"EU SOU O PRINCÍPIO E O FIM"

Dárcio

A premissa básica do estudo da Verdade Absoluta diz: DEUS É TUDO COMO TUDO! Do Verbo é expressada a Existência toda, razão pela qual somos o Verbo e somos UM.

“Eu sou o Princípio e o Fim”, lemos no Apocalipse! Honrar esta Presença única e permanente é nosso papel. Honrar como?  Iniciando cada contemplação com esta Verdade! Aquele que dá início às meditações com a mente em problemas, no dualismo, está negando a Verdade!

Inicie suas contemplações com a Verdade: “Eu sou o Principio!”  Honre a Deus por não se ver sendo algum “outro”. VEJA-SE COMO A UNIDADE! A Existência infinita, sozinha, Se dá expressão! A Mente infinita Se exprime precisamente COMO este UNIVERSO INFINITO! Contemple esta Natureza Infinita do Verbo em expressão, e, naturalmente, reconheça que O VERBO É VOCÊ1

“Eu e o Pai somos UM”, disse Cristo! Falava da Unidade que obrigatoriamente nos inclui!  O Princípio e o Fim são UM! Ao encerrar a meditação, contemple: “Eu sou o Fim!”

Na permanência eterna da Perfeição, VOCÊ é  Causa e Efeito no mesmo AGORA! Lembre-se: SER o Princípio e SER o FIM anula a crença no tempo e em mudanças! Tudo que o Verbo É, VOCÊ É! Nada mais, senão a IMUTABILIDADE PERFEITA, é realidade!

ESPERE EM QUIETUDE

Joel S. Goldsmith

Sabe porque a demonstração da Verdade aprendida em O Caminho Infinito é tão reduzida? E porque os tratamentos e preces alcançam a tão poucos? Primeiro, porque na meditação é declarado conscientemente a Verdade sobre Deus, é conscientizada a natureza de toda forma de ilusão como isenta de substância, poder ou lei de sustentação, mas  SE ESQUECE DE AGUARDAR, EM QUIETUDE, a certeza interna de que Deus é o único Poder, única Lei, único Ser!

Ao encarar um problema, esquive-se dele mentalmente  e, de modo algum permita sua entrada em sua consciência. Declare ou pense em alguma Verdade sobre Deus, Seu Universo, Sua Presença e seu Poder. DEIXE QUE O PENSAMENTO SOBRE DEUS SE DESENVOLVA EM SEU ÍNTIMO! Declare ou pense tudo que você já sabe sobre a natureza do erro — pecado, doença, carência, morte. DECLARE QUE TUDO NÃO PASSA DE FORMAS DO MUNDO DA  CRENÇA — consciência coletiva da raça, pensamento mesmérico criador de “nadas”. Em seguida, ESPERE! Espere quietamente, silenciosamente, numa atitude de expectativa. Ouça a Voz interna, o “click”, a libertação.

Pratique isso várias vezes por dia. Aproveite todas as oportunidades, tanto com os seus problemas como com os de outrem. Lembre-se: a busca não visa a um crescimento material, mas a realização do Cristo. Somos instrumentos pelos quais o Impulso espiritual destrói o conceito mortal para revelar o homem real cujo ser “está em Cristo”.

O segredo da cura está nesta expressão: CRISTO-REALIZAÇÃO.

Sente-se ou deite-se confortavelmente, relaxe o corpo,  a mente, e sinta-se livre. Este estado receptivo exclui qualquer esforço mental. Você não estará procurando  Deus; antes, estará simplesmente RECEBENDO O CRISTO, de modo relaxado, sossegado e pacífico;  estará “sentindo” aquela Presença. E, nesse estado de receptividade, unicamente existe consciência, serenidade, pureza e paz. Não se prenda a nenhum desejo, motivo ou pensamento do ego — considere apenas idéias  de pureza; pureza e objetivo espiritual;  de pura alegria.

Conserve-se em paz, e a Palavra lhe virá: “Eis que estou convosco até o fim do mundo”…”Eu nunca o deixarei nem o abandonarei” — Eu Sou Você!

A AÇÃO PERFEITA NA CONSCIÊNCIA

Dárcio

A atividade única está em nossa Consciência infinita, que é Deus. A ilusão de outra atividade exterior assemelha-se a um desenho animado visto pela TV. Toda “movimentação” dele é falsa! Mas “reflete” a movimentação original ocorrida na mente do autor do desenho. Conforme ele fosse imaginando toda a movimentação, para criar na tela aquele efeito, seus pensamentos criavam a ilusão do movimento “lá fora”. Por mais que o desenhista se esforçasse para traduzir com exatidão o que se passava na mente do autor, nunca o desenho se mostraria naquele grau de perfeição. Em toda “tradução” algo se perde!

Algo parecido se dá conosco! A atividade única é perfeita, e é Deus, consciente de SER o “Eu Ativo” que somos. Quanto mais contemplarmos esta ação perfeita e invisível acontecendo como nossa Consciência, mais veremos aperfeiçoar a “expressão fenomênica” desta atividade na tela “deste mundo”, que é uma “sombra”.

Assim como a atividade do desenho animado na TV não se dá independentemente do que idealiza o  autor em sua mente, também as ocorrências nesta vida são ILUSÕES vinculadas às AÇÕES REAIS dentro de nós! Portanto, é DENTRO DE NÓS que devemos nos dedicar para reconhecer e contemplar a Atvidade perfeita de nossa Consciência divina! Se ficarmos a olhar “na tela” do mundo, estaremos apenas observando a “ilusão de acontecimentos”, como  aqueles “acontecimentos” vistos no desenho da TV.

É bom entendermos profundamente este mecanismo, para deixarmos de ver coisas onde elas não existem, e passarmos a contemplar todas elas onde de fato existem, e são perfeitas:  DENTRO DE NÓS!

DÊ VIDA À VIDA

Dárcio

Dar vida à vida parece paradoxal! Entretanto, é o que todos precisamos fazer! Dar vida à vida é viver este agora como ele é: o instante único em que vivemos sempre! Para quê fazer planos? Para quê relembrar passado? Para quê antever futuro? A vida é agora! Como a vida é? Humana? “Quem perder a vida, acha-la-á”, disse Cristo, para revelar o que é Vida, agora, em cada um de nós!  Disse também “Eu sou a Vida!” O verbo está na primeira pessoa do presente.

