdade, unidade espiritual, integridade, à qual nada falta. Como ela é impenetrável, indivisível, o fato científico é que por podermos ver, podemos ouvir. Por podermos ouvir, podemos ser ativos. Por podermos ser ativos, somos inteligentes. Por sermos inteligentes, somos amorosos. Por sermos amorosos, estamos espiritualmente empregados. Por estarmos espiritualmente empregados, somos supridos. O homem é uma ideia composta, completa, e a lei de Deus o mantém e sustenta intacto.

Na verdade, então, não somos uma entidade material governada por um cérebro e composta de partes separada; somos a semelhança completa, intacta e espiritual de Deus. Compreender essa idéia correta sobre o homem tem o efeito prático de restaurar os doentes e os pecadores à integridade. A verdade de que nenhum indivíduo pode ser menos do que completo reforça nosso empenho em expressar mais e mais de nossa superioridade, dada por Deus, sobre as pretensões tanto da matéria quanto do pecado, aqui e agora.

Assim como nós somos a causa de cada aspecto de nosso reflexo num espelho, Deus é a causa de cada aspecto de Seu reflexo, o homem e o universo. O homem, como reflexo, não pode ser parte espiritual e parte material, ou parte mortal e parte imortal. A integridade do Princípio divino é a lei de eliminação destas incoerências ilusórias. O homem é, como a Ciência Cristã ensina, “governado e protegido por seu Princípio divino, Deus”, inteiro, santo, livre da materialidade.

(Extraído de O Arauto da Ciência Cristã – Abril 1995)

VOCÊ , EM CRISTO, É SEU MESTRE!

“Nem vos chameis mestres, porque um só é o vosso Mestre, que é o Cristo”.

Mateus, 23: 10

A errônea identificação com “carnal mortal” é a aparente causa de “busca externa” por Deus, gurus ou mestres, e por “iluminação espiritual”. Jesus marcou em destaque esta falácia toda, oriunda da enganadora, acusadora e ilusória “mente carnal”.

A aceitação incondicional da Verdade Absoluta, DEUS É TUDO COMO TUDO, deixa-nos identificados com o CRISTO, nossa eterna e real identidade!  Se o mundo procurasse viver este “renascimento”, que é a identificação plena com a Verdade, não teríamos tantas aberrações faladas em nome de Deus  nem tampouco a volumosa quantidade de “doutrinas várias e estranhas” a que a humanidade se mostra atraída, com cada um sempre procurando FORA o que, desde o princípio, está DENTRO  DE SI MESMO!

O  fanatismo religioso, que domina grande número de pessoas, desvia todas elas de seu próprio íntimo, atraindo a atenção para supostos “deuses” ou “mestres” externos!  Enquanto isso ocorre, o DEUS REAL EM CADA UMA acaba passando por “despercebido” e sendo  o grande “esquecido”!

Jesus revelou o “Pai em Mim” como feitor de suas obras. Conhecia-se internamente UM COM O PAI numa Unidade Perfeita!  Excluía TODA POSSIBILIDADE de haver “mestres espirituais” sem que fossem este “Pai em MIM”, que é O PAI EM CADA FILHO DE DEUS!.  Para isso, a suposta “mente carnal” terá de

sair de cena, deixando DEUS EM NÓS totalmente livre para Se revelar e Se mostrar sendo o próprio SER “EU SOU” QUE SOMOS!

“FORA DE MIM, NÃO HÁ DEUS” – disse Isaías!

O papel do ensinamento absoluto é endossar o FOCO de cada um em SI MESMO, como ensinaram todos os mensageiros da Verdade; contudo, os mensageiros foram tornados “FOCOS”, fazendo com que  a CRENÇA EM MORTAIS se perpetuasse!

“Se EU NÃO FOR, o Consolador não virá a vós”, disse Jesus! “Glorificai a Deus no VOSSO CORPO e no VOSSO ESPÍRITO”, disse Paulo; “Quem CRÊ NO FILHO tem EM SI MESMO o testemunho”, disse João!

Enquanto O DEUS EM CADA FILHO for ignorado e deixado de lado, pelos DESVIOS enganadores apresentados pela suposta’ “mente carnal”, a VERDADE “DEUS É TUDO” deixará de ser reconhecida, contemplada e vivida!

DEUS É TUDO, A MENTE ÚNICA,  E A NOSSA MENTE! “TEMOS A MENTE DE CRISTO”  (1 Cor. 2: 16). 

DEDIQUE-SE ASSIDUAMENTE À CONTEMPLAÇÃO DESTAS VERDADES, AO PONTO DE UNICAMENTE “ADORAR O SENHOR TEU DEUS” , A FIM DE  PERCEBER “SER ELE”  O SEU CRISTO E  SEU “MESTRE”!

*

 

“NINGUÉM JAMAIS NASCE!”

Se a frase de Jesus, “Vós, deste mundo, não sois”, tivesse sido levada às orações, com a pessoa “buscando, em primeiro lugar, o Reino de Deus”, e aprendendo por revelação, com o “Consolador”,  o Espírito Santo, presente como o verdadeiro Espírito de cada ser, a crença em “nascimentos” já teria sido debelada! Mas, ainda hoje as “imagens hipnóticas” continuam prevalecendo na maioria dos casos, o que faz com que irrealidades sejam normalmente levadas em conta como “acontecimentos reais e naturais”. “Ah, mas isso é muito elevado!” – diz a “mente em ILUSÃO! Enquanto esta mente falsa não for “posta para correr”, a Verdade de que Deus é o ser individual que somos, ficará na teoria e não na prática que nos liberta!

Paulo disse que esta “mente que vê as coisas do mundo” não nos vem de Deus! A que de Deus nos vem, é a própria Mente divina, a única que tem realidade, e que “discerne espiritualmente as coisas de Deus”.

Ninguém nasce, porque não existe “ser separado de Deus” para ter “começo”. Se esta ilusão não for desmantelada, ficará a pessoa a vida toda se achando  “nascido à espera de renascer”.

A Nicodemos, disse Jesus: “Quem não nascer de novo não verá o Reino dos Céus”.  Para certas correntes “espiritualistas”,  isso foi entendido como “reencarnação”; para  cristãos de muitas denominações, isso foi entendido como “fato ainda por acontecer”; mas, o entendimento pleno é o absoluto:

Jesus explica o REFERENCIAL DIVINO, a Visão do Universo a partir dos fatos permanentes! Você nunca nasceu nem jamais nascerá! Você nunca nasceu de novo nem nascerá! Você nunca esteve na matéria e nem dela sairá!

Portanto, quando quiser levar à meditação algum tema essencial, escolha o seguinte: “Se me foi revelado que não sou deste mundo, de que mundo eu sou?”  Esta indagação dará uma ajuda inicial, para que você se livre da crença falsa de ter nascido e estar “neste mundo”; a partir desse passo, persista em ficar em silêncio, e deixe Deus Se anunciar como resposta revelada! Assim orava Jesus: em secreto e em comunhão com o Pai ou com a Verdade. Foi assim que, com autoridade, ele disse aos fariseus: “Antes que vosso mestre Abraão existisse, eu sou”. Eles estavam presos à crença em nascimentos e em vivência material, enquanto Jesus estava preso à VERDADE!  Ou seja, estava SENDO A VERDADE!

*

PRIMEIRO MANDAMENTO: A BASE DA LIBERDADE!

Verdadeiramente livres são os indivíduos cuja convicção de poderem se entregar confiantemente a Deus é tão forte, que sabem que coisa alguma os pode afrontar a ponto de separá-los de Deus. Esta liberdade tem por base uma compreensão firme da unidade inseparável entre o homem e Deus, o Princípio de toda realidade e bondade. Jamais foi enunciada uma diretriz mais fundamental para a obtenção dessa liberdade, do que o Primeiro Mandamento: “Não terás outros deuses diante de mim”.

O grande significado do Primeiro Mandamento deve penetrar a fundo em nosso pensamento. Nossa constante necessidade é a de medir nossa obediência a ele, perguntando-nos se estamos atribuindo poder a qualquer pessoa ou a qualquer coisa além de Deus. A Divindade é a fonte de toda a realidade. Tudo o que Ele sabe é real e Ele conhece somente o bem. Portanto, unicamente o bem é real. Não há, nem pode haver, outro poder além de Deus, porque Ele é Tudo. Ele é o Único, e não existe coisa alguma fora de Sua totalidade. Um domínio e uma independência cada vez maiores se fazem sentir à medida que aprendemos o significado vital de não nos deixarmos sujeitar a poder algum, exceto o Poder de Deus.

Ora, se concedermos poder ou realidade a qualquer outra coisa ou pessoa, estaremos, com efeito, admitindo outros deuses, e violando o Primeiro Mandamento.

No decorrer dos séculos, a humanidade fez enormes esforços para se libertar da escravidão de toda espécie. E a liberdade foi valorosamente conquistada em muitos setores da experiência humana. Conquistaram-se liberdades tais como o direito de voto, o direito de propriedade, de julgamento justo, de imprensa livre e de adorar a Deus de acordo com a própria consciência – aquisições extremamente importantes, as quais, conquanto ainda não tenham caráter universal, proporcionaram bênçãos incalculáveis.

Não será, porém, que a liberdade final deveria incluir o estar livre do pecado, da enfermidade e da morte, como Cristo Jesus prometeu?

