A ARCAICA ISCA DA MATERIALIDADE!

“Para os que se apoiam no Infinito Sustentador, o DIA DE HOJE está repleto de bênçãos”.

Mary Baker Eddy

Enquanto o “mundo do pai da mentira” continuar sendo aceito como realidade, a humanidade, mesmo estando vivendo mergulhada em Deus,  acreditará viver num universo material de crenças no bem e no mal.

“Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas as demais coisas vos serão dadas por acréscimo”, disse Jesus. Estava dizendo que A REALIDADE AUTOSSUPRIDA É ESPIRITUAL E DIVINA, enquanto sua “sombra material” é insubstancial , ilusória e vazia!

Logo no início do prefácio de seu livro Ciência e Saúde, Mary Baker Eddy diz:  “Para os que se apoiam no Infinito Sustentador, o DIA DE HOJE está repleto de bênçãos”. Com suas palavras, repete a instrução de Jesus, explicando que nossa visão precisa estar acima do que a suposta mente humana capta, para admitirmos “viver aqui e agora” no Reino de Deus, como FILHOS DE DEUS, transcendentes às “aparências visíveis enganadoras”, que são todas “imagens hipnóticas”, puríssimos “nadas”

“Tudo isso te darei, se prostrado me adorares”, disse Satanás, a mente carnal, a Jesus, apontando o “seu mundo”. E Jesus respondeu: “Está escrito: Somente adorarás o Senhor Teu Deus”!

Mas a humanidade continua “prostrada” diante de  “iscas materiais” de toda espécie, deixando de lado a Verdade, o Reino de Deus, e o Infinito Sustentador!

Somente aqueles que, com alegria,  rejeitarem TODAS AS ISCAS MATERIAIS, SE VERÃO APTOS PARA DESVENDAR OS OLHOS E

“CONTEMPLAR AS MARAVILHAS QUE DEUS FAZ”!

*

A CONSCIÊNCIA SE EXPRESSA COMO A NOSSA PERFEIÇÃO!

Quando Jesus diz para “sermos perfeitos como perfeito é o nosso Pai celestial”, está simplesmente nos ensinando a DESCONSIDERAR a ilusória “mente carnal” com suas falsas acusações e falsos “julgamentos segundo aparências”.

SOMOS PERFEITOS COMO O PAI CELESTIAL POR SER ELE A ÚNICA E REAL PRESENÇA DE CADA FILHO DE DEUS!

Também Paulo, quando  diz para “nos despojarmos do velho homem e seus feitos”, explica que devemos nos identificar com a Mente de Cristo, que é a Consciência iluminada de Deus evidenciada como NOSSA CONSCIÊNCIA ILUMINADA INDIVIDUAL!

Não há FILHO DE DEUS algum que tenha suposto “histórico terreno” de empenho pessoal no mundo. no sentido de “evoluir” ou de “se aperfeiçoar” paulatinamente através de “encarnações” e de          “reencarnações! Tais CRENÇAS DUALISTAS apenas negam que A ONISCIÊNCIA DIVINA SEJA ONIPRESENTE, por acreditarem no irreal “mundo do pai da mentira”!

“SOMOS LUZ DO MUNDO”, e não “trevas em busca de luz”!

O suposto “ser em evolução” jamais existiu, razão pela qual Jesus e Paulo afirnam que deve ele ser negado! E negado como IRREALIDADE, como  NADA!

Deus é TUDO e Se evidencia AQUI E AGORA como TUDO! Por isso, JÁ SOMOS PERFEITOS COMO PERFEITO É O NOSSO PAI CELESTIAL!

Não há a dualidade “Mente de Cristo e Perfeição! A própria Consciência divina ILUMINADA Se manifesta COMO  Perfeição, e isto perpetuamente!

Jamais a PERFEIÇÃO esteve existindo SEPARADA DA CONSCIÊNCIA ILUMINADA QUE SOMOS!

E perceber esta unidade é o sentido da frase de Jesus:

“SEDE PERFEITOS, ASSIM COMO PERFEITO É O VOSSO PAI CELESTIAL”!

*

UM DEUS QUE É INFINITO!

Não há como definir ou explicar Deus! É IMENSURÁVEL, É TUDO, É INFINITO! E É MAIS DO QUE QUALQUER PALAVRA POSSA SIGNIFICAR! Este conhecimento nos basta, desde que saibamos que SOMOS O QUE DEUS É! E este “saber” requer PLENA ENTREGA A DEUS como SENDO TUDO  – INCLUSIVE SENDO AQUELE QUE SOMOS!

Se não sabemos o que é DEUS, como poderemos saber QUEM SOMOS? Em primeiro lugar, teremos de rechaçar todas as mentiras, que não são DEUS, e que em nada se relacionem com Deus!

É este o ponto a ser observado: não podemos ser o que DEUS NÃO É!  Exemplificando, como DEUS É VIDA ETERNA, NÓS SOMOS VIDA ETERNA! COMO DEUS NÃO MUDA, O FILHO DE DEUS IGUALMENTE NÃO MUDA! Desse modo, vamos meditando e expulsando as arcaicas CRENÇAS FALSAS dissonantes de DEUS e do FILHO “UM COM DEUS” QUE SOMOS!

Nem Jesus conhecia DEUS EM SUA TOTALIDADE! Por isso, assim dizia: “Isto  não é dado ao FILHO conhecer, mas tão somente ao PAI.

BASTA-NOS SABER QUE SOMOS AQUILO QUE DEUS É, TUDO O QUE DEUS É, E SOMENTE O QUE DEUS É!

Aceitas estas Verdades, seja o que for que nos for necessário saber, nos será revelado! O que jamais deveremos fazer, é associar ao nosso nome “EU SOU”, alguma ideia negativa ou contrária à Verdade que DEUS É!

De nada nos valerá afirmar que SOMOS O QUE DEUS É, e depois afirmarmos ideias contrárias e negativas associando-as com o SER FILHO DE DEUS QUE SOMOS!

Não encontramos nas Escrituras Jesus fazendo identificação com “mundo de aparências” e suas CRENÇAS! Pelo contrário; via-se como LUZ DO MUNDO, exatamente como nos via a todos: “VÓS SOIS A LUZ DO MUNDO”!

“Aquele que me vê a mim, vê o Pai”, disse ele, a fim de que  seguíssemos o seu exemplo!

Ao “colocarmos no Alto” a NOSSA LUZ, estaremos “conhecendo a Verdade”, e nos livrando do ilusório “cativeiro material”!

*

TRABALHE PRIMEIRO POR SI MESMO!