Alguém poderia dizer: “Se eu for viver este agora, a minha vida está péssima!” Que lhe faltaria perceber? A Vida real! A Vida em SI! DEUS! Sem Deus, a vida é sem sentido! Sem Deus, inexiste vida! A ilusão mostra uma vida limitada e temporária! Nela, perseguimos a felicidade de todas as maneiras! Mas, felicidade é Vida! Felicidade é Deus! Onde está Ele? Em nós!

Deus é nossa Consciência! Eis o sentido da frase “Eu sou a vida!”.
Uma vez percebido que Deus é Vida, que mais a Vida pode ser? Vida é a totalidade daquilo que Deus é! Vida é Amor! Vida é Luz! Vida é Alegria! Vida é o Aqui-e-agora discernido interiormente!

E o mundo visível? Tem vida? Não! Parece ter, mas é simples imagem na mente! Como? Sim, mera imagem hipnótica! Um sonho parece conter elementos vivos para o sonhador! Mas, mesmo assim, a vida de tudo pertencente ao sonho é mera ilusão mental! Que dificuldade, para a mente humana, aceitar esta
verdade! Ela está em vários ensinamentos revelados conhecidos! Mas, a mente humana não pode assimilar algo dessa natureza! Somente “as criancinhas” podem fazê-lo!
Paremos de analisar nossa “vida” humana! Paremos de achar que ela está boa ou ruim! Ela é “nada”! A Vida REAL é a Vida Divina sendo nossa Consciência! NELA SOMOS TUDO! Encontrar nosso verdadeiro Eu é encontrar a nossa Vida verdadeira: e, então, as revelações serão verdadeiras para nós, por terem
sido Autocomprovadas! E dentro de nós!

O REAL FELIZ ANO NOVO

Dárcio

O conhecimento da Verdade de que as Obras Divinas estão prontas, e que o homem é a maior delas, um ser que expressa Deus, faz com que na aparência seja visto este desdobramento visível a cada instante! “Pai, tudo que é meu é teu e tudo que é teu é meu, e nisto sou glorificado!”. Assim orou Jesus Cristo! Este reconhecimento de nossa Unidade com Deus, deste amor que sentimos pela Verdade que somos, e pela Unidade que formamos, revela o sentido da Vida e o vínculo eterno que há entre todos nós!

Deus é Amor e todos nós, que somos o Verbo em expressão, somos Amor! Uma realidade  que jamais o mundo visível saberá entender, pois, “não é deste mundo”.

O real ANO NOVO não é uma nova seqüência de dias que iremos viver na aparência, mas sim o desdobramento visível da VERDADE que vivemos sempre neste AGORA! Portanto, medite e repita com Jesus:

Pai, todas as minhas coisas são tuas e todas as tuas coisas são minhas! E nisto sou glorificado!

Contemple esta Verdade eterna, permaneça nesta visão absoluta, e todo “ANO NOVO” da aparência dará mostras de sua veracidade, num desdobramento pleno de harmonia, paz e felicidade!

FELIZ AGORA! E FELIZ REAL ANO NOVO!

VOCÊ: UM PROJETO DO AMOR DIVINO

Dárcio

“E criou Deus o homem à sua imagem ; à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou.”
GÊNESIS 1: 27

A revelação de nossa origem divina é a base metafísica para que somente creiamos na obra de Deus como permanente, sem que nos deixemos envolver pelo ilusório universo de aparências fraudulentas. Jesus disse: “O filho faz aquilo que vê o Pai fazer”. E revelou-nos um Deus que é o nosso Pai comum! Esta revelação deve fazer com que jamais VOCÊ se avalie, ou a outrem, segundo as aparências visíveis.

Existe um Deus vendo aparências ilusórias? Existe um Deus vendo em Si mesmo, em Sua Onipresença, alguma imperfeição? Existe um Deus aceitando “outro ser” ao lado de Si mesmo? Que as respostas fluam de SUA PRÓPRIA Consciência!

Deixando de lado o mundo exterior, volva sua atenção para o Reino interno, em que Deus e Homem são um, em que a Mente de Deus e a Mente do Homem são uma! Descubra a Verdade absoluta ensinada pelos grandes mestres! Não há dois mundos: o interior e o exterior! O Reino é um só: a Realidade espiritual! Com toda a atenção voltada a ela, reconheça-a como “perfeição absoluta”, e terá, refletida na mente humana, que atua como espelho, a imagem tridimensional visível correspondente!

Busque unicamente o que é real! A Realidade é una conosco! Desse modo, estando em unidade com o Reino infinito,  visivelmente este “reconhecimento” se mostrará  como todas as coisas supostamente necessárias.

Sua origem é Deus! VOCÊ EXISTE COMO UM PROJETO DO AMOR DIVINO! Nada mais atua sobre você! Unicamente a Lei do Amor o governa! E esta Verdade é demonstrável! Só depende de aceitação incondicional!  Seja “o filho que faz somente o que vê o Pai fazer”! Assim, estará vendo, reconhecendo e sendo unicamente a Perfeição universal e infinita! Erradique em definitivo todas as crenças e conceitos fraudulentos feitos sobre seu ser! Rejubile-se! VOCÊ É UM PROJETO DO AMOR DIVINO!

VIVA COMPLETAMENTE LIVRE!

Dárcio

Viva completamente livre! Assim estará realmente UNO COM DEUS! Deus Se ocupa por inteiro e em completa liberdade! Não se amarra a pensamentos pequenos! Não se preocupa com nada ! E o Universo FLUI! Aja em Unidade com Deus! Aja como Deus! De nada lhe adiantará repetir maquinalmente, “Eu e o Pai somos um”, para sair tenso, na correria, pensando em problemas etc.

Corte pela raiz e com firmeza este mesmerismo! Contemple o Universo fluindo! Confirme sua Mente divina! Deus está em toda parte! Logo, está onde VOCÊ está! A Mente divina está em toda parte! Logo, está onde VOCÊ está! Assuma isto com discernimento! Entenda que o que parecia lhe deixar tenso, preocupado, angustiado ou agitado era pura ILUSÃO!