Mary Baker Eddy pesquisou as Escrituras durante muitos anos, de modo que nós, seus seguidores de hoje em dia, pudéssemos obedecer às suas palavras: “Curai enfermos, ressuscitai os mortos, purificai leprosos, expeli demônios; de graça recebestes, de graça daí.” A Sra. Eddy, Descobridora e Fundadora da Ciência Cristã, pela graça e pela revelação discerniu que Deus é Amor, Verdade e Vida, como a Bíblia O define, e que Ele é também o único Princípio divino e demonstrável. Ela percebeu que as portentosas obras de cura realizadas por Jesus não se baseavam numa fé cega nem eram uma dispensação especial a um só homem. Elas destinavam-se a toda a humanidade, porque Deus é o Princípio divino.

Moisés, que numa era remota da história deu-nos o Primeiro Mandamento de Deus, deu provas, em sua própria experiência, do poder libertador de se compreender a unicidade e a suprema autoridade de Deus. Percebeu essa verdade com tal clareza que obteve domínio, em grau excepcional, sobre as restrições e os temores do pensamento mortal. No deserto solitário, Moisés talvez tenha despendido longas horas em oração. Por certo emergiu, de sua experiência no monte Horebe, fortalecido pela convicção de que Deus é o grande “Eu Sou”. Moisés havia começado a discernir sua missão de libertar da escravidão egípcia os filhos de Israel. A liberdade individual de Moisés foi emergindo à medida que ele aprendia mais a respeito do único Deus.

Moisés a princípio teve medo, pois não era eloquente e, por isso, não se sentia capaz de falar com o faraó a respeito da libertação dos israelitas, mas Deus lhe disse: “Vai, pois, agora, e eu serei com a tua boca, e te ensinarei o que hás de falar”.

Moisés e o seu povo foram se libertando mais e mais de todo tipo de limitação, à medida que crescia a confiança radical de Moisés no único Deus. Mais tarde, no ermo, estava espiritualmente preparado para escutar e registrar a portentosa revelação da Verdade nos “Dez Mandamentos”.

A respeito do Primeiro Mandamento, muitos séculos mais tarde, a Sra. Eddy escreveu: “O Primeiro Mandamento é meu texto favorito. Demonstra a Ciência Cristã. Inculca a triunidade de Deus, Espírito, Mente; significa que o homem não terá outro espírito ou outra mente senão Deus, o bem eterno, e que todos os homens terão uma única e a mesma Mente. O Princípio divino do Primeiro Mandamento é a base da ciência do ser, pela qual o homem demonstra a saúde, santidade e vida eterna”.

Compreender o Primeiro Mandamento, e a ele obedecer , conduz à saúde, santidade e vida eterna. Para ficarmos livres do cativeiro da mortalidade precisamos da Ciência do ser, que se baseia no Princípio divino do Primeiro Mandamento. O que é que a obediência do Primeiro Mandamento exige de nos? Tal como Moisés, precisamos compreender Deus mais plenamente – Deus, o grande Eu Sou, a fonte da individualidade do homem. Nossa verdadeira individualidade, nosso ser real, tem sua origem apenas em Deus. A confiança cada vez maior em Deus capacita-nos a provar, até mesmo nos pequenos detalhes dos afazeres do dia a dia, que não existe outro Deus, nenhuma outra presença ou poder, mas somente Ele.

Libertamo-nos das crenças e limitações escravizadoras de todo tipo, à medida que aumenta nossa compreensão de Deus e de nossa unidade com Deus. Nossa crescente devoção a Deus resulta em que nos libertamos paulatinamente das insatisfeitas exigências da matéria. O reconhecimento do domínio dado por Deus como um direito divino nosso, resulta de nossa crescente convicção de que só Deus é a fonte de toda substância real, de toda saúde e de todo suprimento – de um bem permanente e imperecível.

A confiança radical no único Deus livra-nos do medo de virmos a ficar separados do bem. O bem está sempre à mão, porque Deus está sempre ao nosso alcance. Constatamos estar Ele tão perto de nós como o nosso próprio pensamento e descobrimos paz e liberdade imensuráveis à medida que aprendemos a nos volver radical e continuamente e de todo o coração a Ele, a única fonte do bem.

A Sra. Eddy resumiu sua convicção da grande importância do Primeiro Mandamento, nestas palavras:

“O Primeiro Mandamento, – Não terás outros deuses diante de mim – , é uma lei que nunca será revogada, um estatuto divino para ontem e hoje e para sempre”.

À medida que cresce nosso discernimento do estatuto divino e aumenta nossa obediência a ele, encontramos liberdade individual e, portanto, ajudamos toda a humanidade. A Bíblia conta-nos que Moisés, perto do fim de sua carreira terrena, lembrava os filhos de Israel da importância suprema de obedecer aos ditames do Primeiro Mandamento. “Ouve, pois, ó Israel, e atenta em os cumprires, para que bem te suceda, e muito te multipliques na terra que mana leite e mel, como te disse o Senhor Deus de teus pais. “Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor”.

(Extraído de O Arauto da Ciência Cristã – Janeiro 1987

Natal Com Manjedoura Vazia…

O Evangelho de João não registra a”dificuldade” de José e Maria em encontrar “lugar na terra” em que pudesse “nascer Jesus”,  nem que, em vista dessa dificuldade, teria ele “nascido num estábulo e posto numa manjedoura”!

NUNCA HOUVE NEM HAVERÁ “LUGAR NA TERRA” EM QUE “NASÇAM” OS IMUTÁVEIS E PERENES FILHOS DE DEUS!

João revelava o verdadeiro SIGNIFICADO DO NATAL, que, longe de ser “um Filho de Deus nascendo no mundo”, é o “RENASCIMENTO”  INDIVIDUAL DE CADA FILHO DE DEUS EM DEUS!

“Bem aventurado o VENTRE QUE JAMAIS GESTOU”, respondeu Jesus à mulher da multidão que lhe gritara: “Bem aventurados  os seios que te amamentaram”!  Jesus não veio para reconhecer um suposto “mundo de nascimentos e mortes”! Não veio para ser reconhecido como “FILHO DE DEUS” dotado “mais de Deus” do que todos os demais! VEIO REVELAR O REINO “CHEGADO” DE DEUS; assim, sempre via em si próprio a mesma Luz do Pai que declarara ser a NOSSA LUZ. 

“Subo para MEU PAI E VOSSO PAI, para MEU DEUS E VOSSO DEUS”, dizia ele, para que O PAI FOSSE ENTENDIDO COMO “NOSSO” e, COM ISTO,  TODOS O RECONHECESSEM COMO “UNIDADE PERFEITA”!

Jesus disse “NÃO RECEBER HONRA E GLÓRIA DE HOMENS” ! SABIA QUE TODA GLÓRIA RESIDE NA VERDADE DA “UNIDADE GLORIOSA QUE SOMOS,  REVELADA TAMBÉM POR PAULO:

“O CRISTO É TUDO EM TODOS”. 

Sabia que os chamados VIVOS NA MATÉRIA ERAM “MORTOS”, E QUE “HONRARIAS VINDAS DE MORTOS” JAMAIS SERIAM VERDADEIRAS, MAS SIM, ILUSÓRIAS!

“Por que me chamam: Senhor! Senhor!, sem fazerem o que eu digo?” – disse Jesus. Em outras palavras, após pregar que SOMOS LUZ DO MUNDO, que SOMOS DEUSES, e que, como ele, TEMOS A GLÓRIA DE SER UM COM DEUS,  só via a CRENÇA EM CARNAIS sendo endossada, como se Verdade alguma tivesse ali sido dita!

É EVIDENTE QUE ELE NÃO PODERIA RECEBER GLORIFICAÇÃO  DE TAIS HOMENS|!

Nada há que impeça alguém de NASCER DE NOVO, de se ver  GLORIFICADO PELO PAI,  E SE PERCEBER “EM COMUNHÃO COM O PAI E COM JESUS CRISTO”, como disse  João em sua Primeira Epístola! 

É NESTA COMUNHÃO, RECONHECIDA POR VOCÊ COMO CONSUMADA,  QUE SUA GLÓRIA E A DE JESUS SÃO RECONHECIDAS COMO A GLÓRIA DO PAI; É NESTA COMUNHÃO  QUE A UNIDADE PERFEITA é ADMITIDA PARA SER PERCEBIDA’! E É NESTA “COMUNHÃO””  PERCEBIDA ESPIRITUALMENTE, QUE O NATAL REAL É VIVENCIADO POR VOCÊ!

*

PAPAI NOEL EXISTE!

O Natal  sempre está associado com a figura de Papai Noel Não por acaso!  Quando dominamos e nos beneficiamos pelo uso científico das leis divinas, ficamos sabendo que a simpática figura desse velhinho de barbas brancas contém um profundo significado espiritual.

Temos em nós,  e “desde o princípio”, a Presença permanente de Deus. O mundo, pouco a pouco, vem despertando e redescobrindo esta Verdade.  Como trabalha o Papai Noel? Atendendo aos  nossos pedidos sem ficar nos julgando!. Chega em seu trenó puxado por renas  voadoras, “vindo do céu”, de modo inesperado, e entra em nossas casas pelo alto, utilizando a chaminé do telhado.

Na Metafísica Absoluta, a Consciência espiritual é o nosso Papai Noel!  Conhecedora de TODAS AS NOSSAS NECESSIDADES, a Consciência  PROMOVE UM DESDOBRAR   DE SI MESMA, a cada momento,  suprindo-nos visivelmente de tudo quanto necessitarmos. PORÉM, ESTE PROCESSO REQUER QUE SE DÊ  SEM QUE HAJA TEMORES OU DÚVIDAS!  Sem este RECONHECIMENTO CONFIANTE,  AS CRENÇAS DO MUNDO, EM GERAL NEGATIVAS, PODERÃO BLOQUEAR O FLUXO NATURAL E ESPONTÂNEO  DE NOSSA INFINITA HERANÇA CELESTIAL! Neste ponto, nossa permanência na Verdade torna-se fundamental.