É conhecida a declaração:“Amai ao próximo como a si mesmo”! Para ser seguida, cada um deve primeiramente se concentrar EM SI MESMO, a ponto de  se sentir exalando a Verdade divina pelos poros

Que é “trabalhar por si mesmo”? Significa extrair ou manifestar o CRISTO feito por Deus para ser o Filho que somos!

Aquele que abandonar o hábito nocivo de “julgar o próximo segundo as aparências”, poderá constatar a presença de tempo disponível suficiente para “trabalhar por si mesmo”.

A Bíblia diz: “Quem crê no Filho, tem EM SI MESMO o testemunho”! “Amar ao próximo como a si mesmo” é termos a percepção de que SOMOS TODOS UM, SENDO QUE ESTE UM É DEUS, MANIFESTO COMO O FILHO QUE SOMOS!

Há, em todo FILHO DE DEUS, a Sabedoria infinita de Deus! Sendo reconhecida com seriedade, assiduidade ou constância, fazemos com que desapareçam as obras e tendências inferiores que, como crenças equivocadas, se faziam presentes como “nossos pensamentos”.

Como FILHO DE DEUS você traz em SI MESMO todas as qualidades de Deus! A cada dia, escolha algumas delas para reconhecê-las como JÁ ESTANDO PRESENTES como seu próprio ser. E então, reconheça-as em seu próximo, ciente de que O CRISTO É TUDO EM TODOS!

“Amar ao próximo como a SI MESMO é reconhecer SER UM COM DEUS E COM TODOS OS DEMAIS! Desse modo, ficará abolido o “juízo segundo as aparências”, e você se verá “praticando o juízo justo”! 

*

O “DEIXAR FLUIR” SEGUNDO A JUSTIÇA DIVINA!

Se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo algum entrareis no Reino dos Céus.”

Mateus, 5.20

Quando o ensinamento absoluto nos diz: “DEIXE FLUIR”, entender que a frase quer dizer para não tomarmos partido em coisa alguma, a terá entendido erroneamente.

Conversando  com um evangélico sobre uma questão a ser discutida, disse-me ele: “É só deixar fluir, que tudo vai se ajustando segundo o merecimento de cada um!” Disse a ele: “Entender isso, mas excluindo o nosso papel e participação na questão, não foi como Jesus “deixava fluir”. Suas atitudes eram um “deixar fluir”  sem que ficasse acomodado e omisso, só “deixando fluir” a “justiça dos escribas e fariseus!”.

Tudo que flui pela justiça dos homens atesta a “lei do retorno”, que é “Lei divina”, – disse-me ele – com cada um  recebendo as coisas segundo o “seu merecimento”!

Respondi: “Se você assim acredita, então cada político corrupto, que é posto solto pela justiça do mundo, seria merecedor da liberdade”!

Por desconhecer o enfoque absoluto, o evangélico entende que a suposta “Lei de retorno” é divina. “DEIXAR FLUIR” PARA ELE,  SERIA APENAS “DEIXARMOS TUDO NAS MÃOS DE DEUS!”.

Disse a ele: Jesus, com chibatadas,  expulsou os vendilhões do templo! Não “deixou  fluir” sem que tomasse  qualquer atitude!

O enfoque absoluto, ao dizer: “DEIXE FLUIR”, requer que primeiro nos vejamos na ONIAÇÃO divina, na Unidade Perfeita! E então, em nosso suposto dia a dia, “agiremos pelo não agir”, para que a “sombra fenomênica” se projete condizente com a Realidade espiritual consumada, perfeita e permanente! 

*

“ABRA-SE À PERCEPÇÃO DO INFINITO REINO DE DEUS!”

Estar centrado “EM SI MESMO” significa cada um “estar em Mim”, que é onde Deus Se revela como o Filho que todos somos! Nossa aceitação de “estar em Mim” faz com que sintamos a Onipresença divina reconhecendo que sempre “pisamos em solo sagrado”, mal interpretado como “solo material” pela “mente em ilusão”.

Para viver “centrado em Mim”, basta entendermos o suposto “mundo fenomênico” como semelhante à “imagem refletida num espelho”. Aparenta ter ela “tudo” que o espelho nos mostra, muito embora não tenha nada além de uma “imagem sem vida, sem realidade e sem substância”!

Deixar de “se ver no mundo de aparêncxias” equipara-se àquele que, diante do espelho, reconhece a si mesmo como realidade  fora de sua imagem nele refletida! Por isso, o suposto mundo material é chamado de “mundo de aparências”, pois é simples sequência” de “imagens mortas” que são aceitas como realidades!

Não há “Mente divina” e “mente em ilusão”! Quando toda a atenção é dirigida ao EU SOU, vemo-nos centrados EM MIM, e “vivenciamos o FATO PERMANENTE de “estarmos na Unidade Perfeita”, que se estende ao Infinito – SEM IMAGENS ENGANADORAS que fossem “reflexos” ou “sombras” ilusórias! O “EU SOU” QUE SOMOS, É A ONIPRESENÇA DIVINA INFINITA! Estando EM “MIM”, reconheceremos  ESTAR NO INFINITO, NA REALIDADE DIVINA SEM ILUSÃO E SEM DUALIDADE QUE NOS ATRAÍSSE A ATENÇÃO!

É nesse AGORA CONTEMPLATIVO que nos entendemos SER O CRISTO, O FILHO DO DEUS VIVO, SENDO, SIMULTANEAMENTE, “UM COM O PAI CELESTIAL”!

*

O CORDEIRO DE DEUS DESTRÓI O MAGNETISMO ANIMAL – 2

– 2 –

Jesus estava sempre consciente da falta de base de qualquer argumento da crença mortal. Sabia muito bem que o mal nunca é uma entidade; é apenas uma negação. Uma negação não pode tomar a iniciativa. Só pode parecer inverter a realidade do bem. Por isso, o magnetismo animal é sempre o inverso do bem existente e real e é assim que devemos mantê-lo: já tragado pela ação ininterrupta de Deus, através de Seu Cristo.

Em sua luta contra o diabo no deserto, Jesus rejeitou a sugestão do magnetismo animal de que o sonho do sentido mortal fosse real. Disse:“Retira-te, Satanás”. Sua inocência espiritual, sua devoção ao Cristo, não deixaram espaço para a animalidade, o orgulho ou a negligência, que o tornariam vulnerável às imposições do dragão. Jesus nos deu a preparação específica necessária para destruir o dragão, quando disse a Satanás: “Está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele darás culto”. O Cordeiro de Deus requer que adoremos e sirvamos a Deus com a inspiração da santidade.

