NADA PODE SER ACRESCENTADO NEM TIRADO DO CRISTO QUE VOCÊ É!

“Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe deve acrescentar, e nada se lhe deve tirar; e isto faz Deus para que haja temor diante dele”.. 

Eclesiastes 3: 14

Se perguntarmos a alguém: “Você acredita na Bíblia?”, caso ele diga que sim, poderemos fazer-lhe duas outras perguntas: “Você acredita que um corpo carnal pôde ser-lhe acrescentado? Acredita que  a sua saúde pôde ser-lhe tirada alguma vez?” Como seriam as suas respostas?

A Bíblia garante ser impossível algo nos ser acrescentado ou tirado! O ensinamento absolutista concorda com a Bíblia, e ambos chamam de mentirosas as CRENÇAS COLETIVAS engendradas pela suposta “mente carnal”!

“Negar-se a si mesmo”, entendido verdadeiramente, é simplesmente RECONHECER QUE NUNCA ALGO COMO UM “CORPO NASCIDO” FOI-NOS ACRESCENTADO OU NOS PODERIA SER TIRADO, PRINCIPALMENTE LIGADO AO CRISTO QUE SOMOS!

Por que sempre esta mente falsa conta com o endosso coletivo da humanidade?  Por forjar ela “imagens aparentemente vistas”, que mostram seguidamente algo nos sendo acrescentado ou sendo tirado! Por isso, Jesus deu ao ilusório “mundo de aparências” o rótulo de “mundo do pai da mentira”! Por toda parte são “vistas” as “aparências” de perdas e ganhos, sem que nenhuma delas tenha realidade e muito menos o respaldo de Deus ou das Escrituras!

Não precisamos de pedir nada a Deus, disse Jesus! “O Pai conhece as nossas necessidades antes que Lho peçamos!” Que podemos e devemos fazer? “Conhecer a Verdade”, disse ele. “Errais por desconhecerdes as Escrituras e o Poder de Deus”.

A humanidade, acreditando ter sempre ALGO SENDO-LHE ACRESCENTADO E TAMBÉM TIRADO, RI E CHORA SEGUIDAMENTE EM FUNÇÃO DE SUAS CRENÇAS ERRADAS! Comporta-se como se fosse “apartada de Deus” e de sua permanente “herança divina”.

O ensinamento verdadeiro não prega “ganhos materiais”, chamados por Jesus de “bens acrescentados”. “Aquele que permanecer em MIM, dará frutos”, disse Jesus! Sabia que TUDO QUE DEUS POSSUI É DE TODO FILHO DE DEUS, e sabia que TENDO ESTE CONHECIMENTO, aos olhos do mundo, “os bens visíveis necessários pareceriam lhe vir acrescentados”, enquanto, na verdade, NADA PODE SER ACRESCENTADO A UM FILHO DE DEUS, POR SER COMPLETO E JÁ TER GANHO DE DEUS O SEU REINO DE GLÓRIA E DE BÊNÇÃOS INFINITAS!

Você é O CRISTO em sua TOTALIDADE, isto é, A SUA IDENTIDADE É CEM POR CENTO ESPIRITUAL E CRÍSTICA, POIS DEUS É ESPÍRITO, É LUZ, E SOMOS O QUE DEUS É!

Aquele que PERMANECE atento a esta Verdade, sabe que NASCIMENTOS, MUDANÇAS E MORTES, não fazem parte de sua existência! E estará se lembrando das palavras de Jesus, quando disse:

“E VÓS TAMBÉM TESTIFICAREIS, POIS, ESTIVESTES COMIGO DESDE O PRINCÍPIO”!

*

CONFIRME A TOTALIDADE DO CRISTO SENDO A VERDADE QUE VOCÊ É!


Quando Jesus disse: “EU SOU A VERDADE”, ou quando Paulo disse: “O CRISTO É TUDO EM TODOS”, o que PRECISA SER PERCEBIDO, é que CADA UM DE NÓS É UNICAMENTE A TOTALIDADE DO CRISTO! Isto porque este EU SOU é nosso Pai Infinito, é A VERDADE que somos, e é o CRISTO que é “TUDO EM TODOS”, isto é, É TUDO EM JESUS, EM MIM, EM VOCÊ, EM TODOS!

DEDIQUE-SE A AFIRMAR E CONTEMPLAR ESTA VERDADE!

Toda “contemplação absoluta da Verdade” é, em suma, darmos testemunho de que ESTAMOS INCLUSOS na totalidade de Deus, simplesmente porque NOSSO EU É A VERDADE QUE SE EVIDENCIA COMO O CRISTO QUE SOMOS, E ISTO, EM SUA TOTALIDADE!

Isto significa que UNICAMENTE DEUS é a REALIDADE referente a cada um de nós, e significa que NADA ALÉM DE DEUS E DE SUA PERFEIÇÃO tem realidade ou existência para “também” fazer parte de nossa experiência de VIVER!

“EM DEUS  VIVEMOS”, declarou Paulo, por ter conhecido esta Verdade!

Em suas orações, Jesus clamava: “Aba, Pai”! Era seu reconhecimento de que O CRISTO ERA TUDO NELE, e que ELE ESTAVA NO PAI E O PAI ESTAVA NELE!

Esta UNIDADE e esta TOTALIDADE DE DEUS, sendo admitidas por todos,  constituem a base do Evangelho pregado por Jesus como sendo válido para TODOS NÓS, aqui e agora!

O segredo, para praticarmos esta Verdade em meio a uma ILUSÃO MATERIAL DE VIDA,

aceita como realidade pela grande maioria – está em compreendermos, em nos compenetrarmos, de que ILUSÃO É ILUSÃO, E MAIS NADA!

O Universo é DEUS SENDO TUDO, de modo perfeito e permanente. Portanto, como esta premissa não pode ser contrariada nem aceita pela metade, perceber a AUSÊNCIA de tudo que aparenta consistir o suposto “mundo material”, chega a ser tão importante quanto nos atermos à TOTALIDADE DE DEUS.

Foi pelo FATO de  DEUS SER TUDO, que o apóstolo Paulo declarou que  “O CRISTO É TUDO EM TODOS”, bem como nos alertou para que “NOS DESPOJÁSSEMOS DO VELHO HOMEM E DE SEUS FEITOS”! SUA INTENÇÃO ERA FAZER COM QUE NOS PERCEBÊSSEMOS “SEM CORPOS CARNAIS”, SEM “CORPOS NASCIDOS”, SEM “PAIS NA TERRA”; ENFIM, INTENTAVA REVELAR-NOS A VERDADE DE QUE O SUPOSTO “HOMEM CARNAL” NÃO PASSA DE UM “EMBUSTE HIPNÓTICO”, ALGO SEM VIDA, E SEM TER NADA A VER COM DEUS OU COM O CRISTO QUE É A TOTALIDADE DE TODOS NÓS!

Não existe SER ALGUM que seja menos ou mais divino do que VOCÊ! Nem poderia existir, sendo que O PAI ONIPRESENTE Se revela IGUALMENTE como TODO FILHO DE DEUS! 

PORTANTO, VEJA-SE A PARTIR DO REFERENCIAL DE DEUS, EXCLUINDO A “MENTE CARNAL” E SEU ILUSÓRIO “MUNDO DO PAI DA MENTIRA”!

É DESSE MODO QUE CADA FILHO DE DEUS VÊ A SI MESMO NA UNIDADE PERFEITA COM O PAI!

*

 

 

A GRANDEZA DO AMOR DIVINO -3

III

No decorrer dos anos, tive muitas provas de que o reconhecimento desse puro amor de Deus por Seus filhos, cura. Mas, para realmente sentir o efeito desse amor curativo, temos de aceitar a descrição que Habacuque faz de Deus:

“Tu és tão puro de olhos, que não podes ver o mal, e a opressão não podes contemplar”.

Embora eu tivesse ganho, desde aqueles primeiros dias, uma compreensão mais clara do amor de Deus por mim e de meu valor como Seu reflexo, ainda me achava acreditando numa identidade que podia tornar-se presa das crenças mortais. A esta altura, foi-me dada a oportunidade de aprofundar minha compreensão do Amor divino. Fui curada instantaneamente de um mal interno de longa data, quando vi, por fim, com repentina clareza, que a mente mortal e eu nada tínhamos em comum. Minha identidade real e única não tinha parte alguma com o problema. Como a mente mortal não podia ser a minha mente, eu não me achava enredada pelas crenças mortais nem a elas estava tentando destruir – nem estavam elas tentando destruir a mim. Compreendi que por ser Deus a única Mente, Deus era toda a Mente que eu podia ter. Tive de desfazer-me do sentido mortal de conexão com a matéria e encontrar minha identidade na totalidade do Espírito. Então senti a grandeza do amor de Deus, um amor que nunca me havia deixado vulnerável para ser tentada ou enganada. Eu sabia que o Amor divino era absolutamente forte e inegável. Na radiação dessa verdade espiritual, as trevas tinham de desaparecer, e desapareceram.

