“CONHECENDO A VERDADE QUE LIBERTA!”

Nas Escrituras, encontramos citações que nos revelam:

“O Senhor está perto de nós”, “o Reino de Deus nos está próximo”, “Jesus Cristo está em nós”, e tantas outras, enquanto a humanidade, aparentemente, se vê separada e distante de Deus, inclusive se crendo viver em “outro mundo”, que não o de Deus!

Desfazer estas falsas crenças coletivas é ao que Jesus denominou ser o “conhecimento da Verdade”!

“Aquele que permanecer em MIM, conhecerá a Verdade, e a Verdade o libertará”, disse Jesus.

Infelizmente, o sentido da palavra “Mim” foi distorcido pelas religiões do mundo, por terem entendido que, por ter sido frase dita por Jesus, esse “Mim” foi pregado como se fosse unicamente Jesus! Desse modo, nossa “proximidade com Deus” ficou mais ainda comprometida, com Jesus sendo mundialmente propagado como único Filho de Deus genuíno, enquanto todos os demais eram considerados “pecadores”, “salvos somente por Jesus”, ou serem apenas simples “criaturas de Deus”, distantes demais de Deus e que somente através de Jesus, se oferecendo e  “morrendo numa cruz” como um “cordeiro”, supostamente em prol de suposta “humanidade pecadora”, poderia salvar a todos de forma a lhes possibilitarem “se tornar” Filhos de Deus”!

Mas quando lemos e estudamos as Escrituras e o Evangelho pregado por Jesus, essa Teologia humana, sangrenta e macabra cai por terra, e observamos por qual motivo: Jesus jamais nos julgava “pela carne”, ou pelas “aparências”! Antes, pregava o “JUÍZO JUSTO”! Com qual objetivo? COM O OBJETIVO DE FAZER-NOS “VER A NÓS MESMOS” SENDO HONRADOS, DA MESMA FORMA COM QUE “HONRAMOS O NOSSO PAI CELESTIAL”, isto é, para que NOS VÍSSEMOS “MAIS DO QUE PRÓXIMOS DE DEUS, MAS SIM, SENDO “UM COM ELE”!

O “juízo justo”, portanto, é a PRÁTICA DE NOSSA ETERNA PERMANÊNCIA “EM MIM”, uma vez que “ESTAR FORA DE “MIM” seria impossibilidade! Por quê? PORQUE DEUS É ESPÍRITO ONIPRESENTE, É TUDO, E UNICAMENTE CONHECE A SI MESMO SENDO TUDO! Por isso, assim disse Paulo: “Deus testifica, COM O NOSSO ESPÍRITO, que SOMOS FILHOS DE DEUS”.

As religiões, que se dizem propagadoras do Evangelho, para começar, julgam CONVICTAMENTE a todos “pelas aparências”, ensinando que “Ninguém vem ao Pai senão por Jesus”, enquanto disse ele próprio que “Ninguém vem a mim, SE O PAI NÃO O TROUXER”!

O “sangue do cordeiro” , simbolizado pelo vinho, na Santa Ceia, representava a “morte do ilusório ego terreno”, razão pela qual Paulo, quando se viu liberto dessa falsa personalidade humana, a ponto de perceber SER O CRISTO, assim declarou: “Estou crucificado! Não sou mais eu que vive; O CRISTO VIVE EM MIM”.

De tanta mentira que passaram à humanidade, de tanta falsidade que insinuaram ser verdade, a maior, e mais nefasta delas, é a que NEGA QUE SOMOS UM COM DEUS “DESDE O PRINCÍPIO”, enquanto a Bíblia registra Jesus a dizer: “Estivestes comigo desde o princípio”, “Oro para que todos sejam um, assim como nós, ó Pai, somos UM: Perfeitos na UNIDADE!

Esta postagem fluiu como incentivo a todo aquele que, se esteve sendo enganado pelas “religiões dos homens”,  possa, agora, “PERMANECER EM MIM”, NO SEU PRÓPRIO ESPÍRITO DIVINO, QUE É DEUS, NO CRISTO UM COM DEUS QUE ELE PRÓPRIO É, E POSSA “CONHECER A VERDADE”,PARA SE PERCEBER “LIVRE” COMO SEMPRE FOI!

 *

Deixe uma resposta