VIVA COMPLETAMENTE LIVRE! Desse modo, o “seu” Universo fluirá harmoniosamente, pois, ele é o mesmo Universo que é DEUS!

A EXPERIÊNCIA DE DEUS

Dárcio

Muitos pensam que a chamada EXPERIÊNCIA DE DEUS é algum tipo de experiência espiritual vivenciada apenas ocasionalmente por alguém. Eis o porquê de jamais devermos encarar o mundo sem ser a partir do Absoluto. A Experiência de Deus é um acontecimento ininterrupto; é um fato que está se dando sempre, a todo instante, inclusive AGORA.

Deus É! Logo, a “Experiência de Deus” também É!  DEUS É TUDO COMO TUDO, o que torna claro que este EU, que EU SOU, é obrigatoriamente aquilo que Deus É, tudo que Deus É, e somente o que Deus É. Conclusão: EU SOU A EXPERIÊNCIA DE DEUS. A minha Existência é a Experiência de Deus; a sua Existência é a Experiência de Deus, e a Existência Universal é a Experiência de Deus. Este simples reconhecimento constitui a chamada meditação, ou contemplação da Verdade.

A Experiência de Deus não ocorre somente durante as meditações: Ela está ocorrendo sempre! Meditamos apenas para PERCEBER este Fato. Mais correto seria dizer que a Experiência de Deus ocorre INCLUSIVE na hora em que meditamos. Este mecanismo é análogo ao fato de estarmos vivos. Cada um de nós está vivendo agora. Ao fazermos uma pausa para perceber este fato, será que o estaríamos tornando verdadeiro a partir de então? Não; nós já estávamos vivos!

Dissemos, há pouco, que a constatação de que estamos vivos é análoga à percepção da Experiência de Deus. Mas, as duas coisas não são realmente análogas, mas sim idênticas. Na verdade, as duas são uma COISA ÚNICA. Deus é Tudo como Tudo. Deus é Vida, e a ÚNICA Vida que há. A Experiência de Deus, portanto, é a Experiência da Vida. Passamos todos, neste AGORA, pela experiência de viver, e esta constitui a própria Experiência de Deus. Além disso, sendo Deus Tudo como Tudo, não existe mais ninguém que pudesse ter a Experiência de Deus. Estamos expondo o seguinte fato: A EXPERIÊNCIA DE DEUS É EXPERIENCIADA PELO PRÓPRIO DEUS, E NUNCA POR ALGUMA PESSOA. Não existe pessoa alguma neste Universo. DEUS É TUDO! E Deus aparece COMO cada Expressão individual. Não há “Experiências de Deus” pessoais ou isoladas! HÁ SOMENTE UMA EXPERIÊNCIA DE DEUS, CONSTANTE E ININTERRUPTA, SENDO A EXPERIÊNCIA DE CADA UM DE NÓS, NESTE EXATO INSTANTE.

Cada um de nós deve chegar a uma única conclusão: “Eu sou a Experiência de Deus. Deus experiencia a Si mesmo como o Ser que Eu Sou”.

O Universo não é como a suposta mente humana o vê e aceita. A contemplação desta Verdade precisa ser feita. Muitos já ouviram que a mente humana apenas forma um conceito de Universo; porém, a maioria não se deteve nesse ponto para bem conscientizá-lo. Precisamos nos acostumar com a idéia de que a Experiência de Deus é algo ininterrupto, pois a falsa crença de que tal Experiência “nos chega” pela meditação ou contemplação vem predominando na vida de muitos. Exemplificando, é inaceitável, após sermos informados de que o mundo não é como aparenta ser, que continuemos a aceitá-lo da mesma forma, muitas vezes até mesmo justificando tal aceitação com frases do tipo: “Eu somente compreendi isto intelectualmente”. Não; a suposta sabedoria humana não pode “entender” intelectualmente uma Verdade. Deus é Tudo como Tudo; e Deus é a Verdade. Logo, cada um de nós está incluso nesta totalidade, ou seja, cada um já é esta Verdade.

Aqueles que lêem agora estas palavras, e se esforçam para entendê-las, apenas demonstram não havê-las compreendido até aqui, muito embora já tivessem tido anteriormente contato com estas revelações. Que conclusão podemos tirar? Que a mente que tenta conscientizar a Verdade, a cada leitura, não é a nossa mente. Nossa Mente real é a própria Verdade, e possui plena consciência deste fato. Em outras palavras, uma suposta mente humana, dotada de uma suposta sabedoria, tenta nos fazer crer que estamos num Universo imperfeito, tal como ela aparentemente nos apresenta.

No Gênesis, encontramos que o homem, tendo sido enganado pela “sabedoria da serpente”, acabou sendo expulso de paraíso. Que homem seria este? Que mente poderia ser enganada? NENHUM E NENHUMA! Eis as respostas! DEUS É TUDO! Exatamente onde o suposto homem parecia estar, verdadeiramente encontrava-Se Deus, em manifestação individual; exatamente onde a mente passível de ser enganada parecia existir, encontrava-Se a Mente Divina, aparecendo como a Mente individualizada. Conclusão: JAMAIS EXISTIU A EXPULSÃO DO PARAÍSO! Qualquer “expulsão” implicaria dualidade, ou seja, a existência de um lugar, e a existência de alguém que pudesse ser expulso dele para algum outro. DEUS É TUDO! Deus é o Paraíso, e Deus é o Ser que eternamente o habita! Em outras palavras, Deus aparece como o Paraíso e como a totalidade de tudo que nEle está contido. E, ESTA TOTALIDADE, ESTA ONIPRESENÇA, CONSTITUI A EXPERIÊNCIA DE DEUS!

Muitos dizem que não conseguem “sentir” esta Experiência de Deus, quando meditam. Assim, ficam com a falsa impressão de que teriam que se elevar ainda mais em consciência, o que, segundo eles, seria conseguido por meio de muita dedicação, horas de interiorização, etc. Contudo, não existe uma escala de graduação de consciência. DEUS É CONSCIÊNCIA, E DEUS É A ÚNICA CONSCIÊNCIA QUE HÁ! Deus está sendo, aqui e agora, a Consciência que cada um de nós já É! A Consciência de Deus, aparecendo como nossa Consciência individual, constitui a EXPERIÊNCIA DE DEUS. Assim, Deus está, agora e sempre, experienciando a Si mesmo COMO cada um de nós.

