Magnetismo Animal-15

   15

Afirmando A Verdade (I)

Tendo argumentado contra o magnetismo animal, você deve também argumentar a favor da Verdade do ser. Esta confirmação da Verdade é a parte mais importante da oração. Enquanto que a negação do mal é necessária, é a constatação da Verdade que realmente cura. Quando a fé e a compreensão espiritual são suficientemente fortes, muitas vezes somente a afirmação da Verdade pode destruir o magnetismo animal. Esta constatação da Verdade é o mais poderosos meio de cura, pois destrói as mentiras do mal com os fatos espirituais do ser.

Uma maneira de destruir o mal é afirmar a Verdade através dos sinônimos de Deus, mencionados em Ciência e Saúde. A Sra. Eddy define Deus como Princípio, Mente, Alma, Espírito, Vida, Verdade, Amor. Conforme cada sinônimo é empregado, suas qualidades especiais desdobram uma compreensão mais profunda da natureza de Deus e do homem como Sua imagem. Esta compreensão espiritual se contrapõe às crenças do magnetismo animal.

Como um exemplo deste trabalho: o magnetismo animal clama que a causa e efeito materiais são uma lei para o homem e o universo, que todas as coisas estão incluídas na matéria e sujeitas às forças que atuam sem levar em conta o sofrimento e a discórdia que impõem. Assegura que não existe plano divino, lei ou ordem para a criação. Mas a Ciência Cristã recusa este ponto de vista pela declaração que Deus é o princípio divino do universo e do homem. O princípio manifesta lei e ordem em sua criação. A causa espiritual não é fria e destrutiva, mas amorosa, inteligente, sábia e boa. A criação não pode existir separada da harmonia e perfeição expressas pelo Princípio.

Argumente vigorosamente a favor da presença do Poder de Deus como o único Princípio, como origem da lei e da ordem, do plano e significado do universo e do homem. Constate que a causa divina delineia a vida perfeita do homem, que o homem não pode existir separado da harmonia e perfeição expressas pelas leis de Deus. Gradativamente, à medida que os atributos dos princípios são compreendidos, a visão do homem e da criação substitui a ilusão material.

magnetismo animal parece criar uma forma invertida de inteligência, produzindo uma estrutura de falso conhecimento que a mente mortal adota como verdade ou realidade. Suas mentiras hipnóticas são mais falsas ainda quando parecem incorporar razão e intelecto. A verdadeira inteligência pertence à Mente. Em Ciência e Saúde lemos: “Só pode haver uma Mente, porque há um só Deus; e se os mortais não pretendessem ter outra mente, e não aceitassem nenhuma outra, o pecado seria desconhecido. Só podemos ter uma Mente, se esta é infinita.” (p.469: 19-22)

Esta Mente única mantém um reservatório infinito de inteligência divina, como a fonte dos pensamentos do homem. Este reino da verdadeira inteligência provê um suprimento inesgotável de ideias para sustentar cada necessidade do homem. Afirmando vigorosamente que a Mente é “Tudo em tudo”,  e que o homem é, aqui e agora, o reflexo desta Mente, começamos a enfrentar a estrutura mental do falso conhecimento com a Verdade. Expressamos mais livremente a inteligência necessária para superar a crença numa mentalidade limitada e numa existência mortal e finita.

As mentiras do magnetismo animal parecem reais até que sejam destruídas pela inteligência divina. A matéria é a ignorância mental de não saber o que Deus sabe. Desaparece com a compreensão da inteligência e sabedoria divinas.

As sugestões hipnóticas parecem criar o homem mortal com uma personalidade finita ou um ego cheio de pecado, discórdia, mediocridade e limitação. Superamos esta imagem invertida de nós mesmos quando nos volvemos à Alma como a fonte de toda individualidade, identidade e ego. Como o reflexo de Deus, o homem espiritual tem todas as qualidades da Alma — graça, beleza, criatividade, refinamento, sabedoria, inteligência, amor, paz, perfeição. À medida que argumentamos contra os elementos do ego mortal e a favor de nossa identidade real como filhos de Deus, as qualidades da Alma substituem os traços e crenças errôneas dentro de nós.

erro argumenta que o homem é totalmente dependente da matéria para sobreviver. Então sugere falta, recursos limitados, “a luta pela sobrevivência”. Mas a metafísica divina nos ensina que o Espírito é Substância. A causa espiritual dá origem e sustenta todas as coisas. Todo suprimento vem de Deus. Na totalidade do universo de Deus, a carência é desconhecida. A lei divina do perfeito suprimento de toda necessidade opera perpetuamente para suprir cada necessidade. O homem é responsabilidade de Deus, o objeto do Seu amor. O Espírito supre incansavelmente cada uma de suas necessidades através dos recursos inesgotáveis do bem. Quando declaramos firmemente que o Espírito é substância, anulamos o argumento do mal de escassez ou limitação. Estas crenças são curadas através da espiritualização do pensamento.

Conforme discernimos Deus, o Espírito, como o grande Doador, toda crença de limitação é vista como uma sugestão falsa e não como a realidade do ser.

Continua no próximo domingo..>

Deixe uma resposta