O Cordeiro de Deus, agindo em nós, atinge o alvo: o pecado da adoração mundana, e o derruba de sua aparente entronização no pensamento. O poder e a presença do próprio Deus sustentam o Cordeiro e, por conseguinte, a oração genuína alcançará o erro básico em toda situação, naquilo que parece ser e no que alega fazer – nada mais do que uma farsa ridícula. Então, regozijar-nos-emos insensatamente, quando a carnalidade da besta for rechaçada pela inocência de nossa verdadeira natureza dada por Deus. O que procurou subverter o bem naquilo que é semelhante ao Cristo pode ser visto em sua estupidez negativa, e a harmonia universal do Cordeiro do Amor reinará.

Quando as qualidades do Cordeiro de Deus ficam estabelecidas no pensamento, já temos os ingredientes neutralizadores para obter a vitória sobre qualquer mentira agressiva. Quando incorporamos a ideia do Amor divino como o nosso ideal, em nossas relações com outros, não podemos prejudicá-los nem ficamos ao alcance da maldade mortal. A doença desaparece ante o pensamento que não se deixa mesmerizar pelas aparências materiais. Tal pensamento, calmamente controlado pela inocência que é dada por Deus e é tudo o que Ele conhece, brande a espada do espírito da Verdade sempre que há receptividade, banindo a crença na moléstia. Na ideia perfeita do Amor, não há medo e nada que possa engendrá-lo ou responder-lhe.

Saber que o homem está envolvido pelo Amor do Pai-Mãe nos torna corajosos e mantém-nos livres. E esse conhecimento é nossa única mentalidade real. Não traz indiferença à angústia do sofredor, mas seu oposto: compaixão que cura, pois reconhece na saúde o único efeito da Mente divina.

O que o Cordeiro pode fazer no clima aparentemente desarmonioso e sombrio do mundo de hoje? Pode despertar, e eventualmente despertará, cada indivíduo do sonho mortal de haver uma mente má – de haver na matéria poder para degradar, para acusar o inocente e exaltar o culpado, para seduzir o imprudente e roubar o pobre. Tudo o que é desprezível e corrupto tem de, por fim, fracassar. A fúria do magnetismo animal parece estar à solta em seu ódio contra tudo o que é bom; mas, espere-se um momento, ele não é real! A Ciência ajuda cada um de nós a demonstrar a consciência crística, o pensamento verdadeiro, ajuda-nos a não sermos nunca enganados pelo dragão que se propõe a fazer parecer real o que nunca foi real.

A matéria, o conceito errôneo do magnetismo animal sobre a realidade, é apenas a crença numa suposição impossível de que o Espírito infinito, a Vida real, a substância e a inteligência reais estejam ausentes. Assim podemos estar certos de que ele não exerce nem tem influência, seja como idolatria, imoralidade, infidelidade, seja como oportunismo cínico. A devoção ao Cordeiro nos manterá despertos para a verdade pela qual ajudamos a curar situações mundiais, ao invés de ficarmos perturbados por elas ou indiferentes a elas. O Cristo está em toda parte, a todo instante, e nosso conhecimento correto conta com sua força em favor de todo ponto de perturbação no mundo.

Há diferença entre ir ao encontro da besta assassina do Apocalipse no próprio nível dela e entre anulá-la desde a posição superior de se refletir a inocência do Cordeiro. As seguintes palavras de Ciência e Saúde são relevantes: “Cordeiro de Deus. A ideia espiritual do Amor; imolação de si mesmo, inocência e pureza, sacrifício”. Conhecer conscientemente o bem e estar firmemente convicto de que não há outra realidade a ser conhecida, permite-nos manter o pensamento livre de ser hipnotizado pelo magnetismo animal. E, ao progredirmos espiritualmente, aprendemos a permanecer cada vez mais no estado espiritual do ser, onde nossos pensamentos e vidas são uma transparência para o Cordeiro de Deus. Então, o extermínio do dragão tornar-se-á mais espontâneo.

Continua na próxima segunda-feira

 

 

 

 

 

 

 

O MOLDE PERFEITO E SEU FILHO MOLDADO PERFEITO!

Quem já esteve numa fábrica de embalagens plásticas, já deve ter visto que cada tipo delas é fruto de seu respectivo molde.

Quando estudamos as Escrituras, ficamos sabendo que SOMOS PRODUTOS MOLDADOS  “EM DEUS” E COM O VERBO DE DEUS, razão pela qual a Bíblia diz que SOMOS FILHOS DE DEUS, seres “à imagem e semelhança do Criador”.

Assim como uma “embalagem soprada perfeita”, numa indústria, pode “projetar uma sombra” distorcida e alterada em sua projeção visível no mundo, O FILHO DE DEUS pode também “ser visto” projetado “imperfeito”,  como “sombra” ou  “aparência visível”, no “mundo do pai da mentira”. Por que o mundo foi assim chamado por Jesus? POR SER UM MUNDO DE SOMBRAS, SEM DEUS, SEM VIDA E SEM REALIDADE!

De nada adiantaria ficar alguém a investigar os “comos” e os “porquês” de poderem “ser vistas” tantas imagens de imperfeição! DE NADA ADIANTARIA!

O QUE TERÁ VALOR, SERÁ “NOS DESLOCARMOS DAS SOMBRAS”, RADICALMENTE, PARA UNICAMENTE NOS DETERMOS NAS “REALIDADES REAIS”, MOLDADAS COM O VERBO DE DEUS, E QUE JAMAIS PODEM SER ALTERADAS!

Deus, com o SEU VERBO, emana todas as FORMAS ETERNAS E PERFEITAS, que ”duram eternamente”!

Nesse caso, se alguém estiver se olhando em sua “sombra fenomênica”, caso ela esteja “imperfeita e distorcida”,  a ele bastará DESVIAR-SE COMPLETAMENTE DA “SOMBRA” PARA RECONHECER O QUE REALMENTE É ETERNAMENTE VERDADEIRO:

O MOLDE DIVINO DE FILHO DE DEUS, DE SI MESMO,  SENDO O “FILHO PERFEITO” POR ELE “MOLDADO”!

Este é o sentido absoluto da Parábola do Filho Pródigo, em que ele deixa de lado sua aparente e precária situação em “terra distante”, e se decide por “voltar à casa do pai”!

*

A DESCOBERTA DA CIÊNCIA CRISTÃ!

Diante do aparente “paralítico” desejoso de ser “curado”, disse-lhe Jesus: “Levanta-te, toma teu leito, e anda!” E foi o que aconteceu!

Esta passagem bíblica foi a responsável pelo surgimento  da Ciência Cristã. Mary Baker Eddy havia sofrido uma queda, ficado gravemente ferida, e estava sendo visitada por um pastor e um médico. Estando acamada, tomou a Bíblia em mãos e, abrindo-a ao acaso, encontrou esta passagem da aparente “cura do paralítico”. Na mesma hora, viu todos os sintomas decorrentes do acidente desaparecerem como por encanto. Posteriormente, com a chegada do pastor e do médico, ela relatou

a eles que “estava curada”, mas não acreditaram. Talvez achassem que ela tivesse tido uma alucinação.