A Presença de Deus em nós, ou seja,  a NOSSA CRISTO CONSCIÊNCIA, é o NOSSO PAPAI NOEL.

TÃO LOGO PERCEBAMOS   A   LEGÍTIMA NECESSIDADE  DE  ALGUMA COISA OU CONDIÇÃO, CONDIZENTE COM O “BEM ESSENCIAL PERMANENTE”,  DEVEMOS, E DE IMEDIATO, ENTENDER E AFIRMAR QUE  “PAPAI NOEL” DELA JÁ TINHA CONHECIMENTO,  E  JÁ PROVIDENCIAVA  PARA QUE FÔSSEMOS INFALIVELMENTE  ATENDIDOS OU SUPRIDOS!

“Ele VIRÁ DO CÉU”, isto é, não devemos esperar soluções APEGADAS a “ coisas da terra”!

Convictos de JÁ ESTARMOS SUPRIDOS, devemos não nos preocupar,  e simplesmente dar o máximo no momento presente.  Esta ação natural, sem ansiedade e sem preocupação, irá nos garantir a chegada dos “presentes”!  E isto por estarmos em UNIDADE com Papai Noel e com todos os “presentes” contidos em seu trenó!

Jesus bem definiu este processo, dizendo: “Vosso Pai  celestial sabe do que necessitais antes que Lho peçais”.

Vivamos como FILHOS DE DEUS e não como supostos “mortais humanos”.  soltos num suposto “mundo material”! 

O NATAL COMEMORA O CRISTO NASCIDO EM TODOS NÓS, PELA GRAÇA! REVELA NOSSO ENTENDIMENTO DO PROCESSO AUTOSSUPRIDOR DE DEUS A SI MESMO, E ISTO POR DEUS ESTAR SENDO, ETERNAMENTE,  O CRISTO QUE TODOS SOMOS!

Desse modo,  realmente,  ficará entendido que O PAPAI NOEL EXISTE! ELE  É A NOSSA PRÓPRIA CONSCIÊNCIA ILUMINADA!

*

NUNCA JUSTIFIQUE OU EXPLIQUE “APARÊNCIAS” DO MAL!

A Metafísica Absoluta NÃO ABRE MÃO DA Verdade de que UNICAMENTE DEUS É REALIDADE!  Desse modo, as “aparências em mutação” são  sempre entendidas como “sombras” que apenas INSINUAM  a Presença única e imutável de DEUS SENDO TUDO!

“Aparências”, boas ou más,  jamais são o FOCO de quem pratica a Verdade! Por isso, Jesus deixou de forma clara e objetiva o FOCO REAL:  “Aquele que PERMANECER EM MIM, dará frutos”.

As “aparências”, mesmo sendo irrealidades, se forem tomadas como FOCO, farão com que a pessoa endosse a CRENÇA de “ser carnal nascido de mortais”. E  caso ela assim se comporte, receberá uma “salva de palmas” da vitoriosa  ILUSÃO!

A Bíblia afirma que “TODO AQUELE NASCIDO DE DEUS VENCE O MUNDO”, ou seja, está sob jurisdição de Deus e da Verdade, sem ser dominado pelas “sugestões mentais agressivas”, vindas em forma de “aparências”.

A frase de Paulo, “Não sou mais eu, – O CRISTO VIVE EM MIM”, pode nos ser útil em ocasiões que intentem  nos levar a identificar com as “sugestões das aparências”,  que, inesperadamente, possam surgir diante de nós. A frase de Paulo, imediatamente lembrada e reconhecida como válida para nós, impede que confundamos “sombras com realidades”, pelo nosso imediato endosso do CRISTO QUE SOMOS, e não da “aparência em questão”!

Além desta PERCEPÇÃO IMEDIATA DAVERDADE, devemos evitar de “voltar ao assunto fenomênico”, rememorando as “aparências” posteriormente, inclusive alardeando-as aos “quatro ventos”, como se tivessem elas sido realidades temporais!

O TEMPO NÃO EXISTE, E TUDO O QUE DEUS FAZ, DURA PERPETUAMENTE, sem que NADA lhe possa ser acrescentado ou tirado! Esta Verdade endossa Jesus, quando disse: “Não chameis de pai a ninguém sobre a terra, porquanto um só é o Vosso Pai, o  Qual está nos céus”.

 DEUS, PERMANENTEMENTE, “ESTÁ NOS CÉUS”, e todos nós, que SOMOS UM COM ELE, “ESTAMOS IGUALMENTE NOS CÉUS”,  EM NOSSA COMUNHÃO INQUEBRANTÁVEL COM ELE!

Estas Verdades devem ocupar nossa mente sempre, principalmente diante de “aparências” ilusórias de problemas ou males!

A “APARÊNCIA” MAIS TRÁGICA DE TODAS  É A DE QUE SOMOS “CORPOS CARNAIS”! Foi por isso que Jesus nos disse: “NEGUE-SE A SI MESMO!”

Jamais VOCÊ foi visto refletido em espelhos do mundo! DEUS, DESDE O PRINCÍPIO, ESTÁ SENDO O CRISTO QUE VOCÊ  É!

QUEM ME VÊ A MIM, VÊ O PAI” – disse Jesus!

Esta é a VERDADE UNIVERSAL E ABSOLUTA QUE SE EVIDENCIA COMO JESUS, COMO VOCÊ, COMO TUDO E COMO TODOS!

VIVER PELA GRAÇA E PELA VERDADE SIGNIFICA VIVER O AGORA EM UNIDADE COM DEUS! LIVRE DO SUPOSTO  “EU NASCIDO”,  IMPOSTOR   HIPNÓTICO DA “MENTE CARNAL”.

Afirme e contemple as Verdades reveladas:

“EU TENHO A MENTE DE CRISTO! O CRISTO É TUDO EM MIM!”. 

*

UM REINO EM PLENA AÇÃO

O que quis Jesus dizer, ao declarar: “O reino de Deus está dentro em vós?”  Estava ele falando em termos abstratos? Ou teria dito essas palavras a fim de acalmar alguém? Qualquer dessas conjecturas está em desacordo com o que sabemos acerca de Cristo Jesus, o qual se expressava sempre de maneira direta. Por certo, então, quis dizer que o reino de Deus vigora no coração do homem. Vejamos o que significa para todos nós, hoje em dia, essa ideia poderosamente sanadora.

Jesus seguramente não indicou que o reino de Deus está dentro no homem mortal, material. Isso seria panteísmo. Significaria que a criação de Deus é feita de matéria e constitui o mundo material. O panteísmo pretende não só considerar real a desventura, mas também pretende tornar Deus responsável tanto pelo caos como pela ordem, pela discórdia como pela harmonia. Acaso não estaria Jesus mostrando que o Reino de Deus reside no homem verdadeiro, o homem descrito no primeiro capítulo do Gênesis, o homem formado à imagem e semelhança de Deus?

O verdadeiro corpo do homem criado por Deus, como o explica a Ciência Cristã, é a expressão perfeita da natureza de Deus, inclusive de cada uma das qualidades de Deus – qualidades que têm de ser espirituais, e não materiais, qualidades provenientes exclusivamente de Deus. Essas qualidades caracterizam para sempre a imagem de Deus. Cada uma delas tem de estar em harmonia com todas as outras, pois a imagem de Deus está total e constantemente sob o seu Governo.

O reino de Deus inclui o desvelo, a perfeita integridade e o sustento de cada ideia – inclui a continuidade de sua identidade perfeita. Esse reino é controlado pela inteligência infinita, ou Deus. Na página 151 de Ciência e Saúde, a Sra. Eddy diz: “A Mente divina, que fez o homem, mantém Sua própria imagem e semelhança”.

A vida está baseada no Espírito, Deus, de maneira completa, positiva e permanente. Acreditamos, realmente, que o homem espiritual é a realidade da vida? Ou será que pensamos no homem como uma estrutura de ossos, movida por músculos, alimentado pelo sangue, protegido pela pele, controlado por um cérebro e um sistema nervoso material? É isso o que a mente carnal, ou a maneira de pensar baseada na matéria, nos quer fazer crer. A Sra. Eddy o explica dessa forma, em Ciência e Saúde: “Jesus via na Ciência o homem perfeito, que lhe aparecia ali mesmo onde o homem mortal e pecador aparece aos mortais. Nesse homem perfeito o Salvador via a própria semelhança de Deus, e esse modo correto de ver o homem curava os doentes. Assim, Jesus ensinou que o reino de Deus está intacto e é universal, e que o homem é puro e santo”.

Quando encaramos no homem a expressão da natureza de Deus completamente controlada por Deus, não dizemos realmente que o controle reside na Mente,   Deus? Por certo o controle não está e jamais pode estar na matéria ou com a matéria. Também sabemos que quando uma cura ocorre, ocorre na consciência. Explica Ciência e Saúde:  “Esse reino de Deus ‘está dentro de vós” – está aqui, ao alcance da consciência do homem, e a ideia espiritual o revela”.

Estaremos aceitando o pensamento de que o homem é um ser material, sujeito à doença, à infecção, a acidentes ou à morte? Não será que devemos manter a noção de que o homem é a ideia espiritual de Deus, perfeitamente formada, mantida e protegida pela Mente infinita, e, portanto, nunca sujeita a nenhum dos erros da carne ou do pensamento incluindo ao que é mortal e materialista?

