“O MANTIMENTO SÓLIDO É PARA OS PERFEITOS!”

“Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos haveis feito tais que necessitais de leite, e não de sólido mantimento. Porque qualquer que ainda se alimenta de leite não está experimentado na palavra da justiça, porque é menino. Mas o mantimento sólido é para os perfeitos, os quais, em razão do costume, têm os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal”.. 

Hebreus 5: 12-14

Nesta passagem, Paulo comenta que “aqueles que já deviam ser mestres”, continuavam esperando ouvir a repetição dos “primeiros rudimentos das palavras de Deus”, isto é, esperando receber “mais leite”, em vez de já estarem “mastigando alimento sólido”.

 

Duas são as causas principais da aparente estagnação das pessoas nos princípios básicos da Verdade, sem que se mostrem dominando-os e se aprofundando cada vez mais na CONVICÇÃO de serem eles verdadeiros. A primeira, se dá quando as orações e contemplações não são feitas com a devida dedicação, assiduidade e disciplina,  por estarem todos muito ocupados, vendo o seu “mundo fenomênico” em forma de “aparências agradáveis”; e a segunda, é quando não se empenham em transmitir ao próximo a Verdade conhecida.

O aparente sucesso, no conhecimento da Verdade, é constatado quando por “melhor que sejam as aparências”, todas elas são logo desmascaradas como “miragens”,  pura “exposição de quadros hipnóticos”, que sempre se revezam segundo as CRENÇAS NO BEM E NO MAL.

Dando crédito às “aparências”, as pessoas relaxam quanto à Prática do Silêncio e às orações, despendem o tempo todo entretidas com eventos fenomênicos, e quando a CRENÇA NO BEM “muda a sua cara”, se apresentando como CRENÇA NO MAL, acreditam  ser época das “vacas magras”! E então, reaparecem  ao estudo, e, como disse Paulo, aparentando “necessitar de leite”, por não encontrarem em si mesmas a CONVICÇÃO  que já deveriam ter, quanto à Verdade que já anteriormente tinham aprendido! E esta falta de interesse, em repassar ao próximo os ensinamentos, se deve ao simples fato fato de “nem se lembrar deles”, por terem sido “fisgadas” pela ILUSÃO das “aparências boas”!

Norman Vincent Peale, autor das obras sobre O PENSAMENTO POSITIVO, aprendeu com o pai dele, que era pastor, falar sobre  Deus em todos os contatos que fizesse em seu dia a dia. De fato, é falando sobre a Verdade que, em nós próprios, se forma a CONVICÇÃO MENTAL de que VIVEMOS NO “REINO CHEGADO DE DEUS”,  e que JAMAIS ESTIVEMOS EM “MUNDO DE APARÊNCIAS”!

Grave bem o alerta de Paulo: “O mantimento sólido (a Verdade Absoluta) é para os perfeitos, os quais, em razão do costume, têm os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal”.

*.

Deixe uma resposta