Com a descrença deles, ela voltou a perceber os sintomas de novo. Abriu a Bíblia novamenre, na mesma passagem, e com a nova leitura os sintomas desapareceram novamente. Foi quando ela se propôs a estudar as Escrituras para compreender de que maneira se davam as “curas de Jesus”.

Após compreender o processo, fundou a Ciência Cristã a fim de transmitir à humanidade os “princípios da cura metafísica”.

Saber os princípios implica o principal, que é “serem treinados, para serem postos radicalmente na vida prática”.

Jesus, ao afirmar: “O Pai em mim faz as obras”, ressaltava sua fé na ONIAÇÃO PERFEITA E ONIPRESENTE DE DEUS. Sabia que DEUS É TUDO, e que os supostos “males” eram O ERRO, isto é, UMA VISÃO INCORRETA DOS FATOS VERDADEIROS, PERFEITOS E SEMPRE PRESENTES!

“Não podeis SERVIR A DOIS SENHORES”, dizia Jesus! Deixava bem claro que SOMENTE O QUE DEUS FAZ É REALIDADE, enquanto “servir a dois senhores” seria NEGAR QUE DEUS É PERFEIÇÃO ETERNA, ONIPRESENÇA JAMAIS AFETADA PELO “ERRO”.

Basicamente, é esta a  CIÊNCIA DO CRISTO, descoberta e difundida por Mary Baker Eddy! E como dizia Jesus, requer apenas SER PRATICADA, COM RADICALISMO“CORAÇÃO DE CRIANÇA”! 

*

VOCÊ, VISTO COMO PROJETO DIVINO DE PERFEIÇÃO ETERNA!

Ao declarar que TODA A REALIDADE é feita do VERBO DIVINO, João ENDOSSA Jesus, quando revelou que “DESTE MUNDO DE APARÊNCIAS NÃO SOMOS”! As supostas “formas visíveis” são meras “imagens hipnóticas”, sem substância e sem respaldo divino! DE FATO, É VERDADEIRAMENTE UM  “MUNDO DO PAI DA MENTIRA”!

Com estes elementos, ficamos aptos a defender a VERDADE QUE SOMOS e aptos a NEGAR AS MENTIRAS QUE JAMAIS FOMOS!

O Verbo divino mantém, como FILHO DE DEUS, o Cristo iluminado, espiritual e perfeito que somos, “desde o princípio!

“O Cristo é TUDO em todos”, disse Paulo, para nos propiciar um consciente ABANDONO de “algo além de Deus” Se expressando como o Ser que se evidencia como cada FILHO DE DEUS! 

O CRISTO É A TOTALIDADE DE CADA FILHO, SEMPRE NA UNIDADE COM O PAI E SEMPRE ATIVO SEGUNDO A VONTADE DO PAI.

Há ensinamentos que levam em conta que “O CRISTO” É QUEM NOS INSPIRA NO SENTIDO DE “SERMOS GUIADOS POR DEUS” NAS SUPOSTAS REALIZAÇÕES TERRENAS! POR ISSO, é vital que nos identifiquemos com a TOTALIDADE DO CRISTO QUE SOMOS, por ser esta a Verdade Absoluta!

Tenha por princípio ser O FILHO QUE FAZ A VONTADE DO PAI! Para isso, medite e contemple o FATO de que JÁ ESTÁ SENDO O PROJETO ESPECÍFICO DE SER O CRISTO  QUE VOCÊ É, UM COM O PAI, UM COM A VONTADE DO PAI E UM COM O VERBO DO PAI!

Desse modo, não entrará em pauta “mortal nenhum”, pois SUA VIDA SERÁ O CRISTO, E TUDO QUE FIZER SERÁ COM O SEU CONHECIMENTO DE QUE “O PAI EM MIM FAZ AS OBRAS”, COMO DIZIA JESUS! E TUDO SE REVELARÁ ESTANDO EM DIVINA ORDEM!

*

“VINDE A MIM – E ACHAREIS REPOUSO PARA VÓS MESMOS!”

Também no Evangelho de Tomé, Jesus aparece repetindo seu iluminado convite: “Vinde a Mim, porque o meu jugo é suave e o meu domínio é agradável – e achareis repouso para vós mesmos”.

“Já conheço este chamado”, poderia alguém dizer! Talvez já o tivesse ouvido até por várias vezes! Foi declarado pelos antigos profetas, por Krishna, Buda, Jesus, e repetido por muitos instrutores e autores de ensinamentos espirituais! Por isso, a suposta “mente humana” já se arvora em se julgar “ conhecedora”! Entretanto, para ATENDER AO CONVITE, esta “mente em ilusão” terá de ser substituída pela “Mente que há em Mim”, que é a Mente de Cristo SEM ILUSÃO!

Jesus ainda complementou o chamado, assim dizendo: “Aquele que PERMANECER EM MIM, dará frutos”! Deixava claro que “conhecer realmente o chamado” seria nossa “PERMANÊNCIA EM MIM”, e não “alguém apenas ter ouvido falar a esse respeito”.

Na verdade, NOSSA “PERMANÊNCIA EM MIM” É FATO CONSUMADO! DEUS É TUDO, E, PORTANTO, “ESTAR FORA DE MIM” APENAS SERIA ALGUÉM ENDOSSAR A CRENÇA ILUSÓRIA!

“O meu jugo é suave e o meu domínio é agradável”, disse Jesus. Explicava que o necessário não seria, de fato, cada um “IR A MIM”, mas sim, perceber JÁ ESTAR EM MIM, CIENTE DE QUE esta condição é FATO CONSUMADO, PERMANENTE E INVIOLÁVEL DA EXISTÊNCIA!

Fazendo uma analogia, seria alguém “ir a seu quarto”, já estando nele, enquanto SONHAVA estar abandonado numa ilha distante! A suposta “vida fora de Mim” não passa de ILUSÃO!

O que DEUS FAZ dura perpetuamente, diz a Bíblia! Que eram as chamadas “curas realizadas por Jesus”? Respondeu ele: “O PAI EM MIM FAZ AS OBRAS”! Que eram os paralíticos, cegos, surdos e enfermos, a adúltera, ou a mulher hemorrágica, que se mostravam “curados por ele”? ERAM DEUS SE EXPRESSANDO COMO UNIDADE PERFEITA, E, SENDO ASSIM VISTOS PELA “MENTE DE CRISTO” EM JESUS!