A Sra. Eddy diz na página 259 de Ciência e Saúde: “A compreensão crística acerca do ser científico e da cura divina inclui um Princípio perfeito e uma ideia perfeita – Deus perfeito e homem perfeito – como base do pensamento e da demonstração”. Tal como é compreendido na Ciência Cristã, o homem não é uma mistura de matéria e espírito, nem é ele um ser material com um espírito ou uma alma nele residentes, programado para algum dia deixar para trás a carcaça material. O homem é, agora mesmo, sempre foi, e sempre será, a perfeita imagem espiritual de Deus. Por ser o homem a imagem de Deus, é ele a evidência da própria existência de Deus. Todas as qualidades de Deus, qualidades de estrutura, forma, vigor, inteligência, segurança, suprimento, movimento, etc., têm de ser expressas por esse homem, têm de ser expressas de maneira perfeita, e mantidas com perfeição, pois o homem é o reflexo de Deus.

Quando nos vemos tentados pelo pensamento agressivo de uma dor ou mal-estar devido a acidente ou enfermidade, acaso não deveríamos desafiar tal pensamento? Pode um tornozelo, por exemplo, doer ou inchar e ficar escuro devido a um acidente, ou por sermos levados pelo pensamento materialista a crer que os acidentes e seus efeitos são reais?

Uma vez, andando numa moto numa rua movimentada, parei num farol vermelho ao lado de uma grande tombadeira. Quando o sinal abriu, o motorista deu a partida antes de mim, e inadvertidamente rodou com as rodas traseiras sobre meu pé, que estava apoiado no pavimento. Meu sapato era de couro macio. Ao perceber que algo havia acontecido, e temendo o pior, o motorista saltou da cabina do caminhão e insistiu em chamar uma ambulância. Aí estava, certamente, minha oportunidade de aceitar que alguém tivesse pena de mim e, ao mesmo tempo, de reconhecer existir um problema. Embora sentisse muita dor, imediatamente comecei a insistir mentalmente em que eu era perfeito como a expressão de Deus, e garanti ao motorista que não era necessária a ambulância.

Logo retomei o caminho, insistindo durante todo o tempo com o que eu sabia ser verdadeiro sobre a estrutura, a ação, a substância, e sobre a impossibilidade de qualquer forma de acidente ou ferimento no reino de Deus. Ao chegar ao lugar onde queria, pude tratar do problema com mais estudo profundo e com a ajuda da Bíblia e de Ciência e Saúde. Trabalhei sinceramente para saber que nenhuma qualidade de Deus pode ficar ferida e que não poderia ter havido um incidente causador de ferimento. O reino de Deus, o controle de Deus, a proteção infalível de Deus, estavam intactos e em plena evidência, independentemente do que a matéria ou o pensamento mortal, materialista, estivesse tentando afirmar. Só há uma fonte real do pensamento do homem, e essa fonte é a Mente divina, a fonte de todo o bem, e do bem somente.

Orei por mais algum tempo, e a dor cedeu. Decidi, porém, não olhar para a evidência material naquela noite, quando fui dormir. Portanto, não tirei a meia. Na manhã seguinte havia só uma pequena mancha no meu pé, não havia inchação e praticamente nada de dor. Logo esses traços também desapareceram. Os efeitos do acidente haviam sido curados, mas a gravidade do ocorrido estava visível na grande marca negra do pneu no meu sapato. Fiquei grato, e continuo grato por essa cura.

O reino de Deus está, sempre esteve e sempre estará intacto – isto é, perfeito. Esta minha experiência foi apenas uma pequena maneira de dar provas desse fato. Nunca pode haver fratura da verdadeira substância, nunca pode haver interrupção da verdadeira ação, nunca pode haver mancha ou falha na substância de Deus, refletido pelo homem que Deus criou. Na medida em que compreendermos a verdadeira natureza do reino de Deus, poderemos demonstrar esse reino dentro em nós.

(Transcrito de O Arauto da Ciência Cristã – Maio 1988)

“ORAÇÃO COM O ESPÍRITO E COM O ENTENDIMENTO!”

“Orarei com o Espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o Espírito, mas cantarei também com o entendimento”.

1 Cor.14: 15

 Esta citação de Paulo é importantíssima, principalmente para  aqueles que afirmam orar e meditar, porém, sem serem atendidos. Já conheci casos em que as pessoas, ávidas por se verem “atendidas”, mas ficando sem  “obter resultados”, acabam desistindo de tudo, se mostrando insatisfeitas,  frustradas, e até mesmo duvidando dos  ensinamentos!

Allen White, respondendo a uma pessoa que lhe dizia: “Pratiquei os ensinamentos, mas os problemas persistiram!”, deu-lhe a seguinte  recomendação:  “Ore para receber orientação de Deus!”.

Certamente, a mente da pessoa devia estar mergulhada em seus supostos problemas; assim, mudando-lhe

o foco para Deus e Sua orientação, o apego à ilusão poderia ser dizimado!

Paulo deve ter encontrado vários casos desse tipo, em que as pessoas garantiam ter orado de forma correta, porém, sem serem atendidas. Em vista disso, declarou o seguinte: “Orarei com o Espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o Espírito, mas cantarei também com o entendimento”.

”Orar ou meditar”,  mas  sem se fundamentar no próprio entendimento da letra da Verdade, não constitui a oração correta!  É preciso colocar a LETRA PERTINENTE A CADA CASO EM ENTENDIMENTO, a fim de “ser testificada pelo Espírito”. Isto impede que a mente fique vagando, aberta a pensamentos intrusos do mundo, ou apegada aos seus ilusórios problemas!

Que significa “orar e cantar com entendimento”? Significa RECONHECERMOS E FOCALIZARMOS o princípio espiritual aplicável a cada situação! Se alguém, por exemplo, tiver recebido um diagnóstico médico “negativo”, poderá RECONHECER que O SEU CORPO É UM ILUMINADO, GLORIOSO E PERFEITO “TEMPLO DE DEUS”; desse modo, no silêncio contemplativo da oração, este “entendimento” o deixará  sintônico com Deus e com a Verdade!

As afirmações e negações, ensinadas pela Ciência Mental, bem como o emprego do Poder da Palavra, atuam como  agentes de“entendimento junto ao Espírito”. 

Em suma, estes são os alertas destacados por Paulo; e as  nossas orações devem, todas elas, conter o “entendimento” de que

“EM DEUS VIVEMOS, NOS MOVEMOS, E TEMOS O NOSSO SER”!  

*

 

 

 

Contemple O Corpo De Luz Como Unidade!

Confundir o nosso  Corpo real, Templo de Deus, com sua “sombra fenomênica”,  é a ILUSÃO que leva a maioria a “dividir o corpo” em  supostas partes  boas e partes más! Que estaria ocorrendo?  O corpo ficaria sendo expressão da “crença em dois poderes”, quando deveria estar sendo GLORIFICADO COMO PERFEITO “TEMPLO DE DEUS”!

Quando “trocamos de referencial”, deixando as CRENÇAS NO BEM E NO MAL de lado, O CORPO PODE SER RECONHECIDO E CONTEMPLADO TAL COMO DE FATO É:  UM CORPO GLORIOSO, INTEIRAMENTE PERFEITO E  HARMONIOSO, exatamente como Jesus e Paulo nos revelaram!

INFELIZMENTE, PARA A MAIORIA, O “CORPO VISÍVEL” É TIDO COMO REALIDADE!

EM VISTA DISSO, O “TEMPLO DE DEUS”  QUE SOMOS,  SEQUER É LEVADO EM CONSIDERAÇÃO!

Enquanto a suposta “matéria’” não for descartada como ILUSÓRIA, chamará a atenção de todos para ela, deixando o  OLHAR CRÍSTICO DO “OLHO SIMPLES”  APARENTEMENTE “DESATIVADO”!

Paulo disse o seguinte: “GLORIFICAI A DEUS NO VOSSO CORPO E NO VOSSO ESPÍRITO, OS QUAIS PERTENCEM A DEUS”. 

Esta “glorificação” precisa ser feita com DEDICAÇÃO E CONSTÂNCIA,  pois objetiva conduzir-nos à VERDADE SOBRE O CORPO  e à RENÚNCIA ao CONCEITO FALSO E MATERIAL DO CORPO!

Metafísica Absoluta é ciência DIVINA,  e não “fé cega”! REVELA A PRESENÇA DE NOSSO CORPO NA ONIPRESENÇA DE DEUS,  SENDO UMA UNIDADE  ESPECÍFICA CHAMADA “CORPO” IMERSA NA “UNIDADE GLOBAL PERFEITA”,  QUE É A TOTALIDADE DE DEUS! Assim como nenhuma gota poderia ter “parte boa” e “parte má”,  NOSSO “CORPO DE LUZ” É A CORPORIFICAÇÃO DA PERFEIÇÃO DIVINA ABSOLUTA NA FORMA “CORPO”.  

Nas  “contemplações absolutas”,  constate sua presença no Oceano divino de Luz viva,  e reconheça, especificamente, seu “CORPO DE LUZ INTEGRALMENTE PERFEITO”,  IMERSO NA “UNIDADE PERFEITA”!

“Se teus olhos forem bons, todo o teu corpo  será pleno de luz”, disse Jesus.

Temos “olhos bons” quando  VEMOS NOSSO CORPO EM DEUS E NÃO NA MATÉRIA. GLORIFICANDO-O COMO  ‘TEMPLO PERFEITO DE DEUS, COMO UNIDADE ESPECÍFICA  DENTRO DA UNIDADE PERFEITA GLOBAL! 

*

O “VÉU DE VERÔNICA”

Por mais que o ”MUNDO FENOMÊNICO” pareça existir , não passa ele de uma “formação mental ilusória” que, assim  como ocorre com os sonhos, jamais sai do âmbito mental para ser “exteriorizado” como fatos verdadeiros. Em vista disso, Jesus o chamou de “mundo do pai da mentira”.

