SILÊNCIO, CONTEMPLAÇÃO E PERFEIÇÃO CONSUMADA

A Prática do Silêncio existe para que a Verdade seja reconhecida, contemplada e vivida. “No silêncio está a Vossa fortaleza”, disse Isaías. Através dele, desviamos nossa atenção do ilusório “mundo de aparências” para, como FILHOS ESPIRITUAIS DE DEUS, contemplarmos o Reino perfeito da Verdade, que nos está “mais próximo” do que QUAISQUER “aparências” do mundo.

No silêncio, sem esforço algum, contemplamos a Verdade de que DEUS É TUDO, que Suas obras são consumadas e perfeitas, enquanto todas as supostas imperfeições não passam de “imagens falsas”, só vistas pela “mente carnal”.

Também no silêncio, percebemos que SOMOS VIDA DE DEUS, vivendo EM DEUS com a própria Mente de Deus! Estas Verdades são contempladas com alegria e confiança nos princípios absolutos, e as contemplações devem durar até que nos sintamos “entregues à Paz da Verdade”.

Faz parte da Prática do Silêncio tomarmos as revelações divinas, ditas pelos profetas ou mestres da Verdade, de forma que nos coloquemos como se estivessem sendo dirigidas diretamente a nós mesmos! Se Jesus disse: “São-te perdoados os teus pecados”. ouça isto como dirigido a você!

As contemplações requerem um “coração de menino”, a presença da pura receptividade

às Verdades divinas, vindas de um Deus que é Poder e Amor!

Com o silêncio, podemos reconhecer a Verdade de que TUDO ESTÁ FEITO, E FEITO AGORA! Desse modo, quando aparentemente estivermos lidando com o mundo, não veremos nele a manifestação de passado, presente e futuro, mas sim, que ele é mero desdobramento DAQUILO QUE É, DA PERFEIÇÃO QUE TUDO É, DA MANIFESTAÇÃO DO CRISTO QUE, NA UNIDADE CONSUMADA, CADA UM É!

O FOCO DA PRÁTICA DO SILÊNCIO ESTÁ EM NOSSA “PERMANÊNCIA EM MIM”, quando a perfeição absoluta e onipresente É RECONHECIDA COMO “JÁ FEITA”. Somente nesta certeza, poderemos VIVER COMO PÁSSAROS NO CÉU ou COMO LÍRIOS DO CAMPO, sem preocupações e sem desgastes emocionais gerados por meras crenças hipnóticas!

“O Reino de Deus está presente no mundo inteiro”, disse Jesus! E no silêncio, contemplamos NOSSA PRESENÇA integralmente nele! A perfeição sempre nos está mais próxima do que quaisquer “aparências de imperfeição”! Não há “poder de Deus” que sustente “imagens hipnóticas”! A expressão “a tua fé te salvou”, dita por Jesus, deve estar presente nas contemplações absolutas, quando NOS VEMOS EM MIM, NA TOTALIDADE DO PAI, NA ONIPRESENÇA DA PERFEIÇÃO! Por isso, logo de  “início”, reconhecemos a PERFEIÇÃO CONSUMADA e descartamos as “imagens hipnóticas” de imperfeições! Nenhuma tem substância nem matéria-prima! São “nadas”!

SOMOS O QUE DEUS É, E DEUS É AQUELE QUE SOMOS! O Salmo 91 assim diz: “Aquele que habita no LUGAR SECRETO DO ALTÍSSIMO, à sombra do Onipotente repousará”. Viver REPOUSADO À SOMBRA DO ONIPOTENTE significa AGIR PELO NÃO AGIR, cientes que AGIMOS NA ONIAÇÃO E NÃO “NO MUNDO”, como disse Jesus|: “De mim, nada faço; O PAI EM MIM FAZ AS OBRAS”!

É ESTA A VIDA PELA GRAÇA!

*

Deixe uma resposta