Jesus se preparou para “PERMANECER EM MIM” e para ENTENDER QUE “A UNIDADE PERFEITA” É PERCEBIDA PELO NOSSO ENTENDIMENTO DE QUE “SOMENTE EXISTE DEUS E AS OBRAS DE DEUS”!

Por isso, somente “permanecendo em Mim”, “acharemos repouso para nós mesmos”, pois estaremos sendo o que DEUS É, QUANDO EXPRESSO COMO O CRISTO QUE TODOS AGORA SOMOS! 

*

DEUS SE AUTORREALIZA COMO O CRISTO QUE VOCÊ É!

Quando Jesus diz para “buscarmos em primeiro lugar o Reino de Deus”, deixa implícito o Fato de que “este mundo” é pura ilusão enganadora! O REINO É UMA OBRA-PRIMA ACABADA, PERFEITA E PERMANENTE,  e quando  NELE nos posicionamos, somos FILHOS E HERDEIROS DE DEUS!

Um herdeiro é aquele que ENTENDE JÁ CREDITADO EM SEU NOME tudo aquilo do que se compõe a sua herança! Este fato precisa ser reconhecido como JÁ EVIDENCIADO, pois Jesus disse que AO NOSSO PAI INFINITO,  MUITO SE AGRADOU EM DAR-NOS O SEU REINO! Por isso, é fundamental que NOS IDENTIFIQUEMOS COMO O FILHO QUE DEUS RECONHECE! ALGUM CARNAL? NÃO! DEUS NOS RECONHECE COMO O SEU ESPÍRITO, COMO ALGUÉM DE SUA PRÓPRIA NATUREZA!

“Este é o MEU FILHO AMADO EM QUEM ME COMPRAZO” – ouviu Jesus! SÓ JESUS? NÃO! A REVELAÇÃO PARA UM É IDÊNTICA PARA TODOS! Mas se apenas UM se reconhecer como FILHO DE DEUS, enquanto a maioria se reconhecer como “filho da carne”, não ouvirá a mesma REVELAÇÃO DIVINA, também sendo dirigida a ele!

ABRA OS OLHOS ESPIRITUAIS, E “OUÇA A VOZ DE DEUS” SENDO DIRIGIDA A VOCÊ!

SINTA-SE ILUMINADO E GLORIFICADO POR DEUS, E GANHADOR DO REINO INFINITO DA VERDADE!

Ao Pai, interessa que O adorem em ESPÍRITO E EM VERDADE! Dedique-se a “permanecer em MIM”, na Unidade Perfeita, e sinta a alegria de ser O CRISTO! UMA AUTORREALIZAÇÃO DE DEUS EM EXPRESSÃO INDIVIDUAL, APARECENDO COMO FILHO E HERDEIRO AMADO PELO PAI – AQUELE EM QUEM O PAI SE COMPRAZ COM A SUA EXISTÊNCIA ETERNA!

*

A FÉ NA CERTEZA ABSOLUTA DE QUE A PERFEIÇÃO É TUDO!

O atalho para a vida plena está em nossa admissão e inclusão na Verdade de que DEUS, A PERFEIÇÃO, É TUDO. Ao revelar que “EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA”, Jesus falava do “EU SOU” PERFEITO E INFINITO”, DO DEUS ÚNICO SENDO TUDO E SENDO TODOS!

A Verdade está na “transcendência” do suposto “mundo de aparências”, em que um “vapor”  aparenta ocultar o que é Realidade, Eternidade.e Permanente Perfeição!

“Sede PERFEITOS”, disse Jesus, “assim como PERFEITO É O VOSSO PAI CELESRIAL”! Esta instrução é imperativa, e apenas requer, de cada um de nós, A FÉ NA CERTEZA DE QUE DEUS É TUDO! Na certeza de que A PERFEIÇÃO É TUDO!

O real Cristianismo se reduz a rechaçarmos as “aparências” como “ausências aparentes” da PERFEIÇÃO TOTAL ILUMINADA do Universo infinito Se expressando em Sua PERFEIÇÃO ONIPRESENTE E INFINITA!

Medite e isole-se por completo das “aparências”, sejam boas ou más! SÃO EMBUSTES HIPNÓTICOS, E NADA MAIS!

Afirme estar vivendo na UNIDADE PERFEITA e não em “mundo de aparências”!  Seja firme em não ceder às crenças ilusórias do mundo! PERMANEÇA “EM MIM”, NO “EU SOU” QUE VOCÊ É, E QUE TODOS SÃO! A PERFEIÇÃO É ONIPRESENÇA INCÓLUME! JAMAIS É AFETADA POR CRENÇAS “DESTE MUNDO”!

Ao afirmar e contemplar SUA PERFEIÇÃO PERENE NA UNIDADE PERFEITA, VOCÊ ATENDE À INSTRUÇÃO DE JESUS E CUMPRE O QUE ELE DISSE EM SUA  PRÓPRIA ORAÇÃO:

“ORO PARA QUE TODOS SEJAM UM, ASSIM COMO NÓS, Ó PAI, SOMOS UM, PERFEITOS NA UNIDADE!” 

*

O CORDEIRO DE DEUS DESTRÓI O MAGNETISMO ANIMAL – 1

Este artigo, de Freda S. Benson. é um dos melhores que conheci da Ciência Cristã, e pude escrever três séries diferentes de comentários sobre o seu conteúdo. Que cada leitor possa aproveitar ao máximo cada uma de suas linhas, pois, de fato, elas trazem detalhes fundamentais àqueles que desejam ir a fundo no desmantelamento da ilusão.

– 1 –

Na Ciência divina, não temos motivos para temer o magnetismo animal. Em nenhum momento e em nenhum lugar, jamais foi real, poderoso ou substancial. Alguém, talvez, tenha-lhe dito: “Você tem de trabalhar. Tem de negar o magnetismo animal.” Isso o preocupou? Sim, temos trabalho a fazer. Precisamos enxergar através das imposições do erro e provar que são irreais. Isso, às vezes, requer muito trabalho.

Não há, porém, nenhuma razão verdadeira para nos alarmarmos, porque, do ponto de vista do raciocínio sadio da Ciência Cristã, o magnetismo animal não pode ser nada mais que o erro ou mente mortal. Na supremacia do Espírito que tudo permeia, nada dessemelhante do bem espiritual está presente nem em ação. A totalidade absoluta de Deus torna impossível que qualquer ação ou presença opostas – de substância material, inteligência demoníaca ou vida mortal – sejam verdadeiras.

O magnetismo animal, então, é apenas uma crença, um estado ilusório do pensamento. Efetivamente, há só uma consciência, a Mente divina ininterrupta e livre, que é Espírito. E o homem espiritual, a verdadeira individualidade de cada um de nós, é o reflexo dessa Mente para sempre consciente. Portanto, herda só as qualidades de seu Criador eterno, o único Deus, o bem.