Dei-me conta de que eu havia estado procurando evocar o amor de Deus para efetuar uma mudança em meu estado. Nesse momento de inspiração mudou-se minha perspectiva, e dei-me conta de que a grandeza do amor de Deus estava bem acima daquilo a que eu estivera me atendo. Seu amor é absoluto e infinito. Deus não permite a doença nem a compreende. Percebi que exatamente ali meu ser real e único estava livre e era são.

Essa compreensão veio de Deus, que me falou, transmitindo Sua verdade à minha consciência, mediante o Cristo. Eu havia preparado o pensamento para aceitar essa verdade mediante oração, por meio da gratidão, da obediência e da coragem. É pelo exercício das qualidades do Cristo que a luz curativa vem graciosamente à nossa experiência como realidade.

Essa compreensão do Amor divino faz parte da maravilhosa descoberta que a

Ciência Cristã traz a esta era moderna. Com a autoridade derivada dos escritos inspirados e dos exemplos contidos na Bíblia, a Ciência fornece uma compreensão demonstrável de como Jesus curava. Ela satisfaz os nossos anseios espirituais pelo bem supremo. Eleva nosso apreço pela Divindade, a fim de vermos a grandeza de seu amor – um amor por demais puro e poderoso para incluir o mal, um amor no qual encontramos nossa própria identidade como Sua expressão e descobrimos o bem-estar indescritível de cada um de nós. 

FIM

(Extraído de O Arauto da Ciência Cristã – Março 1983)

A GRANDEZA DO AMOR DIVINO-2


II

A mente mortal procura induzir-nos a crer que estamos vivendo na matéria e, por consequência, encontramo-nos indefesos sob suas leis. Alegaria governar-nos, sujeitando-nos à doença e ao pecado, e só nos libertaria depois da morte a um Deus pouco compreendido. Esse Deus de tristezas e paixões humanas é feito à  semelhança de um supermortal. Partindo desse ponto de vista mortal, a oração não valeria muito a pena. Poderia acalmar o pensamento, dar-lhe orientação ou alguma esperança. Mas a confiança do salmista, que escreveu: “O Senhor é a fortaleza da minha vida, a quem temerei?”, assenta em prova mais firme do amor de Deus do que a encontrada mediante anseios mortais.

Não encontramos respostas para a realidade suprema do ser e a natureza real do homem analisando os registros das crenças materiais coletivas. Desde o início e por toda a história, a realidade pura se tornou aparente apenas a indivíduos de pendor espiritual, tal como a luz irrompe através de uma fresta nas nuvens.

Cristo Jesus foi caracterizado por seus contemporâneos, bem como por si mesmo, como uma “luz” que veio ao mundo para curar e regenerar. Como é que ele fazia tal coisa? Referia-se continuamente ao fato de ser inseparável de seu Pai; repetidamente explicava ser o poder de Deus – o poder da Verdade e do Amor – o que realizava as curas. Não se deixando iludir por qualquer quadro aterrador, Jesus ia à raiz do problema e percebia a pretensão irreal exercida sobre a mentalidade do paciente.

“Ela não está morta, mas dorme”, disse. E então, não permitindo que o problema permanecesse nem mesmo sob a forma de sonho, despertou da morte uma menina.

A Bíblia diz-nos que Deus, sendo Espírito, é Tudo-em-tudo. Amor infinito, toda verdadeira substância; é íntegro, bom, o Criador todo-amoroso, o terno Pai-Mãe. Essa compreensão gloriosa traz-nos cura, porque nos eleva acima do testemunho do sentido mortal, e porque é realmente verdadeira. A Sra. Eddy diz-nos:

“Deus se compadece de nossas mágoas com o amor de um Pai para com Seu filho – não por tornar-se humano conhecendo o pecado ou o nada, mas eliminando o nosso conhecimento daquilo que não é. Ele não poderia destruir totalmente nossas aflições se Ele tivesse algum conhecimento delas. Sua compaixão é divina, não humana. É o conhecimento de sua própria infinidade o que proíbe a existência genuína de qualquer pretensão do erro. Esse conhecimento é a luz na qual não há trevas – não uma luz contendo trevas em si mesma”.

Neste universo espiritual, a função do homem é refletir, expressar, ser a ideia dessa Mente amorosa que a tudo envolve. Essa unidade da Mente e sua ideia é permanente e já é um fato estabelecido. O amor divino está em ação, atuando, vendo, conhecendo, mantendo o homem. Ao reivindicarmos conscientemente essa lei como verdadeira a nosso respeito e a respeito de outros, perceberemos uma grande diferença em nossa vida.

Continua..>

A GRANDEZA DO AMOR DIVINO -1

I

Numa de suas epístolas, João diz-nos: “Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus; e, de fato, somos filhos de Deus. Por esta razão o mundo não nos conhece, porquanto não o conheceu a ele mesmo”. As implicações dessas palavras levam-nos a compreender a natureza espiritual de Deus e do homem. O amor aí implícito é infinito e divino, e eleva nossa definição de homem bem acima “do mundo”, ou da mortalidade. Esse amor revela o homem como intocado, até mesmo desconhecido, pela matéria ou pelo modo de pensar mortal. No âmago da Ciência Cristã está essa compreensão de que Deus é Amor divino.
 
Quando jovem, frequentei mais de uma Escola Dominical protestante, às vezes na companhia de meus pais e, às vezes, com uma vizinha. Fiquei com a impressão de que Deus era um juiz inexorável que observava cada um de meus atos. Fui ensinada a me sentir indigna de Seu amor, ainda que Deus me amasse apesar de meus pecados. Esforçava-me por ser boa pessoa, mas, apesar de meus esforços, todos os domingos eu tinha de repetir em voz alta, com as demais pessoas, que eu era uma pecadora miserável. Sentia-me confusa. Por certo Deus não amava o pecado. Como poderia amar a mim, uma pecadora?
 
Quando estava com onze anos de idade, tive um acidente no mato. Enquanto me debruçava para colher avencas nativas, a ponta de um galho entrou num de meus ouvidos, perfurando o tímpano. Minha avó, que ouvira contar algo a respeito da Ciência Cristã, sugeriu que a experimentássemos. Foi a primeira vez que fiquei sabendo de um Deus de amor que, de fato, não tem conhecimento do mal. Deus me amava, não apesar de meus pecados, mas porque apenas via a minha identidade espiritual, real, que Ele havia criado. Essa identidade é impecável e Deus a mantém assim.
 
Essa era uma dimensão inteiramente nova. Eu podia compreender como Deus era capaz de amar um ser espiritual, perfeito. Isso também esclareceu algumas dúvidas que eu tinha com respeito à capacidade de Deus, de criar um produto bom. Indagara-me por que Deus haveria de criar um homem suficientemente fraco para ser tentado, se apenas o viria a punir por ser vulnerável.
 
Naquela época, esse novo ponto de vista exigiu que eu desse um salto de fé. Eu tinha de desistir do quadro mortal de homem que me havia sido ensinado (e que parecera tão evidente) toda a minha vida. Mas, fazia para mim sentido tão maior que um Deus bom  haveria de criar um homem bom, que tranquilizei-me com essa confiança. Dentro de pouco tempo, eu estava completamente curada e recuperara a audição perfeita. Que alegria, quando meus pais me colocaram na Escola Dominical da Ciência Cristã.
 
Nela aprendi que esse Pai-Mãe celeste, o Amor divino, não consente que Sua criação totalmente espiritual, o homem, peque ou adoeça. Seus filhos são sempre a expressão d’Ele mesmo, refletindo as qualidades divinas do bem infinito. Que gratidão, que calorosos sentimentos brotam de se saber que esse divino Pai-Mãe nunca é negligente em manter-nos, nunca nos deixa afundar em águas perturbadas, nunca nos deixa afogar no pecado! Nem sequer por um instante o filho por Ele criado é menos do que o produto brilhante, encantador, puro e radiante do ser divino, singular para Deus, precioso e necessário para Deus. Quão grande é seu amor por nós! Quão satisfeito está Deus com o nosso reflexo inevitável de Sua natureza divina! Tão perto quanto um pensamento está da Mente que o concebe, estamos nós da inteligência divina cuja ideia somos.
 