Este fato não se deve a nenhum tipo de meditação, dedicação ou qualquer outra suposta atividade humana. NÃO EXISTEM ATIVIDADES HUMANAS! Deus é a ÚNICA Atividade real. Tampouco existe qualquer pessoa para “experienciar Deus”. DEUS É O ÚNICO SER, E DEUS DÁ EXPRESSÃO A SI MESMO COMO CADA UM DE NÓS. Queremos salientar o seguinte: não fazemos meditações ou contemplações da Verdade para “sentir” a Experiência de Deus. Nosso objetivo é outro: CIENTES DE QUE DEUS É A EXPERIÊNCIA DE SI MESMO, ALÉM DE SER O PRÓPRIO EXPERIENCIADOR, PERCEBEREMOS A INEXISTÊNCIA DE QUALQUER PESSOA SUPOSTAMENTE PROCURANDO SE ELEVAR EM CONSCIÊNCIA, TENTANDO SE UNIR A DEUS, OU FICANDO NA EXPECTATIVA DE EXPERIENCIAR DEUS. Isto seria algo impossível de ocorrer, além de contrariar a Verdade Absoluta aqui apresentada.  Nunca tente, como pessoa, “sentir” a Presença de Deus. Uma ilusão jamais poderia experienciar a Realidade. Em vez disso, independente de qualquer coisa, SAIBA QUE DEUS ESTÁ SENDO VOCÊ!

“Muitos profetas e justos desejaram ver o que vós vedes, e não o viram; e ouvir o que vós ouvis, e não o ouviram.” (Mt. 13; 17). Não são pessoas, boas ou iluminadas, que têm e Experiência de Deus. SOMENTE EXISTE DEUS! E, Deus é a Sua própria Experiência COMO a Experiência de cada um de nós.

Este conhecimento da Verdade nos dá condições de EXPERIENCIÁ-LA no AQUI e no AGORA, pois já não existem “seres humanos” e suas limitações. Há somente Deus, e Deus está sendo agora o Ser que cada um de nós JÁ É!

ESTA É A CHAMADA EXPERIÊNCIA DE DEUS.

NÃO SEJA "FOLHA BRANCA"

Dárcio

Envolvimento difere por completo de  participação. Quem estuda a Verdade não se envolve com o mundo das aparências, mas, por outro lado, tem nele tremenda participação! Por que? Por não haver dois mundos! Há somente a Realidade Espiritual, que reconhecemos plenamente em nossas meditações contemplativas. A Unidade do Universo Absoluto abrange esta imagem finita tridimensional, assim como a imagem colorida, vista numa TV, engloba a mesma imagem em preto-e-branco exibida por outro aparelho que apenas transmite dessa forma limitada.

No dia-a-dia, a harmonia gerada por nossas contemplações pode parecer “desarmônica” em muitas situações! Isto porque exatamente somos movidos a “participar” de tudo em nosso ambiente! Nesse ponto é que se faz necessário separar o que é “envolvimento” do que é  “participação”. Se meditamos e estamos convictos de que “somos um com Deus”, não devemos esperar que o dia todo seja uma calmaria paradisíaca! Alguns momentos poderão ser; outros não! E isto é natural! Não que iremos antever situações desarmônicas! Pelo contrário, estaremos conscientes de que a “harmonia sempre É”, e, justamente por isso é que o dia-a-dia nos apresenta situações em que iremos ter de participar de muitas maneiras, mas sem envolvimentos, para “fazer” com que as “aparências” se ajustem.

Há um texto de Khalil Gibran chamado “A Folha Branca”. Conta que uma folha branca disse ter sido criada pura, e que assim iria permanecer: pura e sem  negrura alguma que pudesse chegar junto dela. Assim o tinteiro a ouviu, os lápis a ouviram, e todos se afastaram dela. E o autor encerra o texto: “E a folha de papel, branca como a neve, permaneceu pura e casta para sempre, pura e casta — e vazia”.

Conheci pessoas no caminho espiritual que adotavam uma postura de indiferença diante de tudo! Pareciam estátuas! Entendiam que “não envolvimento” seria “não participação”. Com medo de entrar em discussões, em emitir firmes opiniões, enfim, com medo de  perder a suposta “paz” , optavam por somente a tudo observar, acreditando ser aquilo uma atitude muito espiritual! Este texto, “A Folha Branca”,  fez-me recordar esse tipo de postura! De fato, aparentemente, até eles poderiam mesmo estar se mantendo melhor  do que se entrassem em “confronto” com as pessoas e situações; mas, estariam se comportando como a “folha pura, casta e VAZIA!”. A Verdade não gera acomodação ou apatia na vida humana! Pelo contrário, ela gera as condições necessárias de “ajustes”. Aquele que teme participar de tudo, achando que evitar todo tipo de troca de idéias significa poupar discussões, atritos e desavenças, e que isto significa ser “místico”, desconhece o princípio de que “somos todos um”. Por sermos uma “unidade”, a participação nossa com “todos” é a participação global “conosco mesmos”; assim como corrigiríamos, na aparência, algo errado em nós mesmos, ao fazermos o mesmo com os demais, estaremos igualmente fazendo a nós mesmos! A Verdade é a Verdade! Onde o erro aparecer, deverá ser corrigido! Com nossa total participação e sem envolvimentos emocionais! Mesmo que momentaneamente as coisas se mostrem conturbadas!

O filho de Deus, na aparência, não é  vaca de presépio  nem galo de briga! Ele simplesmente deixa fluir a reação natural que cada situação for lhe requerindo! Após cada evento, as partes refletirão e a razão tomará conta! Se formos ver como Jesus agia, notamos que ele estava sempre participando de tudo, ora sendo manso, ora sendo ríspido, mas sempre sendo aquilo que cada situação lhe fosse exigindo! Contudo, lembremo-nos: ele  agia após orar e discernir com clareza sua “unidade com Deus”. Somente assim, poderemos agir livres e confiantes de que as nossas atitudes, ou opiniões emitidas, são realmente as corretas e cabidas.