Ora, se assim é, por que a Ciência Cristã nos diz que temos de tratar o magnetismo animal como algo a ser destruído? Por que não nos detemos, simplesmente, nos bons pensamentos? Esse modo de ver é falaz, porque o magnetismo animal parece ser um poder ao nosso sentido atual das coisas, e nos busca impedir de estar conscientes só do bem. Essa ação magnética, agindo sobre a natureza animal e por meio dela, pretenderia substituir nossa mentalidade verdadeira que reflete Deus, pela sugestão hipnótica de haver outra mentalidade: fraca, voluntariosa, desobediente, sensual e, consequentemente, suscetível às mentiras do erro. Esta ação magnética pretenderia atrelar sua natureza animal a nós, identificando a matéria como sendo nossa substância e o medo como sendo nossa atitude.

Temos de adaptar nosso modo de pensar à realidade divina do bem sem fim e recusar sermos enganados por falsas sugestões. Contudo, não conseguiremos nada, se perpetuarmos o magnetismo animal desde o ponto de vista de sua própria autoavaliação. Nossa base para enfrentar o mal deve ser a infinidade da única Mente onipotente e a consequente nulidade de toda alegação de uma mentalidade falsa.

 Sim, precisamos defender nosso pensamento das imposições mesméricas do magnetismo animal, sempre, porém, com a arma da certeza da totalidade do bem divino. Seguimos adiante com confiança, não com medo. É importante manter em pensamento o fato de que não há mal real, não há verdadeiro magnetismo animal, há apenas uma crença nele, a ser destruída.

 Na Bíblia, o mal recebeu vários nomes diferentes: serpente falante que engana e desmoraliza, “Satanás”, “diabo”, “Belzebu”, e, finalmente, “grande dragão vermelho” – o mal pronto para destruir-se a si mesmo. As narrativas bíblicas descrevem o triunfo do bem sobre o mal e a virtude daqueles que, com a ajuda de Deus, o conseguiram vencer. Os nomes dados ao mal indicam sua natureza lendária, uma ficção a ilustrar uma lição moral.

 Jesus demonstrou o Cristo, ao vencer o mal. Em Ciência e Saúde, a Sra. Eddy diz: “O autor do Apocalipse se refere a Jesus como o Cordeiro de Deus, e ao dragão como o que guerreia contra a inocência.” A Sra. Eddy também escreve: “contra o Amor, o dragão não luta por muito tempo, pois o dragão é morto pelo princípio divino. A Verdade e o Amor prevalecem sobre o dragão, porque o dragão não os pode guerrear.” O autor do Apocalipse também mostra como enfrentar e vencer a soma total da maldade: “Então ouvi grande voz do céu, proclamando: Agora veio a salvação, o poder, o reino do nosso Deus e a autoridade do seu Cristo, pois foi expulso o acusador de nossos irmãos, o mesmo que os acusa de dia, e de noite, diante de nosso Deus. Eles, pois, o venceram por causa do sangue do Cordeiro” significa o sacrifício indispensável de um falso sentido do eu, a fim de despertarmos para a realidade. “Em face da morte, não amaram a própria vida” pode significar uma dedicação total ao nosso estado espiritual, imortal, e real, enquanto passo a passo renunciamos ao eu aparentemente mortal e material em troca do reflexo divino.

Os requisitos para a vitória sobre o magnetismo animal apresentados nesse trecho do Apocalipse nos alertam para a diferença que há entre a oração perfunctória (ritual de palavra) e o espírito do Cordeiro, que cura. Redenção individual, ao invés de mera repetição de palavras, é o que destrói a crença nas mentiras do magnetismo animal. Tais mentiras nunca foram reais, mas nossa crença nelas precisa ser extirpada. Um esforço obstinado de mudar o pensamento por presumirmos que vivemos aquilo que pensamos – apoiarmo-nos num tipo de profecia autorrealizadora – é fútil e não é redenção real, pois falta-lhe a inocência do Cordeiro.

 No seu Sermão do Monte, o Mestre, Cristo Jesus, apresenta os requisitos para a oração curativa eficaz. Nossa motivação para amar, obedecer e abençoar tem de ser profunda. De fato, vivemos o bem que conhecemos, quando nossos pensamentos provêm de uma humilde sujeição à onisciência de Deus e à realidade daquilo que Deus conhece. Mantemo-nos despertos para a realidade quando aderimos persistentemente à verdade e, assim, podemos ajudar outros a despertarem também.

O Cordeiro age quando temos desejos puros de glorificar a Deus e elevamos os conceitos que entretemos a respeito de nosso próximo, ao sermos receptivos sem restrições à orientação da luz da Verdade; ao confiarmos implicitamente na onipotência da vontade divina de prevalecer sobre toda forma de mal.

Esses estados de pensamento são algumas das evidências da ação do

Cordeiro no pensamento consciente.

 

continua na próxima segunda-feira

SOMENTE DEUS ESTÁ AÍ, AQUI, E EM TODA PARTE!

Levar alguém a parar de confundir “transcendência” com “ausência” é um dos propósitos fundamentais do “conhecimento da Verdade”; e isto, apesar de ser  tão óbvio, precisa “ser cantado”, como se deu com o nevoeiro de Londres, que só foi reconhecido depois que “um poeta o cantou”, como citou Masaharu Taniguchi numa de suas obras.

DEUS É TUDO! Transcendental e invisível para os cegos “sentidos mortais”. Por isso, esta “cegueira” é “cantada” por diversas vezes nas Escrituras, objetivando que DEUS tenha Sua Onipresença RECONHECIDA, ACEITA E VIVENCIADA!

Se formos visitar alguém num hospital ou num presídio, assim “cantou Jesus”: “A MIM ESTAREIS VISITANDO!”  E este “MIM” deve ser entendido como “UNIDADE PERFEITA”!

Se trocarmos toda a “aparência ilusória” pelo Fato verdadeiro, UNICAMENTE A ONIPRESENÇA DIVINA será reconhecida! DEUS “SE TORNARÁ” A ÚNICA PRESENÇA, PODER E EVIDÊNCIA, sem que NADA ALÉM DE DEUS possa  haver para dividir nossa atenção! Por isso, assim disse Jesus: “Eu vim para juízo, a fim de que os que veem sejam cegos e os que não veem vejam”!

Sem acreditar na Onipresença por endossar a “aparência”, a fala de Jesus perderia todo o seu sentido e valor! Um ateu agiria assim!

A prática deve ser total, com o suposto “mundo material” sendo varrido de “percepção”, e sendo substituído pela PERCEPÇÃO DA TOTALIDADE DE DEUS. PRESENTE COMO TODOS E COMO TUDO, demonstrando ser verdadeira a frase de Paulo:

“EM DEUS VIVEMOS, NOS MOVEMOS E TEMOS O NOSSO SER!”