A Ciência revela a esta época a unidade espiritual entre Deus e o homem, a qual Jesus ensinou. Mary Baker eddy, Descobridora e Fundadora da Ciência Cristã, diz-nos em Ciência e Saúde: “Esta é a doutrina da Ciência Cristã: que o Amor divino não pode ser privado de Sua manifestação, ou objeto, que a alegria não pode ser convertida em tristeza, porque a tristeza não é senhora da alegria; que o bem jamais pode produzir o mal; que a matéria jamais pode produzir a mente, nem a vida pode redundar em morte. O homem perfeito – governado por Deus, seu
Princípio perfeito – está isento de pecado e é eterno”.
 
A sra. Eddy  descreve a existência mortal como um estado de sonho da “mente mortal”. Diz: “Se Deus conhecesse o mal, mesmo como pretensão falsa, esse conhecimento manifestaria o mal n’Ele e procederia d’Ele. A Ciência Cristã mostra que a matéria, o mal, o pecado, a doença e a morte não passam de negações do Espírito da verdade e da Vida, que são positivos e que não podem ser negados. Os estados subjetivos do mal, chamados mente mortal ou matéria, são estados negativos destituídos de tempo  e espaço; pois não há outro fora de Deus, ou Espírito, e da ideia do Espírito”.

Continua..>

 

A ILUSÃO DE DOENÇA É DESMANTELADA PELA VERDADE!

A humanidade, sempre se mostrando incrédula e desconfiada, diante das Verdades a ela reveladas, agindo dessa maneira, apenas obstrui a “LIBERTAÇÃO” que a Verdade lhe oferece! Uma das revelações da Seicho-no-ie assim diz: “É chegada a hora em que a doença já não existe para ti”, e assim essa revelação é encerrada: “Aceita minha Palavra sem duvidares; sou Eu quem acende a Luz nos Sete Candeeiros”.

No ensinamento absolutista, a premissa básica diz que DEUS É TUDO, TUDO É DEUS! “CRER SEM DUVIDAR”, É SIMPLESMENTE ACATAR ESTA VERDADE: NÃO EXISTE DOENÇA EM DEUS, E DEUS É TUDO COMO TUDO! Porém, apenas “ter fé” ou “cegamente acreditar”, sem conhecer como se processa o  suposto “sumiço da doença”,

 não é o que a Metafísica Absoluta prega!

A Ciência divina é sempre fundamentada na TOTALIDADE DE DEUS e, em vista disso, na NULIDADE DA MATÉRIA. Portanto, toda oração científica SE INICIA COM DEUS, e jamais com “matéria” ou com “corpo carnal”. Isto porque a suposta “doença” não existe em DEUS, e quem dela diz sofrer, está simplesmente se vendo FORA DE DEUS E SEPARADO DE DEUS! Desse modo, corrigir esta tremenda mentira é o primeiro passo:

“SOMENTE EXISTE DEUS; DEUS É UM COMIGO E EU SOU UM COM ELE! LOGO, TODO APARENTE SINTOMA OU SENSACIONISMO É CRENÇA FALSA DA SUPOSTA “MENTE HUMANA”, SEM PRESENÇA REAL NA MENTE DE CRISTO, QUE É A MINHA MENTE REAL E ÚNICA”!

Aceitar que DEUS É TUDO requer aceitar que A ONIAÇÃO É A ATIVIDADE UNIVERSAL ÚNICA, SEMPRE ATIVA COMO “DIVINA ORDEM” OU COMO PERMANENTE ATIVIDADE PERFEITA, INCLUSIVE COMO SAÚDE CONSTANTE DE NOSSO CORPO!

Estes princípios, solidamente conhecidos, levarão alguém a MEDITAR SEM DUVIDAR! Isto por já estar ele ciente de que SUA SAÚDE JÁ É PERMANENTE E PERFEITA, ASSIM MANTIDA POR DEUS.

É QUANDO A REVELAÇÃO diz: “SOU EU QUEM ACENDE A LUZ NOS SETE CANDEEIROS”.

Isto remove dos “ombros do suposto doente” toda “responsabilidade” ou “pretensão” quanto a “ser curado”! Não será curado, mas sim, separado da CRENÇA EM DOENÇAS retida na mente humana, para se perceber sendo UM com a Oniação divina!

O ponto ideal, na meditação, é aquele em que alguém se mostra confiante de que a DEUS JÁ CUMPRE SEU PAPEL DE MANTÊ-LO CURADO OU PERFEITO, ENQUANTO A ILUSÓRIA “MENTE CARNAL”, QUE APARENTA OCULTAR-LHE A VERDADE com HIPNÓTICOS “SINTOMAS” OU “SENSACIONISMOS”, é vista como “treva” sendo banida pela Luz divina reconhecida!

Estude e grave bem estes princípios metafísicos, e, ao meditar, SEM DUVIDAR, TOME CONHECIMENTO DE QUE DEUS JÁ O MANTÉM ININTERRUPTAMENTE PERFEITO, E EM INVIOLÁVEL SAÚDE PLENA! 

*

“Tu, Senhor, Manténs Acesa a Minha Lâmpada!”

“Tu, Senhor, manténs acesa a minha lâmpada; o meu Deus transforma em luz as minhas trevas”

Salmos 18: 28

Enquanto o suposto “homem carnal nascido” não for negado como “coisa nenhuma”, uma vez que DEUS É ESPÍRITO, É LUZ, E É TUDO, este “eu ilusório” aparentará ter realidade, gerando um falso linguajar dualista que sempre considera “alguém” esperando ou pedindo que “Deus faça algo por ele”.

“Adorar a Deus em Espírito e em Verdade”, como disse Jesus, é o que deve ser feito, O QUE SIGNIFICA VOCÊ TER DEUS, SUA TOTALIDADE, SUA UNICIDADE, E TER NELE A SUA IDENTIDADE ILUMINADA”, E MAIS NADA!

Se Deus “visse a ILUSÃO”, por certo estaria cansado de tanto suposto “carnal ilusório” que, em gerações e mais gerações, quis SE FAZER PASSAR COMO “SER EXISTENTE”, CUIDADO POR ELE!!

TENHA UM DEUS QUE SEJA TUDO, e suas orações serão de PURA GLORIFICAÇÃO AO PAI EM SEU PRÓPRIO SER, sem contar com “alguém além de Deus” para PEDIR-LHE ALGUMA COISA!

Quando Jesus disse que “É DO AGRADO DO PAI DAR-NOS O SEU REINO”, estava explicando que TUDO JÁ ESTÁ DADO POR DEUS A CADA FILHO! A CONSCIÊNCIA, A MENTE ONIATIVA, A VIDA, O CORPO, TUDO FEITO DO VERBO DIVINO, TUDO PERFEITO E PERMANENTE!

O Salmo 18 diz o seguinte: Tu, Senhor, manténs acesa a minha lâmpada; o meu Deus transforma em luz as minhas trevas” Que nos disse Jesus? O seguinte:“Não vim revogar as Escrituras, mas sim, completá-las”! De que modo isto é feito? Pondo em prática a Verdade de que ESTE MUNDO É ILUSÃO, pondo fim à CRENÇA de que “temos pai na terra”, pondo fim ao SUPOSTO “filho de pai na terra”, pondo fim ao medo de morte, pois TODO suposto MORTAL JÁ É O MORTO EM SI, uma vez que DEUS É A VIDA REAL QUE VIVEMOS, E

pondo fim a “parentescos terrenos”, por SOMENTE TERMOS “PARENTES” PERFEITOS,  ETERNAMENTE VIVOS E ILUMINADOS,   POVOANDO A “UNIDADE ESPIRITUAL PLENA E PERFEITA!

Sendo assim revelada a Verdade, o suposto TEMPO ENORME, antes desperdiçado COM O “IRREAL HUMANO”, poderá ser empregado     para que CADA FILHO DE DEUS “GLORIFIQUE A DEUS EM SEU PRÓPRIO CORPO E EM SEU PRÓPRIO ESPÍRITO”, como disse Paulo.

“Deus é a LUZ QUE SOMOS”, e, em vista disso, o DEUS que “transformaria em luz” as trevas de suposto mortal apenas FICARIA SENDO O DEUS VERDADEIRO, SEMPRE SENDO LUZ E SENDO A LUZ QUE TODOS SOMOS!

EM OUTRAS PALAVRAS, JESUS COMPLETOU O ANTIGO TESTAMENTO COM A REVELAÇÃO DA VERDADE ABSOLUTA DE QUE SOMENTE EXISTE DEUS!

*

“A MENTE DO SENHOR É SOBRE TI”

“O espírito do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos”.

Isaías 61: 1

“Em seguida, enrolou novamente o livro, devolveu-o ao assistente e assentou-se. E na sinagoga todos estavam com os olhos fixos em sua pessoa. Então Ele começou a pregar-lhes: “Hoje se cumpriu a Escritura que acabais de ouvir”. E todos exclamavam maravilhas sobre Ele, e estavam admirados com as palavras de graça que saíam dos seus lábios”.