……………………………………………………………………………………………………………

OBS: Durante as contemplações, devemos olhar todo o quadro visivel como ILUSÃO! E incluir, neste quadro, a aparência humana do nosso ser. Deus é o Ser que somos! E o Reino de Deus é sempre o local em que estamos!

O "AGORA" NÃO É O "HOJE"

Dárcio

Assim como a cena vista na tela de cinema é “morta”, pois a “viva” está sendo projetada para substituí-la, o seu dia de “hoje” é cena já extinta! Onde está seu “hoje real”?: No AGORA ATEMPORAL que se desdobra a cada instante! Desse modo, extráia a sua atenção do “hoje” para o “AGORA”. Faça-o para valer, sem se importar se as imagens são ótimas ou péssimas! Desse modo, em vez de se prender a uma imagem-crença, onde são vistos os conceitos de bem e de mal, você estará discernindo o AGORA PERFEITO, mantido por Deus.

“O que se vê procede do que não se vê”, isto é, o que “hoje” é visto, é efeito da Causa única, que é Deus! Assim, firme-se no AGORA que o mundo não vê, reconhecendo-O PERFEITO, para que, a partir de então, ele apareça visivelmente como efeito desta contemplação! Nesse sentido, disse Jesus: “Busque o Reino de Deus e a sua justiça, e todas as demais coisas lhe virão acrescentadas.”

NENHUM NA CISTERNA

Dárcio

No Evangelho de Tomé, encontrado no Egito em 1945, encontramos as seguintes palavras de Jesus Cristo:

“Há muitos em volta da cisterna, mas não há nenhum na cisterna”.

A raça humana vive hipnotizada, sem saber de onde veio, onde está e para onde vai. Acomodou-se a esse desconhecimento. Os poucos que se interessaram pelo autoconhecimento, obtido por revelações, acabaram por descobrir a Essência una da Vida. Como reagiu o mundo diante das revelações? Ou as ignorou ou criou estátuas para cultuar os mensageiros!

A Verdade comum a todas as revelações diz que Deus e homem são um! Esta é a “cisterna”. E, como disse Cristo, muitos  ficam apenas  rodeando-a, sem se darem conta de que o radicalismo, em termos de aceitação, reconhecimento e identificação, é vital!

“Não existe um ponto em que Deus termina e começa o homem!. Aquilo que é visível de nós é Deus. Nós somos Deus tornado visível.” escreve Joel S. Goldsmith. Também na Seicho-No-Ie encontramos que “Deus e homem são um só corpo; Deus é a Fonte de Luz e o homem é a Luz emanada de Deus”. Jamais houve uma revelação tratando o homem como ser material, em evolução ou separado de Deus!

Quando Jesus afirmou: “Eu e o Pai somos um”, incluía, nesta percepção, a totalidade da Existência! O “Reino de Deus” é a “cisterna”. Abandone o “eu” que ilusóriamente a rodeia, e se identifique com o “Eu Sou”, que VOCÊ É, já presente DENTRO DELA!

NÃO HÁ PROVAÇÕES NA ILUSÃO

Dárcio

A crença de vida na matéria gera outra crença ainda mais absurda: de que esta vida é uma provação de Deus, uma “escola de evolução espiritual” e outros disparates correlatos! Por isso, é fundamental discernir com clareza que DEUS É TUDO! Se alguém estiver envolvido com os quadros mostrados pela mente humana, ou com alguma pessoa ou fato presente neles, estará acreditando numa ILUSÃO! E, se entender aquilo como “provação”, “veículo de aprimoramento espiritual”, etc, estará simplesmente afirmando que o “NADA”  lhe está sendo ÚTIL! Poderia haver ponto de vista mais ridículo?

Cristo disse ter vindo para que tenhamos “vida com abundância”. Esta “vida com abundância”” é nosso entendimento constante de que Deus vive SUA VIDA como cada um de nós! Esta Vida é infinita, e se estende a partir de nós mesmos até o infinito!

Não lhe basta meditar e, logo em seguida, sair para o dia-a-dia encarando tudo e todos materialmente! Esta pré-disposição coletiva é que o torna  “isca do mesmerismo”! Ao menor contratempo visível,  você irá ali depositar toda a sua atenção; e daí por diante, a Verdade de que DEUS É TUDO lhe ficará aparentemente esquecida pelo resto do dia!

Inverta isso! Contemple, pela manhã, a totalidade de Deus; quando sair, faça-o pré-disposto a reconhecer que “é santo o solo em que pisa”; olhe cada pessoa e recorde: “Ela é uma extensão da Luz que eu sou; somos todos um em Deus!” Tenha em mente que o cenário todo, o que é REAL, é formado de uma substância espiritual! Não existe matéria! Não existem pessoas materiais! Não existem acontecimentos materiais, nem bons nem maus! DEUS É TUDO! Esta Verdade deve acompanhá-lo de forma bem aflorada aonde quer que você vá! Não a deixe restrita ao seu “local de contemplação”. Ao primeiro “contratempo” que tentar iludi-lo, saia fora! Reconheça o seguinte:

“Isto não me convence de que Deus não seja Tudo!”

Habitue-se a fazer este reconhecimento na hora, de imediato! Não se alinhe com a MIRAGEM!  Faça do mundo todo o seu “local de contemplação” Assim,  realmente, VOCÊ irá “vencer o mundo”.

SABER CALAR

Dárcio

Diante da revelação de que “O Espírito de Deus habita em VÓS”, se meditamos, é unicamente para discernir esta Presença-Viva sendo o nosso ser!

Faça o seguinte: com esta citação em mente, ou seja, “O Espírito de Deus habita em mim”, fique calado! Deixe a Voz divina Se anunciar sozinha! Aguarde! Sinta-se na presença de Deus! Sinta Deus sendo a SUA PRESENÇA! Perceba que DEUS É TUDO! Solte-se nesta Verdade pelo tempo que lhe parecer o suficiente!

Não há momento mais glorioso do que este! Desfrute-o ao máximo!