Esta “formação mental”  nos pode dar a impressão de ser “mundo verdadeiro”,  por ser “coletiva’”, isto é, é ILUSÃO entendida como REALIDADE pela humanidade toda, razão pela qual é denominada “ILUSÃO DE MASSA”.

Quando a pessoa “vê lá fora” este mundo, está vendo esta ILUSÃO DE MASSA,  que atua como “véu” a encobrir os FATOS REAIS, “AS OBRAS PERMANENTES DE DEUS”, PERFEITAS E INTOCÁVEIS!

Consta, no livro apócrifo  “Atos de Pilatos”, a passagem em que uma mulher de Jerusalém, chamada Verônica, sentiu- condoída, ao presenciar o sofrimento de Jesus enquanto ele carregava sua cruz;  conseguindo se aproximar dele,  utilizou  o seu véu como toalha,  a fim de limpar-lhe o rosto ensanguentado. E então, olhando para o véu, logo depois, constatou que nele havia ficado gravada a imagem do rosto de Jesus.

Que sentido tem esta passagem? Ela explica que TODAS AS IMAGENS DE SOFRIMENTO SÃO “IMAGENS IMPRESSAS NO VÉU” CHAMADO “ILUSÃO DE MASSA”!  EXPLICA QUE NÃO HÁ DORES NEM SOFRIMENTOS REAIS PARA JESUS NEM  PARA QUALQUER OUTRO  FILHO DE DEUS! REVELA QUE JESUS ESTAVA ALI PRESENTE COMO O “EU SOU” QUE EXISTE “DESDE ANTES QUE ABRAÃO EXISTISSE”, NÃO SENDO, POR MOMENTO ALGUM, A IMAGEM FALSA REGISTRADA NO “VÉU DE VERÔNICA”.

Mais dia, menos dia, sempre será O AGORA em que este “Véu coletivo” será descartado como “NADA HIPNÓTICO”, levando cada Filho de Deus a se PERCEBER EM SUA IMAGEM VERDADEIRA, ETERNA E PERFEITA!

Para isto, assim disse Paulo:

“Daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo a carne, e, ainda que também tenhamos conhecido Cristo segundo a carne, contudo, agora, já o não conhecemos deste modo.”

2 Cor. 5:16

*

A TOTALIDADE DE DEUS ABRANGE VOCÊ!

Todo pensamento dualista  é a ILUSÃO,   que aparenta ser realidade por admitir haver “movimentação” ao lado “de MIM”, ou seja, da Oniação universal,  que é DEUS EM AÇÃO!

Desta dualidade irreal derivam as falsas CRENÇAS COLETIVAS, aceitas naturalmente pelo ilusório “eu nascido”, que se julga, erroneamente, agir como “peça” solta e independente da Oniação onipresente. Desta ILUSÃO decorrem também os “desejos  de obter iluminação espiritual”, de “conhecer a Verdade”, e todos os demais  intermináveis anseios de um suposto “eu humano” que jamais existiu!

 

A TOTALIDADE DE DEUS  ABRANGE A TOTALIDADE DO SER QUE  VOCÊ É, OU SEJA, A ONIAÇÃO INCLUI A SUA ATIVIDADE CRÍSTICA, UMA VEZ QUE SOMENTE A “VONTADE DO PAI”  É REALIDADE CONSUMADA!

Todo suposto “eu nascido” que se mostre “desejoso de se iluminar”, seria equiparável a uma

 “gota do oceano” que  pleiteasse “se aguar”! Por quê? Por se admitir “existir sem já estar sendo água”. Por se admitir “se mover” sem ser pela “movimentação do oceano”!  POR ACREDITAR QUE “TIVESSE DE  FAZER ALGO” PARA “ENTRAR EM COMUNHÃO” COM O OCEANO QUE A FORMA, E QUE ELA AJUDA A FORMAR!

Que faltaria à “gota”? Nada! APENAS CRENÇAS FALSAS PODERIAM ILUDI-LA NO SENTIDO DE DESVIÁ-LA DAQUILO QUE ELA JÁ É: O OCEANO! A ÁGUA DO OCEANO! SUA UNIDADE PERFEITA COM O OCEANO!

Se o oceano dissesse a ela: “AQUIETA-TE E SABE: EU SOU O OCEANO”, a gota somente poderia conhecer JÁ ESTAR SENDO ÁGUA se  RECONHECESSE: “EU SOU O OCEANO, A ATIVIDADE DO OCEANO, A EXPRESSÃO DO OCEANO COMO “GOTA INDIVIDUAL” .

Teria, a “gota”, a possibilidade de “ser outra substância”, que não “ÁGUA”? Não! Paulo apóstolo fez a seguinte indagação:

“SE DEUS É POR NÓS, QUEM SERÁ CONTRA NÓS?”  Quis nos dizer que A TOTALIDADE DE DEUS É LUZ ONIPRESENTE, QUE NOS ABRANGE A TODOS SENDO A “LUZ QUE SOMOS”!

APENAS UMA ILUSÃO  PODERIA ARGUMENTAR EM CONTRÁRIO!

“SOIS A LUZ DO MUNDO”, disse Jesus. Revelava a mesma Verdade de que SOMOS DE IDÊNTICA NATUREZA DE DEUS.

ONDE QUER QUE ESTEJAMOS,  A CRENÇA NA  CHAMADA “EXISTÊNCIA MATERIAL” RESPLANDECE  COMO  “OCEANO DE LUZ”. Por isso, assim disse Buda: “EU SOU O ÚNICO ILUMINADO EM TODO O UNIVERSO”; “TUDO JÁ É ILUMINADO!”. 

Não existe “gota alguma” pretendendo “se unir ao oceano” através de esforços próprios ou de  “braçadas próprias”. Quando se

render à Verdade, de que O OCEANO É ÁGUA EM TODA A  SUA EXTENSÃO, A GOTA ESTARÁ COM A VERDADE CONHECIDA!

Do mesmo modo, quando o suposto “eu nascido” percebe que JÁ É ABRANGIDO PELO OCEANO DE LUZ DIVINA, se perceberá IDENTIFICADO com A REVELAÇÃO de Paulo:

“EM DEUS EU VIVO, ME MOVO E TENHO O MEU SER”!

*

PERCEBA A “TOTALIDADE DE DEUS” DESCARTANDO AS “IMAGENS HIPNÓTICAS”!

Do nada, um hipnotizador é capaz de iludir alguém com “imagens e sensações hipnóticas”, que mesmo  sendo irreais, para o hipnotizado, são vistas como verdadeiras  ou como realidades.

Para a humanidade,  sob uma sugestão hipnótica COLETIVA, uma irrealidade vista como “mundo material” é aceita como existente, e, ainda por cima, com a capacidade de ocultar  a Onipresença de Deus e de Seu Reino, e que é o NOSSO REINO!

Por que Jesus disse: “Não resistais ao mal”?  Para nos TIRAR TODA A ATENÇÃO VOLTADA À “SUGESTÃO HIPNÓTICA” E NOS ENSINAR QUE UNICAMENTE DEUS É REALIDADE, enquanto TODAS AS IMAGENS DE  SUPOSTA “!VIDA TERRENA”,  BOAS E MÁS, SÃO PURAMENTE “QUADROS HIPNÓTICOS”!  

Tendo esta CONVICÇÃO, reconhecer a  realidade divina será descartarmos o HIPNOTISMO DE MASSA, entendendo, com total clareza, que ACREDITAR EM SUAS IMAGENS , OU RESISTIR A QUAISQUER DELAS,  SERIA UMA INSENSATEZ DO TAMANHO DO INFINITO!

“As coisas dos homens são tolices para Deus”, disse Paulo. 

Disto se deduz que AQUELE QUE ENDOSSA “IMAGENS HIPNÓTICAS”, FUGINDO DAS “MÁS” OU PERSEGUINDO AS “BOAS”,   PODE SER CONSIDERADO  UM TOLO!

Enquanto este “tolo” aparentar existir,  O CRISTO que verdadeiramente ele é, sequer será lembrado! Contudo, a percepção de ser UM COM DEUS, e, como DEUS, encarar como TOLICE todo endosso dado a “quadros hipnóticos”, o fará NÃO RESISTENTE às  “sugestões hipnóticas”, deixando-o LIVRE E SERENO  para reconhecer, como disse Cristo Jesus, QUE O REINO JÁ ESTÁ PRESENTE, E NO MUNDO INTEIRO!

Que diz o HIPNOTISMO DE MASSA?

 APENAS NOS SUGERE CRENÇAS ERRÔNEAS, esperando que NÓS AS TEMAMOS, A ELAS RESISTAMOS,  E QUE NELAS ACREDITEMOS!

Que diz a VERDADE?  “EM DEUS VIVEMOS, NOS MOVEMOS E TEMOS O NOSSO SER”!

Tiago assim nos alertou: “Sede, pois, PRATICANTES DA PALAVRA, e não ouvintes apenas, ENGANANDO-VOS A VÓS MESMOS”.

Praticar a Palavra é “enxergar a TOTALIDADE DE DEUS EXATAMENTE ONDE A MAIORIA, ILUDIDA  ENXERGA O “HIPNÓTICO MUNDO MATERIAL”; praticar a Palavra  é SER UM COM DEUS E, ASSIM COMO DEUS, ENTENDER COMO TOLICE TUDO QUANTO SE MOSTRE COMO TEMPORAL E MATERIAL!

As leituras promovem o “batismo com água”, enquanto a PALAVRA, POSTA NA PRÁTICA, constitui o “batismo com fogo”!