*

QUE SIGNIFICA “VIVER PELA GRAÇA”?

Quando Jesus afirmou “ter vindo para que tenhamos vida, e vida com abundância”, estava se referindo ao Cristo que somos, que é a Vida de Deus Se expressando como cada Filho! Por isso a Bíblia diz que “a lei foi dada por Moisés, e a Graça e a Verdade vieram por Jesus Cristo”.

Como sabemos, “Jesus Cristo está em nós” (2 Cor. 13: 5). E Jesus disse que, “desde o princípio”, estivemos sendo esse Cristo, faltando-nos unicamente reconhecê-lo em nós próprios e também em todos os demais!

“O Cristo é TUDO em TODOS”, frisou Paulo, após ter conhecido o Cristo de si próprio!

Quando reconhecemos a Verdade de que VIVEMOS NUMA UNIDADE DIVINA PERFEITA, os supostos “modos de pensar pessoais” ficam

rendidos naturalmente à Vontade do Pai! É esta a VIDA PELA GRAÇA, em que honramos a nós mesmos, e ao próximo, como “honramos o Pai”! São descartados  os ilusórios “julgamentos pelas aparências”, com que nos acusávamos, e com que também acusávamos o próximo, como se fossem verdadeiros os seus diferentes “modos de pensar”, mas que eram tão somente ilusões sugeridas pela  “mente carnal”.

Na Unity é contada a seguinte história: Um mestre anunciara a seus discípulos que “DEUS É TUDO”; um deles, aceitando o ensinamento, e saindo às ruas, escutou um guia, montado num elefante descontrolado, assim gritando: “Saia da frente! O animal está fora de controle!”. O discípulo, acreditando que DEUS È TUDO, não tomou o cuidado necessário, e acabou ficando machucado pelo elefante enraivecido.  Algum tempo depois, voltou ao mestre para reclamar com ele pelo fato acontecido. Ouvindo o caso, o mestre disse a ele: “Não sabia que DEUS É TUDO? Por que não obedeceu à VOZ DE DEUS a gritar-lhe “Cuidado! Saia da frente!?”

A Vida pela Graça é vivida na compreensão de que TUDO É UM, e SOMOS ESTE UM! Na suposta “vida fenomênica”, se reconhecermos a REALIDADE COMO UMA, teremos a “sombra uma” aparecendo como suposta “vida humana”, até que a dualidade seja extinta por todos, e a VIDA DE DEUS SEJA RECONHECIDA COMO O CRISTO VIVENDO COMO TODOS!

*

DEUS É A NOSSA ESSÊNCIA- 2

2

A Essência divina, sendo Onipresença, não se expressa apenas em supostos “mensageiros da Verdade”! Pelo contrário, os mensageiros atestam que SOMOS TODOS UM, SENDO DEUSES NUMA UNIDADE PERFEITA!

O mundo se mostra convencido da mentira a ele passada, quando religiões e denominações colocaram “no Alto”  apenas os mensageiros, deixando “no baixo” a humanidade toda! QUISERAM PREGAR SUAS “DOUTRINAS VÁRIAS E ESTRANHAS” SEM ENFATIZAR A Verdade de que JÁ SOMOS TODOS A PRESENÇA DE DEUS EM PURA E PERFEITA EXPRESSÃO INDIVIDUAL.

Somos unicamente a Essência divina Se evidenciando! E quando isto é declarado, muitos costumam dizer que devíamos passar a Verdade “por etapas”! Esta é a “voz do erro” lutando para se manter! A Verdade simplesmente É! Podemos imaginar o que diria um professor de matemática, caso um aluno lhe dissesse: “Mestre, essa questão de  confusa! Não poderia me ensiná-la por etapas?” NÃO! NÃO PODERIA! O aluno terá de aceitá-la como a Verdade que universalmente JÁ É!

A Essência divina requer ser PERCEBIDA como MANIFESTAÇÃO GLOBAL, E NÃO SIMPLESMENTE INDIVIDUAL! Por isso Jesus rejeitou ser rotulado de “bom mestre”, dizendo que “BOM SÓ HÁ UM, QUE É DEUS”!

A percepção da “Universalidade da Verdade” é libertadora. Mas enquanto o “EU SOU”, como O TODO, não for RECONHECIDO por todos, a irreal DUALIDADE parecerá existir!

Uma vez compreendido que DEUS É A ESSÊNCIA DE TODOS, desaparecerá o apego a pessoas ou condições. O TODO ILUMINADO SERÁ RECONHECDO, E, O MELHOR, RECONHECIDO COMO NOSSA PRÓPRIA CONSCIÊNCIA! E este é o sentido de “O REINO DE DEUS ESTAR DENTRO DE VÓS”!

Uma “troca de referencial” nos será requerida, para que nos desliguemos das “aparências” e nos fixemos à nossa Essência. Será quando repetiremos a fala de Jesus: “AQUELE QUE ME VÊ A MIM, VÊ O PAI”.

O estudo se resume nesta tomada de posição transcendental.

M arie S. Watts assim disse:  NOSSO PRIMEIRO PASSO É ADMITIR:

“EU SOU A CONSCIÊNCIA ILUMINADA!”.

Todo referencial embasado em “aparências” terá que ser abandonado, e somente assim, o linguajar dualista terá fim.

A Verdade é ABSOLUTA, e todo desvio, por menor que pareça ser, dará “espaço para a Ilusão”. E caso ela encontre em nós “espaço para fazer ninho”, não poderemos declarar que “Quem me vê a mim, vé o Pai”.

DEUS É ESSÊNCIA, E NÃO ILUSÃO! DEUS É TUDO, E ILUSÃO É NADA!

Eis por que esta radical “tomada de posição” nos é requerida, caso pretendamos, “ainda hoje”, nos ver vivendo no Paraíso!

F I M

 

*

DEUS É A NOSSA ESSÊNCIA- 1


Que é compreender a Essência? Significa compreender que Deus é a Onipresença manifestada como todos nós. Ao afirmar: “Aquele que me vê a mim, vê  Pai”, revelava Jesus ter compreendido a natureza divina de sua Essência, que, pela Unidade Perfeita, é comum a todos nós!

A crença coletiva nos faz  acreditar que “somos todos discípulos”! Entretanto, se o suposto Mestre declara que “quem vê a MIM, vê o Pai!”, como deveria ser encarado o “conhecimento da Verdade”?  Deveríamos imitá-lo, na mesma compreensão absoluta de que nossa própria Essência é Deus!

O ensinamento de Buda é claro: “Sede para vós mesmos vossa própria Luz”; seja a Verdade vossa Luz e vosso Refúgio”.