CONTEMPLE A UNIDADE EM SILÊNCIO

Dárcio

Quando Cristo disse: “Eu e o Pai somos um”, revelou a unidade da Realidade absoluta! Nesta unidade está todo o segredo da revelação! Que é o Reino de Deus “dentro de nós?” A percepção dessa UNIDADE! Se tudo é UM, somos o UM! Nada nos pode ser tirado ou acrescentado! Segundo a visão humana, tudo é diferente desta revelação. Assim, as pessoas, iludidas por um universo que não existe, tentam nele acumular coisas, encontrar pessoas, escapar de problemas, etc. Como sair desse mecanismo falso ou ilusório? Através do Silêncio contemplativo!

Somos UM! Não há duas mentes nem duas vidas! Deus é VIDA ou MENTE ÚNICAS! Se contemplarmos esta Unidade, ou seja, se a reconhecermos e a considerarmos como Fato eterno e, portanto, fato deste AGORA, estaremos vivenciando nossa libertação completa! Enquanto acreditarmos em “mundo humano”, estaremos sendo vítimas desse hipnotismo de massa! Ao pararmos para dar crédito à profunda revelação de que “este mundo é nada”, ou seja, de que “o reino não é deste mundo” (Jesus Cristo), ou de que “este mundo é maya (ilusão)(Buda), estaremos despertos! Vivos como VIDA ÚNICA! Conscientes como CONSCIÊNCIA ÚNICA! E, o ilusório mundo do bem e do mal terá se evaporado de nossa percepção!

O Silêncio contemplativo é o recurso de que dispomos para reconhecer esta UNIDADE ILUMINADA que somos! Se quisermos vivenciar esta Realidade, precisaremos nos dedicar a estes princípios. Eles são verdadeiros! Que cada um pare neste instante, percebendo interiormente:

“Eu e o Pai somos um”. EU SOU UM! EU SOU O “UM”!

"PERFEITOS EM UNIDADE"

Dárcio

“Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, e para que o mundo conheça que me enviaste a mim e que tens amado a eles como me tens amado a mim.”
João 17: 23

A natureza impessoal de Deus, do Universo ou da Existência deve ser percebida, para que as crenças ilusórias possam ser dissipadas de um vez por todas. A mente humana está habituada a tratar os assuntos levando em consideração as pessoas. Cada um se julga uma pessoa independente! Quando algum ensinamentos é revelado, também o chamado “mestre” é visto como “pessoa”. Daí o surgimento das crenças falsas decorrentes, tais como: “Aquele ser é iluminado”, “Aquela pessoa é um Mestre”, “Aquela pessoa é muito atrasada, aquela outra é bem evoluída”, etc.

Para tirar a noção de “mestre pessoal”, Cristo disse: “Minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou”; em outra ocasião, disse àquele que se referiu a ele como “bom mestre”: “Por que me chamas bom? Bom só há um, que é Deus”.

Toda revelação divina é impessoal e válida universalmente, aqui e agora, para a Existência integral! Eis por que, na citação de abertura deste texto, encontramos a fala de Jesus:

“Para que eles sejam PERFEITOS EM UNIDADE!”

Este ponto,  “PERFEITOS EM UNIDADE” , é a chave da libertação! O Universo é UM! É Verbo! É Perfeição absoluta! É eternidade! É agora! Não existem “pessoas” no Universo! Há o Verbo, sempre a PERFEIÇÃO EM UNIDADE, aparecendo COMO infinitas expressões de Si mesmo! Fazendo uma analogia, é como se, num quadro-negro, representativo do Universo Infinito, desenhássemos um círculo, um retângulo e um quadrado. Que seria a existência? O quadro-negro! Que seriam as figuras geométricas? Formas desenhadas e da mesma substância do quadro-negro, que, nele, continuam em UNIDADE. Se o “círculo” se imaginasse menos ou mais iluminado ou evoluído do que o “quadrado”, esta noção somente poderia ser vista como absurda!  O “círculo” é o “quadrado”, em termos de natureza, e o fato de ter forma distinta não o torna inferior nem superior a ele.

Uma pessoa, se esforçando para se iluminar, constitui a prática errada da Verdade. A forma correta é a Visão integral de que “somos PERFEITOS EM UNIDADE”. O Verbo, aqui onde eu estou, aparece na forma distinta como o ser que EU SOU; o mesmíssimo Verbo, aí onde você está, aparece na forma distinta como o ser que VOCÊ É! Se pensarmos no círculo sobre o quadro-negro, poderemos imaginá-lo a dizer: “Eu” sou o círculo e “você” é o quadrado! Porém, se eliminarmos as “formas”, veremos somente o quadro-negro! E, assim, este quadro-negro estaria sendo o ÚNICO a dizer: EU SOU TUDO! EU SOU O CÍRCULO, O QUADRADO, O RETÂNGULO! A UNIDADE PERFEITA!

Esta é a Visão correta! “Não existe nenhum outro ao lado de MIM”. Somos o UNO, somos PERFEITOS EM UNIDADE! Não existem pessoas! Não existe ilusão! TUDO É DEUS! DEUS É TUDO! Meditemos! Meditemos somente para reconhecer esta Iluminação Plena que temos e que já somos, pois, em virtude da Onipresença, já somos PERFEITOS EM UNIDADE!

"EU SUBO PARA MEU PAI E VOSSO PAI"

Dárcio

“EU SUBO PARA MEU PAI E VOSSO PAI”
João 20,17

“Eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus”!  Que revelação! Que maravilha, se ela tivesse sido disseminada com ênfase desde que nos foi anunciada! Jesus nos mostra, mais uma vez, a unidade da Vida perfeita em Deus! Com sua visão iluminada, via-nos em igualdade com ele, como filhos perfeitos do mesmo Pai, do mesmo Deus!

Que significa “subir para o Pai”? Significa “subir” da visão humana errônea, que nos julga em graus de evolução, para a visão crística, a mesma visão de Jesus, aqui e agora disponível para todos nós! Ciente dessa acessibilidade imediata ao Pai, Jesus nos revela o processo libertador dos conceitos deste mundo, reconhecendo-se como alguém espiritualmente  igualzinho a todos nós! Assim, ao dizer que “sobe ao Pai, sobe a Deus”, confirmando que temos todos  o “mesmo Pai” e o “mesmo Deus”, ele nos impulsiona  a fazer a mesma “subida”.