Dedique-se a olhar de frente, impassível,  AS IMAGENS HIPNÓTICAS, interpretando-as como  NADAS ou como TOLICES PARA DEUS!  E,  ENTÃO, RECONHEÇA A SUA UNIDADE COM DEUS, ACEITANDO “NELE VIVER, SE MOVER E EXISTIR”!

“Não peço que os tires do mundo”, disse Jesus, “MAS QUE OS LIVRES DO MAL”. 

EM OUTRAS PALAVRAS,  SÓ PEÇO QUE OS FAÇA SE VEREM  NA “UNIDADE PERFEITA” QUE SOMOS,  SEM ACREDITAR VIVER NUMA “IMAGEM HIPNÓTICA VAZIA”, SEM REALIDADE, SEM  DEUS, SEM VIDA E SEM SUBSTÂNCIA!

*

 

“Sugestão Hipnótica” Não É “Fato Material”!

A  Prática da Verdade requer de todos um estado de alerta constante, para que a TOTALIDADE DE DEUS não seja “trocada” pela CRENÇA EM DOIS

PODERES!  “Sede perfeitos, assim como perfeito é o vosso Pai celestial”, disse Jesus.

SER PERFEITO É ESTAR ACIMA DO BEM E DO MAL,  CRENÇA QUE A SUPOSTA “MENTE CARNAL” BUSCA INCUTIR E M TODOS  COMO SE FOSSE “FATO MATERIAL”!

A maioria dos autores metafísicos, percebendo o APEGO COLETIVO AO QUE É NADA, ou seja, ao “mundo do pai da mentira’”, ACABOU POR CEDER À DUALIDADE,  constatando a falta de interesse da maioria em se identificar com o “EU” QUE REVELA O MUNDO VENCIDO”.

 

No prefácio do Volume 23, de A VERDADE DA VIDA, Masaharu Taniguchi escreve o seguinte:  “Sakyamuni, para libertar as pessoas do apego ao fenômeno, pregava que o mundo dos cinco sentidos é efêmero, impuro e  cheio de sofrimentos, e que o “eu cerebral” não é existência verdadeira’. Desta forma, mostrou que não existem nem o objeto (ou ser) ao qual se possa apegar, n..em o sujeito (o “eu”) que se apega . Esta “filosofia da negação” está magistralmente expressa na Escritura budista da Sabedoria, que diz: 

“Todo fenômeno é nada; a matéria é nada; tudo surge do nada; a visão, a audição, o olfato, o tato e o intelecto não  existem; a velhice e a morte não existem…”!

Poe que a humanidade não se libertou, tendo há milênios recebido esta revelação? PORQUE NÃO ACEITA SUMIR EM SUA HUMANIDADE PARA SE DESCOBRIR EM SUA CRISTICIDADE! Contenta-se com viver “alegrias efêmeras”, sempre de curta duração, que são transformadas na crença oposta, EM VEZ DE DESEJAR DESFRUTAR DO BEM ETERNO E PERMANENTE, do Reino de Deus, em que “carne e sangue” jamais terão acesso!

O “fenômeno”  ILUDE A TODOS por se fazer passar por “fato material”, porém, não passa de “sugestão hipnótica”, incapaz de ser EXTERIORIZADA!. ASSEMELHA-SE, PORTANTO, A UM SIMPLES “SONHO”!

O REINO DA VERDADE É A LUZ ONIPRESENTE QUE TODOS SOMOS, INTOCÁVEL PELOS “PARES DE OPOSTOS” SUGERIDOS PELA ILUSÓRIA “MENTE INTELECTUAL”.

Ao nos ordenar: “SEDE PERFEITOS!”, Jesus já nos via PERFEITOS COMO DEUS, POIS, O QUE DEUS FAZ É PERMANENTE! Entretanto, esta VERDADE PRECISA SER ACEITA, RECONHECIDA E CONTEMPLADA, OU SEJA, REQUER SER VISTA NO LUGAR DAS “IMAGENS E

SENSACIONISMOS HIPNÓTICOS”!

O Fato REAL é que DEUS, SENDO TUDO, É TUDO QUE AGORA ESTÁ EM EVIDÊNCIA PERFEITA! NESTE “TUDO”, VIVE DEUS SENDO VOCÊ E VIVE VOCÊ INDIVIDUALIZADO COMO   O CRISTO,  QUE É TUDO EM VOCÊ!

*

 

O “PERMANENTE” E O “FUGAZ”

Todas as revelações absolutas se fundamentam no entendimento de que TUDO QUE DEUS FAZ É PERMANENTE!  Se algo ou alguém não se mostrar sendo eterno e permanente, não tem realidade alguma, por mais que tente se fazer passar por real.

Se encontramos nas Escrituras que “TUDO ESTÁ FEITO”, OU QUE “SEM O VERBO DIVINO NADA FOI FEITO”,  fica  NÍTIDO E CLARO que todas as

“aparências mutáveis”, sugeridas pela “MENTE CARNAL”,  são puramente “NADAS”!

DEUS E SEU REINO SÃO A REALIDADE PERMANENTE, DESCONHECEDORA DE “APARÊNCIAS FUGAZES”. Em vista disso, Paulo assim definiu esta “mente carnal”, geradora de ILUSÕES:  “A mente carnal é a inimizade contra Deus”.

Vezes e mais vezes esta Verdade já apareceu nas postagens do Facho de Luz. Entretanto, somente terá valor diante de alguém  determinado e desejoso de SE LIVRAR DESTA MENTE FALSA, pela adoção da MENTE DE CRISTO, que é a MENTE REAL DE TODOS NÓS!

Buda apresentou três classes de pessoas infelizes: 

1) as que não sabem e não perguntam;

2) as que sabem e não ensinam; e

3) as que ensinam e não fazem.

São, todas elas, identificadas com a “mente carnal”. RECHAÇAR ESTA MENTE FRAUDULENTA DEVE SE TORNAR  “QUESTÃO DE HONRA”, PARA AQUELES QUE SE DIZEM “INTERESSADOS NA VERDADE”!

Marie S. Watts  diz para nos fazermos a seguinte indagação, diante das “aparências” do mundo: “DEUS ESTARIA VENDO A EXISTÊNCIA DESTA FORMA, SEGUNDO ESTAS APARÊNCIAS?”

A RESPOSTA É ÓBVIA: “NÃO!”  E a indagação deve levar-nos a este entendimento!

Muitas vezes em que alguém me dizia ser o marido, ou a esposa, ou o filhos, ou o vizinho,  o motivo de sua infelicidade, quando eu lhe perguntava: “VOCÊ ACHA QUE DEUS TEM A MESMA OPINIÃO QUE A SUA?”,  comumente parava e me respondia: “EU PENSO QUE NÃO!”.

As “aparências fugazes” devem ser  TERMINANTEMENTE descartadas mediante a VISÃO CORRETA DOS FATOS:

“DEUS É A UNIDADE PERFEITA QUE TODOS SOMOS! DEUS É TUDO, ENQUANTO AS SUPOSTAS “APARÊNCIAS”. QUE  NÃO PERMANENTES,  NÃO PASSAM DE “MIRAGENS ENGANADORAS”, QUE REPRESENTAM O “BEM E O MAL” DAS CRENÇAS COLETIVAS!

A recusa de Jesus, em aceitar ser chamado de “BOM MESTRE”, sinaliza sua determinação de não se identificar com esta CRENÇA DO MUNDO, que a tudo divide em “bom e mau”!

Adote a Verdade de que  “AS OBRAS DE DEUS SÃO PERMANENTES E PERFEITAS”, SEM SE PERMITIR ILUDIR POR “APARÊNCIAS” FUGAZES E FRAUDULENTAS!

“TEMOS A MENTE DE CRISTO”, E NÃO “MENTE CARNAL”. 

AQUELE QUE, REALMENTE, SE DECIDIR POR “PERMANECER” NESTAS VERDADES, ESTARÁ “EM MIM”, NA “UNIDADE PERFEITA”, SEM SE ILUDIR PELAS ILUSÓRIAS ACEITAÇÕES DO  “MUNDO DO PAI DA MENTIRA!

*

“TEU DEUS TE ENSINA E INSTRUI ACERCA DO QUE TENS DE FAZER!”

Quando alguém se depara com inesperadas situações do “mundo de aparências”,  a primeira reação costuma ser de apreensão , por acreditar que as “aparências”, boas ou más, sejam realidades. Quanto mais rápida e imediata for a percepção de que O UNIVERSO REAL É INVISÍVEL E DE HARMONIA ONIPRESENTE, mais rapidamente o “fluxo da ilusão” se mostrará travado e interrompido!

Há, porém, situações que deixam as pessoas inseguras e não sabendo como agir; nesses casos, muitas costumam endossar a ilusão, por acharem necessitar da opinião de parentes, de amigos, ou mesmo de psicólogos. Para tais casos, o  mais adequado e correto é seguirem o que disse Isaías: ! ”Inclina teus ouvidos e ouve  Minha Voz. Atende a Meu discurso. Teu Deus te ensina e instrui  acerca do que tens a fazer” (Isaías, 28: 23,26).

O “discurso de Deus” poderá ser pressentido na hora da meditação contemplativa, como também, em momentos posteriores. Cada um deverá permanecer na tranquilidade máxima,  na certeza de que a Voz de Deus aparecerá como caminho a ser seguido. Para tanto, é necessário estar alerta  à percepção da “Minha Voz”, que é a suave Voz do Deus  que Se manifesta como o Cristo que você é!

