“QUEM AMA A SUA VIDA A PERDERÁ!”

“Quem ama a sua vida a perderá, e quem neste mundo aborrece a sua vida, a guardará para a vida eterna”.

João 12: 25

As “contemplações absolutas” objetivam, primordialmente, levar alguém à PERCEPÇÃO do fato de ESTAR VIVENDO EM DEUS, e não em suposto “mundo fenomênico”! Todas as falas absolutas de Jesus se amoldam a esta Verdade, ou seja, somos VIDA ETERNA VIVENDO NO REINO DE DEUS, enquanto a suposta “vida de passagem pela Terra” não passa de uma ILUSÃO DE MASSA!

“O meu reino NÃO É deste mundo” – declarou Jesus!

Quando os discípulos disseram a Jesus: “Estão aí sua mãe e seus irmãos”, seu conhecimento de SER DEUS  aflorou-lhe com a seguinte pergunta:“Quem são minha mãe e meus irmãos?” A Verdade o impedia de se ver vinculado com supostos “carnais do mundo do pai da mentira”! E dando sua resposta, certamente percebeu que seus discípulos não haviam ainda percebido que O FILHO DE DEUS somente tem vínculo com O PAI, que é Presença infinita única!

Unicamente a ilusória “mente carnal” poderia estar acreditando em “pais e mães da Terra”, falsa CRENÇA endossada unicamente pelo mundo e por muitas religiões do mundo!

Após Jesus perguntar aos discípulos: “Quem DIZEIS VÓS que EU SOU?”, de Pedro obteve a resposta: “Tu és O CRISTO, o FILHO DO DEUS VIVO”. E Jesus disse a ele ter-lhe vindo a resposta não de Pedro carnal, mas do Pai manifestado como Pedro! Esta Presença divina, sendo RECONHECIDA por todos, E SENDO todos, foi chamada por Jesus de “SUA IGREJA”: “Sobre esta pedra (revelação divina), erigirei a minha igreja”!

Se os discípulos ainda o viam como “carnal com parentesco do mundo”, apresentar-lhe carnais, como se fossem “sua mãe e seus irmãos”, não poderia ter de modo algum sua aceitação, e não teve mesmo! E Jesus, assim lhes respondeu: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que fazem a VONTADE DE MEU PAI!”

Para Jesus, a chamada “humanidade iludida” era pura IRREALIDADE! Via DEUS COMO TUDO e, via DEUS como VIA A SI MESMO,  na “Unidade divina perfeita”! Sabia que TODOS JÁ ESTAVAM POVOANDO A MESMA ONIPRESENÇA, EM ONIAÇÃO, COMO DEUSES! TODOS NA UNIDADE COM O PAI, E “FAZENDO A VONTADE DO PAI”!

A suposta “vida terrena” era entendida por Jesus como “vida ilusória a ser perdida”, a fim de que A VIDA REAL E DIVINA PUDESSE SER VISTA COMO A VIDA DE TODOS, NO REINO DA GLÓRIA, NA PERFEIÇÃO ONIPRESENTE, SEM NASCIMENTOS E SEM MORTES!

“Em DEUS vivemos, nos movemos e existimos”, disse Paulo! Estava confirmando o que aprendeu de Jesus! A Verdade de que nunca estivera sendo “mortal vivente

do ilusório mundo de aparências”!

Ciente de que TODA VERDADE é universal, válida igualmente para todos, deixou claro que cada um terá que se desvencilhar do “falso mundo”, de seus “parentes” e de “seus feitos”, PARA SER O CRISTO  QUE ESTIVERA SENDO “DESDE O PRINCÍPIO”,

A VERDADE E A VIDA, E NÃO MAIS “ALGUÉM OUTRO”, SUPOSTAMENTE “DO MUNDO! 

*

Deixe uma resposta