“Monte”, na Bíblia, quer dizer “Altitude da Iluminação”, isto é, retrata nossa “subida ao Pai”. Eis por que Moisés recebeu os mandamentos no “Monte Sinai”, e, também, porque temos registrados o “Sermão do Monte”, o “Monte da Transfiguração”, e assim por diante. “Subimos ao Monte” quando, em oração contemplativa,  nos interiorizamos e nos desvinculamos da mente carnal, num radical reconhecimento de que “temos a mente de Cristo”, conforme nos revela Paulo em I Coríntios 2: 16,

SUBA PARA TEU PAI, TEU DEUS, MEDITANDO SILENCIOSAMENTE:

Eu subo para meu Pai,  eu subo para meu Deus. Deixo o “vale” da humanidade e subo ao “monte” da cristicidade! “Tenho a mente de Cristo”! Minha visão é iluminada! Percebo a unidade da Vida e a onipresença de Deus! Subo para meu Pai, subo para meu Deus! Na compreensão plena desta revelação de Jesus, neste Alto monte, vejo a mim e a todos, não mais como “seres humanos”, ou em “evolução”, mas como Luzes! Luzes plenas que, como raios de sol, brilham ininterruptamente com a Luz do Criador.

"EU SOU A VIDA"

Dárcio

Enquanto cientistas no mundo despendem anos a fio pesquisando se há vida aqui ou acolá, sabemos, por revelação, que a Vida é ONIPRESENTE! A Vida que somos é DEUS! Não há um ponto em que a “Vida de “um” acaba e começa a “Vida de outro”. E não há ponto em que a Vida esteja ausente! Somos todos uma Vida ÚNICA! A Vida é impessoal, é Deus, é eterna e é espiritual! “Eu Sou a Vida”, “Eu Sou o Pão da Vida”, disse Jesus! Mas falava tendo em vista o Cristo em SI MESMO, um com o Pai,  e um conosco!

Medite! Feche os olhos para o mundo da ilusão, que pensa ver “vida aqui” e não “vida acolá”. Esta ilusão separatista é a causa do egoísmo, das contendas, dos atritos e problemas! Contemple a Vida divina ONIPRESENTE! E, como uma gota que em auto-percepção se”vê” sendo a gota e sendo o oceano, veja-se como esta Vida impessoal e infinita, o Cristo em VOCÊ! E então, jubilosamente, diga pausadamente:

EU…SOU…A…VIDA! EU…SOU…O PÃO…DA…VIDA!

Perceba-se sendo DEUS VIVENDO! Perceba que Deus vivendo é VOCÊ!

NATAL: O HOMEM-DEUS RECONHECIDO

Dárcio

Que Natal poderíamos imaginar que Jesus gostaria que comemorássemos? Um Natal a ver com presépios, participações em solenidades, cultos ou festividades humanas, somente trazendo recordações de seu nascimento em Belém? Suas palavras foram:

“Vim para que todos tenham vida com abundância!”

Se alguém não estiver “com vida em abundância”, nele não se cumpriu ainda o objetivo de sua vinda! E tal objetivo somente  pode ser alcançado com a descoberta do Reino de Deus dentro de cada um. Em resumo, esta foi a missão de Jesus: despertar a raça humana do “sonho de Adão”, revelando este  Reino magnífico que,  já presente em nós, constitui nossa própria Vida, a Eterna Vida com abundância!.

O Natal espiritual, além das comemorações costumeiras deste mundo de aparências, é um estímulo  ao seu próprio Natal, ou seja, ao seu “Renascer consciente em Deus”. Comemora-se primordialmente a compreensão da Verdade de que o homem não é matéria, nunca esteve na matéria, e nem dela  sairá um dia! Comemora-se o Fato de que VOCÊ é um HOMEM-ESPÍRITO, aqui e agora! Perfeito! Imortal! Iluminado! Eis por que Jesus endossa  “serem deuses” aqueles a quem a Palavra divina é dirigida!

Natal, portanto, não é um dia no tempo, mas “o dia” em que percebemos que o tempo não existe!

O Cristo é nascido! Nascido em VOCÊ! Ou melhor, VOCÊ é “renascido” em Cristo! Natal é a conscientização de que VOCÊ já é um Ser de natureza infinita! O “Cristo”, um Homem-Deus reconhecido!

Ao se IDENTIFICAR com este Ser Divino a que estamos aqui nos referindo,  VOCÊ estará  comemorando o SEU Natal!

FELIZ NATAL!

QUEM SOU EU, PARA DIZER: "EU SOU DEUS"?

Dárcio

É comum encontrarmos esta reação: “Quem sou eu, para ser Deus?”, quando os princípios espirituais são revelados. A dificuldade de aceitação se deve ao seguinte: a revelação não se dirige à mente humana, mas à Essência de nossa Vida, que é a Vida infinita, onipresente, indivisível e impessoal: DEUS!

A mente humana nada tem de Deus; tampouco tem algo de Deus a aparência humana de nosso ser. Esta última é ilusão gerada pela primeira, que é também ilusória. É como no hipnotismo: se a pessoa for hipnotizada para engatinhar como bebê, apesar de ser adulta, fará a ação correspondente à sugestão hipnótica apresentada. Uma ilusão estaria “criando” a ilusão seguinte!

Cristo revelou a natureza divina de nós todos. Não somente Cristo, mas todos os iluminados! A maioria permanece desconfiando ou desacreditando da Verdade. Mas a Verdade É! Aceita ou não, Ela É!

Cristo disse que “o conhecimento da Verdade nos torna livres”. Significa que ele sabia que tudo o que as pessoas vinham aceitando era uma MENTIRA! E a aceitação da mentira precisa ser trocada pela Verdade, é óbvio! É o que ele chamou de “nascer de novo”.

A profusão de profecias que circulam por este mundo são uma prova de que “a matéria é aceita como realidade”. Não existem profecias em Deus! Não existem profecias de Deus referentes a um mundo que Deus desconhece! “O Meu reino não é deste mundo”, disse Cristo! Enquanto as pessoas não se dedicarem a “buscar o reino real” dentro delas, continuarão à mercê de todo tipo de crendice ilusória! O processo de conhecimento da Verdade é radical, puro e simples, mas exige tomada de decisão e dedicação.