Lucas 4: 21

A Metafísica Absoluta vai de encontro radical e direto à suposta humanidade, sofrida e iludida por crenças falsas que endossam uma inexistente “vida terrena”. As crenças mais nocivas vêm das religiões dos homens, infiéis às Verdades pregadas pelos variados mensageiros realmente habilitados, que se mostraram estar sob a unção de Deus.

Tomemos, como exemplo, a seguinte citação de Isaías:

 “O espírito do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos preso”.

O próprio Isaías declarara a Presença de Deus “em MIM”, afirmando que o Senhor o teria ungido para pregar boas novas e libertar os cativos das CRENÇAS DO MUNDO. Sabia que “EM MIM” significava ele próprio em DEUS, na UNIDADE PERFEITA. Sabia, portanto, que TODOS SERIAM LIBERTOS indo a SI MESMOS, se encontrando na mesma UNIDADE PERFEITA, o que nunca foi exposto ao mundo pelas religiões tradicionais apagadas! Inventaram que a passagem iluminadora era uma suposta PROFECIA, antevendo a futura “vinda de Jesus”! Com isso, anularam a citação de Isaías, mantendo a humanidade na mesma cegueira espiritual de sempre!

Com a “vinda de Jesus”, conheceu ele o livro de Isaías; e, estando numa sinagoga, abrindo o livro, lendo-o,  em seguida, assim disse a todos:

“Hoje se cumpriu a Escritura que acabais de ouvir” (Lucas 4: 21).

Que fez Jesus? LEU A REVELAÇÃO DE ISAÍAS COM OS OLHOS DA VERDADE, IDENTIFICANDO-SE POR INTEIRO COM A REVELAÇÃO! ALGO QUE TODOS DEVERIAM FAZER, ENTENDENDO ESTAR, A MESMA ESCRITURA, VALENDO HOJE PARA TODOS OS DEMAIS!

Assim explica o ensinamento absolutista: TODA VERDADE REVELADA É FATO VÁLIDO, PRESENTE E “HOJE CUMPRIDO” COMO TODO FILHO DE DEUS!

Portanto, com FÉ E AUTORIDADE, afirme e contemple esta VERDADE Se evidenciando AGORA como VOCÊ:

“O ESPÍRITO DO SENHOR É SOBRE MIM; A MENTE DO SENHOR É SOBRE MIM!”

*

O ESPÍRITO DE DEUS CONSTITUI A SUA PERFEIÇÃO E O SEU PRÓPRIO SER!

Assumir, reconhecer e contemplar a Verdade que somos, ou seja, que DEUS É TUDO, requer uma convicção absoluta de que JAMAIS ESTIVEMOS SENDO “alguém” nascido da carne! Para a ilusória “mente carnal”, a imperfeição faz parte de todos os seres, afirmando ela que “ninguém é perfeito, a não ser Deus”! Esta aparente “verdade” traz em si mesma a GRANDIOSA ILUSÃO que até hoje aparenta “prender a humanidade” no “sonho de Adão”, como se fosse possível haver “alguém” que não fosse DEUS, PERFEIÇÃO INFINITA, “DESDE O PRINCÍPIO”!

O apego coletivo a CRENÇAS FALSAS é tamanho, que MESMO RECEBENDO A VERDADE de que “somos Luz” ou que “somos deuses”, continua a humanidade se identificando com “carnais”, com “gerações terrenas”,  em suma, com a ILUSÃO de que DEUS NÃO SEJA TUDO!

A Seicho-no-ie declara a seguinte revelação absoluta: “No âmago da matéria, no âmago do  corpo, EXISTE UM SER SUMAMENTE PERFEITO E MARAVILHOSO! Este, sim, é o VERDADEIRO TU PRÓPRIO, exatamente como Deus o criou, e é a VIDA, eternamente SAUDÁVEL E IMPERECÍVEL!”.

Quando João diz que, “SEM O VERBO, DEUS, NADA DO QUE FOI FEITO SE FEZ”; quando Paulo diz que “Somos o TEMPLO DE DEUS, e que O ESPÍRITO DE DEUS É QUEM HABITA EM NÓS”;  e quando Jesus diz que “Vós TAMBÉM testificareis, POIS ESTIVESTES COMIGO “DESDE O PRINCÍPIO”, nenhum deles nos associava com suposto “carnal nascido”! Entretanto, como bem disse Joseph Murphy, NINGUÉM PODERÁ DIZER “EU SOU DEUS” por VOCÊ, ou EM SEU LUGAR”!

Em suas primeiras aulas dadas sobre a Verdade, Mary Baker Eddy expunha aberta e claramente que DEUS CONSTITUI NOSSA PERFEIÇÃO E NOSSO VERDADEIRO E ÚNICO SER; mas a Verdade chocava e não era aceita! Em vista disso, a revelação foi sendo “moldada ao gosto popular”, chegando ela ao ponto de assim dizer: “Se eu esconder ainda mais a Verdade, a Verdade ficará perdida novamente!”

O mundo é “mundo que adota a mentira”! Diz aceitar que DEUS É PERFEITO, mas sempre posicionando os seres DISTANTES DA PERFEIÇÃO, entulhando neles suas CRENÇAS FALSAS E IN INIDÔNEAS, apregoando a ILUSÃO de “leis cármicas”, “evolução”, “pecados”, “livre-arbítrio”, e, pasmem, explicando que além de “encarnação”, existe ainda a suposta “reencarnação”, CRENÇAS JAMAIS PASSADAS AO MUNDO POR JOÃO, PAULO, JESUS, E DEMAIS REVELADORES DA VERDADE ABSOLUTA!

“Não se deita “vinho novo em odres velhos”, disse Jesus! A Nicodemos, disse ele que todos TERIAM QUE “NASCER DE NOVO”, SEREM ODRES NOVOS, EXPULSANDO COM DETERMINAÇÃO E VIGOR TODA SUPOSTA “IDENTIFICAÇÃO COM MORTAIS”! Caso contrário, a VERDADE não somente ficará desconhecida, como, também, a NINGUÉM poderá LIBERTAR!

 *

SEJA PRÁTICO EM SUA SUPOSTA “VIDA DIÁRIA”!

“Por que declarar que o corpo está doente e descrever essa doença à mente,como quem estivesse saboreando uma guloseima, mantendo-a sempre

diante do pensamento tanto do médico como do paciente?

Devemos compreender que a causa da doença vinga na mente humana mortal,e que sua cura vem da Mente divina imortal.

Devemos impedir que as imagens da doença tomem forma no pensamento,

 e devemos apagar os contornos da moléstia já delineados nas mentes dos mortais”

Mary Baker Eddy

Ciência & Saúde com a chave das Escrituras (pp. 174-175).

Seja prático, em sua suposta vida diária! Em certo artigo, Masaharu Taniguchi explica o que é ser prático na vida, dando o exemplo de alguém que tivesse fincado um espinho no corpo. Iria ele fazer horas de oração para se livrar do problema? Não, pois lhe bastaria puxar e remover o espinho com os dedos, e tudo estaria resolvido!

Em termos metafísicos, há diversos casos em que se mostra como prático empregarmos o princípio mental da substituição, que diz que a mente não consegue alimentar, ao mesmo tempo, duas ideias opostas!

 

Mary Baker Eddy assim pergunta:Por que declarar que o corpo está doente e descrever essa doença à mente, como quem estivesse saboreando uma guloseima, mantendo-a sempre diante do pensamento tanto do médico como do paciente?”

 

Em seguida, ela dá-nos uma sugestão de “substituição” de ideias, assim dizendo:

“Devemos compreender que a causa da doença vinga na mente humana mortal,

e que sua cura vem da Mente divina imortal.

 Devemos impedir que as imagens da doença tomem forma no pensamento,

 e devemos apagar os contornos da moléstia já delineados nas mentes dos mortais”.

 

Devemos compreender bem estes princípios, e colocarmos todos eles na prática! São aparentemente simples, mas atuam como excelentes e eficazes“tratamentos de cura metafísica”

 

*

O REINO FORMADO POR TODOS “DESDE O PRINCÍPIO”!

“Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo”. Mateus 25: 34

 

O seguinte “fato”, a muitos pareceu ocorrer verdadeiramente, há tempos, quando numa rua central de Campinas, um trem de ferro passou diante de todos, apitando e soltando fumaça, até sumir de vista ao final da rua! Mas ali não havia passado trem nenhum! Nem trilhos havia na rua! Mas aparentemente,  ele “foi visto”! Mas era apenas uma “imagem hipnótica”, e mais nada!

Mais recentemente, várias pessoas presentes e sentadas num amplo salão, para seu grande espanto, viram saltar diante delas uma enorme baleia, fazendo um barulho enorme, entre água e espuma, até “cair ao chão”, e ali virando “nada”! Era apenas uma “movimentação holográfica”, e mais nada!