Isaías disse também: “Tens os ouvidos abertos, mas nada ouves. Pede, pois: “Senhor, desperta os ouvidos para que eu ouça!”.  Esta oração atua como  TROCA DE REFERENCIAL, quando nos identificamos com o Sentido espiritual por calarmos a suposta “mente humana”.

A “Unidade Perfeita” , que formamos, é INVISÍVEL aos supostos sentidos humanos. Além de INVISÍVEL, é ONIPRESENTE, PERFEITA E PERMA1NENTE!

É ela o próprio  REINO DE DEUS, revelado por Jesus como “presente no mundo inteiro”, mas sem poder ser visto pela mente humana.

Que vê a suposta “mente humana”? A ILUSÃO!  O CHAMADO “MUNDO DO PAI DA MENTIRA”, MERAS APARÊNCIAS FRAUDULENTAS  COM AS QUAIS  NÃO PODEMOS NOS IDENTIFICAR!

São estes os princípios contidos nas falas libertadoras de Isaías aqui citadas, e que devem ser praticados “sem pressa alguma” de ver resultados! 

A ATENÇÃO DEVERÁ ESTAR TODA VOLTADA À PERMANÊNCIA NOS PRINCÍPIOS, PARA QUE ELES POSSAM PREDOMINAR E COMPROVAR QUE A HARMONIA DIVINA É O QUE REALMENTE É, ENQUANTO AS  “APARÊNCIAS”,  DESARMÔNICAS  OU NÃO, SÃO PURAS “SOMBRAS”  OU “MIRAGENS”,  SEM REALIDADE, E SEM SUBSTÂNCIA DIVINA!

*

A CONSCIÊNCIA QUE CURA

 

Às vezes fico pensando: “Que é que Deus, a Mente divina, está sabendo agora? O que é que a Mente divina está vendo como sendo o estado atual do ser?  Sendo eu a imagem e semelhança da Mente divina, tenho de refletir o que a Mente divina sabe, e pretendo adotar como meu cada um dos seus pensamentos poderosos e sanadores”.

Uma coisa que aprendi sobre a Mente divina, por meio da Ciência Cristã, é a verdade profundamente simples de que Deus, a Mente, é Tudo. Em seu livro Unity of Good, a Sra. Eddy apresenta um diálogo hipotético entre o bem e o mal. A certa altura, o bem responde às sugestões do mal: “Tuas hipóteses insistem em que haja mais de uma Mente, mais de um Deus; mas, em verdade te digo, que Deus é Tudo-em-tudo, e não podes estar fora de Sua unicidade”.

 Pense nisso! Toda a vida se manifesta dentro da infinita totalidade de Deus e por isso é boa. Toda a realidade está no âmbito da Mente única, dentro da consciência divina, que o homem reflete, e essa é a nossa única e verdadeira consciência. Tal raciocínio espiritualmente científico ajuda-nos a compreender que a cura por meio da oração consiste em trazer à luz a harmonia que para sempre existe dentro da Mente divina. É um despertar para aquilo que é real, em Deus e no homem. Por isso, a cura não ocorre fora do nosso pensamento, em alguma circunstância ou situação. 

Às vezes, nos vemos frente a frente com sugestões perturbadoras acerca de nossa vida. A sugestão de que a escassez, a perda ou a doença sejam incuráveis, chega a ser assustadora. A sugestão de que o abuso irá deixar sequelas permanentes, ou que a solidão seja inevitável, também é perturbadora. Mas, será que essas coisas estão fora de nosso controle? Fora de nossa consciência? Não! Podemos redefinir essas situações, que parecem existir fora de nós e fora de nosso controle. Podemos classificá-las pura e simplesmente como pensamentos errôneos, crenças falsas, porque não estão incluídas na totalidade de Deus. Isso ajuda a colocar a situação sob o controle divino e, assim, a cura tem início. 

Jesus certa vez viajava de barco, atravessando o Mar da Galileia, quando foi despertado do sono por seus discípulos, com a notícia de que um terrível temporal se abatera sobre eles. Estavam com medo de morrer e, desesperadamente, aguardavam do Mestre alguma ação. A eles, parecia estar ocorrendo algo externo, fora do controle deles. Viam-se desamparados. Mas Jesus, compreendendo que Deus é Tudo, deu à crise uma solução simples e poderosa. Relata-nos a Bíblia que Jesus “despertando, repreendeu o vento e disse ao mar: Acalma-te, emudece! O vento se aquietou, e fez-se grande bonança”.

 Jesus deve ter reconhecido que nenhuma tempestade perigosa poderia jamais ter sequer entrado na perfeita criação de Deus. Parece evidente que ele considerou-a apenas uma tempestade de pensamentos, e compreendeu que tinha a habilidade e a autoridade, dadas por Deus, para rejeitar os elementos  destrutivos do pensamento mortal, por serem ilegítimos e impotentes. 

A Sra. Eddy diz: “Nada aparece aos sentidos físicos a não ser seu próprio estado mental subjetivo”.  Depois acrescenta: “Destruí o pensamento de pecado, de doença e de morte, e destruireis a existência deles”. A Mente que havia em Cristo Jesus acalma as tempestades da vida. Essa Mente é a nossa verdadeira consciência, a consciência que cura.

A percepção que Jesus tinha da supremacia de Deus e da natureza espiritual e perfeita da existência era maior do que qualquer desafio que tivesse pela frente. Confiava resolutamente em que esse ponto de vista o informaria da realidade, ainda que a evidência material fosse diferente. E aquilo que Jesus provou, de forma científica, é igualmente natural para nós comprovarmos em nossa vida, hoje. 

Por exemplo, sofri várias lesões num acidente de carro e estava com muitas dores. Eu estava com uma perna inutilizada. Vi-me diante da terrível sugestão de que talvez não voltasse a andar. Chamei um praticista da Ciência Cristã e pedi ajuda por meio da oração.

O trabalho do praticista me ajudou a ver a mim mesma como a verdadeira expressão da divindade, que não necessita de nada fora de seu próprio reino de infinita perfeição. Isso me fez comnpreender que a totalidade de Deus incluía a mim também, e não era algo externo a mim. Esse raciocínio levou à cura.

Durante as semanas de consagrado estudo da Bíblia e de Ciência e Saúde, da Sra. Eddy, cheguei a perceber que o único e verdadeiro apoio de minha existência era Deus. Aprendi que eu incluía todo o bem e que não existia bem algum que não estivesse incluído em minha própria consciência, como reflexo da Mente divina. Apoiando-me inteiramente no Princípio-Cristo, consegui ficar de pé novamente e mais tarde voltei a caminhar. Embora a cura tivesse demorado algumas semanas, foi completa. Hoje movimento-me livremente, mesmo ao correr.

Nenhuma tempestade de pecado, doença, morte, invalidez, escassez, depressão, medo, declínio ou dúvida pode determinar o estado do homem, a imagem e semelhança de Deus.

As Escrituras nos aconselham: “Tende em vós a mesma mente que houve também em Cristo Jesus”. Como o homem é a imagem e semelhança da Mente divina, Deus, nós, em realidade, refletimos apenas a Mente divina. Não podemos pular para dentro e para fora da Mente, pois nela moramos para sempre e a refletimos. Nossa tarefa é a de ceder mentalmente a essa Verdade. Para a Mente divina não há tempestade que invada nossa paz, nossa inteireza espiritual e perfeição.

Você tem opção de não ficar num estado mental cheio de medo, olhando para uma tempestade. Em vez disso, poderá ver a si mesmo como reflexo da Mente celestial, compreendendo que na realidade divina não há tempestade, nada que possa roubar-lhe a alegria, o suprimento, a saúde, a segurança e  o bem-estar, nada que possa diminuir o bem eterno.

A Mente que havia em Cristo Jesus é a sua mente e ela sempre sabe que tudo é bom, Deus e Sua manifestação, sabe que esse fato está sendo comprovado continuamente. Quando nos submetemos a essa consciência pura e divina, a consciência que cura, o poder sanador da Ciência Cristã é demonstrado.

 

(O Arauto da Ciência Cristã  – Fev. 1997)

 

 

PRÁTICA DE CURA MENTAL EM SETE DIAS


Faça
as suas negações de maneira
convicta, serena, e as suas afirmações com mente forte, ousada e positiva.

O tratamento de cada dia, ou todo o método, se for necessário, deve ser repetido inúmeras vezes até que traga seus frutos vivos e fortes em seu consciente.

Se v. deseja ajudar uma outra pessoa, que não pode ou que não quer fazer por si mesma este exercício, experimente pôr a sua mente em relação harmoniosa com o Princípio, e depois pense nela quando fizer o exercício diário. O Espírito fará com que a sua palavra se manifeste em ambos: em v. e no seu “paciente”.

EVOCAÇÃO
(A ser feita antes do tratamento de cada dia)

Estou, agora, na presença do Ser puro.
Estou imerso no Espírito Santo de vida,
de amor e de sabedoria.

Reconheço a Tua presença e poder,
ó Espírito abençoado!
Que Tua divina sabedoria apague
as minhas limitações mortais.
Que a Tua pura substância de amor
traga o meu bem à manifestação,
de acordo com a Tua lei perfeita.

SEGUNDA-FEIRA

(NEGAÇÃO) — Nego a crença de que sou filho da carne ou que devo sofrer pelos pecados dos meus ancestrais, e nem que devo herdar males hereditários. Que se desvaneçam tais assertivas ignorantes!

Nego a crença de que a raça possa refletir sobre mim as paixões concupiscentes e os apetites sensuais. Nego a crença de que aqueles com quem me associo possam refletir sobre mim paixões concupiscentes ou apetites sensuais. Nego a minha própria crença ignorante em tais idéias errôneas.

