SEJA PRÁTICO EM SUA SUPOSTA “VIDA DIÁRIA”!

“Por que declarar que o corpo está doente e descrever essa doença à mente,como quem estivesse saboreando uma guloseima, mantendo-a sempre

diante do pensamento tanto do médico como do paciente?

Devemos compreender que a causa da doença vinga na mente humana mortal,e que sua cura vem da Mente divina imortal.

Devemos impedir que as imagens da doença tomem forma no pensamento,

 e devemos apagar os contornos da moléstia já delineados nas mentes dos mortais”

Mary Baker Eddy

Ciência & Saúde com a chave das Escrituras (pp. 174-175).

Seja prático, em sua suposta vida diária! Em certo artigo, Masaharu Taniguchi explica o que é ser prático na vida, dando o exemplo de alguém que tivesse fincado um espinho no corpo. Iria ele fazer horas de oração para se livrar do problema? Não, pois lhe bastaria puxar e remover o espinho com os dedos, e tudo estaria resolvido!

Em termos metafísicos, há diversos casos em que se mostra como prático empregarmos o princípio mental da substituição, que diz que a mente não consegue alimentar, ao mesmo tempo, duas ideias opostas!

 

Mary Baker Eddy assim pergunta:Por que declarar que o corpo está doente e descrever essa doença à mente, como quem estivesse saboreando uma guloseima, mantendo-a sempre diante do pensamento tanto do médico como do paciente?”

 

Em seguida, ela dá-nos uma sugestão de “substituição” de ideias, assim dizendo:

“Devemos compreender que a causa da doença vinga na mente humana mortal,

e que sua cura vem da Mente divina imortal.

 Devemos impedir que as imagens da doença tomem forma no pensamento,

 e devemos apagar os contornos da moléstia já delineados nas mentes dos mortais”.

 

Devemos compreender bem estes princípios, e colocarmos todos eles na prática! São aparentemente simples, mas atuam como excelentes e eficazes“tratamentos de cura metafísica”

 

*

Deixe uma resposta