Em sua parábola, assim disse Jesus: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo”.

Nesta parábola, o Rei explica o motivo de os “herdeiros” terem sido convidados a viver no Reino de Deus.

E quando o Filho do homem vier em sua glória, e todos os santos anjos com ele, então se assentará no trono da sua glória;
E todas as nações serão reunidas diante dele, e apartará uns dos outros, como o pastor aparta dos bodes as ovelhas;
E porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes à esquerda.
Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;
Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;
Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver.
Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber?
E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos?
E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te?
E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.
Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos;
Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber;
Sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; e enfermo, e na prisão, não me visitastes.
Então eles também lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou estrangeiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão, e não te servimos?
Então lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim.

E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna” (Mateus 25: 45,46).
Os justos, que irão para a vida eterna, são todos os que JÁ ESTÃO CONSCIENTES de estar sendo o Cristo. A parábola busca também incitar a todos a praticarem o “amor incondicional” entre todos os irmãos, entendendo que, por trás das “aparências fenomênicas”, são puramente o Cristo. E aqueles citados como os que “irão para o tormento eterno” serão todos que APARENTAVAM EXISTIR COMO CARNAIS, muito embora, SEM QUE O SOUBESSEM, fossem todos o próprio Deus, como supostos “justos e injustos”. ACHAVAM-SE, VIVENDO

FORA DA UNIDADE PERFEITA! Mas eram todos de IDÊNTICA natureza do “trem hipnótico” ou da “baleia holográfica”: pura ILUSÃO!

SOMENTE DEUS É REALIDADE, e esta Verdade é MANIFESTAÇÃO ONIPRESENTE da TOTALIDADE E UNICIDADE DE DEUS!

E quando o Filho do homem vier em sua glória, (…) todas as nações serão reunidas diante dele, e apartará uns dos outros, como o pastor aparta dos bodes as ovelhas;
E porá as ovelhas à sua direita, mas os bodes à esquerda.
Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;

O Rei se referia à CRENÇA NO BEM E NO MAL; mas, para Deus, não há “ovelhas à direita” nem “bodes à esquerda”! HÁ TÃO SOMENTE AQUILO QUE SEMPRE É:

DEUS SENDO TUDO, SENDO TODOS, NUMA UNIDADE ESSENCIAL PERFEITA!

*

VENCENDO AS CRENÇAS COLETIVAS

O que é uma crença coletiva? É quando um grande número de pessoas acredita em algo, e parece que esse algo ganha poder devido à quantidade de pessoas que nele acreditam.

Quando parece que todo mundo acredita em algo errado, achamos que é difícil nos defender dessa crença coletiva, não é mesmo? A crença em uma economia instável, a crença em doenças, em  desequilíbrio da natureza… são alguns exemplos de crenças coletivas. Cada uma delas pode ser vencida com a compreensão da verdade espiritual oposta.

Mas daí vem a pergunta: Será que eu sozinho consigo vencer uma crença que é aceita por inúmeras pessoas?

A resposta é: eu não estou sozinho. Estou com Deus. Deus é a Verdade. A Verdade é onipotente, ou seja, ela tem todo o poder. O meu pensamento sozinho não tem poder, mas quando ele está cheio da Verdade divina, ela é que tem poder mais que suficiente para vencer qualquer tipo de erro, mesmo que este erro pareça estar no pensamento de muitos

Podemos também nos perguntar: Se muitas pessoas acreditam em uma mentira, será que essa mentira passa a ser verdade? Se todo mundo acreditasse que 2+2 = 5, isso se tornaria real? Claro que não. Se todo mundo acredita que o homem é mortal, sujeito ao pecado, a doenças e à decadência, essa mentira se torna verdade? Não. A verdade absoluta é que em essência o homem é espiritual, imortal, eternamente santo e sadio, pois ele reflete Deus, que é a Vida, a Verdade e o Amor infinitos.

Temer as crenças coletivas seria como acreditar que cada mente mortal fosse um pequeno deus. Muitas mentes mortais acreditando em algo seria como se muitos pequenos deuses se unissem e formassem um grande deus, chamado pensamento coletivo, ou crença geral. Mas o fato é que só existe um Deus, uma só Mente. E essa Mente sabe toda a verdade. Essa Mente é a Verdade. Ela é o único poder.

“Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom” (Genesis 1:31). Deus só criou o bem. A realidade de Deus é totalmente boa, e a crença coletiva não pode mudá-la.

A Bíblia nos diz: “Filhinhos, vós sois de Deus e tendes vencido os falsos profetas (ou falsas crenças), porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo” (1 João 4:4). Ou seja, maior é a compreensão que há em nós, do que as crenças que há no mundo. Maior é a natureza divina em nós, eternamente santa e saudável, do que o pecado e a doença que há no mundo. Maior é o Cristo em nós, do que o erro que está no mundo.

Certa vez, tive a oportunidade de aplicar essas ideias quando orava para me curar de um resfriado. Achei que seria importante vencer a crença e o temor de que os pensamentos da sociedade em relação a esse assunto estavam me influenciando.

Eu pensei: eu não sou afetado pelas crenças coletivas, não importa quantas pessoas acreditem na doença, essas crenças não me afetam. Eu só sou afetado pelos pensamentos de Deus. Deus só criou a saúde. Ele só conhece a saúde. Ele sabe que eu sou saudável, porque Deus me criou à Sua imagem e semelhança, refletindo toda a saúde que vem dEle. Só os pensamentos de Deus é que pousam sobre mim. Eu só sou influenciado por Deus e Seus pensamentos. Eu não estou sujeito às crenças doentias dos outros. Eu só estou sujeito a Deus e Suas ideias sanadoras.

Daí notei que eu estava dividindo o mundo em dois opostos: as mentes mortais e a Mente divina. Então percebi esse erro. Passei a negar que existam mentes mortais aos milhares, que pensam coisas erradas e que tais pensamentos tenham poder. Não. Só existe a Mente divina e Suas ideias. Só existe Deus e Seus pensamentos. Ele é a única Mente. Todos nós refletimos esta Mente única. Nenhum de nós tem uma mente separada de Deus, que possa pensar no erro ou ser influenciada pelo erro. “A Ciência diz: tudo é a Mente e a ideia da Mente. Tens de manter essa linha de combate.” (Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, p. 492) Ou seja, temos que lutar mentalmente defendendo esta Verdade absoluta: “Tudo é a Mente infinita e Sua manifestação infinita, porque Deus é Tudo-em-tudo” (ibidem, p.468).

Senti que esta oração foi eficaz, pois o resfriado cedeu rapidamente. No dia seguinte, já me sentia curado e livre. Daí percebi que, em nossas orações, é muito importante vencer a crença em crenças coletivas. Reconhecer que Deus é a Mente única, e que os pensamentos maravilhosos de Deus preenchem toda a atmosfera mental.

O FILHO DE DEUS JAMAIS É AFETADO PELA ILUSÃO”

Quando alguém se identifica com a “mente carnal”, automaticamente se submete à CRENÇA EM DOIS PODERES, aceita e defendida por ela. E a maioria acaba aparentando viver imersa nessa “batalha inexistente”, supostamente “acontecendo” como luta do bem contra o mal!

O ensinamento absoluto revela que SOMENTE DEUS É REALIDADE, o que, em termos práticos, significa percebermos que A MENTE DE DEUS É A MENTE ÚNICA, E SENDO ELA A MENTE INDIVIDUAL QUE TEMOS! Para que tivéssemos esta percepção, o apóstolo Paulo declarou que

“TEMOS A MENTE DE CRISTO”!

Para “sairmos” da batalha inexistente, basta-nos VIVER SEGUNDO A VERDADE, acreditando  convictamente nas revelações absolutas, de modo que, embora esteja a humanidade quase toda acreditando nas CRENÇAS DUALISTAS, possamos estar, aparentemente, em meio a todas elas, sem envolvimentos e sem desejos de “erradicar” ou de “combater miragens”! Para isso, deverá nos ficar bem claro que NEM DEUS NEM FILHOS DE DEUS SÃO AFETADOS POR CRENÇAS DO MUNDO!

“As coisas DO MUNDO – boas ou más – são vistas pelo “espírito do homem que nele está”, declarou Paulo. Isto significa dizer que NADA, ASSIM VISTO, É REALIDADE! E foi o que COMPLETOU Paulo, dizendo: “Não recebemos DE DEUS este ‘espírito do mundo’, mas sim O DE DEUS, para que PUDÉSSEMOS DISCERNIR ESPIRITUALMENTE O QUE NOS FOI DADO GRATUITAMENTE POR DEUS”.