Observemos as elevadas palavras de Vivian May Williams, no trecho abaixo transcrito. Que sejam analisadas com a profundidade que merecem! Deus é TUDO, e não “quase-TUDO”.

“Não podemos mais declarar que “Tudo é Espírito” e deixar  fora a manifestação chamada “matéria”. Declarar que “Espírito é Verdade imortal; matéria é erro mortal”, não constitui a ciência do ser. Uma coisa, para ser científica, deve estar baseada em fatos. Aceitar o Espírito como a substância invisível ou essência de todas as formas, e então declarar que as formas são “materiais” e errôneas” é certamente uma crença de que o Espírito Se manifesta em “matéria”; tais crenças falsas prendem os indivíduos e lhes dão um senso de dualidade, em vez de um entendimento da Unicidade.

A menos que encaremos céu e terra juntos, em Consciência, para assim tê-los como uma unidade, a metafísica não será nem mais nem menos do que uma teoria. A única prova, ou demonstração, que dispomos, é através das manifestações ou formas.

Muitos instrutores e praticistas ignoram as manifestações como “erro mortal” e, ao mesmo tempo, dão tratamento a seus pacientes para criar dinheiro, casas, terras, e toda forma visível de manifestação. Se for errado ter um “corpo físico”, então é igualmente errôneo, para um praticista, tratar ou orar para que alguém apresente um corpo saudável. Todo praticista que acredita na “matéria” é uma “casa dividida contra si mesmo”, se estiver orando para melhorar “matéria”.

Se a “matéria” é nada, como poderia ser melhorada? Porém, se não existe matéria e tudo é Espírito, prontamente ficará entendido que alguém terá suas preces atendidas tão rapidamente quanto lhe seria possível resolver um problema de matemática. Assim como a resposta a cada problema de aritmética está estabelecida no princípio da matemática, antes que você comece a utilizar os números, também cada problema da existência humana tem sua resposta estabelecida no Princípio, antes mesmo que você comece a orar. “Antes que clamem, responderei”.

Se Deus é a Vida única onipresente, e se VOCÊ está vivo, VOCÊ É O QUÊ?

"SEM O VERBO NADA DO QUE FOI FEITO SE FEZ"

Dárcio

Há séculos que o mundo religioso vem declarando: “Teu é o Reino, o Poder e a Glória para sempre”, referindo-se a Deus. Mas, na prática, a vida parece contradizer a Verdade tão repetida. Tudo porque a idéia de que algo além do Verbo, chamado “matéria”, está realmente existindo. Alguns ensinamentos chegam a dizer que “a matéria existe”, mas é irreal no âmbito de Deus. Entretanto, esta meia-verdade acaba dando ênfase àquilo que é ilusório. Que é “ilusório”? Tudo que não for “Verbo”; tudo que aparentar ser algo “além de Deus”.


“Todas as coisas foram feitas por Ele (Verbo), e sem Ele nada do que foi feito se fez.”
(João 1;3).

Que maravilha, quando esta revelação é aceita sem reservas!

Alguns estudam a Verdade com a intenção de dominar males físicos. Outros pensan em construir um “paraíso terrestre”. A real necessidade é CONHECER A VERDADE! O conhecimento nada melhora e nada constrói! Mas revela o Reino verdadeiro do Espírito, perfeito, perene, imutável, que aparenta ser oculto simplesmente por fugir do alcance da mente humana.

Despertar para a Verdade, portanto, é perceber a existência única da Mente de Cristo emVOCÊ, como disse o apóstolo Paulo. Esta Mente divina, em expressão, é o Verbo, é Deus aparecendo como Sua própria “idèia”, numa perfeita UNIDADE de variedades infinitas de formas espirituais.

Bem e mal relativos são irrealidades, inexistências, jamais “criados”, sendo, portanto, sem VERBO! Isto porque “sem o Verbo nada do que foi feito se fez”. A errônea admissão da existência de algo além de Deus, bom ou mau, gera a ilusão de que a “mente humana” pode melhorar o mundo, acabar com os males, pecados, doenças,  mortes etc…

A PERCEPÇÃO DE QUE A MENTE É DEUS, DE QUE TUDO É DEUS, REVELA A VERDADE:
TUDO JÁ É PERFEIÇÃO ABSOLUTA!

Suponhamos que alguém queira curar uma doença. Se partir da crença de ser ela  real, e que Deus irá curá-la, este enfoque poderá se mostrar frustrante! Que diz a Revelação? DEUS, VERBO, É TUDO! Portanto, não somente a doença é irreal, mas todo o “quadro da humanidade” é irreal! Eis  porque a Bíblia diz que “todo que é nascido de Deus vence o mundo”.

“Nascido de Deus” é o ser reconhecidamente dotado da Mente de Cristo! Estas Verdades chocam o intelecto; desse modo, muitos autores procuram “amenizá-las” usando textos ou linguajar mais leves. Porém, ao afirmar,  “o meu reino não é deste mundo”, Jesus revelou a Verdade de que o universo único,  aqui presente, é uma Realidade divina!

Se nada foi feito “sem o Verbo”, não há males a serem combatidos, mas sim uma gloriosa Perfeição a ser contemplada e reconhecida como onipresente.   Esta é a visão do “Olho Simples”, citada por Cristo. E este é o objetivo das meditações contemplativas! Fazer com que as aceitações humanas cedam às Verdade divinas reveladas! Fazer com que VOCÊ perceba O VERBO sendo a “sua” TOTALIDADE!

O Universo é real: é Bem absoluto, uma Autoexpressão do Verbo. Você precisa, nesta percepção, incluir especificamente a sua identidade global: Espírito, Mente e Corpo, isto é,  admitir que a natureza  universal de Deus é a natureza integral do seu Eu individual.

A Mente divina é a sua Mente, a natureza do Verbo é a Substância do seu Corpo. Conhecer a Verdade significa perceber com clareza esta Onipresença de Deus, em que VOCÊ, agora, é  INCLUSO.