POR QUE A METAFÍSICA DIZ QUE TODO “DOENTE” JÁ ESTÁ CURADO?

Quando alguém se diz “doente”, ou “não passando bem”, o que ele faz, de fato, é NEGAR ser OBRA PERFEITA E PERMANENTE DE DEUS e, ao mesmo tempo, ENDOSSAR as “sugestões” e os “sensacionismos” vindos a ele, NUNCA DE DEUS, mas sim das INFUNDADAS CRENÇAS COLETIVAS da ilusória “mente carnal”. Por isso, os praticistas NEGAM E ANULAM estas CRENÇAS para estabelecer a DIVINA ORDEM que, em nenhuma fração de segundo, teria estado ausente.

Quando acalmamos alguém com o “poder da palavra”, o suposto “mal” começa a ceder, aparentemente falando. É momento em que TROCAMOS A CRENÇA DE ALGUÉM a favor dele! Se houver aceitação, rapidamente começará a “se sentir melhor”, ou seja, passará a demonstrar que ESTAR BEM, sendo reconhecido, “traz à luz” sua NATUREZA DIVINA, sempre presente, mas que aparentava estar oculta pelas CRENÇAS DO MUNDO!

O QUE TODO SUPOSTO “DOENTE” DEVE FAZER, É DESACREDITAR DOS PROBLEMAS APARENTES PARA ENDOSSAR A VERDADE DE QUE “O CRISTO É TUDO QUE HÁ NELE”, E ISTO COM DEDICAÇÃO E CONVICÇÃO! Infelizmente, muitos endossam as crenças falsas pela vida toda, por acreditarem SER DO MUNDO e não SER DO REINO DE DEUS!

Joel S. Goldsmith atuou com sucesso, durante décadas, como praticista de cura metafísica. No prédio em que atendia seus pacientes, outros nove praticistas abriram seus consultórios, esperando atender aqueles que Goldsmith não tinha tempo de receber! E como fazia ele as curas? Fazia o que QUALQUER UM poderia e deveria fazer, pois a chamada “cura”‘ não lida com doenças nem com doentes, mas sim com a ANULAÇÃO DAS CRENÇAS COLETIVAS!

Este ponto foi detalhadamente elucidado pelo próprio Goldsmith, em suas publicações. Seja qual for a suposta “doença”, ela não está na suposta “pessoa”: está na CRENÇA HIPNÓTICA UNIVERSAL! Este entendimento foi chamado por ele de “princípio de impersonalização do erro”, ou seja, A PESSOA É DEUS, E NÃO DOENTE; E A DOENÇA É IMPESSOAL, UMA CRENÇA HIPNÓTICA COLETIVA! É POR ISSO QUE SEMPRE TODO “DOENTE” JÁ ESTÁ CURADO!
A seguir, Goldsmith empregava o “princípio de nadificação do erro”, ou seja, A PESSOA, SENDO DEUS, NÃO SE ENVOLVE VERDADEIRAMENTE  COM O HIPNOTISMO COLETIVO, QUE É  ILUSÃO OU “NADA”.

Após ser feito o RECONHECIMENTO dos dois princípios, Marie S. Watts acrescentou o seguinte: JAMAIS LEVE DOENTES OU DOENÇAS ÀS MEDITAÇÕES DE CURA, ANTES DE SE SENTIR NA PERCEPÇÃO DE QUE SOMENTE DEUS É REALIDADE. E quando assim se sentir, caso o suposto “paciente” apareça em sua percepção, 

Muitos leem livros e mais livros, SEM PRATICAREM OS PRINCÍPIOS explicados em todos eles! MAS A VERDADE FUNCIONA NA PRÁTICA, E NÃO EM TEORIAS.
E quando a “cura” demorar a ocorrer, visivelmente? Mary Baker Eddy fez a seguinte indagação: “Se uma pedra a ser quebrada com marteladas se mostrar arrebentada com a centésima martelada, que a terá quebrado? A centésima martelada? Ou as noventa e nove anteriores?”

Queria dizer que ação da VERDADE PODE SE MOSTRAR ASSIM, SENDO SEGUIDAMENTE POSTA EM PRÁTICA, ATÉ REVELAR A APARENTE DESTRUIÇÃO DO ERRO

*

Deixe uma resposta