O que Paulo explica, é o que vem sendo enfatizado constantemente nas Mensagens do Facho de Luz, ou seja, que “o mundo de aparências” deve ser deixado de lado, com todas as suas imagens hipnóticas, para que possamos nos firmar convictamente na Verdade de que VIVEMOS EM DEUS COMO FILHOS PERFEITOS DE DEUS, INTOCÁVEIS PELAS CRENÇAS FALSAS DAS “APARÊNCIAS”.

Ser FILHO DE DEUS significa SER DEUS INDIVIDUALIZADO! Por isso, assim disse Jesus: “EU E O PAI SOMOS UM, E O MESMO!” É evidente que isto não foi dito apenas para atribuirmos o fato como VERDADE somente válida a ele! É VERDADE UNIVERSAL, VÁLIDA PARA ELE, PARA MIM, PARA VOCÊ, E PARA TODO FILHO DE DEUS! “Que HAJA EM VÓS a mesma Mente que houve em Cristo Jesus”, disse Paulo.

Que está esperando a humanidade, para VIVENCIAR O CRISTO QUE SOMOS E O REINO DE DEUS EM QUE ESTAMOS? Que está esperando a humanidade, para SUMIR DE IGREJAS E DENOMINAÇÕES que não pregam a VERDADE como válida, AQUI E AGORA, para cada um de nós?

Que lhe fique bem claro: A VERDADE É O CRISTO QUE TODOS AGORA SOMOS! E NOS CAPACITAMOS A PERCEBÊ-LO descartando o “espírito que vê as coisas do mundo”, trocando-o pelo ESPÍRITO QUE RECEBEMOS DE DEUS, QUE É O PRÓPRIO DEUS! Dentro dessa convicção, a “mente carnal” poderá fazer desfilar à sua frente TODO TIPO DE APARÊNCIA FRAUDULENTA, enquanto VOCÊ PERMANECERÁ FIRMADO “EM MIM”, NO DEUS QUE HABITA EM VOCÊ, SENDO VOCÊ!

Como disse Jesus, “AQUELE PERMANECER EM MIM, DARÁ FRUTOS!” 

*

QUANDO A LUZ É PERCEBIDA COMO TUDO!

Quando realizamos nossa “SUBIDA AO PAI”, como diria Jesus, o que deve ser notado é que UNICAMENTE DEUS COM SUA LUZ ONIPRESENTE pôde ser PERCEBIDO, devido ao súbito e espontâneo “sumiço” da ILUSÃO COLETIVA!

 “DESCER DO PAI”, PORTANTO, É MERA DIDÁTICA A EXPOR A Verdade de que O MUNDO DA ILUSÃO’ JAMAIS TEVE REALIDADE OU PRESENÇA REAL! É mentiroso “DESDE O PRINCÍPIO”, disse Jesus.

Quando alguém relata algum de seus sonhos, aquele “eu”, supostamente “vivido no sonho”, é citado como se estivesse sendo ele próprio, pois cita a situações do sonho como se tivessem sido “realidades vividas por ele”. Quando acorda, SOME AQUELE CENÁRIO TODO, sem que haja qualquer noção de “PERDA DE SEU CORPO”, que tão real lhe parecia enquanto sonhava! Se no sonho ele tivesse levado dez tiros fatais na cabeça, TERIA HAVIDO ALGUMA MORTE? Sabemos a resposta!

Jesus fez o que pôde para ACORDAR A HUMANIDADE do chamado “sonho de Adão”, chamando “este irreal mundo” de “mundo de Satanás, o pai da MENTIRA”! Um suposto mundo sem ter NADA A VER COM DEUS! Somente a ilusória “mente carnal” acredita em “mundo de carnais”! Por isso, foi chamada por Paulo de “a inimizade contra Deus”!

Em que consiste o DESPERTAR ESPIRITUAL? Basicamente, está em FAZERMOS NOSSA IDENTIFICAÇÃO PLENA COM DEUS, O PODER ÚNICO, E DESCARTANDO O ILUSÓRIO HOMEM NASCIDO E SEUS FEITOS NO “SONHO DE ADÃO”! A isto é referido, nas Mensagens do Facho de Luz, como SUBIDA AO PAI “DE CIMA PARA BAIXO”, vendo-nos como UNIDADE ILUMINADA, ONIPOTENTE,  SEMPRE NO REINO DE DEUS E DO BEM PERMANENTE!

Não existe, realmente, nem

“DESCIDA DO PAI” nem “SUBIDA AO PAI”, a não ser para aqueles aparentemente ILUDIDOS pela suposta “mente carnal” e seu SONHO DE ADÃO!

Em João, 20: 17, Jesus diz: “EU SUBO PARA MEU PAI E VOSSO PAI, MEU DEUS E VOSSO DEUS”. Via a SI MESMO, e a NÓS TODOS, formando a UNIDADE ESSENCIAL PERFEITA, EXPRESSANDO O PAI ÚNICO OU O DEUS ÚNICO, A VERDADE ABSOLUTA DA EXISTÊNCIA, CONSUMADA E IMUTÁVEL!

Jesus “subiu ao Pai” percebendo SER UM COM ELE! Tenhamos esta mesma PERCEPÇÃO!

*

 

PERCEBA-SE “RESSUSCITADO” DENTRE OS MORTOS!

Sempre a humanidade vem sendo iludida pela CRENÇA EM NASCIMENTOS E MORTES, apesar de vários reveladores da Verdade explicarem que NINGUÉM PASSA POR TAIS ILUSÕES! As religiões, que deveriam ser VOZES DA VERDADE, só ampliaram as mentiras sobre a Existência, fazendo do “mundo do pai da mentira” uma suposta “vida vigiada e julgada por Deus”, tomando Seu nome em vão, em vez de darem fim a esta CRENÇA mentirosa e medíocre que esconde a Verdade Absoluta de que NOSSO NOME ESTÁ ESCRITO NOS CÉUS, por sermos O VERBO DE DEUS EM EXPRESSÃO, como atestam as Escrituras: “SOIS DEUSES!”

Não existe “vida nem morte” na irreal “matéria”; assim, se alguém nela acredita estar vivendo, estará sendo simplesmente um “cadáver ambulante”, um “ego morto”, e jamais ALGUÉM ALI COM VIDA! ISTO PORQUE UNICAMENTE O ESPÍRITO DE DEUS É REALIDADE! NÃO EXISTE “MATÉRIA”!

O ensinamento de Jesus é bem claro: “Aquele que PERDER SUA VIDA FENOMÊNICA, achará O CRISTO EM SI MESMO, que é a VIDA ETERNA DE TODOS! DEUS EM EXPRESSÃO INDIVIDUAL! UM SER PERFEITO, DIVINO E IMPECÁVEL, SENDO QUEM VERDADEIRAMENTE SOMOS, E   “DESDE O PRINCÍPIO”!

As “DOUTRINAS VÁRIAS E ESTRANHAS DO MUNDO”  são mesmo “do mundo”, pois, em geral, creem e falam em “nascimentos e mortes”, CRENÇAS  totalmente vazias e descabidas!

DEUS É LUZ, A LUZ É TUDO, E SER TUDO SIGNIFICA SER “ONIPRESENTE”!

Quem quer que NOS VEJA, estará vendo O PAI, pois, caso disser “ver nascido

 da carne”, estará meramente vendo um “morto”, tanto em si próprio como em todos os demais!

Quando é revelado que “É CHEGADO O REINO DE DEUS”, E QUE É “NELE QUE VIVEMOS, NOS MOVEMOS E EXISTIMOS”, ESTÁ ANUNCIADA A VERDADE IMUTÁVEL E CONSUMADA|: DEUS É TUDO!

Portanto, quando APARENTEMENTE um suposto “carnal” vê CORRETAMENTE A SI MESMO, com sua PRÓPRIA “LUZ NO ALTO”, estará RESSUSCITADO “DENTRE OS MORTOS”, e pelo simples manifestar de SEU PRÓPRIO CRISTO!

*

A Consciência Mística e a Ação Prática São Uma Só na Essência!

“O reino da quietude que os sábios conquistam pela meditação é também conquistado pelos que praticam ações; sábio é aquele que compreende que essas duas coisas – a consciência mística e a ação prática – são uma só em sua essência”.

Bhagavad Gita

Tanto a meditação como o reto agir, trazem ambos o REINO DA QUIETUDE, pois, como explica Krishna, as duas coisas são UMA SÓ, em sua Essência. Este entendimento deixa claro que NÃO HÁ DOIS MUNDOS, mas UM REINO ÚNICO, que se manifesta como QUIETUDE ONIATIVA!

O suposto “ser profano” , por desconhecer sua própria consciência mística, não consegue viver sem ser predominantemente egoísta, fazendo de tudo por si mesmo, e por seus “familiares mais próximos”, sem se perceber sendo movido à prática de ações altruístas que partem daqueles que emanam naturalmente o “amor incondicional”.