(AFIRMAÇÃO) — Deus é Espírito, e eu — imagem divina — sou Espírito. Nasci de Deus. Deus é demasiadamente puro para ver iniqüidades e eu sou, por isso, Ser puro, sem mancha de luxúria ou de paixão.

TERÇA-FEIRA

(NEGAÇÃO) — Nego a crença de que herdei inarmonias, doenças, ignorância ou limitação mental, qualquer que seja. Nego toda a crença no mal, porque Deus fez tudo o que realmente há, e declarou-o bom. Por isso, nenhuma decepção, tal como crença no mal, pode obscurecer a minha clara compreensão da Verdade. Aqueles com quem convivo não me podem convencer de tais coisas. Não posso mais me enganar a mim mesmo com  tais fraquezas.

Desvaneçam-se do meu mundo essas crenças tolas das trevas e da ignorância. Estou, agora, livre de todas elas e com minha palavra poderosa, destruo-as inteiramente!

(AFIRMAÇÃO) — A vida de Deus é a minha vida! Vibro com harmonia e com integralidade. Sou livre, com o conhecimento de que tudo é bom! Estou perfeitamente bem!

QUARTA-FEIRA

(NEGAÇÃO) — Nego que os pecados e as omissões dos meus ancestrais possam refletir-se em mim, sob quaiquer formas. O egoísmo, a inveja, a malícia, o ciúme, o orgulho, a avareza, a arrogância, a crueldade, a hipocrisia, a obstinação e a vingança, não são parte da minha atual compreensão. Nego tosas essas crenças, quer venham daqueles com quem convivo, quer da minha própria mente.

(AFIRMAÇÃO) — Estou em paz com toda a humanidade. Amo, verdadeira e altruisticamente, todos os homens e mulheres. Reconheço, agora, a perfeita lei de justiça e de igualdade. Sei que “Deus não Se deixa levar por diferenças humanas”. Todos os homens e todas as mulheres são iguais para mim, aos olhos do Pai.

Amo ao meu próximo como a mim mesmo e farei aos outros como gostaria que eles fizessem a mim.

QUINTA-FEIRA

(NEGAÇÃO) — Nego haver herdado dos meus ancestrais as conseqüências do medo, ou que a raça possa refletir os seus medos sobre mim. Os medos daqueles com quem me relaciono não podem me prender à doença ou à carência. O meu entendimento está, agora, completamente livre dessa ilusão.

Não há e nem haverá, daqui para  frente, qualquer medo em meu viver.

(AFIRMAÇÃO) —  Sou bravo e ousado com o conhecimento de que sou Espírito e, por isso, não estou sujeito a qualquer poder opositor.

Abundância e prosperidade me são próprias porque me foram asseguradas por meu amoroso Pai. Agora, pela minha firme e persistente palavra, trago-as à manifestação.

SEXTA-FEIRA

(NEGAÇÃO) — Não mais sou néscio ou ignorante. A tolice e a ignorância ancestrais não mais poderão visitar-me.

Estou livre da tolice e da ignorância da raça. E as que foram guardadas pela minha própria crença, são agora apagadas.
Não há e nem haverá, daqui para  frente, qualquer medo em meu viver.

(AFIRMAÇÃO) —  Sou sábio com a sabedoria da Mente infinita e tenho conhecimento de todas as coisas. Sei que sou inteligência pura e, por isso, reivindico o meu direito divino à luz e à liberdade, em toda a bondade, sabedoria, amor e pureza.

SÁBADO

(NEGAÇÃO) — Nego ter herdado qualquer crença que hoje me limite a saúde, a virtude, a inteligência ou o poder para fazer o bem.

Aqueles com quem me relaciono não mais me podem fazer crer que sou “um pobre verme do pó”. A crença da raça, que a “natureza domina o homem”, não pode mais reter-me em servidão. Estou, agora, livre de toda crença que possa, por qualquer maneira, interferir com a minha perfeita expressão de saúde, de fortuna, de paz, de prosperidade, e de perfeita satisfação em todas as funções de minha vida.

Agora, à vista e na presença de Deus Todo Poderoso, desarticulo e dissolvo, pela minha palavra todo-poderosa, a presunção tola e ignorante de que algo possa deter a minha marcha para a perfeição. A minha palavra é a medida do meu poder. Falei e tudo se cumprirá.

(AFIRMAÇÃO) —  Sou ilimitado em meu poder, e tenho crescente saúde, vigor, vida, amor, sabedoria, coragem, liberdade, caridade e mansidão, agora e para sempre.

Estou, agora, em harmonia com o Pai, que é mais forte do que qualquer lei mortal. Sei que por meu direito de nascença, sou puro Ser e corajosamente afirmo a minha perfeita liberdade! Neste conhecimento sou estável, puro, pacífico e feliz.

Sou dignificado e definido, embora manso e humilde, em tudo o que penso e faço.

Sou uno com a vida vigorosa, com a sabedoria e com o entendimento espiritual e agora os manifesto completamente!

Sou uno com o amor, com a caridade, com a justiça, com a afabilidade, com a generosidade e agora os manifesto plenamente!

A paz flui através da minha mente, qual um rio! Agradeço-Te ó Deus, porque sou uno conTigo.

EVOCAÇÃO
(A ser feita antes do tratamento de cada dia)

Estou, agora, na presença do Ser puro.
Estou imerso no Espírito Santo de vida,
de amor e de sabedoria.

Reconheço a Tua presença e poder,
ó Espírito abençoado!
Que Tua divina sabedoria apague
as minhas limitações mortais.
Que a Tua pura substância de amor
traga o meu bem à manifestação,
de acordo com a Tua lei perfei
ta.

DOMINGO

“AQUIETAI-VOS E SABEI

 QUE EU SOU DEUS.”
F I M
OBS:  O tratamento de cada dia, ou todo
o método, se for necessário, deve ser repetido inúmeras
vezes até que traga seus frutos
vivos e fortes em seu consciente.

TODOS OS “MUITOS” SÃO UM, O “UM” QUE É DEUS!

Não oro somente por estes discípulos, mas igualmente por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da mensagem deles, para que todos sejam um, Pai, como Tu estás em mim e Eu em Ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que Tu me enviaste. Eu lhes tenho transferido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós o somos:…”

João, 17: 20-22

 

Se um avião, sobrevoando um arquipélago, logo depois pousasse “numa das ilhas”, seus ocupantes poderiam nela descer e assim constatar: “Pelo que estamos vendo, aqui não há tantas palmeiras  como há  “lá nas demais ilhas”!   Por que pareceria ter fundamento tal “constatação”?  POR CAUSA DA “ÁGUA QUE CIRCUNDA AS ILHAS”, gerando a ILUSÃO de separatividade, de haver  “aqui” e “lá’”!

Cada suposto “eu nascido” é uma ILHA, sempre a constatar “qualidades em si mesmo” e sempre a “constatar defeitos nos demais”!  Cada um acredita ter “pai na terra”,  acredita “ser capaz de ter filhos unicamente seus na terra”, e, a partir destas crenças, a ILUSÃO parece não ter fim!  PORÉM, A ILUSÃO NEM COMEÇO TEM! E quando Jesus orou para que “sejamos todos UM, perfeitos em UNIDADE”, desmantelava  todo aparente  “arquipélago humano”, para que as “supostas ilhas” fossem entendidas como “território único”, sem “crenças de separação”.

A Bíblia explica que DEUS NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS; porém, esta revelação precisa ser captada em seu SENTIDO ABSOLUTO, ou seja, PESSOAS NÃO EXISTEM! DEUS É TUDO, E, PORTANTO,  TODOS “SOMOS DEUSES”!  DEUSES INSEPARÁVEIS DE DEUS E DE TODOS OS DEMAIS!

Estas Verdades, SE NÃO FOREM CONTEMPLADAS, serão apenas TEORIAS!  Por outro lado, SENDO CONTEMPLADAS, se mostrarão reais,  vívidas e práticas, por  “desfazerem” as FALSAS CRENÇAS COLETIVAS, que veem “pessoas e não deuses”, e que veem “separatividade e não “unidade”!  É esta ILUSÃO que faz com que sejam vistas “pessoas boas e más”, “ricas e pobres”, “saudáveis e doentes”, “nascendo e morrendo”, enquanto SOMOS TODOS GANHADORES DO REINO DE DEUS, DE TUDO QUANTO DEUS POSSUI!

ESTA É A JUSTIÇA DIVINA DE IGUALDADE ABSOLUTA!

DEUS SABE QUE SUA ONIPRESENÇA É “UNIDADE PERFEITA”, E QUE “TODAS AS  SUAS OBRAS SÃO PERMANENTES”, POR TODAS SEREM “ELE PRÓPRIO” EM AUTOMANIFESTAÇÃO!

Enquanto a “mente carnal” for aceita e acreditada, aparentemente “teremos pessoas e não deuses”,ILUSÃO DE MASSA QUE FOMENTA A CRENÇA NO TEMPO, NOS PARES DE OPOSTOS, EM “SALVADORES, E SALVOS OU NÃO SALVOS”, EM SANTOS E PECADORES, E  NAS DEMAIS CRENDICES ERRÔNEAS!

UNICAMENTE A “UNIDADE DIVINA”, ONIPRESENTE, ESPIRITUAL  E PERFEITA, É REALIDADE! POR ISSO, JESUS ASSIM DISSE: “AQUELE QUE PERMANECER ‘EM MIM’, CONHECERÁ A VERDADE, E A VERDADE O LIBERTARÁ!”. 

DE QUE MODO? SENDO  A VERDADE CONTEMPLADA,  E VIVIDA NA PRÁTICA!”!

*