Jesus disse: “Conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará”. Nenhum “iluminado” deseja ser venerado ou endeusado. Por quê? Esta veneração acoberta a crença na dualidade, quando muitos, com as revelações absolutas em mãos, insistem em apenas se identificarem numa posição de “discípulos”.

Nossa Essência é Deus! Assim, se formos realmente “vistos”, subjacentes às “aparências”, “o Pai estará sendo visto como cada um de nós”. Por outro lado, SE DEIXARMOS DE SER corretamente VISTOS, seremos considerados meros “mortais”, “pecadores”, e todos os demais conceitos gerados pelo falso “juízo segundo as aparências”.

Que conclusão tiramos disso? Se os rótulos são atribuídos a ALGO que não seja o Ser que somos, isto é, se nos são dirigidos POR AQUELES QUE NÃO SABEM NOS VER ESSENCIALMENTE, não devemos nos ater a nenhum deles! Não condizem com nossa Essência, com a Verdade que somos! Em outras palavras, o suposto “ego humano” não deverá receber qualquer atenção de nossa parte! Em quê estaremos nos fixando? Em nossa Essência! Em nossa  COMPREENSÃO de que, AQUI E AGORA, DEUS CONSTITUI A VERDADE QUE SOMOS!

A Seicho-no-ie dIz o seguinte: “A Verdade para a qual deveis despertar em primeiro lugar é a de que a Essência de todas as pessoas é DEUS!”

Não existe Verdade para ser vivida “daqui a pouquinho”; TUDO É REALMENTE “AGORA”! A PURA AUTOMANIFESTAÇÃO INFINITA DE DEUS ESTÁ PRESENTE AQUI E AGORA, SENDO A ESSÊNCIA DE TODAS AS PESSOAS NA UNIDADE! SOMOS NOSSA ESSÊNCIA, E NOSSA ESSÊNCIA É DEUS! SOMOS DEUS!

Continua..>

JESUS CONTEMPLANDO O CRISTO NO SUPOSTO PARALÍTICO!

“Ouvi agora isto, ó povo insensato, e sem coração, que tendes olhos e não vedes, que tendes ouvidos e não ouvis”.

Jeremias 5:21

Se pedirmos a um especialista em diamantes que nos faça uma estimativa de valor de um diamante bruto, por certo ele o fará, e com grande porcentagem de acerto. Mas se o colocarmos nas mãos de outra pessoa qualquer e sem conhecimento do assunto, talvez nem perceba tratar-se de um diamante, achando ser alguma pedra comum sem valor.

Na Bíblia, vemos que um paralítico, por causa da grande multidão no local, foi descido do telhado para ser “curado por Jesus”, o que aconteceu, diante de todos os presentes! Todos acreditaram que o homem fosse realmente paralítico, o que os levou a crer ter ele sido “curado”. Mas a Bíblia diz que “somos todos seres criados à imagem e semelhança de Deus”, e diz também que “tudo que Deus faz, dura perpetuamente”. Que diferia Jesus da maioria dos presentes naquele cenário? O SEU CONHECIMENTO DA VERDADE! Assim como  um especialista em diamantes não poderia acreditar que um deles fosse mera pedra comum, Jesus sabia que UNICAMENTE O QUE DEUS FAZ É REALIDADE! ESTAVA APTO A DESMASCARAR AS FALSAS CRENÇAS LEVANTADAS PELA MENTE CARNAL, ATRAVÉS DOS  DIVINOS OLHOS DA CRISTO-CONSCIÊNCIA!

Antes de Jesus, já dizia Jeremias: “Ouvi agora isto, ó povo insensato, e sem coração, que tendes olhos e não vedes, que tendes ouvidos e não ouvis”. Já sabia que os sentidos humanos somente dão FALSO TESTEMUNHO de tudo que acreditam “perceber”! E sabia que UNICAMENTE A PERFEIÇÃO ETERNA E ONIPRESENTE DE DEUS É REAL, EXISTENTE E INTEGRALMENTE PERFEITA!

Em vista disso, assim disse Paulo: “Despojai-vos do velho homem e seus feitos”.

SEM “CARNAIS” SENDO ACEITOS, OS SEUS CEGOS SENTIDOS VIRAM “NADAS”, E O  CRISTO, QUE É TUDO EM TODOS,  SE REVELA COMO ALI SEMPRE  ESTANDO, E JÁ EVIDENCIADO!

*

EXERÇA SEU DOMÍNIO DIVINO, FRENTE À ILUSÃO!

Quando Jesus disse que “estivemos com ele desde o princípio”, expunha o FATO REAL DA EXISTÊNCIA, QUE É DEUS VIVENDO E SENDO TUDO, NUMA UNIDADE UNIVERSAL PERFEITA!

“Deus é a LEI e o LEGISLADOR do Universo”, disse Albert Einstein! UM UNIVERSO REAL, CONSUMADO, ESPIRITUAL, IMUTÁVEL. E PERFEITO!

“Minha mãe e meus irmãos são aqueles que fazem a Vontade de meu Pai”, disse Jesus aos discípulos que anunciavam a ele a chegada de Maria e seus irmãos. Estava desfocando a visão dos discípulos, entretida com as “APARÊNCIAS RIDÍCULAS DE VIDA TERRENA”, para que se colocassem no “REFERENCIAL DA LUZ”, em que TODOS SOMOS IRMÃOS NA ONIAÇÃO DA DIVINA UNIDADE PERFEITA, e não em “mundo ilusório do pai da mentira”.

Para “se desvincular” da ILUSÃO DE MASSA, Jesus empregava as orações sem petições, o poder da palavra como dominador das “aparências”, que eram “ausências” se fazendo passar por “presenças”, e que eram “apagadas” de sua aceitação através de vigorosas repreensões! Não “resistia ao mal”; antes, contemplava a Verdade, reconhecia o PODER “ÚNICO e ONIATIVO” DE DEUS, e afirmava convictamente que O BEM PERMANENTE sempre estava manifestado, e “no lugar das aparências”!

Suas repreensões eram “autotratamentos”, ríspidas IMPOSIÇÕES DE DOMÍNIO sobre o erro!

 Ao afirmar que “desde o princípio estivemos com ele”, dava-nos Jesus o testemunho de que “temos domínio idêntico ao dele” sobre a ILUSÃO!

Ao ser tentado a se prostrar diante de Satanás, que lhe oferecia “o mundo todo”, se prostrado o adorasse, Jesus respondeu:“Está escrito: somente adorarás o Senhor Teu Deus”!

Praticamos a Verdade quando exercemos, com autoridade, este mesmo domínio divino, diante de supostas “aparências fraudulentas”.

*