Quais são as ações que levam seus praticantes ao REINO DA QUIETUDE? São o que a Metafísica chama de “AGIR PELO NÃO AGIR”! São atividades espontâneas e contínuas daqueles que atuam como UM TODO, e não como um “ser avulso agindo na matéria”. Podemos tomar por exemplo as ações de Jesus. Ensinou-nos a agir como ele, dizendo: “Sede mansos como os pombos e astutos como as serpentes”! Isto significa agirmos sem ego, conforme formos inspirados a cada momento, entendendo as ações como promotoras de “ajustes naturais” nos contatos da suposta “vida fenomênica”!

Com Jesus, ocorria tanto a mansidão dos pombos como a astúcia das serpentes, sempre com “o Pai fazendo as obras”, em Oniação, e sempre “agindo pelo não agir”, deixando fluir, a cada instante, o “reflexo da Oniação” como aparente “situação visível”.

Este é o sentido das palavras de Krishna:  “Sábio é aquele que compreende que essas duas coisas – a consciência mística e a ação prática – são uma só em sua essência”.

*

OS ESFORÇOS QUE SÓ O DESVIAM DO QUE É SIMPLES E CONSUMADO!

Se for dada a alguém uma mansão pronta, bastou este ganhador tomar posse dela, e passará a se esforçar para completá-la, melhorá-la, dar a ela os acréscimos segundo o seu ego, e assim por diante! É desse modo que funciona o suposto e ilusório “mundo dos fenômenos”.

Infelizmente, diante das revelações absolutas, que anulam a necessidade de “melhorias” ou de “mudanças”, POR ESTAR SENDO ENTREGUE A CADA UM O PERFEITO REINO DE DEUS, E, COM ELE, O PERFEITO FILHO DE DEUS, EM VEZ DE ISTO SER RECONHECIDO COMO “JÁ CONSUMADO”, ACABA FICANDO COMO ALGO MAIS A SER “BUSCADO”!

O hábito comum e vicioso da humanidade, que é o de não saber ACATAR ALGO CONSUMADO como PRONTO PARA USO, leva a maioria a empreender todo tipo possível de esforço para “trazer à sua percepção” os “presentes espirituais”, dados a todos os FILHOS DE DEUS “desde o princípio”!

Entretanto, para o REINO DE DEUS ser percebido, a suposta “mente carnal” terá de ser “posta de lado”, e com todos os seus aparentes “esforços” empreendidos com este objetivo! POR QUÊ? PELO SEGUINTE MOTIVO: O REINO DE DEUS, CONSUMADO E RESPLANDECENTE, JAMAIS PODERÁ SER PERCEPTÍVEL A ESTA MENTE ILUSÓRIA! CADA UM TERÁ QUE “NASCER DE NOVO”, disse Jesus. Isto significa ADOTAR, RECONHECER E CONTEMPLAR A PRÓPRIA MENTE COMO FATO CONSUMADO, E SENDO A  PRÓPRIA MENTE DE DEUS! UNICAMENTE A MENTE DE DEUS PERCEBE A ONIPRESENÇA DE SEU REINO!

Portanto, NEGAR-SE A SI MESMO nada mais é, do que CADA UM NEGAR TER “MENTE CARNAL”, NEGAR TODOS OS ILUSÓRIOS “SENTIDOS MORTAIS”, E SE PERCEBER EM UNIDADE COM DEUS E COM A MENTE DE DEUS! E, PARA ISSO, NENHUM “ESFORÇO” SE FAZ NECESSÁRIO!

O Salmo 46 é bem claro: “AQUIETA-TE E SABE, EU SOU DEUS!”. Não diz “esforça-te”! Grave bem: “AQUIETA-TE”!

Todo “EU” em expressão é unicamente DEUS! Jamais existiu algum suposto “eu” nascido da carne! DEUS É ESPÍRITO, É TUDO , E VOCÊ É ESPÍRITO CONSUMADO! Em vista disso, TUDO que você tem a fazer, durante as “contemplações absolutas”, é AQUIETAR-SE, SABENDO QUE VOCÊ É DEUS! E MAIS NADA!

“Em Deus VIVEMOS, nos MOVEMOS e TEMOS O NOSSO SER!”, disse Paulo. ENTENDA QUE ESTA REVELAÇÃO É AGORA UM FATO CONSUMADO, QUE ELA É A REALIDADE DESTE AGORA, E QUE DISPENSA COMPLETAMENTE A SUPOSTA “MENTE CARNAL”, COM TODOS OS SEUS PRETENSOS “ESFORÇOS”! 

*

 

SIMPLESMENTE SENDO “O EU ABSOLUTO” SEM HUMILDADE E SEM PRESUNÇÃO!

Um tremendo EFEITO HIPNÓTICO, com intenção de “barrar a PERCEPÇÃO da Verdade que somos”, continua iludindo a humanidade com sua irreal “existência material”. Quando Buda começou a tomar conhecimento do que lhe pareceria ser existente como um “mundo fenomênico”, horrorizado e surpreso, abandonou tudo e foi em busca da Verdade

 que, intuitivamente, acreditava existir e com capacidade de “pôr fim” aos sofrimentos humanos. A solução lhe veio por revelação, e  era total e vinda como algo inimaginável! Por quê? Porque não era voltada a “corrigir ou melhorar” a vida material, mas sim, algo surpreendente e mesmo inacreditável! OCORREU-LHE O DESAPARECIMENTO DO “MUNDO DOS FENÔMENOS” E A CONCOMITANTE PERCEPÇÃO DE UM UNIVERSO PERFEITO E ILUMINADO, LEVANDO-O A ADMITIR QUE O SUPOSTO “MUNDO DE SOFRIMENTOS” NÃO PASSAVA DE UMA ILUSÃO COLETIVA!

Ouvindo aquilo, seus próprios acompanhantes na “busca da Verdade” o abandonaram! Não puderem crer em algo tão chocante e libertador! E Buda logo percebeu que A VERDADE SERIA REJEITADA!

Tempos depois, veio Jesus para repetir a MESMA Verdade proferida por Buda, chamando o mundo ILUSÓRIO de “mundo do pai da mentira”, explicando que O REINO DE DEUS era a Verdade onipresente, com toda glória e perfeição de Deus. Mas a humanidade, ENXERGANDO por toda parte  IMAGENS DE IMPERFEIÇÃO, NÃO DEU ATENÇÃO MAIOR ÀS REVELAÇÕES DA VERDADE, apenas abarrotando o mundo de religiões e denominações, que endossavam a presença de todos em seu “mundo da mentira”.

Em época recente, Marie S. Watts se viu atravessando uma suposta fase de doença incurável. Conhecia os ensinamentos de Lillian DeWaters e de Joel S. Goldsmith, e mesmo praticando-os não conseguia se livrar da ilusão. Deixou a carreira de pianista, e apenas com a Bíblia em mãos, para estudos e consultas, afastou-se do mundo e sempre meditava, fazendo muitas indagações! Em dado momento, a experiência de que DEUS É TUDO foi vivida por ela, a iluminação de si mesma foi percebida, sua aparente “cura” ficou evidenciada, e sua vida passou a ser dedicada à propagação da Verdade Absoluta de que DEUS, REALMENTE, É TUDO!

Esta EXPERIÊNCIA DA TOTALIDADE DE DEUS é a citada por Jesus, ao orar “para que sejamos todos UM, perfeitos em UNIDADE”! NÃO É EXPERIÊNCIA A SER “AGUARDADA”! DEUS É TUDO COMO TODOS AGORA! PORTANTO, A SOLTURA DA ILUSÃO CHAMADA “MUNDO MATERIAL”, ALIADA À ACEITAÇÃO RADICAL DE QUE “DEUS E HOMEM SÃO UM”, É O QUE NOS FAZ ACEITAR AGORA TANTO NOSSA PERENE E EVIDENCIADA ILUMINAÇÃO COMO NOSSA ETERNA E GLORIOSA IDENTIDADE CRÍSTICA!

QUANDO ALGUÉM DIZ: “EU SOU DEUS!”, simplesmente está reconhecendo a ONIPRESENÇA DO VERBO DIVINO SENDO TUDO, SENDO TODOS E SENDO ELE PRÓPRIO! ESTARÁ SENDO “ALGUÉM DA UNIDADE PERFEITA”! E NÃO “CARNAL DO MUNDO”, PASSÍVEL DE SER TAXADO DE “HUMILDE”, “LOUCO” OU “PRESUNÇOSO”!

ESTARÁ VENDO A SI MESMO EM SUA UNIDADE COM O PAI, SEM SE VINCULAR COM AS ”IMAGENS HIPNÓTICAS” ACEITAS COMO REALIDADES, MAS QUE SÃO PURAMENTE “NADAS”!

