BRAÇADAS E BOTE SALVA-VIDAS

Dárcio

Na crença coletiva, dois poderes supostamente estão existindo: o bem e o mal. Este par de opostos é a ILUSÃO, um hipnotismo de massa que atua  na chamada “mente humana”. Entretanto, sabemos por revelação que “temos a mente de Cristo” (I cor. 2-16). Esta Mente divina já sabe que o Poder único e todo-abrangente é Deus! Por que alguém  se diz ser influenciado pelo mesmerismo? Porque em nossa atuação normal do dia a dia, fazemos concessões e “usamos” a mente humana! Somente enquanto esta mente estiver sendo “usada”, consciente ou inconscientemente, pode a crença em dois poderes nos sugestionar!

Tanto a mente humana como a crença em dois poderes, que ela aceita, são irrealidades! Por isso devemos “orar e vigiar”. Como fazer isto?  Suponha que alguém, fazendo um passeio de barco, note de repente que ele esteja pegando fogo. Ciente de que dispõe de um bote salva-vidas, ele faz o pedido de socorro à guarda costeira, lança o bote ao mar, pula em seguida, e, dando braçadas até ele, sobe, ficando em segurança aguardando ser resgatado. As braçadas  seriam dadas somente até ele estar no bote! A partir de então, sua segurança passaria a existir sem mais contar com seus esforços pessoais. Da mesma forma agimos “neste mundo”. Tão logo percebamos estar influenciados pelas crenças coletivas, “damos as braçadas” iniciais, isto é, usamos a própria mente humana para endossar as Verdades divinas que conhecemos, até nos sentirmos seguros “no bote salva-vidas”, ou seja, na Presença de Deus em nós! Neste ponto,  os “esforços” são paralisados e ficamos sossegadamente “aguardando” a Mente de Cristo Se mostrar como sendo nossa Mente única em atividade!

Nossos conhecimentos da ciência mental devem andar lado a lado com a Verdade Absoluta que estudamos! Isto por estarmos aparentemente em dois mundos! As afirmações do bem e as negações do mal correspondem às “braçadas”, e o ponto em que elas se tornam dispensáveis é aquele em que nos sentimos no “bote salva-vidas”, conscientemente em Deus.

Deixe uma resposta