AQUELE QUE FIZER ESTA TOTAL IDENTIFICAÇÃO COM A LUZ DIVINA, REPETIRÁ O QUE DISSE JESUS: “AQUELE QUE ME VÊ A MIM, VÊ O PAI”,  OU REPETIRÁ O QUE DISSE BUDA: “EU SOU O ÚNICO SER ILUMINADO EM TODO O UNIVERSO”!

TERÁ SIMPLESMENTE CONHECIDO A SI MESMO COMO O “EU SOU ÚNICO”! 

*

VOCÊ NÃO TEM NENHUM PODER SOBRE MIM! – 3

III

É assim que todos os cristãos sensatos precisam agir ao lidar com as pretensões agressivas do mal. As mentiras têm de ser combatidas, vencidas e comprovadas como irreais. É insensato ignorá-las. Não é sábio fingir que elas não existem ou depreciá-las como se fossem mera imaginação, uma paranoia. Podemos aplicar esta afirmação de Eddy: “A humanidade precisa aprender que o mal não é poder” (Ciência e Saúde, p. 102), a todos os argumentos do mal, inclusive a presunção astuta de que ele pode tramar, planejar e causar dano. O mal não é um poder oposto a Deus. Ele não é um outro poder no universo contra o qual temos de lutar. Ele é uma mentira que tem de ser vista como falsidade. Essa verdade precisa ser compreendida e demonstrada para percebermos e vivenciarmos sua promessa de liberdade.

Tal como Davi enfrentou Golias sem pestanejar (ver 1 Samuel, capítulo 17), temos de enfrentar as pretensões do magnetismo animal maligno destemidamente. Davi sabia que Deus estava no controle da situação. Ele não fugiu na direção contrária. Davi não ignorou as ameaças do gigante. Davi não fingiu que Golias não existia. Ao contrário, ele correu para encontrar Golias e atirou sua pedra na parte mais vulnerável de Golias, um ponto fraco na testa e o feriu de forma mortal. Metaforicamente, Golias é o símbolo das más intenções e dos propósitos maus de todas as pretensões do magnetismo animal maligno. Podemos encontrar o mesmo “ponto fraco” do magnetismo animal maligno quando enfrentarmos nossos Golias. O ponto fraco é a pretensão de que o magnetismo animal tenha poder. O mal não tem poder. Com todas as suas tagarelices, exibição do ego, suas ameaças fraudulentas, seus gritos e berros estridentes, lamúrias e rangidos, ele é uma fraude da maior magnitude. Diante da Verdade divina, o mal se espatifa e cai no eterno esquecimento.

Por isso, quando uma voz ameaçadora declarar: “Alguém está fazendo má prática contra mim e me causando o mal”, não aceite a premissa de que o mal possa prejudicá-lo. Ele não pode. A possibilidade de dano é apenas uma sugestão, não a verdade.

Quando o pensamento sussurra: “Acho que vou ficar doente e até piorar”, não aceitemos a premissa de que uma irresistível causa subjacente de doença exista.

Quando a imaginação nos leva a falar em alta voz: “Minha igreja está em declínio” e a mente humana justifica isso assim: “Minha igreja está em declínio devido à resistência e ao ódio à verdade que existe no mundo de hoje”, não concordemos com o ponto de partida da lógica do erro de que o mal tem poder para deter o progresso da Verdade e negar seu efeito sanador. Reconheçamos que o mal não pode pôr a igreja de Deus em declínio e que não tem nenhum poder para solapar uma edificação espiritual de vitalidade e força.

Se enquanto estivermos analisando nossas finanças ouvirmos: “Não tenho mais nenhum dinheiro e vou ser colocado em um abrigo para pobres”, não diga sim com a cabeça, com a insinuação de que a carência é inevitável e causa sofrimento. Despertemos para a verdade de que Deus tem recursos infinitos para nos abençoar, e que eles estão presentes agora mesmo! Saibamos que o mal não é um profeta e que ele não delineia nosso futuro econômico.

As pretensões do magnetismo animal maligno podem ser combatidas com êxito mediante a compreensão de que Deus é a única Mente que governa o universo inteiro, e que nessa Mente não há nenhum poder nem influências destrutivos. Tudo é bom. Na Mente divina, não há nenhum mal em ação, nenhuma inteligência maligna dominante, nenhum tirano implacável, nenhuma espécie de organização mafiosa, nem agentes ilegais escondidos agindo secretamente, enfim, nenhum inimigo para se temer. “Nada há encoberto que não venha a ser revelado” (Lucas 12:2), prometeu Jesus. Compreender a bondade onipresente de Deus e sua exclusão de todo mal, expõe as falsas pretensões do magnetismo animal maligno, conduzindo-as para uma obscuridade sem retorno e excluindo quaisquer danos.

Eddy escreveu: “Para o Amor infinito, sempre presente, tudo é Amor, e não há erro, nem pecado, nem doença, nem morte”. Em seguida, ao explicar o retorno do mal ao seu nada inicial, ela continua: “Contra o Amor, o dragão não luta por muito tempo, pois o dragão é morto pelo Princípio divino. A Verdade e o Amor prevalecem sobre o dragão, porque o dragão não os pode guerrear” (Ciência e Saúde, p. 567).

O magnetismo animal maligno é o dragão que a Verdade e o Amor divinos matam, comprovando assim sua falta de poder. Armado com a Verdade, o soldado cristão alerta pode marchar em frente, na confiança de que, por meio do Cristo, toda pretensão do magnetismo animal pode ser combatida e vencida. Cada um de nós pode destemidamente enfrentar qualquer atitude maligna do mal com esta declaração: “Você não tem nenhum poder sobre mim”!

F I M

VOCÊ NÃO TEM NENHUM PODER SOBRE MIM! – 2

II

Que o mal está “incansavelmente à espera” e perseguindo a ideia espiritual “com ódio”, é uma perspectiva muito séria que temos de considerar. Jesus Cristo enfrentou essa “espera incansável” do mal. Muitos fariseus e outros inimigos estavam constantemente tramando sua morte. Eles não gostavam dele. Eles não apreciavam seus ensinamentos. Eles o viam como uma ameaça ao seu status quo.

Sob a manipulação do ciúme, da inveja e do medo, eles procuravam exterminá-lo, para acabar com sua vida e seu ministério.

Mas Jesus não tinha medo de seus adversários. Ele sabia como responder a eles. Diante da ameaça de Pilatos: “Não sabes que tenho autoridade para te soltar e autoridade para te crucificar”? Jesus respondeu: “Nenhuma autoridade terias sobre mim, se de cima não te fosse dada” (João 19: 10, 11). Jesus não recuou com terror, não se curvou com medo, nem tremeu com a ameaça de Pilatos. Ele sabia que sua vida estava preservada eternamente no Espírito divino, e não havia nada que aquele ignorante governador pudesse fazer para prejudicá-lo.

A Bíblia mostra como Jesus enfrentou todas as pretensões maliciosas do mal durante o seu ministério, com a mesma atitude: “Você não tem nenhum poder sobre mim”. A credibilidade dessa postura foi imortalizada quando ele saiu do túmulo, vivo, após sua crucificação.

A Sra. Eddy enfrentou hostilidades semelhantes quando apresentou a Ciência Cristã ao mundo. Aqueles que não concordavam com seus ensinamentos desejavam silenciá-la. Ela recebeu muitas ameaças de morte, ao longo dos anos. Seus inimigos mais malévolos não estavam contentes em seguir o caminho deles e deixá-la em paz. Eles se empenhavam, mental e fisicamente, em detê-la. Entretanto, ela aprendeu a não ter medo deles, mas sim seguir em frente e neutralizar o mal por meio do todo poderoso Amor divino que ela venerava.

Certa vez, um suposto assassino entrou em sua casa e se encaminhou para o escritório onde ela se encontrava. Ela relatou que, antes de ele entrar no escritório, ela pressentiu um perigo iminente e foi impelida a trancar a porta. Mas decidiu que se curvar ao medo não seria uma solução permanente. Ela deixou a porta aberta e esperou para enfrentar seu inimigo. O homem entrou no escritório, apontou um revólver para ela e foi recebido com esta resposta: “Você não pode atirar” (Yvonne Von Fettweis e Robert Werneck, Mary Baker Eddy, Christian Healer, Edição Amplificada, p. 301 [do livro Uma Vida Dedicada à Cura]). Ele baixou o braço impotente e foi embora. Sua má intenção foi instantaneamente desarmada. Eddy não ignorou o homem. Ela não fingiu que ele não existia. Enfrentou seu inimigo com absoluta confiança no poder do Amor para protegê-la, e o deteve. Ela tomou os passos certos e obteve a vitória do lado da justiça.

CONTINUA…